High

High

Sinopse: Após ouvir tudo o que as pessoas diziam, Calum se vê perdido por ter perdido a garota que tanto gostava. Agora ele precisa se reencontrar para conseguir tocar sua vida.
Gênero: Drama.
Classificação: Livre.
Restrição: Escrita com Calum Hood, mas pode ser lida com qualquer pessoa.
Autora beta.

Capítulo Único

jogou seu celular em cima da cama. Era a oitava vez naquela madrugada que tentava ligar para e não obtinha nenhuma resposta. Sabia que a maior parcela de culpa era sua e queria contar à garota que estava mudando, melhorando, mas a garota parecia não querer ouvir o que ele tinha a dizer.
Vestiu uma roupa confortável, pegou suas chaves e seguiu direto para o píer em Malibu. Sua intenção era assistir o nascer do sol e fumar, como fazia quando estava junto da garota. As memórias das manhãs em que estavam chapados o assombravam durante a noite, tirando seu sono, e a única maneira de acalmar a alma era recriar aquela maldita cena.
Se perguntava se pensava nele. Já faziam meses que ele se encontrava preso no limbo, enquanto ela parecia estar seguindo sua vida muito bem. Mas é claro que ela estaria bem, afinal seus amigos estavam ali para dar todo o suporte que ela precisasse, principalmente quando se tratava de , já que eles não gostavam dele. Eles eram o motivo de não estarem mais juntos, pois ficavam enchendo a cabeça do rapaz sobre como e Miles eram um casal perfeito, que haviam nascido um para o outro…. Que eram endgame.
– NÓS NÃO SOMOS INIMIGOS, ! – gritou levando as mãos ao cabelo.
– Claro que não, é notável que não. – soltou ácido.
– Você pode ser amigo da sua ex, mas eu não posso ser do meu? – Ela questionou o rapaz.
– Não quando é perceptível que você só está comigo até ele pedir para voltar. – Ele cruzou os braços.
– Da onde você está tirando essas coisas? As vozes na sua cabeça que estão criando essas teorias? – A morena o encarou esperando a resposta.
é óbvio. Ninguém precisa me dizer o que tá escrito na sua testa. – Ele se sentou no sofá. – Ou você acha que não vejo como você olha para ele?
– Como eu olho para ele? Com gratidão por ele ter sido uma pessoa importante na minha vida por tanto tempo? – Ela rolou os olhos. – Nós nos conhecemos desde criança!
– Se ele é tão importante para você, por que não estão mais juntos? – Ele lançou a pergunta sem se tocar que estava entrando numa zona perigosa. – Você vive falando que ele é incrível e que te conhece tão bem… Não entendo o motivo de insistir tanto em ficar comigo.
– Nós já conversamos sobre isso. – Ela abraçou a si mesma. A verdade era que e Miles confundiram o amor de uma amizade e acabaram mantendo um relacionamento cansativo por longos seis anos. Eles eram a zona de conforto um do outro e talvez conseguiriam manter mais alguns anos como namorados. – Eu queria saber onde aquele homem carinhoso que eu chamo de namorado está, porque ele, definitivamente, não é este que está sentado na minha frente.
– A imagem que você pintou de mim fica muito mais bonita na sua cabeça, . Eu nunca escondi quem sou… – rebateu.
– Você pode nunca ter escondido quem é, mas você não é mais quem eu me apaixonei…
– Realmente… A pessoa que você é apaixonada está um pouco longe daqui, tem cabelos loiros e olhos verdes. – rolou os olhos. – Admite. Admite que eu sou temporário na sua vida.
– Você precisa de terapia. – respirou fundo. Ela sabia que aquelas eram as inseguranças do rapaz, mas não entendia o motivo dele estar mostrando elas de forma tão nua. – Porque se continuar dessa maneira, eu não sei se vou conseguir aguentar por muito tempo.
– Aguentar o que?
– Nós. – Ele nem acreditou no que ouviu a garota dizer. Sua boca abriu algumas vezes para tentar formular uma frase decente, mas nada saía.
– Eu preciso que você escolha. – deu uma condição. – Eu ou ele.
– Você sabe que eu não posso escolher só um. – Os olhos da garota se encheram de lágrimas.
– Sua resposta foi mais clara do que a luz do dia. – Ele se levantou e foi em direção ao quarto, batendo a porta atrás de si. Enquanto deixava as lágrimas rolarem por seu rosto e pegava sua bolsa para sair daquela casa.

voltou para casa logo após o nascer do sol. Enquanto dirigia pelos bairros da grande Los Angeles observava as pessoas indo para o trabalho, crianças indo para escola, alguns casais de idosos andando pelas ruas mais calmas da cidade dos anjos. Se sentiu sozinho. Tentou ligar para mais uma vez e, de novo, não obteve resposta. Parou na cafeteria favorita da garota e fez o pedido que ela costumava fazer. Ouviu o sininho da porta e se virou por impulso, vendo a morena, que estava acompanhada pelo loiro de olhos verdes, hesitar e decidir que não entraria no estabelecimento. Observou a sua ex namorada seguir caminho de mãos dadas com Miles e só conseguiu observar o anel que agora estava em seu dedo. Ela estava noiva dele.
A cabeça do rapaz deu uma volta e ele sentiu náusea. Então ele não estava tão errado no fim das contas? Era realmente uma questão de tempo até eles voltarem? Tudo aquilo que os amigos dela diziam à ele era verdade? Aparentemente sim, já que eles voltaram a ser um item. Por mais que parecesse egoísmo, ele esperava que a garota pensasse nele enquanto estivesse com Miles.
– Senhor, seu cappuccino italiano. – A barista o chamou, tirando o foco de seus pensamentos. Entregou o pedido que ele havia feito.
– Obrigado. – Ele agradeceu com um sorriso, pagando o pedido e deixando a cafeteria.
Foi esse o momento em que decidiu seguir sua vida. Ele precisava deste choque de realidade para conseguir deixar ir. Jogou o cappuccino no primeiro lixo que achou. Deletou o número da garota e todas as fotos que ainda existiam em sua galeria. Respirou fundo antes de entrar em seu carro e seguir para casa.
Ao chegar em casa deu um longo suspiro antes de finalmente jogar tudo que o fazia lembrar de fora. Seguiu para seu estúdio caseiro e se sentou com um violão. Esperava que a experiência ao menos servisse de inspiração, e com esse pensamento rabiscou algumas ideias que mostraria aos seus companheiros de banda na próxima reunião para composição que tivessem.
E foi assim que o rapaz passou os últimos dias de suas férias. Compondo e dedicando tempo para autoconhecimento, enquanto se recuperava de um coração partido.

Fim.

Nota da autora: Eu tenho a impressão de que essa foi a pior história que eu já escrevi kkkk por favor, me digam o que acharam dessa história!!
Instagram: @amandar_autora | Twitter: @amanda_ritis