With Love, Tinder

Sinopse: Sua vida como engenheira seguia de vento em polpa: um bom emprego, pós correndo super bem e, principalmente, obras e mais obras para o currículo. Sua vida pessoal, por outro lado, vinha seguindo cada vez mais sem graça. Em um surto e encorajada pelas amigas, ainda em 2019, baixou um aplicativo de relacionamento na intenção de encontrar alguém para conversar, e quem sabe algo mais, que não fosse o homem que ela via todos os dias em seu local de trabalho: seu ex namorado. Durante meses, conversou amigavelmente com um homem que conhecera por meio do aplicativo, só que jamais imaginava que esse simples ato mudaria tanta coisa em sua vida.
Fandom: Tom Holland
Gênero: Romance.
Classificação: 18 anos
Restrição: Contém insinuação e cenas de sexo. Mesmo que o Tom não esteja nem dentro e nem fora da caixinha, resolvi deixá-lo como personagem fixo. Os nomes Arthur, Jonatas, Pedro, Peter Jones e Sibele já estão sendo usados – alguns poucas vezes.
Beta: Natasha Romanoff

Capítulos:

PROLOGUE
Janeiro de 2019.

5 casais formados pelo Tinder que vão fazer você acreditar no destino1

E o Tinder, hein? Em setembro do ano passado, o aplicativo figurava no topo da lista de mais baixados na Apple Store. Um ano depois, ele está em uma posição um pouco menos destacada (entre os 40 campeões de download), mas conquistou uma base de novos usuários aproximadamente 41 vezes maior.
O que isso significa? Que se você ainda está à procura do amor (ou quer apenas se divertir com alguém fora do seu círculo social), o app continua sendo uma boa: segundo a empresa, são cerca de 12 milhões de matches por dia no mundo.
Mas, se você não acredita que pode se apaixonar em um site de relacionamentos, as histórias abaixo vão fazer você mudar de ideia – ou, pelo menos, reconsiderar:

Passava das três da manhã e ele precisava estar descansado para as gravações da próxima tarde, mas a única coisa que não sentia era sono. Então estava desde pouco depois de meia noite lendo futilidades nos sites da internet, uma notícia levando a outra. Já havia perdido as contas de quantas manchetes havia lido. Aquela, por exemplo, era de 2014 e ele estava pouco se importando.

As primeiras gêmeas do Tinder
Bom, se são as primeiras mesmo, não temos como provar, mas foi tudo muito rápido na vida do casal Danilo Schultz e Cristiane Feiten. Os dois foram os primeiros “matches” um do outro no app e… “Hoje, aguardamos a chegada das primeiras gêmeas do Tinder. Há cerca de nove meses começamos a namorar. Logo fomos morar juntos e dentro de mais alguns meses estaremos com a casa cheia de amor! Sejam bem-vindas, Lorena e Isadora.”

Na saúde e na doença
Matheus Lima encontrou a amada porque estava no hospital: “Estive em Porto Alegre (moro em Imbé), no Hospital de Clínicas, para continuar um tratamento e, sem esperar muito, liguei o Tinder e encontrei a Bianca, minha namorada! Coisas da vida, mas se eu não tivesse ficado doente, nunca teria ido até Porto Alegre nem estado no hospital com o alcance necessário para dar match nela. E, apesar de ter tudo para dar errado, deu certo e hoje estamos juntos e muito felizes.”

De certa forma, ainda parecia estranho o fato de conhecer alguém por um aplicativo a ponto de ter filhos com ela. Pelo menos era isso que ele estava pensando. Pensava também na coragem que as pessoas tinham em colocar informações sobre si em aplicativos como aquele, além de ainda darem entrevistas contando sobre terem se descuidado o suficiente para, apenas com nove meses de namoro, já estarem com filhos a caminho.

Quando o amor estava quase indo embora
Felipe Luz foi dar uma última “olhadinha” no Tinder antes de ir morar nos Estados Unidos e… “Sou formado em Eng. de Materiais pela UFRGS e conheci minha namorada Andreza Schmitt (formada em Design de Moda pela FEEVALE) no Tinder. Nos conhecemos quando faltavam duas semanas para eu me mudar para os EUA. Eu vim para cá para fazer parte do meu doutorado em Stanford. Claro que disse isso para ela, era uma viagem que havia planejado há muito tempo. Mesmo assim, decidimos curtir o pouco tempo que tínhamos juntos, sem pretensão nenhuma e… resumindo: não paramos de nos falar – e a vontade de ficarmos juntos só cresceu. Ela decidiu trancar por um semestre a faculdade de Marketing que estava fazendo e dividir a vida comigo aqui na Califórnia. Assim, hoje, estamos morando juntos aqui e, a cada dia que passa, nos conhecemos mais e não paramos de nos surpreender um com o outro. O que era para ser somente um flerte inocente, acabou mudando as nossas vidas.”

