After Twilight

Sinopse: Quatro garotas em uma banda com um unico sonho: conseguir viver da musica. Uma de suas apresentações num bar de Los Angeles muda suas vidas completamente e agora são Opening Act do 5 Seconds Of Summer. Qual será a maior dificuldade de viver na estrada?
Gênero: Romance.
Classificação: 16 anos.
Restrição: Os 5SOS são fixos. Ashton é o pp.
Beta: Lara-Jean Covey.

Capítulos:

Prólogo

Ashton entrou no bar com um único objetivo: beber algumas cervejas e curtir um tempo sozinho. Passou por todas as pessoas que estavam ali e chegou até o bar, fez seu pedido e sentou num banquinho ali mesmo. Não iria se infiltrar, conversar ou conhecer novas pessoas. Era o momento que ele tinha para relaxar antes da loucura da Tour começar. Estava feliz por ter achado aquele bar desconhecido há alguns dias, pois poderia frequentá-lo sem ser perturbado por ninguém. Não significava que ele não gostava da atenção de seus fãs, e sim que ele gostaria de se sentir uma pessoa normal por algumas horas. Sabia também que ali nenhum paparazzi o acharia, então era um lugar com diversas vantagens.
Viu um palco pequeno no lado oposto ao que estava, e uma movimentação. Perguntou ao bartender se teria alguma apresentação e recebeu um sim como resposta. O bartender o explicou que bandas completamente desconhecidas tocavam ali durante os fins de semana, e aquele domingo não seria diferente. Descobriu que a banda se chamava After Twilight, e que tinham um som parecido com o de sua própria banda. Imaginava que subiriam ao palco quatro caras, mas foi surpreendido ao ver quatro garotas ajustando seus instrumentos antes de começar a tocar.
– Boa noite, nós somos After Twilight e vamos tocar para vocês essa noite. – A garota que estava na guitarra anunciou. Provavelmente porque a vocalista estava terminando de colocar seus in-ears.
A guitarrista era provavelmente a garota mais bonita que ele ja havia visto, tinha a pele bronzeada e cabelos rosa choque na altura dos ombros. A baixista era loira e tinha várias sardas. Ashton achou incrível a confiança que ela tinha, e sabia que se fosse qualquer outra garota em L.A. teria usado toneladas de maquiagem para esconder tudo. Viu a baterista se acomodar no banco atrás do instrumento. Ela tinha cabelos pretos também na altura dos ombros, com cachos bem abertos. Ash sorriu pela similaridade com ele, afinal, ele estava com o cabelo tingido de preto. Ouviu a guitarrista começar a dedilhar algum riff e logo a vocalista se virou. Ele a achou linda. Uma beleza diferente do que ele estava acostumado a ver por ali. Tinha cabelos lisos, longos e castanhos, com leves ondulações nas pontas. Era notável a escassez de procedimentos estéticos em seu rosto. Ela era naturalmente bonita. A achou mais bonita ainda quando ela começou a cantar a primeira música. Não conseguia descrever direito aquela voz, era peculiar.
A banda era ridiculamente boa, mas sabia que por elas serem mulheres, os caras que estavam naquele bar não estavam se importando. Achou incrível a conexão que elas tinham no palco, e isso lembrou do início de sua banda.
– A próxima música é de uma das minhas bandas favoritas, e eles nunca a tocaram ao vivo. – A vocalista começou. – É uma das que eu mais gosto. Nós fizemos algumas pequenas alterações na letra, mas espero que gostem. Essa é English Love Affair. – Ashton estava boquiaberto. Sabia que muitas pessoas tinham o 5SOS como inspiração, mas não imaginava que seria delas.
Ash pegou seu celular e mirou para o palco. Ele gravaria a música, e caso fosse uma boa apresentação, enviaria aos outros três amigos. Os acordes começaram a ser tocados e ele estava ansioso para saber quais alterações haviam sido feitas. Achou incrível como a voz da vocalista encaixou com a música, e em como a baixista e guitarrista estavam harmonizando perfeitamente como suas backing vocals.

The way he looked was so ridiculous
Every single step had me waiting for the next
Before I knew it, it was serious
Dragged me out the bar
To the backseat of his car

Ele se perguntou se a garota sabia o significado daquela música. Deu um leve sorriso de lado ao lembrar de alguns momentos nostálgicos. Mas não passava de lembranças. No fundo ele era grato por esse “caso” não ter dado certo.

Next thing we were back at his place
A hideaway in Mayfair
All the great and good there
Drinking all the way to third base
We both getting naked
Falling on their faces

Ele havia gostado das mudanças na letra, e entendia que haviam sido feitas para encaixar com uma vocalista feminina. Estava adorando ouvir uma de suas músicas ser tocada por uma banda tão talentosa.

