Atualizações

Entrevista com a autora: Sol!

A entrevista de hoje é com a autora de Personal Cupid e Comfort Crowd!

Sua caixinha de perguntas bombou, então vamos começar pelo básico: De onde você tira inspiração para os personagens?

》Depende do personagem, alguns já vem praticamente prontos no momento em que estou criando, outros são um conjunto de influências, como livros, filmes, séries, até mesmo outras fanfics, ou na própria pessoa em quem é inspirado. Eu gosto também de fazer uma espécie de memory board no Pinterest, e acaba que as imagens que o site indica como relacionadas também ajudam a contribuir para a criação do personagem. Inspiração, ao menos para mim, é uma coisa confusa, em alguns momentos a gente sabe de onde vem, mas em outros não.

Agora conta pra gente como você se organiza para escrever as histórias?

》Antes eu fazia roteiros, detalhando o que eu queria para cada capítulo, mas acaba que a narrativa e os personagens sempre fogem do meu controle, é como se eles criassem vida própria.

Hoje eu anoto os pontos principais, que precisam acontecer, e, bem por cima, algumas cenas que eu já tenha imaginado. Ai vou pro Pinterest, montar o memory board da história e dos personagens (o que pra mim, que sou uma pessoa muito visual, funciona bem melhor do que descrever o que eu quero de cada um). A escrita em si é a parte mais difícil, não tenho dia certo para escrever e brinco que escrevo nos dias em que os personagens aparecem sentados nos meus ombros, igual o anjinho e o diabinho, e vão narrando o que querem que aconteça.

E quais autores você se inspira para escrever?

》Acho que o autor que mais me influenciou foi o Rick Riordan, eu passei o final da minha infância, minha pré-adolescência e quase toda a minha adolescência acompanhando Percy Jackson, o que me marcou muito. Eu também tenho um apreço muito grande pela escrita do George R.R. Martin, que me deixa completamente imersa e visualizando muito bem todas as cenas, que é o que eu busco na minha própria e espero um dia alcançar. Mas, mesmo sendo algumas das minhas influências, nossas escritas são bem diferentes, gosto muito da ideia de que cada autor ou autora tem o seu próprio modo de contar uma história, e que ninguém faria dois livros iguais.

Agora falando em autoras que eu descobri mais recentemente na minha vida, eu me inspiro muito em duas amigas que também escrevem. A Vênus, que é minha melhor amiga e escreve histórias incríveis (inclusive, publicadas aqui no site), eu simplesmente amo a escrita dela e a forma como ela decide por contar as histórias, eu sou a maior fã dessa mulher. E a Graziela Santos, de quem também sou fã de carteirinha e tive o prazer de conhecer e me aproximar quando comecei a ler uma de suas histórias, alguns anos atrás, e que, tendo hoje dois livros publicados, é a visão de fanfiqueira que eu precisava ter, tendo em vista que normalmente a sociedade vê escritoras de fanfic como algo sem futuro ou “só uma fase”, saber que algumas de nós estão realizando os sonhos e crescendo para fora da bolha que estamos inseridas é realmente uma inspiração.

Tem alguma playlist em particular que você escuta para escrever?

》O meu humor para a escrita varia muito, vai desde ficar em looping com a mesma música por três horas até escutar aquelas playlists temáticas que sempre tem no YouTube, “músicas antigas tocando no quarto ao lado e está chovendo”, “você está estudando em uma biblioteca assombrada”, “você está dançando valsa com seu inimigo”, playlists que tem a intenção de te incluir em uma atmosfera. Fora também as minhas próprias playlists, algumas temáticas e outras exclusivas dos meus artistas favoritos. Não tendo uma playlist especifica para isso.

Qual o personagem que você já criou e é o seu favorito?

》É difícil escolher entre os personagens, penso neles quase como filhos, mas tem três que são absolutamente os amores da minha vida. O Namjoon de Personal Cupid, e o Taehyung e o Seokjin de uma história ainda não publicada.

Suponha que você foi contratada por uma editora para criar um novo universo literário. Como ele seria?

》Eu tenho dois universos que eu criei e pelos quais eu sou completamente apaixonada, não posso falar muito deles porque pretendo publicar as histórias em breve e seria spoiler. Mas um dos projetos (que espero poder trazer o mais rápido possível pro site) se passa em um universo medieval, com um pé de inspiração em Game Of Thrones, misturando elementos antigos e modernos, onde o poder é definido pela cor dos cabelos, algumas cores sendo naturalmente possíveis apenas em que possui sangue real. Já o outro mistura cultura e influência de países árabes e asiáticos, trabalhando com seres místicos como dragões, oráculos e afins, onde os deuses favorecem seus escolhidos, podendo mudar de lado a qualquer momento e alternar o modo como a população vive.

Aqui temos uma ótima pergunta enviada pela caixinha: sabendo que em True Beauty os personagens Suho e Seojun são, respectivamente, inspirados no Jin e no JB, e a personagem principal tem a mesma cara que a autora, quando teremos uma webtoon da Sol com o Namjoon e o Jin?

》Eu simplesmente amei essa pergunta (e também fiquei triste lembrando que True Beauty já está acabando). Webtoon não é algo que eu possa prometer já que desenhar é algo bem longe da minha realidade, mas tenho um plot futuro de triângulo amoroso envolvendo o Namjoon e o Seokjin, e estou disposta a interpretar com eles quando os dois quiserem (alô BigHit, me contrata).

Você tem uma longfic em andamento e também uma shortfic já publicada. Você acha que é mais fácil escrever shorts ou não tem muita diferença no seu processo criativo?

》Eu tenho mais facilidade com shortfics, já que as minhas normalmente são um recorte dentro de um universo muito maior do que aquilo que foi mostrado. Tenho muita dificuldade com as longfics por serem trabalhos mais longos, que acabam por me deixar frustrada em algum momento do projeto, mas estou me esforçando para mudar isso e Personal Cupid é a prova de que, talvez, esteja dando certo.

Para finalizar, podemos ter algum spoiler de Personal Cupid?

》Os próximos capítulos já estão praticamente prontos e, embora sejam capítulos de transição, eu pessoalmente gostei bastante dos dois. A gente vai ver o começo da relação da Aiko com o Namjoon, que, apesar de parecer que aceitou tranquilamente a ideia, na verdade não está nem um pouco animado para ter uma cupido. Nesses capítulos a gente também vai explorar mais a relação do Namjoon com os melhores amigos, especificamente os dois que vivem com ele, cada um reagindo bem diferente a ideia de, agora, ter a Aiko entre eles. Espero que vocês também gostem!

Não deixem de acompanhar a Sol e suas histórias aqui no site! Um beijo grande e até a próxima entrevista!