Amor internacional
Andressa Borges estava fazendo intercâmbio e resolveu se aventurar: “Morei perto de Madrid por 7 meses. Faltando dois meses para voltar, baixei o tal do aplicativo porque um amigo disse que era engraçado. No mesmo dia, tinha gostado muito de um guri (meu atual namorado) e resolvemos nos ver. Jamais iria me encontrar com alguém assim, “às escuras”, mas, como estava de intercâmbio, resolvi me aventurar. E deu certo. A partir do dia em que nos encontramos, sabíamos que iríamos ter algo especial. Ele é espanhol e, mesmo sendo de outro país, nossos valores e ideias são praticamente iguais. Nunca mais nos desgrudamos! Conheci a família toda dele e ele também conheceu a minha mãe. Faz dois meses e duas semanas que não nos vemos pessoalmente, mas o nosso contato é diário. Felizmente, em dezembro, estou indo de novo para Espanha para ficarmos juntos outra vez. Vamos passar o Natal e o Ano Novo mais emocionantes da minha vida.”

Como nas novelas
A advogada Cristiane Barbosa já não tinha mais esperanças de encontrar o amor, mas um dia… “Lia na ZH a respeito de um novo aplicativo de relacionamentos, o Tinder. Resolvi baixar por diversão. Então apareceu a foto de um loiro lindo de olhos azuis, curti e, na mesma hora, deu o ‘match’. Começamos a conversar todos os dias, lembro que esperava ansiosa o fim do dia para poder conversar com ele. Resolvemos combinar um encontro em uma festa. Lembro, como se fosse hoje, quando vi ele super tímido vindo falar comigo. Desde esse dia, não nos desgrudamos mais e começamos a namorar, mesmo morando longe. Com quatro meses de namoro, resolvemos morar juntos e já estamos planejando o casamento. O amor existe! E encontrei o meu no Tinder! Viva o Tinder!”

A cabeça dele estava um forno. A primeira tranca a faculdade para viver com alguém que conheceu duas semanas antes da viagem. Quem, em plena consciência, tranca a faculdade, o semestre, para dividir a vida com sabe-se lá quem em outro país? A outra vive um pseudo relacionamento à distância e só sabe o que o namorado conta — e nada além disso. E a terceira — iti malia — encontrou o amor da viva dela pela primeira vez em uma balada. A falta de noção! Para ele, nenhuma delas parecia ter agido da melhor forma quando estiveram frente a frente com a alma gêmea.
— Quem sou eu para julgar, não é? — questionou a si próprio, ao rolar a página rumo a próxima manchete. Ele riu ao lê-la. Talvez aquele tema poderia estar lhe acompanhando. — Por que baixar o Tinder?
Cinco minutos depois e sem chegar nem na metade da segunda manchete, lá estava ele com o celular em mãos, autorizando, com sua digital, a instalação do aplicativo. O carma!

5 casais formados pelo Tinder que vão fazer você acreditar no destino1: link para a notícia.

