My boyfriend is a superstar

My boyfriend is a superstar

Sinopse: Faith Watson é uma designer que nunca ligou muito para o mundo pop, ao contrário de sua melhor amiga, Emily. No entanto, ela mergulha nesse mundo quando começa a sair com o cantor mundialmente famoso. Ela terá que lidar com um romance secreto, fãs, paparazzis e viagens pelo mundo se quiser continuar saindo com Louis Tomlinsonn.
Gênero: Romance
Classificação: 16 anos
Restrição: Louis é fixo.

Capítulos:

estava sentada em uma das mesas de um pub qualquer em Londres, estava vendo a apresentação de uma banda cover de Arctic Monkeys. Não se importava de sair sozinha, amava a sua própria companhia, mas naquela noite em especifico, sentia a necessidade de estar acompanhada, talvez tenha sido Why’d You Only Call Me When You’re High e as lembranças de todos os relacionamentos desastrosos que ela teve nos últimos 5 anos que a fizeram se sentir desta forma. Foi com o pensamento de que queria alguém ali com ela que gravou um story em seu instagram e escreveu: só queria alguém pra beber uma cerveja e aproveitar esse show, logo após deixou o celular de lado por alguns minutos.
Estava distraída cantando I Bet You Look Good On The Dance Floor quando seu celular apitou sinalizando uma nova notificação em seu instagram. Se tivesse sorte o bastante, seria alguma de suas amigas se convidando para curtirem a noite juntas. No entanto, a surpresa tomou conta de si quando viu que era um estranho lhe mandando uma dm:
TWill
Qual pub?
Posso ser sua companhia se quiser…
Entrou no perfil que respondeu seu story e achou a pessoa com um rosto conhecido, mas não sabia de onde. As informações que tinha é que se chamava William e tinha muitas fotos com crianças. Ela não sabia exatamente o porquê, mas seguia ele na rede social, só podia culpar sua mania de seguir de volta todo rostinho bonito que a seguia. Hesitou em responder, mas achou que não faria nenhum mal em dizer o local, o pub era aberto para todos e qualquer coisa poderia ligar para uma de suas amigas.


The Black Crow

A resposta veio mais rápido do que ela imaginava:
TWill
Sei qual é!
Chego em 15 minutos, se quiser companhia, me avise
Posso te pagar uma cerveja
respondeu um ok e disse que estaria esperando por ele, mesmo sem o conhecer. Precisava conhecer pessoas novas, era isso que suas amigas sempre falavam quando ela ficava em casa sozinha se afundando em chocolate e filmes de comédia romântica. Tentava mentalizar que tinha feito a coisa certa, mas a sua ansiedade não permitia, por isso ficou criando diversas situações em sua cabeça, e nenhuma delas lhe parecia algo bom. Estava imaginando que poderia ser dopada e sequestrada quando alguém tocou em seu ombro.
? Tudo bem? Prazer, William. – Disse o rapaz assim que ela se virou.
– Oi William, tudo bem e você? Senta, por favor. – Disse apontando para a cadeira do seu lado.
Logo engataram uma conversa sobre a banda que estava tocando diversos sucessos de Arctic Monkeys e sobre como eles amavam esse estilo de música. A mulher tinha percebido de primeira que ele era muito bonito e que os olhos claros dele brilhavam quando ele falava sobre música.
– Então, o que te traz aqui? Quer dizer, além do meu story falando sobre eu estar sozinha. – Disse fazendo graça.
– Ah, eu tava sozinho em casa, sem fazer nada. Achei que poderia ser legal curtir uma banda cover com uma estranha solitária enquanto bebo uma cerveja. E você?
– Eu tava cansada depois de um dia intenso no trabalho, passei por aqui e vi a placa anunciando esse show. Como eu amo Arctic, decidi entrar e aproveitar, até que um estranho respondeu meu story falando que poderia me fazer companhia.
– E será que esse estranho poderia ter o número do seu telefone para marcarem de sair qualquer dia?
que até então estava desinibida, ficou tímida. Era sempre assim, ela nunca sabia lidar com investidas, e William claramente estava dando em cima dela. Mas mesmo assim passou seu número para ele e continuaram conversando após.
Estavam se despedindo algum tempo depois do show ter acabado quando pergunto para William:
– Por que eu tenho a sensação de que eu te conheço de algum lugar?
Ela não percebeu, mas o rapaz deu uma travada antes de responder:
– Provavelmente porque eu tenho o rosto muito comum, é o que sempre me dizem.
– Assim, não querendo insinuar nada, mas você, definitivamente, não tem um rosto comum! – Disse tímida e dando uma risadinha no fim para disfarçar a vergonha.
– Espero que tenha sido um elogio, então obrigado!
– Claro que foi!
Eles ficaram se olhando por alguns segundos e nem perceberam que tinham se aproximado tanto. Estavam prestes a se beijar quando o celular de William começou a tocar, estourando a bolha que estavam.
– O que foi? Eu avisei que ia sair – percebeu que ele parecia irritado, então ficou quieta em seu canto. – Não te interessa para onde eu fui, eu sei me cuidar e não te devo satisfações sobre a minha vida pessoal. – Ele desligou sem esperar qualquer resposta. – Desculpa por isso, coisa do trabalho.
– Mas tá tudo bem?
– Tá sim, não se preocupa! Agora eu só quero saber quando é que a gente vai se ver de novo.
– Rapidinho você né? – Ela riu. – A gente vai conversando e marcamos alguma coisa.
Cada um seguiu seu caminho, pensando que só poderia ser louca de aceitar em sair com um estranho novamente, e William com um sorriso no rosto por ter encontrado alguém que realmente o visse para além de sua profissão.

