Atualizações

[COLUNA] Dorama: A diversidade do universo asiático.

Quando você pensa em Ásia? O que vem a sua cabeça? 

Sushi. Hashi. K-Pop. China. Dramas. Coreia do Sul. Japão, e entre outras coisas que podem surgir na sua cabeça quando falamos do vasto universo da Ásia.

A coluna de hoje trata de: Produções Asiáticos! 

Em linhas gerais, os dramas asiáticos ganharam terreno nos últimos anos, desde as criações chinesas, tailandesas, taiwaneses, as japonesas e as mais conhecidos coreanos que são os queridinhos do dramaland, e com a Netflix investindo pesado nesse nicho, vemos uma variedade incrível de doramas sendo disponibilizado ao público e trazendo mais aficionados pela Ásia para serem fãs, além dos filmes que vem ganhando também público como Parasita (2019) que virou o mundo como vencedor do Oscar que trouxe os olhos do mundo para a questão de ver os filmes, dramas e afins em sua respectiva língua para quebramos a barreira que criamos por não damos a chance a uma produção na língua nativa quando não existe dublagem para tal.

Existe uma grande diferença entre os doramas assim como nos filmes estrangeiros,  além do estilo de produção e o tempo de duração para cada país, e as comparações entre os países sempre falam do valor de sua produção e quanto existem diferenças gigantes entre os então queridinhos das dorameiras, enquanto as produções chinesas tem aqueles efeitos trash que fazem a gente ri e alguns dramas mais maduros da vida real, e ao mesmo tempo história de amor que fazem seu coração doer, de tanto chorar como os casos de Eternal Love Of Dream (2020) e Eternal Love (2016) que trazem o mundo da fantasia, ao passo em que as produções coreanas tem uma pegada mais realista, mas não perdendo em doses de humor quando necessário como Strong Woman Do Bong Soon (2017) com suas caras e bocas, mas também tendo doramas que arrancam lágrimas como Chocolate (2019) com uma trama mais madura, e com seus próprios pontos fortes perante aos gigantes da Coreia do Sul como Goblin (2016), Moon Lovers: Scarlet Ryo (2016), A Korean Odyssey (2016) e Healer (2015) que estão na lista de doramas mais vistos do dramaland, enquanto as produções taiwanesas tem aquela pegada mais trash em algumas das poucas produções que já vi, como Skip Beat! (2011), enquanto as tailandeses vem a frente com os BL’s com os Together with me (2017) e TharnType (2019), ao passo em que as japonesas dividem as telinhas com suas caras e bocas como em Zettai Kareshi (2008) com suas doses de humor escrachadas, e alguns com temas mais sombrios que fazem o frio na espinha surgir como Switched (2018) e Erased (2017).

Fato é que cada país tem sua própria identidade, então não pense que doramas são todos iguais, ou que são a mesma coisa, assim como no Brasil, temos uma diversidade, e assim na Ásia com sua rica cultura e história que dar pano de fundo para seus dramas maravilhosos que cada drama vem trazendo traços dessa cultura de cada região mostrando como o mundo Asiático é diverso e rico em histórias que vão nos tirar o fôlego.

Além dos cenários de tira o fôlego, e cenas para lá de adoráveis com as quais nós estamos com inveja das personagens principais desses dramas com as cenas clichês com seus pares perfeitos, enquanto os enredos cativantes como School 2017 (2017) como qualquer louca por colegial é uma boa pedida e também Revenge Note (2017), ou se você preferir os cenários fantasiosos como em Ashes of Love (2016) e Love and Destiny (2019), você pode ter certeza que pode se apaixona pelos galãs e as mocinhas com seus longos cabelos e as cenas de lutas surreais ao nosso imaginário.

Mas, será que tem alguma coisa me agrade? Pode ter certeza que sim, afinal, assim como o cinema americano com seus clichês e filmes de ação, os doramas tem os mais variados estilos como o suspense psicológico Strangers from Hell (2018) e Life (2018), se você deseja ver algo mais leve com humor e muitos cenas hilárias, sempre temos Hospital Playlist (2020) com um plot maduro e cheio de clichês que aquece nossos corações, enquanto em Go Go Squid! (2017) temos uma trama de apaixonar a primeira vista e namoros de mentira, e quem nunca gostou desse tipo de trama?

Em contrapartida, Retaliação (2019) e The K2 (2016) vem com cenas de ação que conquistam o público feminino com seus atores fazendo as cenas eletrizantes de lutas, e sem pecar no romance também, enquanto pensamos em séries médicas como Doctor Stranger (2014) e Kill me, Heal me (2015).

Se fomos fala de romance, a lista só cresce com My Secret Romance (2017) e Because this is my first time (2017), e com temas mais sobrenaturais temos. Hotel Del Luna (2019), Angel Last Mission: Love (2019), The Legend of Blue Sea (2016) e Oh, My Ghost (2015), e um dos meus preferidos, W – Two World’s (2016), e temos casais e romance de sobra para todos os gostos.

Então, vai um dorama aí? 

Laís C.