ONE
Junho de 2019.
— Tenho aquele artigo da pós para terminar e alguns projetos para avaliar pela construtora. — respondeu a mulher que estava eufórica do outro lado da linha. — Você mais do que ninguém sabe que não posso estar saindo para curtir nessas condições…
— Não, , larga um pouco a empresa e vem com a gente. Além de que você nem é a engenheira sênior. Ainda. — pontuou. — Você precisa extravasar um pouco. Prometo que poderá ir embora a hora que quiser ou então, quem sabe, dormir aqui. Tem um quarto esperando sua visita nesse apartamento.
— Águas Claras fica tão longe…
— Vinte minutinhos e você chega. Sem essa! — retrucou, rápida. — Ainda mais que hoje o trânsito na EPTG1 está uma maravilha, para ninguém colocar defeito.
Olhei para o artigo aberto na tela do notebook e, com um sorriso travesso, aquele de quem sabia que estava prestes a aprontar, salvei o arquivo e abaixei a tela.
— Tudo bem, chego em uma hora — a engenheira conseguiu ouvir um grito abafado de comemoração do outro lado da linha. — Mas qualquer coisa e eu venho embora, !
— Vamos zerar a minha adega e pedir muita comida. Um programa para mulheres, só isso!
Aquela era mais uma das noites que ela pensou que ficaria solitária em seu apartamento, pronta para concluir todas as pendências que deixou acumular por dias. Mas o plano tinha ido por água abaixo. Desde que seu último relacionamento caiu por terra, há uns três meses, tinha tentado passar mais tempo consigo mesma e, mais uma vez, tentando focar no trabalho. O maior problema para ela, no momento, é que os dois trabalhavam na mesma empresa e, como se não bastasse, praticamente dividiam e comandam o setor. Muitas de suas colegas, fossem de trabalho ou da pós-graduação, já haviam dito que precisava de alguém para espairecer a mente, nem que fosse por uma noite, já que o trabalho poderia corroê-la aos poucos, porém a única coisa que ela fazia era não dar ouvidos. Naquele dia, em especial, daria uma chance para não só uma, mas várias delas, lhe tirar do eixo. Era sexta e ela poderia extravasar, só não estava cem por cento crente com a própria escolha.
Arthur havia fodido com ela, de todas as maneiras que qualquer um pudesse imaginar, se ela não tivesse interferido a tempo. Sem traições, apenas um psicológico afetado por alguém que queria comandar demais sem ter condições para cuidar de si mesmo. Rico como era, ele havia dado a o apartamento em que ela morava atualmente, como presente de dois anos de relacionamento. E a meta era que morassem juntos ali, construíssem uma vida juntos no ambiente que ela ajudou a construir, anos atrás, como uma pobre estagiária. Porém, a partir dali, o celular dela era mais de posse dele do que dela, algumas roupas ela estava proibida de vestir e a pós graduação, na visão limitada dele, poderia ser deixada para depois. Ela conhecia muito bem aquele tipo e sabia que poderia ficar muito pior se o mal não fosse cortado pela raiz. E, em uma das dezenas de brigas que o casal maravilhoso que a Records Construtora uniu, colocou um fim no relacionamento.
Voltou a morar com os pais, em uma cidade satélite de Brasília que ficava há quase uma hora de distância do local onde trabalhava, mas aquela vida de gastar mais com gasolina do que com comida não estava rendendo tanto para ela. Decidiu, em uma das conversas com , uma das poucas que poderia realmente chamar de amiga, dar o braço a torcer e, ainda relutante, perguntar ao ex namorado se ele poderia alugar o duplex para ela até que conseguisse comprar o próprio espaço. Arthur cedeu, sem cobrar um centavo, como se já esperasse por aquilo.
Mesmo perdida em dezenas de pensamentos — certamente arrependida de não estar jogada em sua cama king size, na companhia de seu computador e um bom vinho ou até mesmo uma panela de brigadeiro de chocolate branco —, estava de banho tomado em pouco mais de meia hora e se encontrava parada no meio de seu closet, que tinha o tamanho ridiculamente enorme para alguém que morava sozinha, sem saber o que vestir, já que não sabia exatamente com o que estaria lidando. Decidiu por um básico: uma calça jeans de lavagem escura, uma camiseta branca estampada com love is the cure. e seu all star branco. Nada demais. Passou um rímel e um gloss apenas para dizer que havia se maquiado e solicitou um motorista de aplicativo. não cometeria a infração de dirigir após beber.

, acabei de entrar no carro 9:21pm

Acompanha por aí 9:21pm

Você compartilhou sua localização em tempo real 9:21pm

E já deixa avisado na portaria 9:21pm

Por favor 9:22pm

Geralmente, não acreditava totalmente nas palavras de , ainda mais quando essa disse que o trânsito na Estrada Parque Taguatinga estava livre, logo em uma das EPs1 que tinham a fama de carregar trânsito pesado em horários de pico. Entretanto, quando o motorista pegou a alça do viaduto que dava acesso à EPTG, ficou embasbaca. Zero trânsito. Não era algo que se via todos os dias e, quando se via, era preciso agradecer aos deuses por aquilo.
Em pouco menos de quinze minutos, o carro em que estava estacionou em frente ao Residencial Via Azaleas, um dos mais imponentes do bairro, também conhecido como onde morava. Pagou o homem que, pelo que ela nada conhecia, poderia ter seus 36 anos, e desceu do veículo.

