07. Stay

07. Stay

Sinopse: Quando duas almas gêmeas devem se encontrar, nem mesmo o destino é capaz de mantê-las separadas. E por mais que o encontro entre eles tivesse sido previsto como uma catástrofe, em infinitos futuros, Yoongi e Jimin acabariam encontrando o caminho até o outro.
Gênero: romance.
Classificação: Livre.
Restrição: Personagens fixos.
Beta: Regina George.

Prólogo

Algumas pessoas não acreditam em destino e não há qualquer motivo para julgamento. Afinal, acreditar que existe uma força maior determinando o que deve e o que não vai acontecer na sua vida é meio desesperador. Tira o controle sobre suas decisões e te torna apenas um fantoche de algo que você nem mesmo pode afirmar que existe.

E tudo bem não acreditar, cada pessoa tem a liberdade de pensar o que quiser mas isso não inibe o fato de que sim, eu estou aqui e algumas vezes gosto de intervir e dar aquele empurrãozinho para que as coisas aconteçam do jeito que eu quero. Quase nunca dá certo, porque apesar de dar uma ajudinha, todas as outras decisões não são tomadas por mim e na maioria das vezes, as pessoas estragam a chance que eu dei e eu não tenho paciência e nem vontade de continuar me metendo para arrumar a merda que algum humano fez.

Sabe, existem 7,79 bilhões de pessoas no mundo e eu não tenho como cuidar da vida de todo mundo. Se eu te ajudei e você fez merda, lide com isso e não fique praguejando e reclamando que eu estraguei a sua vida, tudo bem?

Min Yoongi e Park Jimin talvez fossem as duas piores opções para unir como almas gêmeas. Eles não tinham nada em comum e todas às vezes que eu os imaginava juntos, eles acabavam brigando. Em uma dessas vezes, Yoongi foi parar no hospital porque Jimin tinha atirado um livro na cabeça dele e por esse motivo, eu evitava que eles acabassem se esbarrando e descobrissem que eram ligados. No começo de suas vidas aquilo não tinha sido um problema. Mesmo que ambos tivessem nascido na Coreia do Sul, Yoongi era de Daegu e Jimin de Busan e não havia qualquer chance de que eles se encontrassem morando em cidades diferentes e distantes uma da outra. Durante dezoito anos, eu pude ter paz e apenas observar diferentes perspectivas de futuro para aqueles dois, mas não me preparei para o baque que seria Jimin decidir estudar em Seul, principalmente quando Yoongi já morava na cidade há dois anos.

E foi ai que as coisas começaram a desandar e mesmo que supostamente eu fosse uma força do universo, nem mesmo eu poderia ser capaz de impedir que os fios deles acabassem se unindo.

Jimin acabou indo para a mesma universidade em que Yoongi estudava. Ele, um veterano do curso de Matemática, enquanto Jimin era o animado calouro do curso de Letras. Nas horas vagas, Yoongi lia em seu quarto, aproveitando o ar condicionado que a universidade dispunha nos dormitórios e cochilando um pouquinho. Já Jimin acabava passando horas e horas no estúdio de dança, se tornando cada vez melhor naquilo que ele considerava um hobby. Seus grupos de amigos também era completamente diferente, o que apenas os mantinha afastados, mas não tornava impossível que eles se esbarrassem em algum momento. Jungkook era o maknae, e mesmo que tivesse confundido as coisas no começo, Jimin já tinha entendido que não era apaixonado pelo garoto e que eles tinham apenas uma linda amizade. Taehyung era aquele que, erroneamente, Jimin chamava de alma gêmea. E talvez pudesse ter sido, já que ele era de Daegu como Yoongi, mas apenas um bobo poderia supor que eles acabariam apaixonados um dia, já que Taehyung tinha muito mais do que uma queda por Jung Hoseok.

E se, em algum momento, Kim Taehyung tomasse coragem para chamar Hoseok para sair, então eu realmente estaria em maus lençóis, já que Hobi – como era o apelido de Jung – era um dos melhores amigos de Yoongi, juntamente com Seokjin e Namjoon.