When I got out
I knew that nobody I knew would be believing me
I look back now
And know that nobody could ever take the memory

A garota dominou o solo de Ashton, o deixando sem palavras. Outra coisa que o deixava sem palavras era a forma com que ela dominava o palco. Diversos artistas de longa data jamais fariam as coisas que ela estava fazendo. Não só ela, como todas as outras três garotas. Estava impressionado com a baterista, afinal sabia que aquela música tinha um alto grau de complexidade para tocar, e a cacheada não havia errado uma batida sequer. Ash iria mandar o video para seus amigos, com certeza.
A banda tocou mais algumas músicas e anunciou o fim de sua performance. Agradeceu a atenção de todos e começou a desmontar seus instrumentos. O celular de Ash vibrou com mensagens de Mike, Calum e Luke dizendo que tinham gostado muito do cover.
– Robin, me traz uma água, por favor. – Ouviu a voz da garota que estava cantando há poucos minutos atrás. – Obrigada, você é um anjo. – Abriu o maior sorriso, enquanto o bartender rolou os olhos rindo.
– Amiga, você arrasou hoje. – O tal Robin elogiou a performance da garota.
– Dessa vez tivemos mais tempo pra ensaiar. – ela deu ombros. – Que bom que você gostou.
– Foi uma apresentação muito boa mesmo. – Ashton decidiu abrir a boca, chamando atenção da garota que gelou.
– Ih, que foi ? – Robin não estava entendendo o que estava acontecendo.
– É o Ashton. – A garota sussurrou para o amigo.
– “O” Ashton? – O bartender perguntou, devolvendo o sussurro, vendo a cabeça da garota se movimentar em sinal de afirmação. – Ih, vou fugir antes de ter que aturar teu lado fangirl outra vez.
– Hm, obrigada. – Ela agradeceu a Ash, que deu um gole em sua cerveja. – Desculpa pela mudança na sua letra. – Ela deu um sorriso amarelo.
– Não precisa se desculpar. Ficou ótimo. – Ele sorriu, mostrando suas covinhas. – Vocês são muito, muito boas.
– Que honra ouvir isso de Ashton Irwin. – Ela olhou pro chão.
– Não vou negar, quando me disseram que seria uma banda pop alternativo, chamada After Twilight, eu esperava caras, não garotas. – Os dois riram.
– É, a gente passa bastante por isso. Aparentemente, se você é mulher, você precisa ter um grupo pop ou algo do tipo. – Ela rolou os olhos.
– Eu gostei da surpresa. – Ele tentou flertar com a garota, mas foi interrompido.
, nós precisamos ir. A van já está pronta. – A morena assentiu.
– Bom, antes de ir, eu posso tirar uma foto contigo? Acho que ficou bem claro que eu sou sua fã. – A garota perguntou sem graça.
– Mas é claro, vem aqui. – A puxou pela mão, passando seu braço pela cintura dela, enquanto ela tirava a selfie.
– Obrigada, Ash. Que bom que gostou da performance. – Ela acenou para o baterista, o deixando ali, sozinho mais uma vez.

Nota da autora: Minha primeira longfic do 5SOS!!! Eu to nervosa, mdssss!! Contem nos comentários o que esperam para essa fic e atenção no meu insta de autora para spoilers e apresentação dos personagens!! <3
Twitter: @amanda_ritis | Instagram: @amandar_autora

 

1

Os quatro integrantes da 5 Seconds Of Summer entraram no escritório de um de seus empresários para uma reunião marcada de última hora. Não faziam ideia do que se tratava, mas talvez fosse por alguma promo para a turnê que começaria em um mês.
-Meninos, nós temos um problema. – Richard Griffiths começou.
– Vamos ser diretos aqui. The Band Camino não poderá abrir a turnê na parte australiana e nem na americana. – Harry Magee soltou de uma vez. Os quatro se ajeitaram na cadeira.
– Ok, mas então quem vai abrir? – Michael se apoiou nas pernas. Ele odiava quando as coisas não saiam como eles havia planejado.
– Nós ainda não sabemos, mas estamos começando a cogitar não ter um número de abertura. – Harry rabiscou algo em seu caderno.
– Isso é ridículo. – Foi a vez de Calum falar. – O intuito de ter um número de abertura é divulgar artistas pouco conhecidos, como The Band Camino é.
– E outra coisa, os fãs pagaram por isso. – Luke abriu a boca. – Não acha que é injusto com eles?
– Entendemos a preocupação de vocês, mas como vamos achar uma banda que aceite entrar em turnê com só um mês de preparação e que seja boa também? – Richard perguntou.
– Ash, – Luke chamou a atenção do amigo. – mostra o vídeo daquela banda que você viu ontem. – Ele desbloqueou o celular, abriu a galeria e mostrou o vídeo da banda.
– Elas são realmente muito boas, mas vocês vão querer entrar em turnê com um grupo de garotas? – Richard questionou. – Quero dizer, elas…
– Elas o que, Richard? – Calum desafiou o empresário. Costumava ser muito calmo, mas estava irritado com a proposta de cancelarem o show de abertura. – Eu acredito que elas têm potencial e seriam incríveis para abrir nosso show.
– Sim. – Mike e Luke disseram juntos.
– After Twilight. Entrem em contato com o empresário delas e marquem um teste. – Ashton disse o nome da banda e se levantou. – Acho que nossa reunião acabou, né? – Deu um sorriso e saiu da sala.
Ashton odiava ser arrogante. Não só ele, como Michael, Luke e Calum também. Ele só achava injusto considerarem não ouvir o som da After Twilight simplesmente por serem mulheres. Isso o tirava do sério. Ok, talvez ele estivesse com interesse na vocalista, mas, no momento, ele só queria uma banda para tocar antes da dele.
Enquanto isso, do outro lado de Los Angeles, estava entrando no estúdio de tatuagem para fazer uma nova arte em seu corpo. A garota tinha algumas outras, todas pequenas, pois era o estilo que a garota mais gostava. Achava tatuagens grandes lindas, mas só em outras pessoas. De volta ao estúdio de tatuagem…. Ela iria fazer uma frase em seu braço. “You’ve got the right to show the world something never seen”. A parte mais demorada foi escolher a fonte, a tatuagem em si demorou pouquíssimos minutos. Sentiu o celular vibrar.