belíssima
Vi que chegou 10:03pm
Tá liberado, pode subir 10:03pm

Estava acompanhando mesmo? ldkdjasj 10:05pm

Após se identificar na portaria, dando o número do seu documento de RG, adentrou o edifício. Poderia ter ido ali por cem vezes, mas sempre adorava observar os detalhes do ambiente, que carregava um pé-direito duplo2 que tanto amava, além de uma decoração em tons e materiais que remetiam madeira.
Chamou pelo elevador, que se abriu imediatamente, visto que já se encontrava no andar do térreo. Durante a rápida viagem até o décimo andar, não poderia perder a oportunidade clichê e tirou uma foto no espelho do elevador e postou nos stories para os melhores amigos do Instagram. Quando as portas de aço do cubículo se abriram, as duas amigas já a esperavam com uma taça de vinho na mão.
— Bela recepção, pode dizer — quase gritou, mesmo sabendo que era proibido devido ao horário.
aceitou de bom grado. Afinal, estava ali para isso.
— Também estava com saudades — retribuiu o abraço da colega de , que via apenas em reuniões como aquelas. — Quem mais vem hoje?
— Vai ser apenas nós — respondeu, dando de ombros. — Queria fazer alguma coisa e também não estava afim de chamar mais ninguém. Acho que só nós três fazemos um bom estrago.
Ao entrar no apartamento dela, percebeu uma reforma básica — incluindo quebra de paredes — e já fazia notas mentais de pesquisar sobre a planta do edifício e do apartamento. Nem sempre as pessoas têm a responsabilidade de consultar alguém experiente para fazer esse tipo de reforma. E sabia que, por mais que a amiga fosse responsável, muita gente não era. Voltando a prestar atenção nas meninas e não na estética do ambiente, já as encontrou sentadas no balcão da cozinha, cada uma com um pedaço de pizza na mão e sua taças pela metade.
— As combinações de vocês são bem estranhas — riu, se juntando a elas.
— Isso é massa. Massa e vinho combinam — a outra retrucou, batendo um hi-five com . — E, aliás, não importa ser harmônico se não é o que meu estômago gosta.
— Justamente — entregou um guardanapo para . — Além do mais, você não pode nem falar nada, já que adora combinações diferenciadas.
deu de ombros, levando a taça de vinho à boca e dando uma mordida na pizza de calabresa logo depois.
— Qual é o programa de hoje?
se levantou de seu banquinho e foi correndo até o home em que sua TV estava fixada, ligando-a e voltando com o controle em mãos. — Bom, separei alguns filmes para a gente assistir.
— Filmes? — a outra perguntou, incrédula. — Sabe que prefiro séries.
— E eu aceito qualquer um. Faz muito tempo que eu não faço absolutamente nada além de analisar planta baixa ou — deu de ombros. — Medir quantos centímetros tem a rachadura de uma parede.
Durante as mais de quatro horas que se passaram, as três assistiram um filme e estavam na metade do segundo. não estava muito interessada nesse, já que tinha mais homens atirando para qualquer lado do que qualquer outra coisa. Ainda assim estava lá, sentada no tapete da sala de estar, com a embalagem da terceira pizza no colo e a garrafa de vinho na mão. Nem estava mais usando a taça.
Estava inerte em seus pensamentos, quando sentiu , que estava sentada ao seu lado, cutucar seu braço.
, pensando em quê? — sabia que a garota só havia lhe perguntado para irritar, já que sabia no que estava pensando.
— Nada — balançou a cabeça, em negação, dando um sorrisinho de lado para ela.
— Acho que ela estava pensando no Arthur… — a outra jogou, sem tirar o olho da TV. — Ela não faz muita coisa além disso!
, que estava deitada de forma nada ergonômica, se sentou.
— Ainda nisso, ? — cruzou os braços. — Acho que você precisa dar uns beijos para esquecer esse cara…
— Como que eu vou esquecer alguém que trabalha comigo? — riu, sem graça. — Acho que é quase impossível, até mesmo por que a gente coordena alguns projetos juntos.
Àquela altura, já tinha pausado o filme e as duas olhavam para .
, não quero que você finja que o cara não existe — começou. — Mas acho que seria super válido você dar uma chance para si própria e sair para beijar algumas bocas por aí.
— Na próxima, podemos ir para qualquer baladinha por aqui. Eu topo — a garota jogou os braços para cima, capaz que já imaginando que roupa usaria.
— Ou então a gente pode baixar o Tinder para ela… — sorriu maldosa para a colega, que rapidamente correu até a bancada onde havia deixado o celular.
— Você nunca tem ideias boas, mas quando tem… sai de baixo! — Se sentou novamente. apenas assistia a toda aquela baderna com sua vida pessoal.
— Qual a senha? — perguntou.
— Eu não vou passar a minha senha para vocês baixarem o Tinder. O Tinder!
— Para de show, — a outra deu um tapinha no seu braço. — Você exclui depois se não quiser continuar… Por favor!
— 240715 — cedeu, fechando os olhos, já esperando o berro da amiga.
— Porra, assim você não esquece o cara é nunca! — olhou para a outra à sua frente, que não havia compreendido. — É a data do início do relacionamento deles — explicou. — Vou mudar isso. Agora!
observou, comendo os dois últimos pedaços de pizza que restavam, às duas mudarem a senha do seu próprio celular e baixarem o tal aplicativo. “Namoro, amizade, relacionamento e muito mais. Venha conhecer pessoas novas!”, mas não queria conhecer ninguém. Não naquele momento! As duas fizeram o cadastro dela, usando seu número de celular, e adicionaram algumas fotos.
— O que podemos colocar na descrição? — pensou alto. Estavam só as duas na sala, já que a outra saiu para ir ao banheiro. — O que acha de: “A mulher mais bonita que você vai encontrar nesse aplicativo?”
teve que rir.
— Você ‘tá louca? O que tinha nesse vinho?
— Ah, para! — deu um tapinha no braço dela. — Você tem um cabelo lindo e olha essa pele — Tocou o rosto de . — Parece que faz aqueles skincare toda noite e eu sei muito bem que nem um protetor solar você usa. Tem um corpo lindo e ele nem está dentro dos padrões, . Você é linda!
A engenheira ficou toda sem graça. Não estava acostumada a ouvir aquele tipo de elogio, logo que nem Arthur, o seu ex namorado, lhe demonstrava tanto carinho e afeto.
— Só coloca que estou à procura de amizades novas, pode ser? — cedeu, soltando os ombros e frisando a palavra amizades.
— Claro que pode! — beijou o rosto da amiga.
A outra colocou a cabeça para fora do banheiro no mesmo momento: — , tem absorvente?
— Segunda gaveta, tem normal e noturno.
<em<À procura de novas amizades, já que as minhas me empurraram para esse aplicativo, dizendo que preciso mais dele do que delas. Aos 24 anos, engenheira na Records Construtora e aspirante a cozinheira nas horas vagas. Leitora assídua também, principalmente se o assunto for relacionado a qualquer coisa que não seja engenharia. Não tenho nenhum artista preferido no Spotify, aceito sugestões. Ah, já estava me esquecendo: I speak english, baby.
— Eu nem cozinho, !
— Eu não disse que você cozinha, só falei que era uma aspirante, que tentava cozinhar… — deu de ombros. — É diferente!
Dito isso, as três passaram o resto da noite deslizando o dedo na tela, para a esquerda e também para a direita, rindo de algumas descrições bizarras e conferindo os perfis do Instagram daqueles que deixavam o arroba disponível.

