Epiphany

  • Por: Lysse
  • Categoria: BTS | Kpop
  • Palavras: 2860
  • Visualizações: 60

Sinopse: O que é o amor?
Entre a concepção ideal do amor e a realidade, o sentimento tinha muitas formas, ao qual, o amor não era perfeito.
Gênero: Drama
Classificação: +14
Restrição: Palavras de baixo calão
Beta: Rosie Dunne

Capítulo Único

A mulher apenas deixou os trocados em cima da mesinha do então restaurante, enquanto a comida favorita dela estava ali, o vinho que ela tanto amava estava sendo servido.
Tudo o que ela mais gostava havia sido solicitado e preparado de forma minuciosa por ele, para que a noite fosse perfeita.
O tal adeus era frio, gélido e indiferente, enquanto o mesmo apertava o anel dentro do bolso do casaco, sentiu o ar fugir dos pulmões, e aquela temível sensação de que era insuficiente para aquela pessoa veio assim como a realização de que ele havia sido deixado naquele restaurante.
E que ela havia indo embora, e ele riu da sua desgraça e saiu do restaurante, procurado primeiro lugar que vendesse álcool para então sentir o gosto da cerveja misturado ao soju após ter certeza que havia sido largado de novo.
E que estava novamente sofrendo por ela.
O gosto de álcool descia por sua garganta, ao mesmo tempo em que encarava o céu escuro e que ouvia as vozes animadas no meio de Itaewon, das diferentes pessoas que cruzavam seu caminho, apenas segurou a máscara contra o rosto ao perceber grupo de pessoas com roupas associadas ao BTS.
Quando foi que chegou a esse estado deplorável? Quando foi que desistiu de si mesmo? Quando foi que renunciou a todo orgulho por causa dela?
Quando foi que o amor o cegou?
E aquilo era amor?
Apenas continuou andando, sem rumo, enquanto pensava que as pessoas logo o reconheceriam, talvez devesse maneirar na quantidade de álcool ingerida, porém, ele sentia seu coração partido.

“…eu não posso mais te amar…”.

As palavras ditas de forma fria, gélida e sem qualquer conforto para ele, ao mesmo tempo em que pensava nas benditas flores, nas joias gastas para ela, ao mesmo tempo em que se encostou no beco imundo e sentiu toda aquela dor.
Quando foi que ele se perdeu?
Ao mesmo tempo em que encarou a pessoa que andava atrás de si, a mesma mantinha uma distância segura, mas ele reconhecia .
A mesma apenas o segurou antes que caísse mantendo o chapéu sobre sua cabeça, e cobrindo o rosto conhecido pelo mundo.
— Está tudo bem, .
Apenas caiu sobre os braços dela, e sentiu as lágrimas molhando o casaco dela.
O que é o amor?

 