Faziam alguns dias desde o episódio do pub. Não tinha um dia que não pensava na loucura que tinha cometido de ter aceitado a companhia de um estranho, se divertido muito com ele e depois ter passado seu número, mesmo que ele ainda não tivesse entrado em contato. Para ela, toda essa experiencia tinha válido a pena e quase foi morta por , sua melhor amiga, quando contou toda a história.
Era uma sexta feira a noite e estava zapeando pelos canais da tv, estava prestes a mudar pra Netflix quando algo, ou melhor dizendo, alguém lhe chamou atenção. Era a propaganda de pré-venda de um álbum chamado Walls do cantor Louis Tomlinson. Ela não fazia ideia de quem era esse Louis, mas ele se parecia muito com o William que encontrou semana passada.
Só podia estar delirando, era isso que pensava. Por isso caçou logo seu celular, digitando rapidamente o nome do cantor na busca e vendo varias fotos dele, inclusive, achou fotos com as crianças que tinha visto no instagram do rapaz. Não era possível isso tudo.
, eu acho que tô louca! – Disse assim que a amiga atendeu seu telefonema.
Isso você sempre foi, mas o que aconteceu agora?
– Lembra do William? O cara do pub do Arctic Monkeys.
Lembro! O que tem ele?
– Eu acho que ele é um cantor famoso.
Como assim, mulher?
– Eu tava vendo tv e aí passou a propaganda de um cd. O cantor era o William, eu tenho certeza!
Que cantor?
– Louis Tom…
LOUIS TOMLINSON?!, VOCÊ SAIU COM LOUIS TOMLINSON? nem deixou a amiga terminar de falar e logo a interrompeu. A mulher era completamente pirada em boybands e One Direction definitivamente era a sua favorita.
– Por Deus, , se controla. Eu acho que sim, ele me pareceu muito familiar e algumas das fotos que eu vi, eu reconheci as crianças.
O que você tá esperando? Por que ainda não mandou mensagem para ele perguntando sobre isso?
– Você tá louca? Eu não vou mandar nada pra ele. Ainda mais que se ele não e falou, é porque ele não quis. Eu não vou pressionar ninguém, . Além do mais, se ele quisesse algo a mais, ele teria me mandado mensagem me chamando para sair.
Aff , voce acaba com a minha alegria. Eu só queria uma chancezinha de conhecer o Lou. POR QUE NÃO EU, DEUS? – Continuou com o drama. estava quase respondendo sua amiga, quando seu celular vibrou, indicando uma nova ligação de um número desconhecido.
, tão me ligando aqui, depois a gente se fala. Beijos.
Beijos, vadia!
– Alô, quem fala?
Oi, ! Aqui é o William do pub, tudo bem? – ao reconhecer a voz do rapaz, a mulher engasgou.
– Ah, oi, William, tudo bem e você? – Deu um pulo no sofá e se ajeitou de uma maneira mais confortável.
Tô bem também! Desculpa ter sumido logo depois do pub, tive que viajar a trabalho e não deu para a gente tomar aquele café que combinamos.
– Não se preocupa. Trabalho é trabalho!
Mas enfim, tô te ligando agora para saber se você não topa sair comigo segunda? Eu sei que é um dia meio atípico, mas é que eu chego em Londres domingo a noite.
– Claro! Só me dizer o lugar e a hora, que eu apareço.
Eles rapidamente engataram uma conversa sobre um assunto qualquer, mas não saia da cabeça de que ela deveria perguntar para ele sobre a propaganda na tv.
– Acho que eu já falei muito sobre o mim. E você, trabalha com o que? – A mulher decidiu bancar a curiosa e tentar saber mais alguma coisa, queria ter a certeza de que não estava ficando louca.
Eu trabalho com eventos. Mas nada muito grandioso.
– Sério? Que legal! Que tipo de eventos?
Sim! Ultimamente eu tenho trabalhado junto de um artista solo, ajudando com as músicas e produção. , eu queria muito continuar conversando contigo, mas tenho que acertar os últimos pontos do show de hoje, que vai ser o último antes da pausa de fim de ano. Te vejo segunda?
– Claro! Bom trabalho!
Eles desligaram e a mulher ficou pensando um pouco mais tranquila, quer dizer, ainda precisava fazer a pergunta que estava lhe atormentando, mas a faria na segunda, quando se encontrassem no café. Agora só conseguia pensar em quão louca a vida era. Há alguns dias estava sozinha e se lamentando para suas amigas, agora estava para sair com um cara desconhecido que conheceu em um pub.

Era domingo à noite e o fim de semana da mulher tinha sido muito tranquilo, finalizou alguns de seus projetos do trabalho e recebeu a visita de , que ficou chocada quando soube que a amiga iria sair de novo com William.
, a gente nem sabe se isso não é loucura da minha cabeça! Eles podem ser só muito parecidos.
– Ah, ! Qual a chance de você encontrar alguém tão parecido com ele e que também trabalha com música? Por que você não perguntou?
– Porque essas coisas a gente não fala por telefone, né garota?
A amiga insistiu por mais algumas horas que deveria mandar uma mensagem para saber a verdade, mas fora ignorada por , que disse que se a amiga continuasse desse jeito iria proibi-la de ler fanfics, porque isso já estava afetando demais seu cérebro.
Agora a mulher encontrava-se assistindo uma série qualquer na Netflix, ignorando toda e qualquer pessoa que lhe mandasse uma mensagem ou que telefonasse, precisava dessa paz e de um momento para si mesma! No entanto, ao receber uma mensagem inesperada, teve de pausar a série para responder.
William do pub
Oi,
Espero que nosso café ainda esteja em pé?
Podemos nos encontrar no Kennington Lane as 9?

Oi, William!
Claro que está
As 9 está perfeito para mim!

A conversa não parou por aí, conversaram sobre como tinha sido a viagem de William para os Estados Unidos e sobre como ele sentia falta da comida de sua avó, principalmente do café da manhã. Sobre onde passariam o Natal que já estava se aproximando, passaria com sua família em Manchester, enquanto que William iria para Doncaster, onde se reuniria com seus avós e irmãos. Conversaram até o rapaz anunciar que iria dormir, pois ainda estava muito cansado de sua viagem, o que fez com a que a mulher sugerisse de remarcarem o café, obtendo uma resposta negativa prontamente.