Charlie 👯
Vem pra casa rápido! Nós temos uma audição.

Ela não entendeu muito bem o motivo de tanta pressa, então nem se importou em passar na loja ao lado de estúdio para comprar um vestido novo. Deu a volta por Beverly Hills para admirar a vista, antes de ir para sua casa em Palms.
Estacionou na frente do prédio e subiu com calma. Deveria estar animada para a audição, mas estava exausta de receber diversos “nãos” em todas elas. Aparentemente as pessoas não queriam uma banda de pop alternativo, com um pé no pop rock, feminina, e isso a frustrava. Ela era completamente apaixonada pelo gênero que tocava, mas estava pensando seriamente em sugerir uma mudança para as amigas. Talvez se elas fossem apenas um quarteto pop normal fizessem mais sucesso. Nada de guitarras, baixos ou baterias, só as quatro cantando e dançando de roupas curtas. Só de pensar nisso sentiu um frio na espinha. Essa não era ela. Não que ela não gostasse de usar roupas curtas, sua peça favorita era uma saia curta de couro, mas ser um grupo pop significava que tudo teria que ser colorido demais, e isso não agradava a paleta de cores de seu guarda roupa. Abriu a porta e se deparou com Charlotte, Izabella e Devan sentadas no sofá, enquanto Jeffrey, seu empresário andava de um lado para o outro.
-Achei que você tivesse morrido, . – Charlie soltou impaciente.
– Fala esse mais uma vez e você vai ver onde eu vou enfiar ele. – respondeu se jogando em cima de Charlotte.
– Bom, já que estão todas aqui. Deixe-me dizer mais sobre essa audição. – Jeffrey puxou uma cadeira e se sentou de frente para as garotas. – Tem uma banda grande precisando de um opening act. Me pediram para não dizer qual banda para não criar expectativas, mas gente, pode ser a chance que vocês precisam.
– Aposto que acham que é um bando de marmanjo tocando. – Izzy rolou os olhos.
– Por incrível que pareça, não… Eles sabem que vocês são mulheres. – Jeff rebateu. – O único problema é que a audição precisa ser feita amanhã.
– O QUE? A chance das nossas vidas e a gente tem menos de 24 horas para se preparar? – Dev deu um grito. – É pra chorar, né Jeff? Por que tão pouco tempo?
– Porque a banda que estava confirmada para os acompanhar teve alguns problemas e cancelou. E eles saem em turnê em um mês. – A possibilidade de ser aprovada nessa maldita audição cruzou a cabeça de .
– Ok, o que nós precisamos apresentar? – A vocalista perguntou. Ela era a mais calma das quatro.
– Duas músicas autorais. – Jeff respondeu. As garotas se entreolharam.
– Podemos cantar Don’t Talk… – Izzy sugeriu, deixando em aberto para que alguém sugerisse outra.
– …e Born To Be Single? – Dev completou. – Nós ensaiamos elas e tocamos ontem. Podemos dar uma repassada e torcer para que tudo dê certo.

