08. Dynamite

08. Dynamite

Sinopse: Jimin sempre tivera ideias loucas, que nunca colocava em prática, principalmente quando bêbado, então, quando sugeriu que fugissem de Sunville e deixassem tudo para trás, Yoongi topou, imaginando que no dia seguinte o mais novo sequer se lembraria disso. Mas, para a sua surpresa, no dia seguinte Park aparece com o carro do pai na porta de sua casa, com uma rota de viagem traçada e alegando que finalmente teriam suas liberdades. Seria a tal liberdade o que realmente sempre buscaram? Ou, talvez, fosse necessário apenas enxergar um ao outro sob as luzes da cidade grande?
Gênero: Romance
Classificação: 10 anos (uso de bebidas alcoólicas).
Restrição: História não interativa, Jimin e Yoongi são os personagens principais.
Beta: Rosie Dunne

Dynamite

 

Quando Jimin tinha dito, em meio a garrafas vazias de cerveja ruim e barata, que iria deixar tudo para trás, pegar o carro do pai e sumir, Yoongi apenas revirou os olhos, imaginando não se passar de apenas mais uma das loucuras bêbadas ditas pelo mais novo e que nunca eram realmente colocadas em prática, tendo até mesmo topado quando o loiro o convidara para ir junto. Mas nunca imaginou que o mesmo apareceria com o Buick Riviera S Type amarelo de seu pai às seis da manhã de um domingo na porta de sua casa, buzinando feito um louco e acordando toda a rua.
Mal humorado o suficiente para gastar seu réu primário, Yoongi abriu a porta para se deparar com o mais novo entrando apressado e seguindo direto para o quarto do mais velho, juntando as peças de roupa mais próximas de si na mala que o mais velho deixava debaixo da cama. Tagarelava sobre como precisavam aproveitar a coragem e ir, que seus pais passavam o domingo inteiro na igreja e que, até perceberem que os dois haviam sumido, já teriam deixado Sunville para trás há muito tempo. Yoongi estava prestes a dizer que aquela era a ideia mais estúpida que o amigo já tivera mas, bem, Jimin fora mais rápido em armar sua cara de cachorrinho que caiu da mudança, o que sempre fazia o mais velho concordar imediatamente com o proposto.

🕺🕺🕺
 

— E vocês simplesmente saíram dirigindo por aí? — Namjoon perguntou, arqueando a sobrancelha.

Jimin concordou, dando um gole em sua bebida. Jungkook riu, chamando a atenção de todos para si.

— Difícil acreditar que o Yoongi hyung topou isso. — Levou os olhos até o amigo. — Sabe? É o Yoongi. — Riu outra vez. — Sem ofensas hyung.

— Eu concordo com o Jungkook. — Taehyung se pronunciou, deitado e ocupando por inteiro o maior sofá do ambiente. — Do Jimin eu não duvido de nada, já hyung é careta demais pra isso.

Yoongi ergueu as sobrancelhas, encostado na parede e de frente para onde o amigo estava.

— O que você quer dizer com careta, Taehyung?

— Eu quero dizer que você é centrado demais pra simplesmente largar tudo e sair da cidade, — Revirou os olhos. — entre todos nós, você é o único que nunca falou sobre fugir desse buraco.

— O que não quer dizer que eu nunca tive vontade, principalmente quando eu era mais novo. — Rebateu. — Tem muitas coisas que a gente sente, mas não fala sobre.

— Igual você ser apaixonado pelo Jimin. — Hoseok provocou, vendo o amigo bufar e enrubescer, mas sem negar.

Yoongi não era, nem de longe, o mais fechado ou menos afetuoso entre os amigos, mas falar sobre paixões era algo completamente diferente. Antes da curta fuga que ele e Jimin realizaram, nunca admitiria ser apaixonado pelo loiro, tomado pelo medo de estragar a amizade de anos ou do mais novo não o corresponder. Min não era do tipo “prefiro ser seu amigo do que não ser nada”, em outra ocasião ele teria se declarado ou se afastado da pessoa, mas o fato de Jimin ser um de seus amigos mais antigos e uma das sete pessoas mais especiais para si, fazia-o reprimir o que sentia e seguir em frente, acreditava que um dia simplesmente deixaria de ser apaixonado pelo amigo.

— Tudo bem, Jimin apareceu com o carro do pai e praticamente te obrigou a entrar. — Seokjin, curioso pelo restante da história, incentivou. — O que aconteceu depois?

Jimin abriu um sorriso, olhando para Yoongi antes de continuar a contar.