X
 

tinha o que todo mundo queria: fama, dinheiro, beleza e status.
Tudo o que a maioria das pessoas tinha, ele havia conquistado com o seu próprio esforço, com vários comentários maldosos ao longo da carreira, porém, aquele aspecto de sua vida, ele lutou e estava feliz com o resultado.
Todavia, se sentia triste pelo então fim do seu relacionamento, ao mesmo tempo em que água fria caia sobre sua cabeça se misturando as lágrimas dos então três anos gastos com aquela mulher.
A mesma o deixou sem mais nem menos, ao menos foi que ele pensou inicialmente, afinal, eles estavam bem, compromissados um com o outro, apenas tentou sair debaixo do chuveiro, mas a pessoa o segurou enquanto a água lavava o restante do álcool, lágrimas e sentimentos que existiam ao mesmo tempo em que ambos se ensopavam da cabeça aos pés, então se pronunciou.
— O que faz aqui?
— Evitando um escândalo. Agora, retire a roupa e coloque o roupa seca e limpa. Eu espero lá fora.
Ela respondeu saindo enquanto encarou a roupa seca, ao mesmo tempo que retirava as vestimentas molhadas, seu coração ainda doía, enquanto sua mente pensava o que havia feito de errado para que a então ex fosse tão duro no fim de seu relacionamento?
?
— Eu estou saindo.
O mesmo apenas vestiu a camisa, ao mesmo tempo em que viu a mulher ainda vestida com suas roupas molhadas, porém, antes que pudesse dizer qualquer coisa, a mesma puxou ele e enxugou os cabelos dele, encarou ele seriamente, ao mesmo tempo em que sentiu o rosto dele ainda molhados pelas lágrimas.
— Ela terminou comigo.
— De novo?
— Para valer dessa vez.
— O que você vê nela? Ela não presta.
!
— Você não ver que ela só machuca você? Você saiu sem qualquer segurança, ! Ela não faz bem para você!
— Você não entende. Eu a amo!
— ISSO NÃO É AMOR.
Pela primeira vez, encarou ele com raiva, a mesma tinha o rosto manchando pelas lágrimas enquanto segurou o rosto dele, triste pela então separação, a mesma beijou sua testa e suspirou.
— Isso não é amor, .
— Então, o que é o amor?
— Perguntou para pessoa errada, babe boy – murmurou a mulher com um suspiro, ao mesmo tempo em que ela passou a toalha sobre a cabeça dele – Mas, o que ela faz com você… não é amor, . Por favor, você não precisa dela.
A mesma apenas secou os cabelos dele, enquanto ajeitou o rosto dele.
— Você não merece nada disso, ok? Agora descanse. Vou me trocar!
ficou em silêncio, e suspirou.
Será que era amor?

