Lover Of Mine

Lover Of Mine

  • Por: Amanda R. e L. Del Caro
  • Categoria: CALM | Especiais
  • Palavras: 3002
  • Visualizações: 27
Sinopse: O histórico de Luke não é um dos melhores, mas ele está disposto a dar o seu melhor para fazer com que sua amada esqueça do passado e foque no presente, pois ele não quer a perder novamente.
Gênero: Drama.
Classificação: +18.
Restrição: Luke Hemmings é o personagem principal. Cenas de sexo moderadas.
Autora beta

Capítulo Único

O dia no trabalho havia sido cansativo, vários processos trabalhistas para dar conta, fora os problemas que tinha que enfrentar na firma, advogados que fazem trabalhos pela metade, pessoas que não tiveram respostas, entre outras questões. Tentei deixar a que trabalha com advocacia de lado e focar na que fora do ambiente de trabalho é uma pessoa simpática e extrovertida.
– Está tudo bem? – Luke me perguntou virando o rosto na minha direção, eu deveria estar quieta por tempo demais. – Esse vestido ficou lindo em você. – Ele sorriu colocando a mão sobre a minha coxa e voltando a olhar para a estrada. Naquela noite eu estava com um vestido curto de cetim com alças finas na cor preta, além de ele deixar mais da metade das minhas costas à mostra.
– Está, só coisas do trabalho. – Dei de ombros e sorri ao escutar o elogio. – Obrigada, eu não preciso te elogiar porque você sabe que eu adoro quando usa camisa social. – Dei uma piscadinha para ele e aproximei meu rosto do seu, deixando um beijo na sua bochecha.
Minutos depois Luke estacionou o carro na frente do local onde aconteceria a festa de lançamento do álbum CALM. O evento de lançamento tinha acontecido algumas horas antes, foi um evento mais particular, somente com a banda, as equipes de participaram do projeto e alguns convidados. Eu tinha participado de um desses eventos em 2015, quando eu e Luke nos conhecemos, mas dessa vez eu estava vindo como sua namorada. Ao sair do carro, Luke pegou a minha mão e seguiu para dentro do local onde aconteceria a festa. Assim que entramos no local, fiquei surpreendida com a quantidade de gente que estava ali, todos conversando, bebendo ou dançando. Cumprimentei algumas pessoas com um sorriso e um aceno e fomos procurar os meninos.