Consegue perceber agora o tamanho do meu problema?

De qualquer forma, eu não tinha qualquer preparação para o encontro de Min Yoongi e Park Jimin e previa apenas catástrofes.

 

Capítulo Único

O céu estava limpo naquela manhã de terça-feira, como havia estado durante todos os dias das últimas duas semanas e por isso eu não cogitei a ideia de que algo de ruim pudesse acontecer. Ledo engano, porque mesmo sendo o Destino, haviam muitas coisas que estavam além do que eu poderia prever. O universo é grande demais e a vida muito complexa para que exista apenas uma força controlando tudo.

Yoongi já estava acordado há mais de uma hora quando Jimin, do outro lado do campus, se arrastou para fora da cama e seguiu para o banheiro, sem um pingo do desespero costumeiro dos alunos atrasados. Estava sempre atrasado, não tinha motivos para entrar em pânico como se aquilo fosse um crime. Já Yoongi seguia para sua primeira aula esbanjando tranquilidade, com seu café da manhã tomado e seus melhores amigos azucrinando seus ouvidos. Seokjin e Namjoon estava em mais uma briga de não casal, porque não assumiam aquela relação e por isso brigavam, e Hoseok ria e colocava ainda mais lenha na fogueira com suas exclamações e o clássico “olha isso, eu não deixava ele falar assim comigo!”

Era realmente irritante para Yoongi, mas depois de tanto tempo de amizade, ele já tinha se acostumado a ignorar as brigas.

– Você leva tudo a ponto de faca hyung, pelo amor de Deus! – Namjoon suspirou impaciente.

– Namjoon não era ateu? – Hoseok indagou, em um tom de voz nada baixo e que certamente daria mais palha para Seokjin incendiar.

– Viu só, você só fica mentindo pra mim! – o mais velho xingou e Namjoon revirou os olhos.

– O que você quer de mim hyung? A gente discute pelas coisas mais idiotas porque você nunca fala, só briga e depois finge que nada aconteceu!

– Nada, eu já disse! Faça o que quiser!

– Porque ele estão brigando? – Yoongi finalmente indagou para Hoseok, mantendo uma careta incomodada que apenas o deixava ainda mais fofo do que o usual.

– Namjoon não pediu pizza noite passada e era o que Seokjin tinha pedido para ele fazer, mas ele não ouviu e eles foram dormir brigados.

– Eu nem vou me prestar ao papel de tentar intermediar – Yoongi suspirou.

– Eu vou continuar rindo porque eles são burros – Hoseok deu de ombros e voltou a implicar com a briga do casal, até que algo chamou sua atenção e ele precisou se segurar em Yoongi para não tropeçar e cair de cara no chão.

– Que droga Seok, olha pra onde anda! – o Min brigou quando conseguiu se estabilizar em pé e parar de cambalear para frente.

– Droga! – Hoseok xingou baixinho, arrumando o cabelo e deixando a mostra suas bochechas coradas e os olhos brilhantes.

– O que foi? – Yoongi franziu o cenho, movimentando o olhar pelos arredores até localizar a única figura que conseguia acabar com a pose de Jung Hoseok apenas por existir no mesmo planeta que ele: Kim Taehyung.

Do outro lado do corredor vinha o estudante de fotografia, sempre focado demais em seus livros e catálogos de arte para prestar atenção no restante do mundo e por isso Hoseok continuava mantendo seus sentimentos secretos. Apesar de ser muito extrovertido, ele não tinha coragem de se declarar e continuava vivendo aquele impasse, que já durava mais de meses. Se soubesse sobre os sentimentos de Taehyung, que sempre dava um jeito de observar Hoseok quando ele não estava olhando e vivia suspirando de amor para seus melhores amigos, então talvez ele tivesse tido coragem de chamar o Kim para sair muito antes daquele dia. Mas ele não tomou qualquer atitude quando o futuro fotografo passou por eles e sabendo que Hoseok passaria mais um dia choramingando em seus ouvidos, Min Yoongi chutou o balde.