X
 

O que é o amor?
se questionou nos minutos que estivera sozinho, sem do seu lado, enquanto encarava o apartamento, havia uma grande quantidade de livros, ao mesmo tempo em que saiu do banheiro devidamente vestida e com roupas secas, enquanto ainda secava o cabelo com a toalha.
— Não dormiu ainda?
— Hmm, seu sofá é desconfortável.
— Então, super estrela, não tenho outro lugar.
murmurou seca, enquanto ajeitou os fios castanhos claros com o pente e passando o secador.
— Deixa eu te ajudar.
— Ok!
apenas passou o secador sobre os fios molhados, quantas vezes o resgatou de Itaewon após o término com Hana? A mulher sempre ia resgatá-lo, o homem então a abraçou.
— O que foi? Está se sentindo mal?
—Desculpa por ter gritado com você.
— Hmm, eu quero sorvete como pedido de desculpas depois. Agora, vamos comer!
— Você vai cozinhar?
— Com toda a certeza não seria você – ela abriu um sorriso pequeno, enquanto passou os dedos pelo rosto dele – O que o homem mais lindo do mundo quer?
— Hmm, ramen?
— Você tem certeza que quer só isso?
— Carne!
— Você tá me saindo caro, !
A mulher apenas se moveu, enquanto não a soltou, apesar de que estava bem melhor do que quando estava Itaewon, ele sentia que desabaria a qualquer momento, ouviu a respiração pesada, enquanto a voz soou suave:
— Quer me ajuda?
— Sim!
A dupla andou de mãos dadas, admitia que estava com medo de largar a mão da amiga e sentir todo aquele vazio de novo.
Ao qual Hana o colocou, esvaziou a mente, enquanto ouvia o som da faca cortar os ingredientes, estava atrás de num abraço que o protegia dos demônios que não queria enfrentar, que temia que jogassem em sua cara que ele não tinha qualquer motivo para ser amado.
Porém, a distração do bolinho colocado em sua boca, enquanto a mulher o encarava abaixo de si com a sobrancelha arqueada.
— Você está pensando em besteira de novo.
— Não estou.
— Sabemos que está. Temos… Suco de laranja para nós embebedamos até o amanhecer…
— Não tem álcool?
— Eu não bebo, – murmurou seriamente, enquanto a mesma cortou os legumes ao mesmo tempo em que resmungou – E nada de álcool para você.
— Estraga prazeres. Meu coração foi quebrado.
— Porque você quis… – apontou a faca para ele, enquanto apenas abriu um sorriso mínimo – Não acha injusto você estar sofrendo por ela? Ela não merece o seu amor… O que você está…?
O rosto dele apenas apoiou no ombro dela, a mesma sentiu que ele encarava o nada por algum motivo, comentou:
— Obrigado.
— Pelo que?
— Por não desistir de mim.
— E desistir do cara mais bonito do universo… Nem pensar! Você ainda vai me apresenta o Lee Jong Suk.
— Interesseira!
A mesma riu, enquanto se virou para ele, os olhos escuros como a noite fixos nele ao mesmo tempo em que puxou as bochechas dele.
— Seja um bom amigo e coloque a mesa, porquinho .
revirou os olhos, enquanto a mesma apenas o afastou de si, o mesmo ouvia todos os dias que era o mais bonito do planeta da boca dela, às vezes acreditava que dizia por dizer, mas a mulher jamais falaria algo em que ela não acreditava.
.
— Hmm?
— Você me acha realmente bonito?
— Sim, dentre todos os meus oppas, você é meu favorito – ela encarou ele sorrindo, ao mesmo tempo em que arqueou as sobrancelhas – Ah, não. Você não está achando que tô brincando né? Eu sou a melhor amiga do homem mais bonito do planeta. Então, eu tenho que me gabar disso!
— Eu te odeio.
— Eu sei que me ama – ela disse sorrindo para ele, enquanto apenas andou até a mesa e a arrumou – Quer que eu ligue para seu agente?
— E não avisou os meninos?
— Eu mandei mensagem para eles assim: eu terminei com meu namorado, e vou sequestrar o por umas horas. Acha que exagerei?
— E desde quando você tem namorado?
— Verdade. Eu sou um fracasso no romance. Mas, os meninos não sabem, então deve ter funcionado.
riu, ele sabia que Namjoon era inteligente demais para cair nas artimanhas da amiga, ao mesmo tempo em que ela apenas colocou a panela em cima da mesa, e apenas sorri orgulhosa da comida que havia feito.
— Não foi porque eu fiz, mas o cheiro está ótimo.
— Deve tá comestível.
— Você adora a minha comida! Não seja mau, eu fiz com amor e carinho.
apenas pegou a colher, enquanto sentiu o cheiro aquecer seu coração, ao mesmo tempo em que o gosto lhe preenchia as sensações que sentia com amiga.
Familiar. Quente e, principalmente, confortável.
sempre cozinhava com amor para ele, como a mesma dizia, apesar de ambos brigarem quem era o melhor cozinheiro do mundo, a mesma se sentou enquanto serviu.
.
— Hmm?
— O que é o amor?
— Eu já disse, perguntou para a pessoa errada… – encarou ele seriamente, enquanto apenas suspirou – O amor parece ter várias formas, então… Eu acho que seguro.
— Seguro?
— Ele deve passar a sensação de segurança, mesmo que eu seja uma mulher independente… Eu quero sentir segurança com a pessoa que eu vou amar.
— Apenas isso?
A mesma franziu o cenho, os olhos fixos por alguns minutos, enquanto abriu um sorriso discreto como se avaliasse ele seriamente.
— Eu acho que quero que a pessoa me compreenda. Eu não sei, ! Esse assunto é muito difícil!
Murmurou condescendente, ao mesmo tempo em que encarou o rosto contraído do então amigo que julgava a expressão dela.
— E como sabe disso se você…?
— Hmm, eu posso não ter namorado. Mas já gostei de alguém, ok?
— E como sabe que é amor?
— Eu não sei se é, mas é um sentimento que pertenceu a mim e mais ninguém, parece egoísta… Mas, antes de amar alguém, você deve ser amar. Ter amor próprio, seria o ideal no momento, mas jamais forçar o amor dentro de alguém.
encarou a amiga.
O que é o amor? Não faço a mínima ideia. Vamos comer!