🥁🎶🇦🇺
As garotas e seu empresário chegaram ao endereço em Inglewood no horário marcado. Entraram no que parecia ser uma casa, deram seus nomes na recepção e foram direcionados a uma sala completamente revestida por espumas. Sabiam que era onde a tal banda famosa ensaiava, afinal, ninguém montaria aquela estrutura para apenas uma audição. Os instrumentos já estavam ali, mas haviam escondido qualquer que tenha sido a personalização da bateria, e isso só aflorava a curiosidade das 4 garotas.
Na sala estavam dois produtores musicais, o gerente de turnê e um tripé com um celular. Provavelmente para gravar a performance e avaliar mais tarde.
-Bom dia, moças. Eu sou Dustin, mas podem me chamar de Dus. – O cara de dreads começou a falar. – Eu sou um dos o produtores musicais da banda, e estou aqui para avaliar vocês. Nossa banca é composta por mim, por Leonardo, – apontou pro ruivo ao seu lado, este era outro produtor – e Kennedy. – Apontou pro último cara que estava ali. – Essa câmera estará transmitindo ao vivo a apresentação de vocês para a banda, então vou precisar que nos digam seus nomes e o que fazem na banda.
– Eu sou Charlie Campbell, baterista da banda. – a primeira de apresentou.
– Izzy Storr, guitarrista e vocalista. – A loira respondeu direta.
– Devan Whitmore, baixista e vocalista. – A de cabelos rosa disse.
– E eu sou , vocalista da After Twilight, e também toco guitarra em algumas músicas. – Por último a morena. – Nós vamos cantar duas músicas autorais, elas estão disponíveis no Spotify e YouTube, caso queiram procurar mais do nosso trabalho é só digitar o nome da banda. – Ela deu um sorriso tímido.
Os produtores não botaram muita fé na banda por conta de seus comportamento contidos, mas assim que ouviram os acordes de guitarra que Izzy começou, se viram vidrados. A intro de Don’t Talk finalizou assim que pegou o microfone do pedestal e começou a cantar. Quando ela cantava, era como se outra pessoa estivesse no lugar dela. Qualquer traço de timidez que ela pudesse ter sumia, e era como se ela virasse uma estrela. Dev, Charlie e Izzy também passavam por isso, e mesmo não sendo um show, elas estavam se apresentando como se tivesse uma plateia cantando junto a elas. Devan pulava com o baixo do dono desconhecido, Izzy virava para Charlie para admirar os solos de bateria que a garota tocava, enquanto a música seguia sendo tocada. Essa era uma música mais agitada, e andava por todo o espaço do estúdio como se estivesse em casa. A banca gostou do que viu. Ao fim da música, elas se olharam e deram um sorriso. Havia sido uma performance impecável.
Born To Be Single era a próxima, mais calma. Izzy trocou a guitarra por um violão. A música era mais intimista, havia sido escrita por e Charlie em um momento de fraqueza, onde elas estavam sofrendo por conta de seus ex namorados. A vida romântica das duas nunca fôra boa, e elas haviam decidido que tinham nascido para serem sozinhas. Izzy e Dev amaram a música assim que ouviram, e se identificaram com a letra na mesma hora, e ela se tornou a música mais sentimental que a banda tinha. Elas colocaram muita emoção na performance para a banca avaliadora, e foi notável o quanto entregues a melodia elas estavam.
-Bom, sem querer se ansiosa, mas já sendo… E agora? – Dev perguntou aos homens que estavam na sua frente. E ouviu o celular de um deles tocar.
– Sim? – houve uma pausa que pareceu durar horas. – Tem certeza? – Mais uma pausa. – Ok, tchau. – Desligou o telefone. – Bom, agora se vocês estiverem dispostas a se organizarem para sair em tour daqui um mês, vocês estão dentro. – Assim que Dus terminou de falar, as garotas nem lembraram de perguntar qual era a tal banda, elas só correram para se abraçar. Não acreditavam que finalmente a vida havia sorrido para elas.
– Com certeza estamos dentro! – se soltou e respondeu com o maior sorriso no rosto. Mal sabia ela que a transmissão ao vivo ainda não havia sido pausada, e aquela reação só fez com que Ashton a admirasse mais.
– Bom, vocês vão ter acesso a estilistas, técnicos vocais e instrumentais, não que vocês precisem, mas é algo habitual. – Kennedy logo se adiantou. – Maquiadores, cabeleireiros, personal trainer e horários individuais e específicos para treinos, algumas outras vantagens vão estar descritas no contrato.
– Sejam muito bem vindas, e estamos ansiosos para trabalhar com vocês. – Leonardo finalizou.
As garotas estavam pura felicidade. Deixaram o estúdio com apenas um pensamento: elas precisavam curtir. Não sairiam pra lugar nenhum, apenas iriam ter sua comemoração privada na casa em que dividiam. A alegria delas não tinha fim.

 

Nota da autora: Twitter: @amanda_ritis | Instagram: @amandar_autora

Outras histórias: 
[LONGFICS]
– Oxford University – [Restritas – Bandas /One Direction] – Em andamento.
– Queda e Ascensão – [Restritas – Cantores/Niall Horan] – Em andamento.

[SHORTFICS]
All You Had To Do Was Stay – [Especial Um Ano FOFIC]
Delicate – [Especial Um Ano FOFIC]
Wildest Dreams – [Especial Um Ano FOFIC]
The 1 – [Especial Um Ano FOFIC]
London Boy – [Especial Um Ano FOFIC]
My Everything – [Especial 10 Anos de One Direction]
– Needy – [Cantores – Louis Tomlinson]
– Small Talk – [Especial Heartbreak Weather]
– Forget You Not – [Cantores – Harry Styles]
– Golden – [Especial Fine Line]
– Cherry – [Especial Fine Line]
– 11. Love Is Easy – [Especial McFly]
– 13. Party Girl – [Especial McFly]
– 21. Foolish – [Especial McFly]