Estava sentada em uma das cadeiras confortáveis na faculdade de pós graduação, agradecendo por ter alguns minutos de descanso antes que sua aula realmente fosse iniciada, após mais uma segunda-feira corrida na sede da construtora. Havia recebido a incrível missão de trabalhar em alguns levantamentos quantitativos3 para um novo empreendimento que estava nos planos de ser erguido e havia passado a tarde naquilo, juntamente a Arthur e alguns estagiários. E aquilo nem era realmente a área dela, porém os estagiários estavam sob sua responsabilidade e não queria que nada saísse dos eixos.
Aproveitando o momento livre do qual estava gozando para conferir o aplicativo, que na sua opinião, ficava cada vez mais interessante, passou alguns para a esquerda, negando tais perfis e os donos deles. Entretanto, um deles lhe chamou a atenção, e não foi nem pela beleza. O cara estava há alguns milhares de quilômetros de distância, muito provavelmente estava em algum lugar da América do Norte, e se perguntou o motivo do cara estar procurando conversa com alguém em Brasília. Dando uma conferida nas três fotos disponíveis e na descrição do homem, que aliás se chamava Peter, arrastou a tela para a direita. Era a chance dela de dizer para as garotas que havia tentado socializar com alguém. O match não aconteceu. Pelo menos não instantaneamente.
— Boa noite, pessoal — foi interrompida pela voz do professor, que entrava na sala, e já tratou de guardar o celular. — Hoje nós iniciaremos um novo conteúdo, ainda dentro do mesmo módulo. Algumas pessoas não gostam muito desse, preferem falar sobre os incêndios — começou a apagar o quadro branco.
ligou seu notebook e abriu o OneNote, onde costumava fazer as anotações das aulas desde o período da faculdade.
— As manifestações patológicas em alvenaria de vedação são bastante comuns em quase todas as edificações — o homem começou a falar, enquanto ligava os cabos do projetor em seu próprio computador. — E são diversos os fatores que contribuem com a origem de patologia numa edificação, como erro nas previsões e dimensionamento do projeto, falhas nos procedimentos das etapas de execução ou sobrecargas oriundas do abuso na utilização da estrutura.4
Passou o período da aula, quase três horas, digitando praticamente todas as palavras que o homem alto à sua frente dizia. Anotou alguns exemplos que ele deu em seus slides e fez perguntas que considerava importante, até mesmo porque o artigo que estava desenvolvendo tinha grande ligação com o assunto que estava sendo tratado dentro de sala de aula.
Não pegou no celular até quando chegou em casa, perto das dez horas da noite, quando desceu de seu carro, percebendo que tinha algumas notificações: whatsapp, Instagram e Tinder. A última a deixou um pouco atordoada e ansiosa. Se fosse um match, seria o quarto, e nenhum deles havia puxado assunto com a engenheira, até o momento. Segurando toda a ansiedade que tomava conta de si, jogou a bolsa e o celular no sofá da sala de estar de seu apartamento e subiu as escadas a fim de tomar um banho. Precisava limpar todas as impurezas grudadas em sua pele que um dia fora de casa lhe propôs.
Agarrou-se a qualquer peça de roupa que desse para dormir e correu para o banheiro de sua suíte. gostava de cantar no chuveiro, mesmo que seu tom de voz não colaborasse e não soubesse a letra por completo. E era assim que ela contava o tempo que passava tomando banho. Aquela noite foram três músicas. Após vestir um pijama que estampava uma estampa infantil de cactos sorridentes, desceu para o primeiro andar, onde estava seu celular e o seu match. Sentando-se em uma poltrona e ligando a TV, primeiro, deu atenção às outras redes sociais.

