Para: Você

Para: Você

Sinopse: Após encontrar uma fã no aeroporto e receber uma carta, Park Jimin fica motivado a retribuir aquele carinho e escrever de volta.
Era a primeira carta que Jimin escreveria em sua vida. Uma carta sincera e aberta sobre diversas coisas jamais ditas pelo cantor. Uma carta sobre os dias difíceis e, mais do que isso, uma carta em que Park Jimin expressa toda sua gratidão e todo seu amor aos seus fãs que sempre estiveram ao seu lado.
Gênero: Romance
Classificação: Livre
Beta: Thalia Grace



Capítulo único.
sorriu quando terminou de reler o pequeno texto que estava escrito na folha branca que recebeu dias atrás. Aquela deveria ser a quarta vez que relia aquelas palavras e, em todas elas, se preocupou em tocar com cuidado a folha para não amassar ou rasga-la.

O cantor lembrava claramente da garota que o entregou aquela carta. Ela tinha um brilho intenso nos olhos e um sorriso tão largo e verdadeiro, impossível de esquecer. O cantor a encontrou no aeroporto de Incheon, onde pegou o voo até Osaka, Japão, onde encontraria os outros garotos e fariam um show. O encontro aconteceu quando e dois seguranças, mais o manager, caminhavam para a sala de espera. ouviu seu nome ser gritado vezes demais para que conseguisse ignorar e, quando virou, viu uma menina correndo atrás de si no aeroporto, que não estava tão cheio por ser de madrugada. O cantor pediu que os outros três homens esperassem e não impedissem a aproximação da garota que, quando o alcançou, estava ofegante.

Encontrar fãs, pessoas que admiravam seu trabalho por aí ou que conheciam alguém que gostava de si, era algo que fazia parte da rotina de há alguns anos, desde que se tornou uma figura pública. Era algo normal, natural e muito agradável. Encontrar pessoas que se identificavam com suas músicas, seu trabalho, era recompensador e lhe dava ainda mais vontade de continuar fazendo o que amava e fazia sempre com tanta verdade. Tinha realmente se acostumado com esses encontros, e esperava que eles continuassem acontecendo por muitos e muitos anos.

Quando encontrou a menina, desejou poder conversar por alguns minutos e dar a ela muito mais do que uma foto, um abraço, beijo na bochecha e um “obrigado” ao receber a carta das mãos trêmulas, mas sabia que não podia correr o risco de ser reconhecido por mais ninguém e criar uma confusão no saguão do aeroporto, e muito menos perder o voo. Por isso só descobriu que a garota se chamava quando conseguiu ler a carta e viu a assinatura feita com uma letra muito bonita. O nome estava lá no final da folha, sendo a última coisa escrita, bem abaixo da frase “Eu te amo, e só te desejo o que há de melhor”.

tinha a mais absoluta certeza de que não se esqueceria da sinceridade que demonstrou ter quando disse que não acreditava que estava mesmo conhecendo-o, e muito menos da felicidade que fazia existir o sorriso que não deixou os lábios da menina por sequer um segundo. O momento que tiveram foi tão pouco e rápido, mas tão acolhedor para ambos que amavam sentir tudo aquilo: a gratidão e admiração que sentiam um pelo outro.

Era verdade que ao longo dos anos de sua carreira tinha conhecido tantas fãs que não conseguiria dizer ao certo quantas foram, jamais conseguiria dizer um número exato. Que abraçou uma boa parte delas e, quando não pôde, sentiu muito por isso. E também seria verdadeiro dizer que, às vezes, pensava não ser merecedor de tanto amor e que, por isso, sempre arrumava um jeito de agradecer aos seus fãs por isso. Porque sentia que recebia amor demais e fazia tão pouco.

E foi pensando no momento que teve com que decidiu escrever alguma coisa também. Não que fosse uma fã melhor que as outras, mas é que o brilho nos olhos e o sorriso largo nos lábios da menina mexeram com , muito mais do que o esperado. Ela parecia estar realizando um sonho quando o encontrou, e sentia-se mais do que nunca na obrigação de mostrar para que aquele encontro não tinha sido em vão. Tinha significado para ele tanto quanto deveria ter significado para ela, e precisava saber disso. Precisava saber que sua carta não tinha sido ignorada. Precisava saber que, para , era um dos anjos que a vida colocou em seu caminho, para ajudá-lo a realizar e viver seu sonho.