Era segunda de manhã, e estava alguns minutos atrasada para seu encontro, indo contra a cultura britânica de ser pontual. Ao chegar à porta do estabelecimento, parou e ajeitou seu cabelo, não queria parecer uma doida. Respirou fundo antes de abrir a porta e adentrar ao recinto. Varreu o olhar por todo o local até achar o rapaz em uma das mesas no fundo, até parecia que ele estava querendo se esconder, ou ter mais privacidade, ela não sabia ao certo.
– Oi, ! Tudo bem?
– Oi, William, tudo bem e você? Desculpa pelo atraso, mas minha cachorra decidiu que hoje era o dia perfeito para não me deixar sair de casa.
– Tô bem também! Não se preocupa, sei como são os cachorros. Tenho dois, sempre que eu preciso viajar eles fazem uma bagunça gigantesca.
Foram interrompidos por uma senhora que foi até a mesa para atendê-los. estranhou o fato de ela ter o chamado de Lou ao perguntar se ele queria o mesmo de sempre.
– Mrs. Carter está acostumada, sempre que eu fico um tempo fora da Inglaterra, aqui é um dos primeiros lugares que eu venho. Posso te dizer uma coisa: nenhum país tem um café da manhã tão bom quanto o nosso!
– Então quer dizer que você viaja muito?
– Olha, às vezes mais do que eu gostaria. Quer dizer, amo o que eu faço, mas as vezes gostaria de poder ficar mais com a minha família.
– Sei como é, quer dizer, eu não viajo muito, mas por causa do meu trabalho, acabo deixando de passar tanto tempo com a minha.
Continuaram conversando sobre trabalho e viagens, até a senhora voltar com os pedidos prontos e entregar para o casal.
– Posso te fazer uma pergunta? – perguntou depois de engolir um pedaço de linguiça.
– Claro, fica à vontade.
– Promete não me achar louca?
– Prometo. – William riu antes de responder.
– Outro dia eu tava assistindo tv e, por acaso, apareceu a propaganda de um novo álbum, de um artista solo. E eu fiquei meio encafifada porque esse artista se parecia muito com você. E eu até tentei deixar isso de lado, mas aí a gente veio aqui e a Mrs. Carter toda vez te chama de Lou. E o nome do cantor era Louis. Eu tô ficando louca? – não percebeu a careta do rapaz enquanto ela falava, mas ao terminar o encarou, esperando que ele lhe desse alguma resposta.
-Não era assim que eu esperava te contar.
– O quê?
– Você não está louca, ! Eu queria te contar logo quando a gente se despediu do pub, mas infelizmente essas coisas não são fáceis, e você me tratou de um jeito que há muito eu não era tratado por desconhecidos. É sempre: Lou, posso tirar uma foto? Sr. Tomlinsom gostaria de alguma coisa. E eu amo meus fãs e minha carreira, mas as vezes tudo o que eu quero é alguém pra ficar bebendo num bar enquanto uma banda cover toca.
– Calma, eu realmente tô certa, então? Eu não tô louca? – Louis riu da mulher a sua frente.
– Não, nem um pouco! Meu nome é Louis, mas eu não menti, porque meu segundo nome é William. Sou ex-membro de uma boyband mundialmente conhecida, tô lançando o meu primeiro álbum solo, estive fazendo alguns shows e promovendo meu álbum nos Estados Unidos nessa ultima semana. E ter te encontrado aquele dia no pub me ajudou a lembrar das coisas simples que a fama pode atrapalhar as vezes. Assim, se você não quiser mais falar comigo, tá tudo certo, apesar de ter gostado muito da sua companhia.
– Eu acho que eu preciso de um tempo para pensar um pouco sobre isso tudo, porque isso é uma doidera. Eu já estava achando a vida muito louca porque alguns dias eu estava sozinha e me lamentando para as minhas amigas, aí de repente eu sai com um desconhecido que eu conheci num pub e agora descubro que esse desconhecido é um cantor mundialmente famoso. Eu não acredito que a estava certa.
– Você pode ter todo o tempo que quiser. Mas quem é ?
– Ela é minha melhor amiga, quando eu vi a propaganda eu liguei para ela pra falar que eu estava ficando louca. Por isso que eu achei teu rosto familiar, mas não te conhecia, quando a gente era mais nova, ela tinha vários posters da sua banda grudados na parede, mas eu nunca prestei muita atenção, porque nunca fui de ouvir muito pop.
– Entendi. O quão fã essa sua amiga é?
– MUITO! Não posso nem lembrar das loucuras que ela já fez por causa de vocês, de verdade!
– Ela iria pirar muito se você mandasse uma foto nossa agora?
– William, quer dizer, Louis, nem sei como te chamar mais, mas assim, você não tem ideia! Ela com certeza iria dar um jeito de aparecer aqui tipo agora.
– Pode me chamar do jeito que você quiser! E por que a gente tá esperando ainda?
– Garoto, você tá é brincando com fogo e não faz ideia.
Não adiantou falar mais nada, quando viu, Louis já tinha pego seu celular e estava tirando algumas selfies, pedindo, logo em seguida, para que ela abrisse a conversa com sua amiga.

Oi, Em!
Olha o gatinho que eu encontrei hoje

Em 👯
É O QUE?

COMO ASSIM?
EU NÃO ACREDITO
MULHER ME RESPONDE LOGO
EU TO SURTANDO
Nem e nem Louis conseguiram responder, pois ligou pelo FaceTime rapidamente, não deixando, novamente, que nenhum dos dois falassem algo e já falando várias coisas muito rápido.
– hey, love. – Louis disse educadamente e rindo.
AI MEU DEUS,ELE ME CHAMOU DE LOVE.OI LOUIS
se acalma, senão eu vou desligar!
Você não ousaria – A mulher semicerrou os olhos do outro lado da tela.
– Você sabe que eu ousaria sim, então se comporta mulher!
– Tá tudo bem, – Louis nem percebeu que chamou a mulher, pela primeira vez, por seu apelido. – Você tinha me dito que ela era uma grande fã.
– É uma grande fã, mas não precisa ficar gritando!
Hey! Eu não sou uma grande fã! – Fez suspense – Eu sou a MAIOR fã que a one Direction já viu. E, puta merda, eu estou falando com Louis Tomlinson, com o Tommo. Meu coração não aguenta.
Conversaram pelo telefone por alguns minutos, até dizer que precisava desligar para trabalhar e fazer prometer que a levaria para conhecer o rapaz que estava em seu lado.
Logo depois de encerrada a ligação, a mulher disse que precisava ir embora, pois tinha algumas pendencias de seu trabalho que precisava finalizá-las ainda naquele dia. Se despediram com um abraço e com a promessa de que se veriam novamente antes das festas de fim de ano.
– Vê se não some, cantor. – disse e finalizando com um sorriso que deixou Louis com o coração aliviado ao perceber que eles poderiam ser amigos, mesmo com realidades diferentes.