– Ei, ! – Crystal levantou o braço acenando para nós, ela estava junto de Michael e o restante da banda.
– Oi, quanto tempo! Tem quase um mês, não é? – Perguntei cumprimentando-a com um beijinho. Durante o lançamento do álbum quase não conseguimos nos falar, Luke cumprimentou Crystal e os meninos me deram um abraço rápido.
– Sim, quase um mês. – Ela concordou balançando a cabeça positivamente. – Moramos tão perto e quase não nos vemos.
– Quase não nos vemos por culpa minha, né? Essa correria horrível do escritório, estou tendo que pegar mais trabalho do que o normal. – Eu revirei os olhos suspirando alto. – Mas não vamos falar sobre trabalho, quero saber quando vou ser tia.
– Segura as pontas ai . Acabamos de noivar. – Michael tirou a sua atenção dos meninos, virando para nós.
– Pode ser daqui uns cinco meses. – Dei uma piscadinha para Crystal que riu. – Estou brincando gente, aproveitem mesmo o início da vida de casados.
– Estamos esperando vocês decidirem quando vão casar. – Michael passou o braço sobre o ombro de Crystal e olhou para Luke, que começou a prestar atenção na conversa.
– Tudo depende dele. – Eu sorri levantando a mão direita e apontando para o dedo anelar.
– Tudo é questão de tempo. – Luke deu um beijo na minha cabeça. Assim que o garçom passou com os champanhes, meu namorado pegou duas taças e me entregou. Nós já íamos fazer quatro anos juntos.
O restante da noite passou rapidamente, não sabia se era pelo fato de eu e Crystal termos conversado bastante ou outros assuntos terem surgido com as pessoas passando por nós, ou até mesmo pela bebida que estava começando a fazer efeito no meu corpo. Quando vi que o álcool estava se apossando da minha sanidade, deixei de beber. Lembro-me muito bem de que Luke tinha sumido do meu lado por uns trinta minutos. Pedi licença para Crystal e andei entre a multidão enquanto tocava Talking Body, a música anterior tinha sido Teeth, do álbum novo. Eu encontrei meu namorado bem no centro da pista de dança improvisada que haviam feito, ele estava dançando com Calum e mais três meninas. Elas eram fãs? Aquilo não me interessava, só consegui ver como elas estavam se esfregando nele. Uma das meninas estava de frente para ele, com os braços ao redor de seu pescoço, o cúmulo do absurdo foi quando ela deu um beijo no seu pescoço. Aquele era o meu namorado. Eu cruzei os braços e o encarei, esperando que seus olhos encontrassem os meus. Estava furiosa, podia sentir minhas bochechas esquentarem de tanta raiva. Os primeiros botões da sua camisa estavam abertos e o cabelo totalmente desgrenhado.
Assim que os olhos de Luke encontraram os meus, eu sustentei o mesmo por alguns segundos e dei as costas, seguindo em direção da saída. Eu queria que ele soubesse que eu tinha visto toda aquela cena. Desci as escadas do recinto e sai andando pela rua enquanto procurava por um táxi, eu não iria esperar ali na frente, não mesmo, ele poderia vir atrás de mim e eu já sabia muito bem o que fazer. Depois de alguns minutos finalmente consegui um táxi para me levar para casa.
Abri a porta do loft e a fechei com raiva, tirei os saltos e joguei-os ao lado da porta de entrada. Subi as escadas para o segundo andar e procurei uma das minhas malas, eu só precisava levar algumas roupas, o restante alguém viria buscar. Minha respiração começou a ficar ofegante, eu estava me sentindo sufocada. Joguei a mala em cima da cama king-size e fui até o closet, onde as minhas roupas e as de Luke estavam organizadas. Juntei alguns cabides que minhas roupas de trabalho estavam penduradas e retirei todos da arara, voltando para o quarto, onde joguei as peças de roupa de qualquer jeito na mala. Em seguida procurei pelas minhas roupas do dia a dia, jogando-as novamente na mala. Quando tentei fechar a mala, o zíper não deslizava, coloquei a mala no chão e sentei em cima da mesma para que pudesse fechar com mais facilidade, foi quando vi o estado que eu estava no reflexo do espelho. Não tinha me dado conta que chorava até aquele momento, a raiva me dominava mais que a tristeza. Que desprezível. Enxuguei as lágrimas borrando toda a maquiagem preta que tinha feito, a porta do loft bateu e eu me levantei, pronta para sair de casa. Assim que passei pela porta do quarto, encontrei Luke no andar de baixo.