2


O último mês havia passado rápido demais. Precisaram ir em encontros com estilistas para tirar as medidas de seus corpos, além de terem encontros para escolha das roupas que as foram sugeridas. Ensaiaram todos os dias na garagem de sua casa e aperfeiçoaram em 100% sua performance. Se sentiam preparadas para cair na estrada. O que ainda não havia superado era o fato de estar indo em turnê com 5 Seconds Of Summer. A garota surtou por uma semana quando recebeu o contrato e lá constava o nome da banda. Charlie chegou a segurá-la pelos ombros e sacudir, dizendo “se controla mulher!!!”, enquanto Izzy e Dev filmavam e postavam tudo nos stories de seus instagrams pessoais. Por sorte, isso tudo foi feito antes da garota ganhar o follow de Ashton, Calum, Mike e Luke, senão ela estaria mais envergonhada do que já se encontrava.
Elas haviam chegado na Austrália no dia anterior e ainda estavam sofrendo de jet lag, já que a diferença de horários era gritante. Nem tiveram forças para explorar a cidade, só ficaram trancadas dentro do hotel tentando se situar. Agora as quatro estavam dentro de uma van indo em direção ao local do primeiro show que seria em Perth.
-Ok, . – Izzy começou e revirou os olhos. Odiava seu nome, sempre considerou um nome de velho e, no auge de seus 22 anos, o que ela menos queria era um nome que a lembrasse de uma senhora de 80 anos. – Nós vamos conhecer a banda hoje, então por favor não nos faça passar vergonha.
– Para seu devido conhecimento, Izabella, – Ela jogou, sabia que Izzy também preferia o apelido ao próprio nome. – eu já conheci um deles, o Ashton.
– Ah é? – Dev se apoiou no banco para observar a cara da garota. – E como foi quando você conheceu ele? – pensou muito antes de começar a falar.
– Foi muito bem, obrigada. – A garota cruzou os braços.
– Não foi o que Robin disse. – Dev rebateu e começou a gargalhar. Robin, o bartender e melhor amigo gay de Devan.
“Ah meu Deus!!! É o Ashton, eu vou morrer! Adeus mundo!!!” – Charlie zombou da amiga e recebeu um dedo do meio em resposta.
– Vai se foder, CC. – olhou para Charlie com expressão de raiva, o que não durou por muito tempo, dando lugar a uma gargalhada gostosa. CC era o apelido que tinha dado a Charlie quando a conheceu, visto que são as iniciais de seu nome e sobrenome. Ela achou engraçado, mesmo não tendo nenhuma graça. Desde então CC é uma forma carinhosa pela qual se refere a amiga.
As garotas chegaram finalmente ao HBF Stadium e entraram pelos fundos. Ouviram bastantes murmurinhos do lado de fora, porque as fãs que estavam ali tinham certeza de que, quem estava chegando naquele momento, era a 5SOS. Saíram do carro e foram direcionadas ao camarim com o nome da banda delas. Elas não estavam acreditando ainda no que estava acontecendo. Era surreal a ideia de que pessoas no mundo inteiro poderiam estar ouvindo suas músicas. Ouviram batidas na porta e foram avisadas de que era hora de sua passagem de som. Era uma experiência nova, elas nunca haviam passado por aquilo. Tocaram os 30 primeiros segundos das sete músicas que compunham sua setlist e retornaram ao camarim. As coisas lá dentro já haviam mudado. Havia uma arara no canto direito da sala com quatro figurinos, cada um com um de seus nomes indicando o que deveriam vestir naquele dia.
Devan ligou a TV para assistir alguma coisa interessante, deitou no sofá de cabeça pra baixo para tentar se concentrar melhor e não funcionava. Izzy estava tentando compor algo, afinal fazia um bom tempo que não lançavam nada novo, e nada como uma reviravolta em suas vidas para melhorar sua criatividade. estava deitada no carpete olhando para o teto, tentando controlar toda a sua ansiedade. Para a 5SOS seria um público mais “intimista”, mas aquele número de pessoas era muito mais do que elas já tinham tocado de uma só vez. Charlie estava entediada. Ela queria sair daquela maldita sala e explorar o local onde iriam se apresentar, mas tinha medo de ser repreendida em seu primeiro dia, então a garota simplesmente ficou sentada na cadeira mexendo em seu celular. Ouviram mais uma vez algumas batidas na porta.
-Que não seja o personal trainer. – disse baixinho ao ouvir a porta abrir, e fechou os olhos. Tudo ficou num silêncio e ela sentiu alguém se aproximar.
– Ela está viva? – Ouviu a voz de Ashton e abriu os olhos imediatamente, vendo-o parado ali ao seu lado. A garota sabia que ele era alto, mas olhar para ele da altura do chão a fazia se sentir menor ainda. – Oi de novo.
– Hm, oi. – Ela decidiu reagir e levantou do chão, se pondo de pé. – Eu sou . – Se apresentou. Sabia que não havia dito seu nome naquele dia do bar. – Essas aqui são Devan, Izzy e Charlie. – Apontou para as amigas.
– Eu sou o Ash. – Se apresentou para as meninas. – Aqueles são Luke, Michael e Calum. – apontou para os amigos como se as garotas não soubessem quem eles eram.