Louis estava aproveitando o pouco tempo que tinha em Londres antes de viajar para Doncaster, onde passaria o natal com sua família e depois voltaria para divulgar seu novo álbum, teria entrevistas em rádios, programas de tv, uma turnê mundial, para a qual estava mais do que animado. Louis, definitivamente, se sentia bem no que fazia e sentia falta de viajar pelo mundo vendo seus fãs.
Todos os presentes já estavam comprados, desde dos seus avós até os dos gêmeos. Mas Louis achava que sua família merecia mais do que apenas alguns presentes, ele ficou tão ausente neste final de ano e ficaria ainda mais nos próximos meses, só voltaria de vez para a Inglaterra depois de julho. Por isso, ele decidiu que iria desmarcar qualquer tipo de compromisso com seus amigos e dirigiria o mais rápido para sua cidade natal, com sorte, conseguiria chegar a tempo de ver seus irmãos tirando a clássica foto de Natal, e quem sabe dessa vez pudesse participar.
Colocou todos os presentes no carro, assim como sua pequena mala de roupas. Avisou seu empresário que estava indo para casa e mandou uma mensagem para falando da sua ideia louca de ir pra Doncaster sem avisar ninguém, pois queria fazer uma surpresa para todos. Não esperou uma resposta da mulher para dirigir em direção a sua cidade natal, estava muito ansioso.
Sempre ficava muito ansioso quando se tratava de ver sua família, mas dessa vez ele sabia que tinha algo a mais. Desde que sua mãe faleceu, as reuniões de família nunca mais foram as mesmas, e esse ano seria ainda mais difícil com a perda de Fizzy, sua irmãzinha querida. Louis sabia que era isso que estava o deixando ansioso e com uma vontade gigante de ir para casa.

Quase quatro horas depois, parou em frente da casa de seus avós e desceu do carro. Pensou se deveria só entrar na casa ou se deveria tocar a campainha para surpreender todo mundo e foi isso que fez. Estava com um sorriso gigante em seu rosto quando abriram a porta e uma Charlotte com cara de sono apareceu.
– Louis? O que você tá fazendo aqui? – Ela perguntou assustada.
– É bom te ver também, irmãzinha. – Ele ignorou o que ela disse e a puxou para um abraço apertado.
Mal teve tempo de entrar em casa e as gêmeas Daisy e Phoebe já estavam o sufocando em um abraço, enquanto seus avós olhavam para ele surpreso e não acreditando que ele estava ali. Ao reparar que todos os seus irmãos estavam vestidos com o mesmo pijama soltou:
– Eu não acredito que perdi a foto de natal de novo. – Disse chateado, mas com um sorriso no rosto, pois realmente estava feliz de estar lá com todos.
– Pois é, quem mandou ser um cantor mundialmente famoso e que está prestes a lançar seu primeiro CD solo. – Phoebe falou brincando e abraçando seu irmão mais velho pela cintura.
– Lou, querido! Que bom que conseguiu chegar mais cedo.
– Vovó, eu não perderia por nada isso aqui. Já estava morrendo de saudades de vocês.

Louis estava sentado na sala junto de todos da sua família, como tinha sentido falta disso. Estava ouvindo uma das tantas histórias de seu avô, quando seu celular apitou, indicando uma nova mensagem.

 


Que bom que você decidiu ir hoje!
Boa viagem, Lou!
Aproveite bastante
Chegou?
Manda notícias palhaço

 

Ele riu ao ver a preocupação de sua amiga e mais ainda ao vê-la lhe chamando de palhaço. Se conheciam fazia menos de um mês, mas tinham criado uma grade intimidade, sempre que possível, zoava o cantor, enquanto ele fingia ficar irritado com as brincadeiras e falava que ela se parecia com a sua irmã.

 


Louis
Voce tá online
Me responde, idiota!

Desculpa, !
Cheguei bem
Fiz uma boa viagem sim
Desculpa a demora
Minhas irmãs não me deram um tempo de sossego
Quando você viaja para Manchester?

 

Estava esperando a mulher lhe responder, quando percebeu Lottie espiando seu celular.
– Quem é? Nova namorada?
– O que? Garota quem deixou você ficar bisbilhotando minhas conversas?
– Ih, tá desviando do assunto, então deve ser. Qual o nome dela?
– Não é minha namorada, você sabe muito bem que eu estou solteiro desde que eu e a Els terminamos. Ela é só uma amiga minha que você não irá conhecer!
– Ué? Por quê? Desde quando você virou um chato?
– Porque já me basta você se juntando ao Niall, à Els e à Lou pra me encherem o saco. Preciso de uma amizade que me traga paz, diferente de vocês. – Disse enquanto se levantava e seguia em direção a cozinha para ver o que sua avó estava fazendo para o jantar.
– Ai Louis! Me aguarde! Irei descobrir com quem você está conversando, e vou contar tudo no grupo.


Louis/Will
Quando você viaja para Manchester?
Se uma garota chamada Charlotte Tomlinson te seguir no instagram ou te mandar mensagem, ignora
É minha irmã chata que não me deixa em paz.

 

Ao ler as últimas mensagens, morreu de rir. Era engraçado ver ele falando daquele jeito sobre suas irmãs estando perto delas, sendo que quando eles conversaram no café, ele disse que sentia muita falta delas, principalmente de Lottie, que era sua fiel escudeira.

Vou pegar o trem hoje a noite
Consegui dispensa no trabalho
Que honra!
O cantor mundialmente famoso tem falado de mim para a própria família
Acho que eu deveria procurar o instagram da sua irmã
E conversar com ela

 