– Aonde você vai? – Ele perguntou colocando as chaves no aparador de vidro ao lado da porta.
– Vou para o lugar da onde nunca deveria ter saído, o meu antigo apartamento. – Respondi puxando a mala pelos degraus das escadas.
– Você sabe que não pode ir para lá, está alugado . Você está agindo por impulso, por favor, me escute… – Ele deu um passo na minha direção e eu levantei somente o indicador.
– Fique onde está. Eu já cansei de escutar suas desculpas. – Disse em tom sério, ainda descendo as escadas.
, eu não fiz nada demais. – Ele deu outro passo na minha direção.
– Qual foi a parte de “você fica aí” que você não escutou? – Perguntei descendo o último degrau da escada. – Você se lembra qual foi o motivo do nosso término Luke? Há dois anos atrás? – Ele ficou em silêncio. – Eu estou te fazendo uma pergunta.
– Traição. – Ele respondeu como uma criança que estivesse levando um esporro.
– Exatamente, e hoje na festa eu vejo o que? – Dessa vez quem se aproximou fui eu. – Duas meninas se agarrando em você, uma chegou até te dar um beijo no pescoço! Você me prometeu Luke. Você me prometeu! – As lágrimas voltaram a escorrer pelo meu rosto e eu bati no seu peito com raiva. – Você me prometeu que nunca me decepcionaria de novo!
– Amor, por favor, olhe para mim. – Ele segurou o meu rosto com as duas mãos e eu balancei o rosto negativamente, fechando os olhos com força.
– Eu acreditei em você, eu te dei uma segunda chance. Você quebrou a minha confiança, de novo. Eu não quero mais isso Luke. – Eu estava em prantos. Luke passou os braços ao meu redor me abraçou, porém, eu não queria aquilo, eu não queria sentir o conforto do seu abraço, não queria me sentir protegida e amada, fazia tudo ser mais difícil. – Me larga, por favor, me solta! – Eu me debatia nos seus braços para que ele me soltasse, mas tudo foi em vão, ele permaneceu quieto comigo em seus braços, até que eu desisti e permaneci ali.
. – Ele levantou meu rosto com o indicador e fez com que eu encarasse seus olhos. Ele estava parecia estar prestes a chorar. – Me desculpa, eu sei que não tenho um histórico muito bom com você, estou buscando melhorar, você sabe que eu já mudei bastante, mudei por você. Eu quero ter uma vida com você , quero colocar uma aliança no seu dedo, como você disse hoje na frente da Crystal e do Michael. – Ele levou as mãos aos cabelos em desespero. – O que aconteceu hoje não tem justificativa, mas eu quero te dar todo o meu amor, não quero te mandar embora da minha vida novamente, eu já fiz um dia e me arrependi totalmente, tanto que estamos os dois aqui, tentando fazer esse relacionamento dar certo. Todos os dias eu espero e rezo para que você fique na minha vida, minha mente é como um caleidoscópio, difícil de entender as vezes, mas estou tentando colocar tudo no lugar. – Observei seus olhos se encherem de lágrimas. – Lembra daquele dia que te encontrei dançando aqui na sala? Foi o dia que eu tive certeza que queria você ao meu lado. Nenhum de nós dois é perfeito, principalmente eu, mas estou disposto a dar tudo de mim para você, todo o meu coração, quero que você tire tudo de mim. Eu amo você. – Confesso que eu fiquei paralisada, Luke nunca tinha sido tão aberto comigo em todo o nosso relacionamento. Não sabia o que responder. Não sabia como agir. – Por favor, .
Meu coração doía, me sentia fraca por não conseguir dar as costas e o deixar alí. Era uma batalha travada entre a razão e a emoção. Entre o cérebro e o coração. E eu soube que era uma batalha perdida quando me vi puxando seu pescoço para um beijo profundo. As borboletas no meu estômago apareceram assim que senti sua língua se enrolar na minha. Luke me ergueu do chão e minhas pernas se posicionaram ao redor de seu corpo. Ele caminhou até a mesa, me apoiando alí. Sabia que era para seu conforto, já que eu sou muito mais baixa que ele. Senti suas mãos fazerem um carinho na minha cintura e descerem para a coxa, antes de adentrarem meu vestido. Minhas mãos desabotoaram gentilmente sua camisa e, num movimento delicado, ela foi parar no chão da sala. Senti o calor do seu corpo e o puxei para mais perto. Luke desceu os lábios para meu pescoço enquanto abria o zíper do vestido de cetim que eu estava vestindo. Ele se afastou o suficiente para tirar o vestido e observar meu corpo, que agora se encontrava semi-nu. Minhas mãos desceram por seu abdômen, parando no cinto que estava preso em sua calça, desafivelando-o e abrindo o zíper da peça de roupa. Logo ela também encontrou o chão. Senti o corpo de Luke dar sinal quando ele tornou a me abraçar e beijar. O espaço entre nossos corpos era inexistente. Seus dedos brincaram com a renda da minha calcinha. Ele partiu o beijo e colou nossas testas enquanto tirava o último pedaço de tecido que me cobria. Como eu seria capaz de deixá-lo quando seu olhar me fazia entrar num transe profundo, fazendo com que minha única necessidade fosse ele? Luke era como uma droga. Uma droga que eu amava ser viciada.