belissíma
E aí, já marcou o primeiro encontro? 9:17pm
Tô ansiosa 9:17pm

Meu pai, não sou tão rápida assim, 10:39pm

Foram uns quatro matches e só 10:39pm

Nada demais 10:40pm

Bruna Estagiária RC
Oi, , boa noite. 8:38pm
Queria te avisar que amanhã, provavelmente, não poderei comparecer ao trabalho, bati o carro voltando para casa e vim parar no hospital. 8:38pm
Farei alguns exames, mas o médico falou que é apenas para desencargo da minha consciência. 8:40pm
Mandarei o atestado assim que recebê-lo. 8:40pm

Oi, Bruna. Boa noite. 10:43pm

Espero que esteja tudo bem mesmo com você. 10:43pm

Não esquente com atestado agora e demore o tempo que for necessário para ficar 100%. Saúde em primeiro lugar! 10:43pm

Ficou esperando pelas respostas tanto da amiga como da estagiária, mas como nenhuma das duas respondeu, pulou para o Instagram. As notificações eram apenas de algumas curtidas e dois comentários em sua última foto, de duas semanas atrás, em que ela estava em um canteiro de obras de um condomínio que estava sendo erguido próximo de onde morava. Respondeu os comentários e, sem se aguentar mais, abriu o aplicativo de relacionamento.
levou uma mão à boca, abafando um gritinho, e bateu os pés no chão em comemoração — e nervosismo — quando percebeu que o mesmo Peter de mais cedo havia correspondido o match. E não apenas isso: ele tinha mandado mensagem para ela. Antes de realmente abrir a mensagem que o homem havia lhe enviado, a mulher tentou acalmar o coração. De certa forma, ainda lhe era estranho estar conversando com um homem desconhecido, alguém que não fosse Arthur. As mensagens estavam em inglês, fazendo-a se martirizar por ter deixado na descrição que ela falava a língua. Quer dizer, não era de todo mentira, mas ela também não era cem por cento boa naquilo. Havia viajado para os Estados Unidos apenas três vezes na vida, todas acompanhada de pessoas que poderiam falar tudo por ela.

Oi, como vai? 7:15pm
Espero que realmente fale inglês 7:15pm
E que esteja à procura de amizades 7:16pm

As mensagens tinham chegado minutos após sua aula ter começado. Sorriu para a tela do aparelho celular e caminhou até a cozinha, em busca de qualquer besteira para beliscar.

Oii, estou bem e você? 10:49pm

Sim, eu falo inglês e estou à procura de amizades 10:49pm

Estava ocupada agora à noite, perdão pela demora 10:50pm

Espera, você traduziu minha descrição? 10:50pm

Se a distância em seu perfil fosse realmente verdade e Peter estivesse em algum lugar da América do Norte, o fuso permitiria que o horário fosse mais cedo por lá e ele poderia estar acordado. esperava muito que ele estivesse acordado. Seu aparelho emitiu um barulho e Peter enviou uma mensagem apareceu na barra de notificações com o símbolo da chama laranja ao lado.

Sem problemas, também estive um pouco ocupado o dia todo 10:51pm
Sim, eu traduzi haha 10:51pm
Hoje posso agradecer pela existência do google traduzir 10:51pm

Trabalhando? 10:52pm

Google tradutor já salvou muito a minha vida 10:52pm

Posso mandar mais mensagens em português para você traduzir, se quiser ahahah 10:53pm

Mais ou menos trabalho 10:53pm
E eu prefiro que você me passe o seu instagram 😉 10:54pm

, que estava comendo amendoins torrados, se engasgou. A última coisa que queria era passar sua rede social um tanto quanto pessoal para um homem que acabou de conhecer. Bloqueou o celular, voltando à sala de estar para desligar a televisão, a qual ela não prestou atenção em nada que passava, agarrou-se à sua bolsa e ao notebook e subiu as escadas em direção ao seu quarto.
Quando terminou de arrumar sua cama para se deitar, ainda estava pensativa quanto a passar o Instagram para Peter. Não queria parecer desesperada, mandando mensagens para , e muito menos uma idiota para o estrangeiro do outro lado da tela. Ao desbloquear o aparelho, o chat com o homem apareceu de imediato.

Ei 10:57pm
Prometo que não sou de má índole 10:57pm

Demorei muito? 11:03pm

Espero seu follow 11:03pm

@. 11:03pm

Em questão de segundos, a notificação que esperava brilhou. Peter Jones (@imtherealpjones) começou a seguir você.