Se falassem para há um mês que ela estaria nas vésperas das festas de fim de ano trocando mensagens com um cantor famoso, ela nunca acreditaria. Não só não acreditaria com também iria rir na cara de quem falasse isso, já que ela não liga pra cantores famosos… ela gosta das suas bandas alternativas que tocam em festivais
Deixou um pouco de lado a conversa com Louis, deixando que ele surtasse sozinho, e foi terminar de arrumar suas malas. Viajaria naquela noite e só voltaria depois do ano novo para sua casa, precisava pensar em todas as roupas que iria precisar, pois não tinha mais nada que lhe servisse na casa de seus pais.
estava feliz de ter conseguido a dispensa no trabalho, fazia tempo que não ficava com sua família por um longo período e com certeza aquilo iria lhe fazer bem. Precisava desse tempo para pensar sobre o que ela queria do próximo ano e como tinha sido esse 2019. Uma montanha-russa, poderia dizer.
Estava fechando a mala quando seu celular começou a vibrar desesperado na cama. Pegou e deu de cara com uma vídeo-chamada de Louis. Primeiro ela estranhou, mas depois atendeu.
– Oi Lou… Espera, você não é o Louis. – Começou a dizer até perceber que do outro lado estava uma mulher loira.
Então você é a famosa , a amiga que o Louis não me deixa conhecer. – A mulher do outro lado falou sorrindo. – Louis escolheu muito bem dessa vez, não posso esquecer de dar os parabéns.
– Charlotte? – reconheceu a irmã de Louis, na verdade esperava que tivesse acertado o nome.
Eu mesma! Desculpa te ligar assim, é que o chato do meu irmão ficou fazendo mistério sobre você e aí eu aproveitei que a vovó pediu ajuda para ele e ele finalmente desgrudou do celular pra saber quem você era.
gargalhou ao ouvir que Charlotte tinha roubado o celular de Louis. Não acreditando naquilo, decidiu confirmar com a mulher.
– Você realmente roubou o celular dele?
É claro! Louis não esconde nada de mim. ¬– Charlotte ia continuar falando, mas fora interrompida por seu irmão.
Lottie, você viu meu celular? Com quem você tá falando? – Ao perceber que o celular que estava na mão de sua irmã era o seu e que do outro lado da tela encontrava-se uma com um sorriso divertido no rosto, Louis correu até Lottie. – Eu não acredito que você roubou meu celular! Oi, .
– Oi, William. – Disse brincando.
Eu disse que eu ia descobrir com quem você estava conversando, irmãozinho. William, huh?
– Longa história, Lottie. – disse frisando o apelido para mostrar para o rapaz que elas já estavam bem íntimas. – Viu só, Lou, nem precisei procurar sua irmã no instagram, ela mesma me achou bem rápida.
Eu não acredito nisso!
– Por mais que eu queira muito continuar o papo, tenho um trem para pegar daqui uma hora. A gente conversa outra hora, pode ser, Lottie? Lou, depois passa meu número para sua irmã.
Claro, ! E a gente aproveita e marca algo para nos conhecermos! – Charlotte disse animada, não havia conversado muito com a mulher, mas tinha certeza que ela era uma boa pessoa e tinha um pressentimento de que ela e Louis deixariam de ser apenas amigos em pouco tempo.
– Faça uma boa viagem, . Me avisa quando você chegar, ok? E vou pensar se vou passar seu número.
– Vai pensar coisa nenhuma, já falei pra passar. – Disse autoritária, mas depois mudou o tom de voz. – Aviso sim, não se preocupa, Will.
Louis sorriu ao vê-la lhe chamando de Will, ato que não passou despercebido por Charlotte, o que fez com que seu pressentimento ficasse ainda mais forte.

Aproximadamente 4 horas depois, estava desembarcando na estação Manchester Piccadilly, sendo recepcionada por seus pais. Correu até eles, sendo recebida com um abraço caloroso dos mais velhos. Por Deus, como ela conseguia viver sem aquele abraço por tanto tempo?
Estava próximo das 10 da noite quando chegaram na casa da família, mas isso não era motivo para não celebrar a visita da filha e para saberem de qualquer detalhe da vida dela.
– E o que você tem feito? Além de trabalhar feito uma louca – Samantha, mãe de , perguntou.
– Ah, mãe, o de sempre. Saído com e também com Jessica e Barbara. Outro dia descobri um pub muito legal que quase sempre tem shows covers. – Terminou com um sorriso no rosto, lembrando-se de seu novo amigo e do dia em que o conheceu.
– E esse sorrisinho aí? – Paul perguntou sacaneando a filha.
– Que sorrisinho? Não tem sorrisinho nenhum, pai! – Disse fechando a cara instantaneamente.
Sei… – Enquanto seus pais lhe enchiam com piadinhas sobre o seu suposto sorrisinho, lembrou-se que tinha prometido a Louis que avisaria quando chegasse em casa, por isso sacou seu celular do bolso e enviou uma mensagem: “Hey, Lou. Já estou em casa, conversamos amanhã” – Mandando mensagem pra quem, hein ? Você deveria estar dando total atenção ao seus pais carentes. – Paul disse brincando com a filha.
estava feliz, na verdade ela estava radiante. Como tinha sentido falta de seus pais e estava para responder a brincadeira de seu pai quando uma bola de pelo chegou pulando em seu colo.
– MILLE! – Disse acariciando a cachorra que estava em cima de si. – Ai meu deus que saudades de você, bolotinha! – disse abraçando o bichinho e voltando a atenção para seus pais. – Relaxa, pai. Só estava avisando um amigo que eu havia chego bem em casa. Mas agora a minha atenção é total de vocês e da Mille, claro.
-Amigo? Alguém que nós já conhecemos? Ou um carinha novo na sua vida? – Deu uma de ciumento.
– Paul, deixe sua filha em paz! – Disse ralhando com o marido. – , Lauren pediu para avisar que passará aqui amanhã de manhã para vocês passarem o dia juntas.
Lauren era uma das primas de . Quando a designer ainda morava em Machester, elas eram inseparáveis, mesmo que Lauren fosse 8 anos mais nova. Tratavam-se como irmãs, sendo uma a irmã que a outra nunca teve.

O dia 21 de dezembro tinha amanhecido todo branco, tinha certeza que nevaria no Natal, e ela simplesmente amava isso. Ela era uma dessas pessoas completamente apaixonada pelo Natal, tinha o espirito natalino muito forte dentro de si.
Lauren tinha passado em sua casa bem cedo, como sua mãe tinha avisado. As duas tomaram um café da manhã caprichado (com todas as coisas favoritas de , inclusive panquecas de blueberry) e logo saíram para andar pela cidade. Fazia tanto tempo que não tinha tempo suficiente para ficar passeando por sua cidade natal, sempre que voltava era apenas um fim de semana, não tinha tempo suficiente nem para rever toda a sua família, quem diria passear pela cidade.
Tinham parado em uma livraria porque Lauren queria comprar a trilogia de Para Todos os Garotos, segundo a mesma precisava ler logo antes que a sequência estreasse na Netflix.
estava dando uma olhada nos livros quando um específico chamou sua atenção, falava sobre os Beatles e ela tinha certeza absoluta que Louis ia adorar.

Era noite do dia 22, estava deitada em sua cama, enquanto Lauren estava sentada na cadeira que ficava na frente da escrivaninha que a designer usava quando mais nova para estudar.
Estavam conversando sobre como estava a vida da prima mais nova, sobre qual universidade queria cursar e qual o curso que ela achava que seria o ideal. prestava atenção a tudo o que Lauren falava, até sua atenção ser direcionada ao celular que tinha acabado de vibrar.