Lembram-se quando eu disse que não era responsável por todas as decisões dos seres humanos e não podia ser responsabilizado por tudo? Bem, o balde foi chutado na minha cara e Yoongi tomou decisões que afetavam não apenas a vida de Hoseok, mas também a sua.

E não havia nada que eu pudesse fazer para mudar aquilo.

– Ei Kim! – chamou, saindo em disparada para findar a pequena distancia entre o quarteto e Taehyung, que já quase virava o corredor.

– O quê? – Namjoon e Seokjin indagaram, mas Yoongi nem se deu ao trabalho de responder e continuou sua pequena corrida esquisita. Um fato que Jimin acharia adorável sobre Yoongi era a forma como o mais velho corria: como se estivesse com dores nas juntas, já que ele não era capaz de engravidar.

– Conheço você? – Taehyung indagou ao se virar e dar de cara com o futuro matemático. É claro que ele conhecia Min Yoongi, mas tinha aprendido com seu melhor amigo a sempre se fazer de sonso para não se comprometer e Park Jimin era o melhor professor de todos os tempos.

– Não, mas meu amigo é louco por você. Ele é meio tosto, mas se você aceitar sair com ele, acho que vai se surpreender – abriu seu sorriso gengival, tentando ao máximo soar simpático e não impaciente com aquela situação. Já estava de saco cheio de todas aquelas baboseiras românticas.

– Que amigo? – a voz de Taehyung saiu quase em um sussurro, enquanto seus olhos se moviam de Yoongi para o trio do outro lado do corredor e como estava de costas, o Min não sabia que Hoseok estava escondido atrás de Seokjin e Namjoon, que por sua vez, sorriram de forma congelada e completamente maníaca quando o olhar do Kim mais novo parou sobre eles.

– Jung Hoseok.

– Isso é sério, não é? Porque se for algum tipo de brincadeira, eu mando o Jimin atrás de você e… – Taehyung saiu atropelando as palavras, soando fofo demais e mostrando para Yoongi o motivo de Hoseok ser um tonto por aquele garoto.

– Não sei o que é um Jimin e não me importo, mas estou falando sério. Hoseok não tem coragem de vir falar com você, então estou tomando a frente por ele. Se tiver interesse – murmurou, pegando um pedaço de papel dentro da mochila e anotando o número do melhor amigo. – Mande uma mensagem. E se não quiser, mande também porque ai ele segue em frente – decretou, sem deixar espaço para Taehyung retrucar. – Tchau. – deu as costas e saiu, optando por dar a volta em todo o campus para não encontrar Hoseok e ter o melhor amigo gritando em seus ouvidos.

Mais uma vez minha interferência tinha sido ignorada, já que naquela mesma tarde, Taehyung enviou a mensagem.

E depois abandonou o celular no quarto, seguindo para o cômodo ao lado para surtar com Jimin e Jungkook sobre o que tinha acontecido e suas expectativas para a resposta de Jung Hoseok. Porque bem, podia ser uma pegadinha, não é? Apenas na ficção as paixões platônicas eram correspondidas de verdade e Taehyung já tinha aceitado que Hoseok nem mesmo tinha conhecimento de sua existência, então sim, tinha medo de estar sendo enganado pelo baixinho de olhos felinos que o tinha abordado naquela manhã.

– Se for brincadeira, me passa a descrição desse projeto de gente que eu vou atrás dele e o faço se arrepender de ter nascido!

Ali estava o motivo pelo qual eu tinha passado os últimos meses evitando que Park Jimin encontrasse com Min Yoongi. Eu não tinha esperanças de que eles se dessem bem e apesar de me darem apenas dores de cabeça, eu gostava daqueles dois e não queria que eles destruíssem a conexão que tinham. Era realmente uma droga poder ver alguns futuros, porque haviam muitas pessoas que não mereciam o fim que tinham. Mas como eu já disse, eu não tinha o controle sobre tudo e tentaria evitar que aquele encontro ocorresse, mas sabia que, mais cedo ou mais tarde, aqueles dois fios se tornariam apenas um.