X
 

Dentre todas as coisas que gostava, era as mãos de sobre seus cabelos, a mesma deitava enquanto encarava a tela da TV com o filme A Babysitter’s Guide to Monster Hunting, percebia amiga tocando os fios de seu cabelo jogados na cama da mesma.
— Sinceramente, você vai olhar o armário antes da gente deitar.
— Porque você assiste essas coisas se você tem medo…?
— E-eu não tenho medo. Talvez de palhaços, mas o cara parece aqueles roqueiros que estão bem altos.
— Acha que ele vai levar o menino?
— Com toda a certeza.
— Ele parece realmente um roqueiro.
— Viu? Você concorda comigo.
O filme era um filme B mas, ainda assim, se divertiam com as atitudes adolescentes da principal.
— Eles tem futuro, talvez melhorar na atuação.
— São crianças.
— E eu sei que você tá vendo apenas pelo Tom Felton.
— Que mentira!
Ela começou a rir, a mesma sentiu quando o mesmo puxou sua bochecha.
— Acha ele bonito?
— Sim, mas eu tô do lado do homem mais bonito do universo.
— Assim eu fico sem graça, sabia?
— E desde quando você fica sem graça? Ah, por favor, eu sei que você ama isso.
encarou ela e sorriu. Por um par longos de horas, ele esqueceu que havia sido largado, apenas ouvia a risada da amiga, as palavras sábias, ao mesmo tempo em que ela usava uma camisa que pertencia ele.
Aquilo era amor?
O amor por alguém que escutava quando necessário, ouvia cada uma de suas lamúrias, o enchia de mimos quando necessário, o arrastava quando necessário.
Naquele momento, teve uma epifania.
Ele amava como ela era, ao mesmo tempo em que Hana não o amava ele como ele era, a mulher sempre tentou mudá-lo para agradar os seus caprichos, sempre se sentiu mais a vontade quando estava sendo ele mesmo, e não o namorado que Hana havia dito que ele deveria ser.
beijou a testa da amiga, enquanto a mesma o encarava confusa.
— O que foi?
— Obrigado.
— Pelo quê?
— Por ser exatamente como você é, .
— E obrigada por ser o homem mais bonito do universo.
— Somente seu. E obrigada por ser a mulher mais sexy do universo!
— Eu estou lisonjeada! Você vai me arruma um encontro com o Lee Jong Suk.
— No seus sonhos que vou te entregar para ele.
— Egoísta! Minha chance de ser esposa dele!
Riu, enquanto a mesma se deitou ao seu lado, e o mesmo passou os dedos sobre a cabeça dela.
— Vamos terminar esse filme. E você vai casar comigo, então esqueça o Sr. Lee.
— O que eu ganho em troca de me casar com o homem mais bonito do universo?
— Casa, comida, cachorros e o homem mais bonito do universo… Depois eu vou verificar o armário, ok?
— Homem perfeito!
A mesma riu, enquanto pensava que ainda não sabia nada do amor, mas aquele sentimento que sentia por Hana não se comparava aos sentimentos de lar que passava enquanto reclamava das atitudes adolescentes do filme.
.
— Hmm?
— Eu te amo.
— Oh, você tá se declarando?
— Ok, eu retiro o que eu disse.
revirou os olhos, ao mesmo tempo em que o som favorito do mundo preenchia o ambiente.
— Eu te amo, , bobão!
— Você vai ver o bobão.
Enquanto fez cócegas nela, a mesma gargalhou, ao mesmo que afundou no perfume que ela exalava, ao mesmo tempo em que pensava que ele estava bem e era amado por aquela garota.
Era tudo o que importava no momento.

Fim¹.

Notas da Autora: sou boiola pelo BTS, e ouvindo Epiphany hoje, eu decidi escrever essa short com todo o meu amor.
Eu espero que gostem.
With love,
Lysse.