🕺🕺🕺
 

Yoongi e Jimin já estavam na estrada há algum tempo, haviam parado alguns minutos atrás para comprar algo para comer e trocar o motorista, sendo a vez de Yoongi. Não possuíam um destino em mente, estavam apenas aproveitando a recém adquirida liberdade e a euforia que a mesma trazia consigo. Cantavam a plenos pulmões todas as canções do rádio, com as janelas abertas e o vento fresco os dando coragem para irem ainda mais longe.
Jimin encostava-se à porta, sem conseguir tirar os olhos de Yoongi por um momento qualquer. O mais velho parecia brilhar, o sorriso e a felicidade iluminando todo o seu rosto e renovando suas energias. Yoongi parecia sempre carregar todos os problemas do mundo nos ombros, sendo sempre o ombro amigo onde todos choravam e o abraço acolhedor que os amigos buscavam nos dias difíceis. Independente de quão cansado estivesse, teria sempre uma garrafa de cerveja e o prato favorito de cada um a disposição, não receando em emprestar os ouvidos, o sofá ou o colchão escondido no sótão para quem precisasse. Mas ali, livre de qualquer preocupação, Yoongi pode finalmente respirar, deixar todos os problemas para trás e ser apenas ele mesmo. E, céus, ele estava tão lindo.
Os fios verdes, que agora começavam a desbotar, haviam sido um dos únicos atos de rebeldia do mais velho, mas pelo qual se apegara tanto que mantinha a cor já há alguns anos, variando entre os diversos tons de verde que Taehyung conseguia criar com as tintas que pegava escondido do salão de sua mãe. Tinha uma das mãos no volante e a outra balançando conforme o ritmo da música, o sorriso nunca deixando o seu rosto.
Min Yoongi o deixava mesmerizado, completamente fascinado, tamanho era o magnetismo que possuía. Levou algum tempo até Jimin entender o que as emoções e sensações causadas pela presença de Yoongi significavam, levou um tempo ainda maior para que aceitasse sua sexualidade — não que possuísse algum preconceito, mas temia ter o mesmo futuro que lia nos jornais diariamente, a possibilidade ainda o aterrorizava, mas não o suficiente para paralisá-lo e o impedir de aproveitar sua juventude. Se apaixonar por Min havia mudado tudo o que era e acreditava, havia o feito enfrentar os pensamentos há muito guardados no fundo de sua mente e ignorados, havia-o feito abrir uma porta da qual pensara ter se livrado da chave, havia o feito abrir as janelas de seu coração e deixar o ar circular, trazendo com ele o perfume suave que o outro usava e o delicioso som de sua risada, os dois fazendo morada sem que Jimin pudesse sequer questionar. E, mais uma vez, ali estava ele, enfrentando a comoção que apenas o sorriso gengival do amigo causava em seu peito. Se apaixonar por Yoongi havia sido sua libertação e, por mais que o mais velho não soubesse do fato, Jimin seria sempre grato por isso.

— Quer parar aqui? — Yoongi perguntara, tirando o mais novo de seus pensamentos. Levando os olhos até a janela, pode ver um restaurante à beira da estrada, pouco a frente. Ouviu o estômago roncar e corou diante o riso do outro, que não precisou de uma confirmação antes de diminuir a velocidade e estacionar.

🕺🕺🕺
 

— Meu deus, como você é emocionado. — Seokjin implicou com Jimin, fazendo todos rirem e o mais novo revirar os olhos, cruzando os braços em seguida. — Você ficou o tempo todo só admirando a luz do sol iluminando o belo rosto do Yoongi? Esperava mais de você Park Jimin.

— Vai à merda. — Respondeu, dando o dedo do meio ao amigo e, inconscientemente, formando um bico nos lábios.

— Vocês pararam em um restaurante qualquer na beira da estrada, e ai? — Jungkook perguntou, os olhos brilhando em animação, o que fez Taehyung rir, já que já sabia de toda a história. Jimin havia deixado Yoongi em casa e ido direto até o melhor amigo para contar a pequena aventura que tivera.

Quando Taehyung abriu a porta, Jimin tinha um sorriso enorme nos lábios, as bochechas coradas e os olhos brilhando de felicidade, não conseguindo ficar parado no lugar e se jogando sob o amigo assim que o avistara, narrando atropelado sobre o dia agitado que tivera, sendo levado pelo mais novo até o quarto. Os dois haviam passado a noite em claro, em meio os suspiros e risos que Park soltava ao narrar as horas anteriores com todos os mínimos detalhes. Taehyung havia sido a primeira pessoa para quem Jimin confessara se interessar por homens, segredando também sua paixão pelo segundo mais velho do grupo. Foram inúmeras noites com Jimin falando sobre sua paixonite e sobre como cada pequena coisa que Yoongi fazia o deixava ainda mais encantado.

— E ai o Yoongi, como um bom hyung, pagou o almoço. — Jimin contara, dando de ombros e vendo o outro corar levemente. — Aí depois nós voltamos pra estrada, combinamos de parar em uma cidade qualquer que fosse próxima e descansar um pouco.

— O lugar era ainda menor que aqui, — Yoongi riu. — mas tinha um clube de Jazz aberto e com uma banda incrível.