Louis/Will
Oi
Como foi seu dia?
Lottie tá me enchendo o saco pra fazer outra chamada de vídeo de novo

Oi Lou,
Foi tudo bem, meio cansativo…
Lauren vai dormir aqui hoje
#GirlsNight
E o seu?
Eu já disse que vocês podem me ligar quando quiserem

Louis/Will
Foi ótimo!
Os gêmeos não me deixam em paz
Mas eu amo tanto passar esse tempo com eles
Eu não quero atrapalhar você e sua prima

– Lau, você não se importa de eu ligar pro Louis, né? Ele disse que a Lottie tá querendo falar comigo.
– Então é por isso que você estava com esse sorrisinho bobo, bem que imaginei. – Disse tirando sarro da cara de , nem deixou que ela respondesse e emendou outra frase. – Claro que não. Vai ser o ponto alto da minha adolescência: conversar com o cantor da banda que eu era apaixonada.
Lauren, diferente de , não era fiel as bandas, estava sempre mudando de gostos e se tornando fã de bandas diversas. O amor por One Direction durou exatamente três anos.
nem rebateu o que sua prima disse, apenas esperou que ela se ajeitasse do seu lado na cama e ligou para Louis, esperando que ele atendesse.
Eu não acredito que você ligou mesmo. Você não pode ficar fazendo todas as vontades dela, ! – Louis disse assim que atendeu.
– Oi pra você também, William Tomlinson. A educação ficou em Londres? – Não esperou que ele respondesse e apresentou sua prima. – Essa é Lauren, minha prima.
– Oi Louis, é um prazer te conhecer! – Disse animada.
Prazer Lauren. Sua prima é sempre chata assim? – Disse brincando e depois gritou para a irmã. – CHARLOTTE!
– Eu não acredito que você ficou pesando no seu irmão pra falar comigo e nem do lado dele você estava, Charlotte. – ralhou, mas depois riu.
AH NÃO! Você é um Louis dois. Eu acreditei mesmo que você fosse mais legal que o chato do meu irmão, .
– HEY! – Os dois soltaram indignados.
Oi, você deve ser a Laure, prima dessa mulher chata. – Disse Charlotte.
– E você com certeza é a famosa Lottie!
As duas continuaram zoando os dois que fecharam a cara, e viraram de lado, como um sinal claro de que não queriam mais participar da conversa. Até Louis ter a brilhante ideia de começar a ignorar sua irmã e puxar assunto com .
– Então, . Já que as duas querem ficar nos zoando e nos ignorando, me diz, o que você vai fazer durante a virada de ano novo?
– Provavelmente ficarei em casa com meus pais. Demorei muito para me decidir, e com isso meus amigos daqui combinaram de viajar antes que eu pudesse pensar em algo.
¬– Quer passar junto comigo? Quer dizer, eu e uns amigos vamos numa festa em Las Vegas.
– Vegas? Bom, não tenho nada melhor pra fazer, então, claro, pode ser!
Ao prestarem atenção na conversa dos dois, Lottie e Lauren ficaram quietas.
Olha, , as duas matracas calaram a boca.
– Conseguimos um milagre, Lou!
Ah, calem a boca vocês dois! – Lottie disse.
– Você queria falar comigo pra me ignorar e me xingar?
Os quatro ficaram conversando por um tempo, diversos assuntos apareceram, mas principalmente o que fariam no natal, discutindo quais as tradições familiares tinham em comum ou não. Por exemplo, nos Tomlinson’s apenas era permitido abrir os presentes que não fossem do papai Noel no dia 26, respeitando o Boxing Day, enquanto que nos ’s todos os presentes eram abertos na véspera do Natal, enquanto ceavam.
Ao desligarem, Lauren questionou sua prima:
– Você decidiu o que vai dar de presente pelo aniversário do Lou?
– Aniversário? – Perguntou perdida.
– Eu não acredito que você não sabe que ele faz aniversário dia 24!
– Ele não me contou! E eu mal sabia quem ele era antes de conhecer, não é como se fosse minha culpa.
Conversaram sobre o assunto, mas logo encerraram para dormir.


Louis estava sentado no sofá da sala, mexendo em seu twitter e respondendo alguns fãs, coisa que amava fazer, quando Lottie, Daisy e Phoebe chegaram e sentaram perto dele.
– Ih, já sei que aí vem coisa. Digam. – Colocou o celular de lado e esperou que elas começassem a falar.
– Como você conheceu a ? – Daisy perguntou direta.
– Que? Como você sabe da ? – Perguntou estranhando. – Lottie…
– Não foi eu, elas descobriram sozinhas!
– Verdade, Phoebe passou ontem no seu quarto e ouviu uma parte da conversa, achou que fosse a Els, mas depois ouviu um outro nome.
– Aí a gente perguntou pra Dot Dot, e estamos aqui agora. – As três se completaram e ao final na frase de Phoebe, elas sorriram.
– Eu não acredito nisso. AH! Ok. – Respirou fundo e começou a contar. – Eu já a seguia no meu instagram privado, não me pergunte porquê. Aí um dia ela postou que estava num pub sozinha assistindo um cover de Arctic Monkeys, e aí eu perguntei qual pub, porque eu estava de saco cheio de ter que fazer tudo o que estavam me mandando. A gente se divertiu bastante, na hora de ir embora, eu peguei o número dela e a gente teria se beijado se o imbecil do Simon não tivesse ligado e atrapalhado tudo.
– EU NÃO ACREDITO QUE VOCÊS QUASE SE BEIJARAM! EU SABIA QUE TINHA ALGO AÍ!!! – Charlotte disse animada.
– Não tem nada, foi a única vez que isso aconteceu.
– Tá, tá. Mas ela não te reconheceu? Porque isso é meio impossível né. – Daisy questionou.
– Agora faz muito mais sentido ela te chamar de William. – Lottie comentou.
– Não. E depois eu entendi o porquê. Ela nunca foi ligada a música pop ou mainstream, ela gosta mais de música alternativa e indie. Então na hora ela nem percebeu quem eu era e acho que nunca perceberia, porque ela também me seguia no instagram. Porém, ela viu uma propaganda de Walls na tevê e ficou desconfiada.
– Louis, para de fazer suspense e conta tudo logo. – Phoebe apressou o irmão.
– E aí que por coincidência eu liguei pra ela logo depois de ela ter visto o comercial, ela começou a perguntar do meu trabalho e tals, acabei me esquivando das respostas, mas combinamos de nos encontrarmos na segunda logo depois que eu cheguei dos Estados Unidos. Foi aí que ela me questionou e disse que uma amiga dela ia pirar se ela confirmasse que as suspeitas dela estavam corretas.
– Esse sorrisinho não engana a gente, Lou. Você a convidou não na intenção de tê-la só como amiga, não é mesmo?
– Pra ser sincero? Eu não sei. Quer dizer, eu acho que eu fiquei encantado pela sensação de não ser tratado como uma super estrela por alguém. Ela me tratou como William, um cara de 27 anos que ela conheceu num pub, e mesmo depois de ela ter descoberto e eu confirmado, ela continuou me tratando da mesma maneira. Eu sinto falta disso!
– Aah, você fica tão fofo todo apaixonadinho. – Lottie disse.
As três irmãs se aproximaram de Louis e o abraçaram. Elas sabiam o que ele sentia e ficava triste por ele não poder ter um relacionamento sincero desde Eleanor, pois todo mundo que se aproximava queria alguma vantagem, ou então tirar uma casquinha de Louis Tomlinson, ex-One Direction.
Por isso, sabiam da importância que poderia ter na vida do irmão, elas só esperavam que a mulher não estivesse fingindo tudo, mas Charlotte tinha certeza que não, ela podia apostar sua vida de que era a mulher da vida de seu irmão.