Por isso também escreveria uma carta para , mas estaria falando com cada uma de suas fãs. E esperava que se tornasse a ponte para as informações.

Porém, antes que pegasse o caderno e a caneta que sempre carregava em sua mochila, seu segurança o chamou, avisando que precisavam ir para o avião de voo particular. E o caminho da sala de espera privada até a aeronave nunca pareceu tão longo e demorado.

Depois de minutos andando, suspirou de alívio quando finalmente se sentou na poltrona do avião, afivelou o cinto e pôde pegar o caderno e a caneta. Seu manager estava na poltrona ao lado, mas a presença do homem não o incomodava, até porque o mais velho estava concentrado em escolher um filme para si. decidiu que começaria a escrever somente quando o avião estivesse no céu. Até lá, usou seu tempo para organizar os pensamentos em sua mente e abriu a pequena janela ao seu lado.

Um sorriso surgiu em seus lábios quando viu a cidade ficando pequena lá fora, os prédios se tornando minúsculos e o tapete de nuvens branquinhas cobrindo tudo.

Naquele momento, se sentiu pronto para escrever uma carta para uma fã.

Esperava que a sua ficasse tão boa quanto à de . E que ela gostasse da sua do mesmo jeito que ele havia gostado da carta dela.

“Olá.

Olhar para as nuvens que estão do lado de fora da janela ao meu lado me faz lembrar e pensar em tudo que passei para que estivesse onde estou hoje. É assustador e, ao mesmo tempo, encantador olhar para trás e ver como o mundo realmente gira e as coisas acontecem do jeito e no tempo que devem e precisam acontecer.

Em muitos momentos a dificuldade se fez presente, mas hoje entendo de verdade que cada obstáculo foi necessário para eu pudesse ser resistente. Caso contrário, talvez não estivesse aqui. Não forte do jeito que estou. E nem sabendo tudo o que hoje eu sei. E pensar no meu passado me faz querer chorar em determinados pontos, mas na maioria das vezes também me faz sorrir e rir sozinho.

Daqui de dentro do avião eu vejo as nuvens branquinhas, que parecem pedaços de algodão, formar um tapete que deixaria qualquer um feliz em poder pisa-lo. A imensidão azul deixaria qualquer pintor desejoso em tê-lo em sua paleta de cor.

Nesse momento eu me sinto um pássaro. E é graças a você que, já há alguns anos agora, eu sinto que sou capaz de voar. Sou e serei eternamente grato por isso.

Você sabe que as coisas não foram fáceis desde o começo e que, apesar dos sorrisos que quase nunca saíam de meus lábios, eu tive minhas dúvidas, dificuldades e momentos em que quis desistir. Há momentos na vida em que jogar tudo para o alto parece tão fácil. Ir atrás de nossos sonhos, às vezes, é tão cansativo e difícil que parece não valer a pena. O sonho perde o seu valor. Sonhar parece não valer a pena. E para mim, alguém tão sonhador e incentivador, torcedor que as pessoas nunca deixem de sonhar, admitir que pensei em desistir de um sonho que muito quis… Dói. Doeu.

Porém, não fique triste e nem tente sentir a dor que eu já senti. Não tente agora derramar as lágrimas que já derramei apenas para sentir como se o meu sofrimento tivesse que ser o seu como uma forma de demonstrar “cumplicidade”. Não faça isso. Na verdade, nem tente. Eu me sinto forte agora. Sinto-me bem. Eu estou bem. Está tudo bem.

Esconder algumas coisas de você até o dia de hoje tem sido difícil. Mas não faço isso porque me obrigam, faço porque eu te amo. E nunca quis que você sofresse junto comigo. Bom, corrigindo: coisas que escondi até o dia de hoje, já que agora eu sinto que preciso lhe contar algumas dessas coisas que aconteceram durante todos esses anos. Eu preciso te dizer como me senti durante este período de minha vida.

Por um tempo, as pessoas esqueceram o nome que meus pais me deram assim que nasci. Apelidos bobos, com referências maldosas sobre o meu sonho pareceram ser o meu nome de batismo. Acho que tinha alguma coisa haver com a falta de fé que as outras pessoas tinham em mim. A falta de fé que todos tinham em meus sonhos, e na capacidade que eu sabia ter.