– Nós não tivemos a oportunidade de agradecer antes, então, acho que falo por todas quando digo que somos eternamente gratas por tudo o que vocês fizeram e estão fazendo por nós. – Izzy disse atraindo a atenção de Michael.
– Que isso, vocês são boas, merecem mais atenção. Nós sabemos bem como é difícil ter uma banda desconhecida. – Ele caminhou até o sofá e sentou ali, fazendo com que Dev tomasse vergonha na cara e sentasse direito.
– É um prazer imenso conhecer todas vocês. – Calum disse, e se juntou a Mike.
– Não sei pra que você levantou, meu bem, pode sentar outra vez, nós vamos bater um papo. – Luke disse para a deixando intimidada. Claro, essa não foi a intenção do rapaz, mas ela estava tendo um surto interno naquele momento. Ela sabia que Luke era um amor, mas por conta de seu nervosismo se viu contida.
– Então, como vocês começaram a tocar? – Mike perguntou, fazendo um sorriso aparecer no rosto de Charlie.
– Por incrível que pareça, tudo começou num karaokê. – Os quatro garotos não entenderam muito bem. – Calma, eu explico. – Se adiantou – Nós nos conhecíamos, porque tínhamos amigos em comum. Acabamos indo comemorar o aniversário da Devan juntas e passamos a noite conversando sobre o quanto gostamos de música. Daí cada uma disse o que tocava. Na época a única que não tocava nada era a , mas ela tinha a voz que precisávamos e entendia de mixagem, então era um ponto importante. – corou e encarou o chão. Luke olhou para a garota e, notando a timidez, começou a futucá-la, com intuito de a fazer relaxar e sorrir. – Continuamos tocando e tentando achar nosso som, nesse meio tempo ela acabou aprendendo tocar violão e guitarra… Agora temos 2 anos que estamos na ativa com a After Twilight. – Charlie finalizou a história.
– E vocês simplesmente decidiram mergulhar de cabeça? – Cal perguntou.
– Sim! – Foi a vez de Izzy. – Nós estávamos num período ruim em nossas vidas. não tinha conseguido entrar na universidade, Charlie não estava feliz com o curso que fazia, eu estava tendo muitos problemas em casa por conta da minha namorada, e Dev havia acabado de ser demitida da cafeteria que trabalhava…
– Tivemos por várias vezes algumas crises de identidade, até finalmente achar um gênero em comum, porque são quatro garotas diferentes, com gostos diferentes… – Devan disse e os garotos concordaram. Sabiam o quão difícil era essa parte.
– Alguém disse crise de identidade? – Luke perguntou fazendo rir. A garota não se aguentava todas as vezes que ouvia o mais novo dizer “Eu não sei quem eu sou” em vídeos e entrevistas. – Acho que alguém entendeu a piada. Estão vendo, ela entende meu humor.
– Cala a boca, Luke. – Ashton deu dedo pro amigo, fazendo com que todos rissem. – Ela entendeu porque é fã da gente. – Disse doce, atraindo toda a atenção para a garota.
– Culpada. – A morena levantou as mãos em rendição.
– Fã desde quando. – Mike se apoiou nas pernas, estava ansioso pela resposta.
– Sendo bem honesta, alguns meses. – Ela sorriu sem graça. – Eu estava no YouTube assistindo coreografias que jamais conseguiria imitar, quando vi a coreografia de uma das suas músicas… Gostei do que ouvi e acabei procurando mais e mais. Quando percebi já estava seguindo quinze fã-clubes no twitter e entendendo algumas piadas internas. – A garota estava com as bochechas completamente coradas, os quatro integrantes do 5SOS acharam adorável.
– E em algum momento você imaginou que sairia em turnê com a gente? – Luke passou seu braço por cima do ombro da garota. Recebeu um olhar repreensivo de Ash e não entendeu o motivo.
– Pra ser sincera eu nem esperava que o Ashton tivesse ouvido o cover de English Love Affair. – Olhou para o dono dos olhos verde-avelã. – Quem dirá sair em turnê. É surreal. – Calum olhou para Mike, ele havia entendido o que estava acontecendo ali. Michael logo entendeu que Ash tinha interesse na garota, e por isso havia insistido tanto que convidassem a banda para se juntar a eles. Luke, em contrapartida, estava completamente perdido e tentando fazer amizade com a garota. Quem sabe não pudessem compor juntos, ou então dar alguma dica de como performar no palco. Seus olhos estavam direcionados a garota de cabelos pretos cacheados.
Eles continuaram conversando por algum tempo, se conhecendo e aproveitando a companhia. Era diferente para eles terem mulheres ali, mas não era algo ruim. No meio da tarde Charlotte decidiu pintar suas unhas, e Luke pediu para que ela pintasse as dele também. No início foi meio difícil, já que Charlie ficava brigando com ele para ficar quieto, senão pintaria toda a sua mão de preto, mas as coisas logo se acalmaram. Calum e Dev deixaram o cômodo por alguns minutos para fumar, e voltaram rindo de alguma piada idiota que ela devesse ter contado. Izzy e Michael ficaram discutindo sobre os jogos que estavam jogando no momento: Fortnite e League Of Legends. A garota se sentiu feliz com a companhia de Mike, já que nenhuma de suas amigas jogava nada. Agora ela teria com quem discutir alguns tópicos que a interessavam. se juntou a Charlie e Luke para ajeitar suas unhas assim que Cal e Dev voltaram, e Ash, que estava entretido com seu celular, foi perturbar Calum como era o habitual. Quando faltava duas horas para o show começar, eles decidiram deixar as meninas sozinhas para que elas começassem a concentração. Sabiam que elas estavam nervosas.