estava deitada em sua cama, esperando o relógio virar para meia noite, queria surpreender Louis, não sabia o porquê, só que queria. Faltavam cinco minutos e ela estava ansiosa, passou o dia sem responde-lo e se esquivou de todas as perguntas que Lottie lhe mandou.
Faltava um minuto e já estava com o celular na mão, pronta para apertar o botão ligar. Assim que o relógio apontou 00:00, apertou o botão e esperou que Louis atendesse a vídeo-chamada.
? – Disse meio sonolento.
– Parabéns Louis!!!! – Falou animada. – Ai, desculpa. Você tava dormindo né.
Muito obrigado! Não se preocupa, gostei da surpresa. – disse enquanto se ajeitava na cama. – Mas como você soube?
– Você pode não ter me contado, mas Lauren já foi fã de One Direction… Ela acabou me contando.
Desculpa, não foi por mal. Não estou acostumado com as pessoas não saberem tudo sobre mim. – Disse meio sem jeito.
– Olha, se quiser, posso pedir pra fazer um dossiê Louis Tomlinson e resolvemos esse problema. Mas eu, particularmente, prefiro saber sobre você por você mesmo.
Então, vamos jogar um jogo! Me pergunta qualquer coisa que você queira saber, que eu te conto.
– Tudo bem. – Ela disse e sorriu. Depois fez uma pose pensativa e perguntou: – Hummm… qual sua cor favorita?
Não sei… Laranja?
– Isso foi uma pergunta? – Ela rebateu rindo.
– Mais ou menos. Mas acho que é laranja mesmo. E a sua?
– Preto. – Respondeu prontamente. – Tudo fica mais bonito em preto. Um momento memorável?
Essa é fácil! Minha apresentação no The X Factor, apesar de hoje eu achar que aquilo foi um desastre!
– Ah meu Deus! Eu PRECISO ver isso! Me mostra Louis???
Eu não! Não quero passar essa vergonha, se você quiser ver, procura no YouTube, eu não vou te mostrar.
– Af você é um chato! – Disse fazendo um bico enquanto disfarçava a risada.
Minha vez de te perguntar: o que você está sentindo nesse exato momento?
– Paz! – Ela respondeu depois de pensar um pouco.
Era isso, ela se sentia em paz quando conversava com Louis, quando estava na presença dele. Fazia tempo que não sentia esse tipo de quietude na companhia de alguém. sentia que Louis não era um amigo para ela.
Passaram duas horas conversando, até a mulher dizer que precisava desligar, pois teria que acordar cedo no outro dia para ajudar sua mãe com a preparação da ceia natalina. Desejou felicidades para o rapaz e desligou.
Antes de cair no sono, repassou toda a conversa com Lou, ela definitivamente estava feliz e ansiosa para encontrá-lo novamente.

Era 27 de dezembro, tinha acabado de voltar de Manchester e estava arrumando sua mala para a próxima viagem. Louis disse que passaria para busca-la em duas horas e ela nem ao menos fazia ideia de que roupa levar. Segundo o rapaz, eles passariam a virada em um cassino, somente com alguns amigos, o que significava que não precisaria ir muito chique.
começou a fazer as contas de quantos dias passariam e o que seria essencial para ela: chegariam na Califórnia pela manhã e voltariam para a Inglaterra no dia 2 de janeiro bem cedinho. Com esse pensamento, colocou dois moletons, três pares de roupas para sair, uma bota com salto, seu inseparável pijama de flanela e seus itens de higiene pessoal.
Havia acabado de fechar a mala quando recebeu uma mensagem do cantor dizendo: espero que esteja pronta, chego em cinco minutos).

– Preparada para passar as próximas 14 horas do meu lado? – Disse assim que trancou a porta de sua casa.
– Não começa, porque acho que irei me arrepender se eu pensar que passarei isso tudo de tempo com você, trancada num avião. – Disse caminhando até ele e o cumprimentando com um abraço.
– Quem vê você falando assim nem imagina que você tava toda ansiosa ontem falando em como queria que essa viagem chegasse. – Ele brincou enquanto colocava a mala dela no porta-malas.
– Ah, cala boca, idiota. E vamos logo, preciso comprar algo pra comer no aeroporto. Já que eu não jantei.
– Tudo bem apressada.
Louis dirigiu tranquilamente para o aeroporto, àquela hora da noite o trânsito estava tranquilo e logo eles chegaram. Foram despachar as malas e pararam em um restaurante que tinha ali para que a mulher pudesse se alimentar direito.
– Então, qual a programação dos próximos dias?
– Primeiro a gente vai pra Califórnia, ficaremos lá até o dia 31, aí a gente voa pra Vegas e depois voltamos para nossa amada Inglaterra.
– O que? Só isso que você vai me contar, Tomlinson? Eu quero detalhes, o itinerário completo.
– Isso será uma surpresa!
Começaram uma conversa sobre como havia sido o natal de cada um. Louis contou que amou passar esse tempo com seus irmãos e comentou que estava se sentindo muito velho por dois motivos: os gêmeos estavam crescendo rápido demais; e a longa conversa que teve com Daisy e Phoebe sobre elas irem para a universidade.
– Mas não tem nada que elas queiram fazer?
– Elas falam que não, que querem investir junto da Lottie na empresa de creme bronzeador e na marca que elas ajudaram a construir homenageando a Fizzy. Só que eu acho muito importante elas fazerem algum curso, quer dizer, diploma não é tudo, mas se você tem um, sua vida pode ser um pouco mais fácil.
– Eu entendo sua preocupação e realmente essas coisas são bem complicadas. Mas pensando um pouco sobre isso, acho que você podia tentar uma abordagem diferente, falar pra elas fazerem faculdade de moda, bioquímica, até mesmo administração. Mostrar pra elas cursos que são relacionados a essas áreas que elas gostam e já tem familiaridade.
Watson, você é uma gênia! Onde você esteve todo esse tempo?
– Me escondendo em pubs que tocam cover de Arctic Monkeys. – Disse sorrindo.
Assim que Louis finalizou sobre o seu natal e aniversario, os dois caminharam em direção ao portão de embarque e começou a contar sobre a sua última semana e como seus pais a mimaram com tudo o que ela tinha direito, desde café na cama no dia do Natal até com as suas comidas favoritas.
– Minha mãe fala que ela precisa fazer essas coisas pra tentar me convencer a voltar mais vezes pra Manchester. E aí meu pai entra no assunto falando que eu deveria adotar a prática de home office e voltar a morar com eles. – Disse enquanto embarcavam no avião e iam atrás de seus lugares.
– Eu entendo. O Natal era a época favorita da minha mãe, porque depois que eu entrei na One Direction eu mal parava em casa, tirando as férias, e mesmo assim, as vezes era complicado porque marcavam entrevistas de última hora, e aí logo depois a Fizzy saiu de casa, então nessa época ela falava que estava com todos os filhotes por perto e que queria que isso acontecesse mais vezes.
– E como você se sente com isso tudo?
– Era estranho no começo ir pra Donny e não ter minha mãe por perto, aliás não só em Doncaster, mas é em tudo. Ela sempre me mandava bom dia quando acordava, estava sempre querendo saber como eu estava, se eu estava me alimentando direito e não bebendo muito quando saia. Eu era literalmente o filhinho da mamãe e eu me orgulhava disso, aliás, me orgulho. E depois veio a Fizzy, nós realmente éramos grudados, mais do que eu e a Lottie, e o jeito que tudo aconteceu, eu não sei, ela não merecia ter tido toda a atenção que a mídia deu. Eu sei que as duas estão juntas e olhando por nós aqui e que elas realmente se tornaram nossos anjos da guarda, mas eu sinto muita falta.
sabia como era perder quem ela amava, sua avó havia falecido há um ano devido a um AVC. Assim, sentindo a dor de Louis, o abraçou fortemente, fazendo um carinho em seu cabelo. Abraço esse que foi correspondido forte e prontamente por Louis, ele não sabia como sentia falta de um abraço acolhedor até estar dentro de um.