Incontáveis foram as vezes que ouvi um “não” ou “ainda não”. Incontáveis a quantidade de portas que foram fechadas em minha cara. Incontáveis também foram as vezes em que ouvi risadas daqueles que achavam que eu jamais conseguiria alguma coisa. E piadas. Ah, as piadas… Jamais me esquecerei de cada uma delas. E tudo isso doía, assumo. Doía saber da falta de fé das pessoas. Doía ouvir que eu não valia a pena, e que era perda de tempo acreditar em alguém que não tinha nenhuma referência e que só estava ali, tentando, porque achava que tinha algo de bom para oferecer. Mas algo sempre me preenchia quando eu ouvia os “não” ou “ainda não”. Ou quando eu via as portas sendo fechadas, e tinha que escutar todas as piadinhas de péssimo gosto. O meu sonho me preenchia nesses momentos.

Eu sabia que não seria fácil. Que seria difícil. Porém, em alguns momentos cheguei a me perguntar se precisava ser tão difícil. Se precisava ouvir tudo o que ouvi e ver tudo o que vi. E, sim, precisava ser difícil do jeito que foi. Caso contrário, eu não daria o devido valor a tudo e todos que tenho ao meu redor hoje em dia.

Aprendi muito com o decorrer do tempo. E eu não me refiro ao lado profissional, mas ao pessoal também. Refiro-me a olhar para o outro com mais humanidade, empatia. A escutar mais e a falar menos, se não tenho algo bom a dizer. A incentivar o meu próximo e jamais fazê-lo pensar que desistir é a melhor saída. Porque pode parecer que desistir é fácil, mas não é. É ainda pior do que tentar, do que insistir.

Aprendi a acreditar em mim mesmo. A ter a certeza que eu posso, se eu quiser. Que eu alcanço, se eu quiser. E que eu vivo, se eu quiser.Eu aprendi e entendi que eu posso tudo. Que eu sou capaz de tudo. E que nenhuma piadinha de mau gosto, apelido maldoso, “não” ou “ainda não” me define. Eu sou mais do que isso. Eu aprendi que posso sonhar, realizar e ser muito mais do que fui ontem. Sempre mais.

Walt Disney disse uma vez, que se sonhamos é porque podemos realizar, e essa é uma das maiores verdade já contadas em toda a história da humanidade.

E mesmo depois desse tempo, eu ainda ouço e leio críticas. Algumas duras. e outras que mais parecem birras de crianças. Algumas pessoas ainda dizem que eu não sou bom o suficiente. E que, na verdade, não faço coisas que possam mudar algumas vidas por aí. O que é bem estranho porque estou sempre preocupado em tocar em assuntos que precisam ser discutidos dentro da sociedade. Estou sempre tentando fazer o meu melhor para melhorar o mundo e as pessoas que habitam nele. Eu só quero navegar através desses grandes oceanos e alcançar alguns corações que estão em outros lugares do globo terrestre. Eu só quero fazer o que amo e deixar algumas pessoas felizes com isso. Quero que os “excluídos” se sintam amados e acolhidos por mim, do mesmo jeito que desejei ser no começo, quando todos me viravam as costas. Eu quero apoiar aqueles que não tiveram apoio, porque sei que a falta de amor e apoio, machuca. E não quero que você ou qualquer outra pessoa sinta essa dor.

Eu sempre vou estar aqui. Quando você pensar em desistir, lembre-se de mim, da minha história e de como tudo deu certo no final. Se lembre de como todas as pedras em meu caminho me derrubaram, mas também me ensinaram a levantar. Afinal, uma queda é igual a um levantar. E nós estamos juntos nessa. Eu e você. Você e eu. Sorrindo ou chorando. Eu estou com você. Sempre estive e sempre estarei.

Agora está tudo bem. Eu estou bem e você também. E se não estiver, se acalme, porque tudo vai ficar bem. O mesmo vento que soprou pra mim vai soprar para você. A chuva que me atingiu também vai te molhar, o arco-íris que eu assisti também vai aparecer para você… E você vai perceber que as sete cores são lindas.

Hoje eu sou completamente diferente de quem eu era no começo. Tornei-me mais maduro. E digo que mais humano também. Eu encontrei, finalmente, o meu destino e a cada dia eu tenho mais certeza disso. E saber que você caminha ao meu lado, me motiva a querer andar por mais algum tempo. Por você e por mim. Por nós dois.