-Ashton. – chamou o mais velho antes de que ele cruzasse a porta.
– Pode me chamar de Ash, . – Ele sorriu fofo, desmontando a garota.
– É meio óbvio que nós só estamos aqui por causa de você, então eu só queria te agradecer. Bem diretamente mesmo. – Ela deu um sorriso tímido.
– Vocês precisam parar de nos agradecer de 15 em 15 minutos. – Brincou – Mas ok, eu aceito o seu agradecimento se você tiver a mesma presença de palco como teve naquele bar. – Ele se aproximou da garota e a puxou para um abraço. – E não fica tensa, vocês vão arrasar. – estava mole nos braços de Ashton. Ela sabia que ele teria um efeito forte nela, pois era o seu favorito, mas não imaginava que fosse ser daquele jeito. Ash não estava diferente, ele sentia uma conexão. Era ridículo se comparar com o tempo e pouco contato que haviam tido. – Bom, eu vou agora, mas prometo assistir o show de vocês do backstage. – Deu um beijo na testa da garota e finalmente a deixou sozinha.
– Que presentão de aniversário adiantado, hein, . – Charlie soltou fazendo as outras duas garotas rirem. O aniversário da garota era no dia seguinte, mas ela não se atreveria a focar nisso, ou comentar algo perto dos garotos. Tudo o que ela estava vivendo já estava sendo o suficiente.
– Meus mais sinceros “vão tomar no cu”. – A morena rebateu rindo. Por mais que ela tentasse, não conseguia ficar com raiva de suas amigas.
Alguns minutos depois duas maquiadoras e duas cabeleireiras entraram no camarim e começaram a arrumar as meninas. Elas podiam se acostumar fácil com aquilo. Quando arrumadas tiraram uma foto e postaram no Instagram da banda. Era oficial, a No Shame Tour estava começando e elas estavam ali. Faltando dez minutos para elas entrarem no palco, Calum abriu a porta e Luke entrou com uma bandeja com 8 copinhos de shot fazendo a maior zona. Atrás deles tinha um cara com uma câmera, provavelmente para filmar um diário de turnê. Ash e Michael estavam ali também, fazendo barulho como os dois primeiros. Luke anunciou que era hora da tequila e as garotas soltaram um grito animado, se aproximaram e pegaram um copinho. Os garotos também pegaram seus copinhos e Luke se livrou da bandeja.
-Esse é só o primeiro. – Cal ergueu seu copo de shot. – Cheers! – Os oito viraram o líquido quente e fizeram caretas engraçadissimas.
– Ainda falta uma coisa. – Hemmings anunciou. – Nickelback! – exclamou animado, mas logo se adiantou. – Claro, se as senhoritas gostarem… – As meninas riram e assentiram.
A música começou a tocar alto no cômodo e, mesmo sem querer, as garotas acabavam harmonizando, porque era algo habitual delas. A química que a After Twilight tinha poderia causar inveja em algumas pessoas, pois era uma amizade genuína. Isso as duas bandas tinham em comum, e talvez fosse por isso que eles haviam se dado tão bem.
Charlotte se pegou admirando Luke. Ele estava com glitter nos olhos e seus cabelos bagunçados. Usava uma jaqueta de couro preta, calça justa e uma blusa onde apenas dois botões estavam sendo utilizados. Reparou no quanto ele era bonito, e que parecia ter acabado de sair de uma revista de moda. Ela tinha um fraco por caras que não tinham a masculinidade frágil, e Luke definitivamente não se importava em vestir ou usar coisas consideradas femininas.
Estavam os oito dançando como se não houvesse o amanhã quando ouviram o produtor da turnê avisar que faltavam dois minutos para as garotas entrarem em cena. Devan pegou seu baixo, Izzy sua guitarra e Charlotte suas baquetas. sentiu o ar pesar e se viu tremendo por inteiro. Luke passou seu braço sobre os ombros da garota e a acompanhou até o lado do palco, onde elas entrariam. Durante o caminho foi dizendo que ele sentia a mesma sensação que ela antes de entrar no palco, por pura timidez, mas que, assim que punha seus pés no palco e olhava a platéia, tinha a certeza que havia nascido para aquilo, e que com ela não seria diferente. não era a única que estava nervosa e cada um dos integrantes do 5SOS fez questão de tentar acalmar e dar conselhos sobre sua parte tão essencial. Mike acompanhou Izzy dizendo para que ela se entregasse a música. Calum aconselhou a Devan a não pensar muito no que fazer no palco, que essas coisas viriam com a emoção do momento. Ashton foi ensinando a Charlie um novo jeito de girar as baquetas e ajudar a aumentar o hype da platéia. Eles pararam um do lado do outro, olharam para as garotas e desejaram boa sorte. Elas fizeram um high-five entre si e entraram no palco. Ouviram gritos invadirem seus ouvidos e não acreditaram que as pessoas estavam gritando por elas.