E do jeito que as coisas estavam andando, seria muito mais cedo do que tarde.

– Ele é mais alto que você – Taehyung contestou, arrancando uma careta ofendida de Jimin e um suspiro de Jungkook.

– Lá vamos nós – o mais novo resmungou, colocando seus fones de ouvido e voltando a prestar atenção na gameplay que estivera assistindo antes de ter seu quarto invadido pelos seus hyungs.

– Você é a minha alma gêmea ou não? – Jimin xingou. – Parece que me odeia, meu inimigo número um! Eu tento proteger você e sou tratado desse jeito, eu não aguento isso não…

– Você insiste em falar da altura dele hyung – Jungkook chiou, arrancando uma risada do Kim. Ele fazia de propósito, porque Park Jimin irritado era o cúmulo da fofura.

– Jungkook é meu saeng favorito, não quero mais saber de você Kim Taehyung! – o loiro chiou, abandonando a cama e se aproximando de Jungkook para abraça-lo pelo pescoço. – Espero que não receba nenhum retorno naquela mensagem, para você aprender a me valorizar quando quero te defender!

– Não joga praga! – Taehyung torceu os lábios.

– Blá blá blá – Jimin retrucou emburrado, ainda sem encarar Taehyung.

– Peça desculpas hyung – Jungkook encarou o Kim, que muito a contragosto se desculpou. Dois minutos depois eles já estavam agindo como o grude que eram e Jungkook era a peça sobrando, mas aquilo não o incomodava. Seus hyungs o amavam e cuidavam sempre dele, apenas tinham uma ligação um pouco diferente entre si e estava tudo bem. Eles não deixavam de ser um trio por causa daquilo. E de qualquer forma, Jeon sempre gostou de ter seu espaço e momentos de paz com sua própria mente.

Foi Jimin quem leu a resposta de Hoseok naquela noite e também foi ele quem ajudou o Kim a escolher a roupa para o primeiro encontro. Park acompanhou o desenvolvimento daquele relacionamento ao dar seu total apoio a Taehyung e enquanto ele se mantinha ocupado com a faculdade e os amigos, eu estava lidando com uma bomba que estava prestes a explodir e que não tinha como desligar. Foram inúmeras as vezes em que eu precisei intervir e evitar o encontro direto entre Min Yoongi e Park Jimin. Em um mês, precisei estar mais atento a eles do que já estivesse com qualquer outro ser humano durante toda a vida e admito que era cansativo.

Evitei dois encontros na biblioteca por causa da semana de provas. Uma das tardes onde Jimin passava dançando, Yoongi fora convidado por um veterano para conhecer o prédio das Artes e eu precisei causar o tombo do garoto, o deixando impossibilitado de ser guia do Min. Em outra ocasião, Taehyung quase convenceu Jimin a almoçar no pavilhão das exatas e eu fui obrigado a causar o atraso da aula de Yoongi e dessa forma, o atraso do almoço. E a última quase catástrofe, dois dias atrás, quando Jimin precisou de aulas extras de matemática e foi atrás de algum aluno para ser seu monitor e eu causei a quebra do celular de Yoongi, obrigando-o a faltar a monitoria para ir resolver o problema do aparelho.

Aquele era um trabalho árduo, os fios estavam tentando se conectar de todas as formas e eu já não sabia mais o que fazer para impedir que aquilo acontecesse.

– Jiminie, eu preciso que você conheça o Hobi e os amigos dele! – Taehyung contestou pela milésima vez e Park resmungou irritado, já que não era culpa dele que os encontros com o futuro namorado de Tae e sua trupe não tivessem acontecido. A culpa era minha, mas eles nunca teriam aquele conhecimento.