Durante a última semana, tinha tempo apenas para a pós graduação, além de passar mais de oito horas, todos os dias, dentro da sede da construtora. Até mesmo para as mensagens que enviava para a mãe, durante o almoço, não estava tendo tempo. Com isso, qualquer pessoa poderia concluir que nem e muito menos o cara gringo estavam recebendo mensagens dela.
Falando em Peter, ainda naquela primeira noite, os dois passaram horas a fio conversando, falando sobre assuntos que lhe eram de gostos em comum, comentando a foto um do outro e discutindo sobre o motivo pelo qual Peter havia pagado alguns dólares ao aplicativo apenas para conhecer pessoas que estavam longe dele. No final das contas, devia um agradecimento às amigas. Estava sendo agradável ter alguém para conversar.
Naquela tarde, o clima na Records não estava nada legal para ninguém. até já imaginava que com um estagiário a menos todos teriam mais trabalho, ela só não contava com tanto trabalho. As filiais em Brasília e São Paulo deram um passo e tanto na continuidade da construção do novo empreendimento imobiliário e as chefias de cada um estavam requerendo os arquivos com os levantamentos quantitativos o quanto antes. Queriam começar a construção ainda no primeiro semestre de 2020.
— Arthur, dá para você largar o celular pelo menos por uns minutos e focar aqui?
Aquela era, no mínimo, a décima vez que chamava a atenção do companheiro de trabalho, que estava mais interessado em seu smartphone de última geração do que com a bomba que queimava bem à frente deles.
— Vou explicar de novo — falou, pausadamente, após o homem guardar o celular no bolso da calça. — Serão dezoito pavimentos tipos e, de acordo com o projeto, a meta geral é alcançar o LEED Platinum5. A gente precisa adicionar muita coisa na planilha e só você consegue ajudar.
— Deixe-me ver se entendi. Eles querem o Platinum e até agora não pediram uma vistoria de campo? — Arthur cruzou os braços na altura do tórax, o que deixou os músculos de seus bíceps ainda mais aparentes. se remexeu, encostada na grande mesa, incomodada. — Como que eu posso ajudar com isso sendo que eu não faço a menor ideia de como ‘tá o ambiente lá? Platinum é o maior certificado e requer pontuação alta. Até parece que ninguém sabe disso!
Os dois estagiários, também presentes na sala de reuniões, se entreolharam, dando de ombros, concordando silenciosamente com Arthur.
— Então não vamos conseguir entregar isso até o final da semana — concluiu , se jogando na cadeira atrás de si, cruzando os braços e bufando. — Cansei. Odeio tudo que ‘tá ligado a orçamento.
— Por isso que minha área é sustentabilidade — completou Arthur.
Ficaram em silêncio por um longo período, observando a tela do computador, que exibia uma planilha básica e pobre de informações.
Os quatro ficaram na mesma sala até próximo das seis da tarde, horário em que o período de trabalho dos dois de cargo menor se encerrava. E durante todo aquele tempo, a troca de farpas entre os dois era ainda mais evidente. Ainda assim, ela e Arthur não poderiam ir embora, já que precisavam realmente concluir aquela pendência, com ou sem estagiários, deixando-a um pouco mais irritada com a proximidade exagerada com o homem e com o barulho que seu celular fazia para notificar cada nova mensagem.
— Você compra as passagens e depois trás os comprovantes pro financeiro. Eles reembolsam — disse, após concluir que a única solução era viajar até São Paulo.
— Tem tanta gente lá. Por que raios eles não fazem isso? — Arthur retrucou. — ‘Tô afim de viajar não, .
— Não é querer, Arthur. É trabalho.
não queria mais dar oportunidade para o homem contrariar a única saída que tinham e já abriu uma nova aba no navegador, digitando passagens aéreas para São Paulo. Em menos de quinze minutos, encontrou um voo com valor mais em conta, que seria em três dias, e comprou usando o próprio cartão de crédito. Com certeza que o homem ao lado dela não estava muito feliz, mas ela também não estava muito animada para aguentar brincadeiras de tão cansada que estava.
, você não me deixa saída.
— Ahn? — virou o rosto em direção a Arthur, enquanto estava ao seu lado se preparando para se levantar. — Cara, você teria que ir de um jeito ou de outro. Só vai lá e faça o seu trabalho, tudo bem?
— Não estou falando sobre trabalho, — o ex namorado de agora estava em pé, posicionado atrás dela. — Sinto uma falta absurda do seu autoritarismo e me seguro para não jogar você em qualquer uma dessas mesas quase todos os dias.
Nada que ele falasse a partir daquilo seria cem por centro processado pelos neurônios dela. Passou os últimos meses em uma guerra interna para fugir de um sentimento que fazia questão de consumi-la por completo. Não era algo que estava dando certo. E agora, com o personagem principal de seus sonhos insanos falando aquele tipo de coisa tão próximo dela, nada daria certo mesmo!
Mas, ainda assim, tentou manter a postura.
— Arthur, por favor, presta atenção no que estou dizendo — mesmo sem querer, a voz trêmula denunciava.
— Aposto que lembra de todas as vezes que pulamos o almoço direto para a sobremesa no hotel aqui do lado, . A primeira coisa que fazia era pedir um vinho ou um champanhe. A segunda era tirar a roupa — ele passou as mãos pelos braços dela, que não estavam cobertos. Ele podia sentir a pele dela se arrepiar debaixo de seus dedos. — A gente sempre chegava atrasado: você com a roupa meio amarrotada e eu com o cabelo molhado do banho. Que, aliás, sempre tomávamos juntos.
não se deu o trabalho de abrir a boca e falar qualquer outra coisa, sabia que se denunciaria ainda mais. E seria um completo triunfo para Arthur: além de sentir a pele dela arrepiada, ouviria a sua voz embargada. Ele, sabendo que ela estava gostando daquilo, girou a cadeira em que estava para que a engenheira ficasse cara a cara com ele.
— A gente pode relembrar os velhos tempos — passou o polegar pela pele do rosto de , que fechou os olhos e inclinou a cabeça em direção ao toque. — Só que aqui mesmo nessa mesa. Ninguém vai ficar sabendo.
Por uma ação dele, em um milésimo de segundo, , que estava sentada na cadeira de olhos fechados, passou a estar em pé com os olhos bem arregalados. Ela nunca negaria a falta que tinha de sentir a pele dele colada na dela, sendo que aquela era umas das coisas que ela mais trabalhava para esquecer.
Lembrou de todas as vezes que chorou sozinha no apartamento, ou no colo da mãe, ou no da amiga. Lembrou das noites mal dormidas enquanto pensava nos dois quartos vagos do apartamento que seriam para os futuros filhos do casal. Lembrou também dos passeios bobos pelo Zoológico, que ele topava ir só porque sabia que ela gostava. E não podia se esquecer das dezenas de vezes que passaram em qualquer padaria do bairro para comprar besteiras e foram fazer piquenique no Parque da Cidade — passar a tarde em frente ao lago, comendo bolo de chocolate e observando algumas pessoas fazerem corrida enquanto ele lia qualquer um livro qualquer era seu hobby preferido.
não poderia negar para absolutamente ninguém os sentimentos que tinha, que aliás estavam à flor da pele. Olhou dentro dos olhos negros do rapaz à sua frente e tomou a iniciativa que ele mais desejava: enrolou os braços em volta do pescoço dele e deu um único impulso com o salto que usava. Ele entendeu o recado e segurou as pernas de para dar apoio quando ela pulou em seu colo.
Ela sentiu um leve choque percorrer seu corpo quando as mãos dele apertaram sua perna por baixo da saia, e sentiu ainda mais o peso delas quando ele a colocou sentada na mesa oval da sala de reunião. Arthur tratou de beijar cada espaço do caminho que ia desde a base do pescoço de até o canto direito de sua boca.
— Vá fechar as persianas — ela conseguiu dizer, antes que a boca dele tomasse a sua. Ela poderia se arrepender daquilo outro dia, naquele momento, só iria aproveitar o homem que estava na sua frente, que, diga-se de passagem, estava disposto a fazê-la chegar ao céu.