Ele ergueu meu corpo novamente e subiu as escadas, nos direcionando ao quarto, e a única razão para tal feito era a escassez de preservativo onde estávamos. Hemmings me deitou delicadamente em nossa cama e ficou por cima observando meu corpo antes de dar um sorriso cheio de luxúria. Deu um único beijo em minha boca e foi traçando um caminho de beijos entre meus seios até minha intimidade. Meus olhos reviraram e minha coluna arqueou ao sentir sua língua desenhar em minha pele. Uma de suas mãos foi parar em meu seio direito, enquanto a outra tratava de segurar minhas pernas abertas. Involuntariamente, minhas mãos agarraram seus cabelos loiros como se aquilo fosse a maneira de dizer que tudo o que ele estava fazendo estava correto. Pouco tempo depois senti meu corpo adormecer e se desfazer na boca de Luke. O puxei para cima, dando um beijo apaixonado em sua boca e sentindo o meu próprio gosto. Tentei inverter nossas posições para que pudesse retribuir o que havia acabado de receber, mas fui impedida no momento que ele me segurou os pulsos e os prendeu no topo da minha cabeça. Olhou no fundo dos meus olhos como se dissesse que não havia necessidade. E realmente não havia, já que podia sentí-lo completamente duro por cima de sua boxer.
Suas mãos tatearam a gaveta da mesinha de cabeceira tirando de lá um pacotinho, que ele prendeu entre os dentes enquanto descia a boxer pelas suas pernas, fazendo seu membro entrar, finalmente, em meu campo de vista. Vestiu o preservativo antes de se posicionar em minha entrada. Seu olhar pedia por consentimento e, para respondê-lo, o puxei para mais perto, mordendo seu lábio inferior. Ele soltou um gemido na hora que nossos corpos se tornaram apenas um. No início os movimentos foram mais calmos e suaves, mas logo suas estocadas se tornaram mais rápidas e mais profundas. Nosso olhar não se desconectou por nenhum segundo, pois estávamos completamente entregues um ao outro. A posição foi invertida para que eu ficasse por cima. Ele, ao invés de ficar deitado, estava sentado enquanto eu estava rebolando em seu colo. As mãos de Luke subiram pela minha cintura, e uma delas seguiu para meus cabelos, os puxando e fazendo com que eu soltasse um gemido talvez alto demais. O empurrei na cama, para que ele deitasse. Apoiei minhas mãos em seu peito enquanto continuava os movimentos de quique.
… – Ele gemeu meu nome e eu soube que ele não aguentaria mais por muito tempo.
Luke inverteu as posições outra vez, se pondo por cima. Acelerou as estocadas, e senti uma segunda onda de prazer tomar conta do meu corpo. Vi meu namorado se deitar ao meu lado, suado e exausto. Ele se levantou, foi até o banheiro descartar o preservativo cheio e voltou para a cama. Ficamos deitados, encarando um ao outro por algum tempo. Era como se ele conseguisse enxergar minha alma.
– Eu sei que existem muitas coisas que você não consegue esquecer, , mas eu prometo que vou tentar melhorar. – Ele colocou uma mecha atrás de minha orelha. – Eu jamais faria algo para te perder, porque eu já cometi esse erro uma vez.
– Luke… – Ele me interrompeu.
– Quando eu olho para minha vida, e para todos os meus crimes, você é a única coisa que parece certo. – Ele fechou os olhos.
– Eu te amo tanto. – Minha mão repousou em seu rosto, fazendo um carinho em sua bochecha.
– Casa comigo, . – Ele soltou me fazendo engasgar. – Eu quero poder te dar os melhores anos de sua vida. – Minha boca abriu algumas vezes sem emitir som algum. Tinha um milhão de motivos para hesitar, mas não queria me prender àquilo.
– Eu aceito.

FIM
Nota das Autoras: Oii, Amanda aqui!! Essa é a primeira vez que escrevo algo em conjunto com alguém, e tive a honra de escrever com uma das minhas autoras favoritas! Se disser que estou na minha zona de conforto, estarei mentindo, pois eu sou time smut explícito, então foi um mega desafio escrever algo mais poético…. Mas eu amei a experiência! Espero, num futuro, poder co-escrever outra história com a Lorrayne, pois amei discutir o plot kkkkkk Ah, não se esqueça de deixar um comentário, e nos dizer o que achou dessa história.
Caso queira me acompanhar em alguma rede social, aqui estão elas…
Instagram: @amandar_autora | Twitter: @amanda_ritis