O que acabou contando ponto para a After Twilight foi que a banda era integralmente composta por garotas, e considerando a fã-base do 5SOS, aquilo causou uma grande empolgação nas pessoas que estavam ali para assistir o show. Quando a ambientação feita por Charlie e Izzy começou a ser tocada, foi como se todo aquele nervosismo tivesse desaparecido e a emoção tivesse tomado conta das garotas. Por falar em emoção, quase chorou no momento que começou a cantar Fuqboi e a plateia sabia a música completa. Aquele com toda certeza era o epítome da felicidade para as garotas, e elas não queriam que aquele hype acabasse nunca mais. Contudo, tudo chega ao fim, e assim que terminaram de tocar as sete músicas de sua setlist, saíram do palco meio correndo e só conseguiram pensar em se abraçar. Foi uma cena tão bonita, que o fotógrafo da 5SOS precisou registrar aquele momento. A foto havia ficado linda por conta da genuína expressão de felicidade que as garotas sustentavam.
As meninas voltaram para o camarim, onde tomariam um banho, afinal estavam suadas. Começaram a se despir, esquecendo que havia apenas um banheiro no cômodo, o que resultou em quatro garotas de lingerie brincando de pedra, papel ou tesoura para saber quem entraria no chuveiro primeiro. Felizmente ganhou, e aproveitou para tomar um banho rápido, vestir a roupa confortável que havia levado, e seguir direto para a lateral do palco, onde acompanharia o show de uma de suas bandas favoritas.
Quando chegou onde assistiria ao show, a banda já estava no palco e já tinha começado a tocar. Ela estava dançando ao som de She’s Kinda Hot quando Ash a viu. Ficou feliz com a reação da garota e acabou se empolgando na parte que cantava, levando as fãs à loucura, incluindo . Ela amava a voz dele, e queria que ele cantasse mais, mas sabia que era complicado, devido a todo o esforço que tinha que fazer para tocar bateria.
Antes do final do show, precisou voltar para o camarim, pois Jeff estava a chamando. Foram avisadas de que saíram dali e iriam direto para o aeroporto, pois Melbourne era bastante longe de onde estavam, e teriam o dia seguinte para curtir e comemorar o aniversário de . que nem se importou em olhar no relógio e ver que já se passava da meia noite. Ela estava feliz com os garotos não saberem de sua data de aniversário. O que ela não contava era que a equipe de turnê era realmente como uma família, e eles haviam preparado um bolo surpresa para ela. Estavam na porta do camarim esperando o sinal de Jeffrey para entrar e começar a cantar “parabéns pra você” quando os 4 rapazes passaram por ali e, por curiosidade, perguntaram o que estava acontecendo. Foram informados de que era o aniversário de , então apenas terminaram de secar o suor que escorria e se juntaram a equipe.
quase caiu para trás quando viu o bolo, e depois quatro pessoas ridiculamente altas cantando parabéns para ela. Olhou para as amigas e para o empresário, como se perguntasse o que estava acontecendo e por que eles estavam ali, eles não souberam responder. Eles também estavam surpresos, e não esperavam que a equipe de turnê que havia acabado de conhecê-las fosse fazer algo como isso.
-Por que não nos disse que era seu aniversário? – Mike foi em direção da morena e deu um abraço nela para a parabenizar.
– Porque não era. – Ela sorriu doce. – Nem sabia que já passava da meia noite. Eca você tá suado.
– Eu vou te apresentar para Crystal, e nós vamos adotar você. – Ele disse por achar a reação da garota fofa. A soltou e logo recebeu um abraço de Calum.
– Feliz aniversário, ! – ele disse, logo dando espaço para o próximo.
– Feliz aniversário, !! O bom é que você comemorou seu aniversário em grande estilo com um show incrível. – O loiro elogiou e ela ficou sem palavras. Ele a soltou.
– Sempre deixam o baterista pro final. – Ashton brincou fazendo todos ali rirem. – Feliz aniversário , e calma que o seu dia está só começando. – Disse olhando no fundo dos olhos da garota. não conseguiu desviar o olhar dos olhos de Ashton nem um centímetro. Ele a abraçou. De todos era o mais suado. – Eu não sabia de nada, mas provavelmente vou planejar algo legal para fazer em Melbourne. – Sussurrou no ouvido dela, causando arrepios.
– Obrigada, Ash. – Não queria o soltar, mas sabia que o tempo que estavam se abraçando começava a passar do tempo de um abraço normal. – Obrigada a todos, eu não esperava por isso.
A 5SOS seguiu de volta para seu camarim, enquanto a After Twilight mal teve tempo de comer e estavam correndo para o aeroporto. Esses dez dias de turnê na Oceania seriam uma loucura, e só um aquecimento do que viveriam na América.

Nota da autora: Twitter: @amanda_ritis | Instagram: @amandar_autora