GLOSSÁRIO DO CAPÍTULO
1 EP, EPTG: Estrada Parque e Estrada Parque Taguatinga, respectivamente. São nomeadas EP’s todas as rodovias que cortam a DF-001 dentro do Distrito Federal.
2 Pé-direito duplo: O pé-direito é a medida entre o chão e o teto de uma construção. O normal é que ela seja de 2,70 metros, mas há a possibilidade de ter o dobro desse tamanho. Nesse caso, fala-se em pé-direito duplo.
3 Levantamento quantitativo: é o processo de determinar a quantidade de cada um dos serviços de um projeto, tendo como objetivo dar informações para a preparação do orçamento.
4 Com mínimas alterações, trecho retirado do resumo do artigo PATOLOGIA EM ALVENARIA DE VEDAÇÃO SEM FUNÇÃO ESTRUTURAL, pertencente à Nélio de Jesus Silva e André Camargo dos Reis Filho.
5 LEED Platinum: O LEED (sigla em inglês para Leadership in Energy and Environmental Design; em português, é Liderança em Energia e Design Ambiental) é uma ferramenta de certificação que busca incentivar e acelerar a adoção de práticas de construção sustentável. O nível Platinum é o mais alto deles, em que o empreendimento deve alcançar uma pontuação maior ou igual à 80.

NOTA DA AUTORA: Eu estou muito boba que finalmente tive coragem de escrever e postar essa fic. Ela é um dos meus xodós e estava guardada num cantinho muito especial da minha mente e do meu coração. Espero muito que vocês gostem dela assim como eu gosto. Vou tentar não demorar muito com as atualizações. Me contem o que acharam dos personagens que aparecerem aqui, quero muito saber a opinião de vocês a respeito deles!!!

Outra fanfic
O Futuro de Estocolmo — Originais (em andamento).