Eu quero ser uma pessoa melhor para você. Talvez isso seja compreensível, já que você é o mundo em si para mim. E eu sempre tento me tornar o melhor para você. E eu fico chateado quando as pessoas dizem que tudo o que venho dizendo sobre o meu amor por você não passa de palavras jogadas ao vento. Fico realmente triste ao ler esse tipo de coisa porque não compreendo o pensamento deles. Afinal, como eu poderia não amar alguém que me ergue do chão tantas e tantas vezes? Como não sentir amor por alguém que me amou de forma infinita quando quase ninguém o fez? Como eu posso não amar e nem gostar realmente de alguém que me motiva, todos os dias, a fazer o que sei fazer de melhor? Como não amar alguém que me faz sorrir e não me deixa pensar em desistir? Como? As pessoas são realmente engraçadas, não são?

E lembrar esses boatos ridículos que criam por aí, me faz lembrar outra coisa que aprendi durante esse tempo: Cada um de nós oferece ao mundo o que há de melhor dentro da gente. Se alguns nos oferecem o ódio, nós oferecemos de volta o que temos de melhor: nosso amor. E isso não tem nada a ver com “abaixar a cabeça” ou “tentar dar uma de paz e amor”, tem a ver com mostrar empatia. Humanidade. Coisas que faltam em tantas pessoas que vivem nesse mundo.

Tem a ver também com mostrar amor ao próximo… O mais belo e puro sentimento, em minha humilde opinião.

E está tudo bem em saber que algumas pessoas ainda não gostam de mim ou do que eu faço. Que elas ainda acham que eu não sou capaz ou digno de alguma coisa. E mesmo que eu ainda tenha que enfrentar mais algumas dificuldades, encontrar pedras em meu caminho e ter que me esforçar mais um pouco para mostrar que sou capaz, está tudo bem. No fim tudo estará no seu devido lugar.

E mesmo que eu morra agora, estou super feliz. Porque eu tive as melhores experiências que pensei em ter, realizei meus sonhos, e mesmo tendo outros sonhos e objetivos, em minha lista de “futuras realizações” me sinto feliz por ter realizado aqueles dos quais um dia pensei em desistir. Sinto-me feliz por ter conhecido você e cada uma das tantas pessoas que cruzaram o meu caminho. Por ter viajado para onde viajei e por ter frequentado os lugares que frequentei. Sinto-me feliz por ter mostrado a minha voz e minha arte para o mundo. Por ter conseguido mudar algumas mentes e por ter espalhado o amor em alguns corações. Por ter sido útil para alguns e inspiração para outros.

Eu me sinto feliz.

Extremamente feliz.

Graças a você, a Deus, ao destino, a vida, minha força de vontade e tudo aquilo que me ajudou a chegar até aqui.

E agora quero te fazer alguns pedidos. Coisas simples, eu prometo.

Não se preocupe tanto com a opinião alheia. Às vezes o “eu quero te ajudar” vem disfarçando um “eu quero te empurrar”. Nem todos que estão ao nosso lado são necessários em nossa vida, e nem todos que não estão ao nosso lado são desnecessários. As pessoas vêm para este mundo com um propósito e não podemos desdenhar do objetivo de ninguém. Saiba escolher bem os seus acompanhantes para esta viagem que é a vida e continue. Vá em frente. Chore quando as lágrimas surgirem. Ria quando a piada for boa ou idiota demais. Fale o que sentir e sinta o que falar. Sonhe. Sonhe muito! Sonhe alto! Sonhe gigante! Mas jamais se esqueça de onde você veio. Jamais se recuse a olhar para baixo e jamais foque tanto no céu a ponto de esquecer a flor do campo ao lado. Ame. Ame de verdade. Ame com todas as letras e esforços. Sinta a dor quando ela chegar e não se acanhe em dizer adeus quando ela tiver que ir. Não queira carregar o fardo de ninguém e jamais deixe que alguém seja um fardo em sua vida. E, principalmente, não seja um fardo na vida de ninguém. Viva muito cada segundo. Coloque seu sono em dia e jamais deixei de dormir por alguém ou alguma coisa. Vista sua roupa preferida mesmo que digam que não combine com seu corpo. Deixe seu cabelo no tom e do jeito que quiser, vista os calçados mais confortáveis que já calçou. Vá para a rua. Para o mundo. Veja o sol e a lua brilhar. Imagine bichinhos nas nuvens e conte quais você viu. Respire fundo, feche os olhos e os abra quantas vezes for necessário. Faça sempre o seu melhor independente de quem ou para o que seja. E eu sei que chegar a algum lugar onde você trabalhou muito para alcançar é assustador porque a descida pode acontecer muito rápido… É como conhecer alguém pela primeira vez, você fica nervoso e se preocupa com o que pode acontecer no futuro… Mas suspire e confie… E jamais desista.