Eles estavam em uma cafeteria, do outro lado da cidade, aproveitando uma tarde de folga forçada, já que Jungkook estava usando o apartamento para organizar um trabalho em grupo e precisava de paz. Jimin achava aquilo ofensivo, mas não conseguia negar nada aos olhos pidões do Jeon.

– E eu já disse que também quero conhecer seu namoradinho, mas ainda não deu – reclamou.

– E que tal um jantar na sexta-feira?

– Vou para Busan, é aniversário da minha mãe no sábado.

Obrigado por ter nascido nesse dia senhora Park, está contribuindo muito para os meus planos!

– Almoço então?

– Tenho monitoria, você sabe que sou péssimo em exatas e preciso melhorar minha média naquela cadeira. Não entendo porque eu preciso saber calcular sendo que sou aluno de Letras, mas esse é um mistério que eu nunca vou desvendar.

– Você e o Yoon estão sempre furando os rolês, que saco – Taehyung tinha um bico do tamanho do mundo no rosto e Jimin riu, antes de se dar conta do que tinha ouvido. Não aguentava mais aquele papo de “Yoon” isso, “Yoon” aquilo… afinal, Taehyung estava apaixonado mas vivia falando de como o tal Yoongi era fofo e Jimin se sentia traído e trocado. Estava perdendo sua alma gêmea, sentia isso em seu coração.

– Vai lá com o tal Yoongi então – chiou irritado, bebendo o resto do café e levantando da mesa, pronto para dar as costas ao melhor amigo e ir para casa, esquecendo completamente do porquê tinha que se manter longe. Mas para a sorte de Jungkook, que estava passando raiva com seus colegas de grupo e para o meu azar, o fio tinha sido puxado.

– Você está com ciúme Jiminie? – Taehyung riu, sem conseguir conter a implicância e largou em disparada ao melhor amigo, alcançando Jimin quando este estava saindo do estabelecimento.

O Kim se jogou nas costas do mais baixo, provocando um cambalear por parte de Jimin, por ser mais baixo e não esperar aquela atitude tão repentina. Usou as mãos para procurar apoio na porta mas o objeto se moveu para frente e acertou o rapaz que andava tranquilamente pela calçada, fazendo-o cair sentado e praguejar todos os palavrões que conhecia e usava apenas em ocasiões especiais: quando estava muito feliz ou muito irritado.

– Olha o que você me fez fazer Taehyung! – Jimin xingou, se apressando para se livrar do aperto do melhor amigo e então se aproximar do rapaz que quase tinha matado. A porta foi fechada as suas costas, já que Taehyung parecia engolir o riso e se saísse na rua, provavelmente ia apanhar do cara atropelado pela porta. – Desculpa, foi sem querer!

– Claro que foi sem querer, quem dá uma portada em alguém que nem conhece? – Yoongi xingou, tentando se levantar e torcendo os lábios por conta da bunda dolorida. – Porra mesmo, dá próxima vez vê se olha antes de abrir a merda da porta!

– Eu já disse que foi sem querer! – Jimin retrucou, cruzando os braços em frente ao corpo e se recusando a ajudar o desconhecido mal educado.

– Tô nem aí – Yoongi devolveu, enfim levantando o olhar e focando as íris na face do outro.

– Pois vá se ferrar – Jimin xingou, sentindo todo seu corpo retesar e então entrar em estado eufórico quando seus olhares se encontraram e os fios finalmente se uniram.

E de todas as realidades que eu tinha previsto, nenhuma chegou aos pés do que realmente aconteceu com aqueles dois daquele dia em diante, porque até mesmo o destino pode errar feio às vezes.

Fim.

Ou não…

Nota: Alô, tudo bem aí? Então, passando apenas para dizer que BE é o álbum mais perfeito desse mundo todo e que a segunda parte dessa narrativa dos Yoonmin vai vir no Especial K-pop muito em breve, então fique de olho e não perca!

Twitter e Instagram: @graziesescreve