— Eles eram muito bons! — Jimin concordou. — Foram do Funk ao Soul, tocaram um pouco de Blues também, foi incrível!

— Foi mesmo. — O mais velho concordou, sorrindo para Park.

Ew. — Hoseok brincou, torcendo o nariz. — Podem ir parando de melosidade, nada dessas coisas na frente da criança.

— Que criança? — Namjoon questionou.

— A nossa criança! — Declarou, apontando para Jungkook e vendo o mesmo deixar uma feição emburrada tomar-lhe o rosto.

— Hyung! — O maknae reclamou, revirando os olhos. — Eu não sou mais criança.

— É sim, Jungkookie, — Taehyung falou, dando tapinhas leves no topo da cabeça do amigo, sentado próximo de si. — Você ainda tá na escola.

— E você acabou de se formar! — Virou-se de frente para o mais velho, que segurou o riso ao ver o bico adorável que o outro formara nos lábios.

— Mas me formei, não é? — Declarou, vendo-o bufar e virar-se novamente. — As crianças crescem tão rápido.

— Nem parece que eu criei esse menino. — Yoongi dissera, recebendo um olhar atravessado de seu único hyung.

— Fui eu que criei o Jungkook, troquei fralda e dei mamadeira. — Retrucou, engajando em uma mini discussão com Yoongi sobre o assunto, algo recorrente no grupo.

Nenhum dos dois havia realmente criado Jungkook, já que a família Jeon só chegara a cidade há cerca de um ano e meio, mas haviam acolhido o mais novo tão rápido no grupo e de forma tão carinhosa que brincadeiras assim eram comuns.

— Jimin! — Namjoon chamou, ignorando os dois mais velhos, atraindo a atenção do amigo. — Continua contando.

🕺🕺🕺
 

Jimin dançava, rindo até ter os olhos quase que completamente fechados, Yoongi estava sentado em uma mesa próxima, sorrindo abertamente ao ver a felicidade do outro. O lugar estava cheio, mas não o suficiente para se tornar desagradável ou para que Min perdesse o mais novo de vista, de forma que podia apreciar sem qualquer dificuldade e dando espaço o suficiente para que o mais novo aproveitasse o começo de noite.

— Hyung! — Jimin chamara, se aproximando para beber um pouco de água e se sentando ao lado do outro com a respiração ofegante.

— Se divertindo? — Questionou, embora não fossem necessárias palavras para confirmar.

— Muito! — Riu. — Obrigado por vir comigo, hyung, de verdade. Eu não me diverto assim tem muito tempo.

— Fico feliz de ter vindo. — Yoongi respondeu, virando-se para encarar o mais novo, com um sorriso nos lábios. Aproveitou a proximidade para ajeitar os fios rebeldes de Jimin, que insistiam em não voltarem ao lugar. — Você fica lindo assim, Jiminie, feliz. Senti falta de te ver sorrir.

— Hyung, eu… — Jimin respirou fundo, passando a língua pelos lábios e tomando coragem. — Eu gosto de você, Yoongi, gosto pra caralho.

Yoongi sorriu, deixando um riso anasalado escapar.

— Eu também, Jiminie, pra caralho.

🕺🕺🕺
 

— Então foi o Jimin hyung que se declarou primeiro? — Jungkook questionou, rindo. — Achei que ia ser o Yoongi hyung.

— Eu também. — Hoseok respondeu, completamente animado e atraindo o olhar curioso de Yoongi e Jimin. — Namjoon, Seokjin, vocês me devem vinte pratas!

— Vocês apostaram? — Yoongi questionou, arqueando a sobrancelha em descrença. — Todos vocês?

Os cinco desviaram o olhar para o chão, evitando fazer contato com Yoongi.

— Vocês pularam uma parte. — Taehyung disse, rindo arteiro e atraindo a atenção de todos. — O Jimin esqueceu de contar que, quando foi deixar o Yoongi em casa, o hyung beijou ele e saiu correndo.

— O Yoongi fez o quê?! — Seokjin exclamou, surpreso, deixando uma gargalhada escapar, sendo acompanhado por todos, menos Yoongi que se escondia atrás de Jimin.

Jimin e Yoongi haviam dirigido horas, encontrado o sentimento de liberdade e viveram um dos melhores e mais marcantes dias de suas vidas. Um ato de rebeldia impulsivo, que os fez voltar para a casa no mesmo dia, completamente satisfeitos com o que haviam encontrado na estrada: a pequena explosão, como uma dinamite, que um causava no peito um do outro.

 

Nota da Autora: Oi! Muito obrigada por lerem e espero que tenham gostado! Essa história é uma espécie de spin off independente de uma das minhas longfics, que futuramente estará sendo postada aqui no site, mas como Jungkook como principal.
Vocês podem me contar lá no twitter o que acharam, vou adorar ler as opiniões de vocês, eu tô na @joonplaylist.
Até a próxima!