Tenha sempre a certeza de que não importa para qual lugar do mundo a vida me leve, eu sempre vou estar aqui. Com e por você. E nunca duvide da gratidão que sinto por você. Eu sou eternamente grato a você por me amar de volta. E por me apoiar.

Eu te amo. E espero que saiba disso independente do que digam por aí.

Ah, você sabe? Uh, que bom. Então está tudo bem. Você sabendo do meu amor por você, é o suficiente pra mim.

Bom, agora eu preciso encerrar essa carta e nem sei como fazer. Eu preciso dormir um pouco. O avião vai pousar em algumas horas e preciso estar descansado no desembarque. Afinal, vou te encontrar daqui a pouco, pelo menos eu espero que você volte à lanchonete para que eu possa te entregar esta carta – sim, eu reparei no seu uniforme e no avental verde que você usava. Eu não posso estar bocejando de sono enquanto te abraço mais uma vez. Eu tenho que estar do melhor jeito possível para você.

Então… É assim que se encerra uma carta? Eu nunca fiz isso antes, você deveria ter me ensinado. Vou te cobrar isso quando nos reencontrarmos. Depois do abraço apertado, é claro.

Espero que você goste de tudo que escrevi e – wow, isso ficou grande. Saiba que tudo que escrevi foi de coração. Foi verdadeiro e jamais vou me arrepender de tudo isso.

E, ah, antes de assinar e finalizar quero te dizer que: Você parece um anjo. E não adianta mentir, eu sei a verdade. Você é de fato um anjo. Eu sei disso. Mas prometo manter sua verdadeira identidade em segredo.

Bom, desculpe-me pela minha letra. Prometo comprar um caderno de caligrafia e dar uma melhorada.

E talvez eu esteja enrolando porque não quero quebrar essa ligação que sinto ter criada com você quando comecei a escrever esta carta. Porém, está tudo bem encerrar esta carta porque nossa ligação é pra sempre, certo?

Ok, certo.

Desculpe por ser tão enrolado e atrapalhado.

Obrigado por sempre acreditar em meu potencial, por me defender, me amar e nunca sair do meu lado. Obrigado a você que sempre soube que eu poderia alcançar o infinito e além. Obrigado a você que sempre acreditou em mim. Sou imensamente grato por isso. Talvez você nunca saiba o quanto.

Se alimente bem e se cuida.

Eu te desejo todo o amor que há no mundo. Sempre.

E saiba que eu sempre estarei aqui. Com e por você.

Com amor,

, aquele que você diz sentir orgulho ao dizer que é fã.”

As lágrimas que molhavam o rosto de e o sorriso largo, mostrando seus dentes quando terminou de ler a carta, jamais poderiam ser explicados. O quentinho que sentia em seu coração, que estava acelerado, e o sentimento de reciprocidade jamais poderia ser colocado em palavras. O que ela sentiu enquanto lia cada palavra daquela carta foi algo que jamais pensou ser capaz de sentir, nem quando encontrou pessoalmente pela primeira vez e muito menos quando ele apareceu em seu trabalho e a entregou o pequeno envelope branco. Era algo bom. Maravilhoso.

Algo que apenas conseguia fazer com que sentisse.

– Não foi e não é em vão. – sussurrou para si com a carta pressionada contra o seu peito, bem em cima de seu coração que batia acelerado e cheio de amor.

E se, em algum momento de sua vida, sentiu que deveria desistir do amor de fã que sentia por , naquele momento não lhe restavam dúvidas de que ela não poderia e nem iria desistir desse sentimento.

Afinal, tudo que ela sentia era recíproco.

também a amava e também estava ali para ela. Para sempre.

FIM.