Horas se passaram dentro do avião, eles dormiram, conversaram sobre aleatoriedades e ainda tiveram tempo para assistir um filme qualquer. Estavam desembarcando do avião quando Louis falou:
– Recomendo colocar seu capuz e esses óculos, infelizmente os paparazzis sempre fazem plantão aqui em LAX a espera de alguém conhecido. – Ele entregou os óculos para a mulher e continuou. – E já peço desculpas se algo acontecer, infelizmente esse é o lado ruim dessa vida.
– Lou, relaxa! Você não precisa pedir desculpas, e se eu estou aqui é porque eu sei de todas as consequências e eu topei. Minha prima e minha amiga me avisaram sobre como os paparazzis caem em cima de vocês e por mim está tudo bem.
– Você é a melhor!
Caminharam lado a lado, cada um levado sua mala, até a saída principal, onde um carro já estava esperando por eles.
– Bom dia, menino Louis!
– Bom dia, Jake, desculpa por atrapalhar suas férias.
– Você sabe que nunca atrapalha. E você deve ser a famosa ! – Jake disse olhando para a mulher parada ao lado.
– Oi! Famosa eu não sei, mas definitivamente me chamo . – Disse sorrindo.
, esse é o Jake, o melhor segurança e um motorista relativamente bom. Ele vai nos acompanhar durante nossos dias em terras estadunidenses.
– Oh, Jake, eu sinto muito por ter que aguentar tanto esse ser que está ao meu lado.
– Você não faz ideia, menina! – Louis respondeu silenciosamente com um rolar de olhos. – Gostei dela, Tommo!
Os três entraram no carro após guardarem as malas e seguiram em direção a casa em que Louis ficava quando ia para a cidade. Ele costumava dizer que era a casa de sua equipe, que todos podia desfrutar dela quando precisasse.
– Eu espero que você esteja preparada para surpresas, pois teremos uma logo após o almoço. – Louis disse como quem não quer nada.
– Surpresa? Louis, não! Eu sou curiosa, não gosto de surpresas. Me conta!
– E estragar a melhor surpresa? Nem fodendo, . Fala aí Jake, essa não é a melhor surpresa?
– Definitivamente, menino! É impossível não gostar dessa surpresa que a senhorita irá receber!
passou o caminho inteiro tentando convencer Louis a contar qual seria a surpresa que ela receberia. Não funcionou, então ela passou da fase de tentar convencê-lo para a fase de ignorá-lo o máximo possível.
– Seja bem vinda a casa da equipe Tomlinson, . – Louis disse assim que pararam em frente à casa.
– UAU! – Foi só o que ela conseguiu dizer.
– Se você está tendo essa reação com essa casa, você precisa ver a casa que do Niall e do Harry. Esses sim possuem uma casa uau.
– Sem comentários para o seu comentário, William.
O casal entrou e Louis já foi logo mostrando cada cômodo, desde a cozinha, sala de tv, de jantar até os quartos em que cada um ficaria.
– E, por fim, esse é o quarto que o Freddie fica quando eu estou aqui!
– Nossa, eu adoraria ter um quarto assim quando eu era criança! Olha aquela cabaninha que perfeita!
– É a minha parte favorita da casa. Vou te contar um segredo, as vezes eu fico aqui no quarto dele sozinho e brincando com alguns brinquedos dele. A cabana é a minha favorita.
Estavam falando sobre as coisas do quarto de Freddie, quando foram interrompidos.
– Senhor Tomlinson, o almoço está pronto, gostariam de comer agora?
– Beth, eu já falei para não me chamar de senhor Tomlinson. – Disse carinhoso. – E sim, vamos sim.
– Lou, por que você tá com empregados aqui? Eles não deveriam estar de férias, sei lá, aproveitando a família?
– Sim, e estão. Na verdade, pedi apenas para Jake nos acompanhar. Esse país pode ser louco quando quer. Mas como não teríamos tempo de fazer algo para almoçar e te conhecendo do jeito que eu te conheço, pedi para Beth vir e fazer algo para nós. Mas não se preocupe, logo, logo ela volta para a família dela.
Os dois se sentaram a mesa e olharam para a comida embasbacados, Beth havia cozinhando uma apetitosa lasanha e feito batatas fritas. Se nenhum dos dois estivesse com fome antes, agora eles definitivamente estavam.
– Filho, deixei a comida para o Freddie pronta para os próximos dias. Briana disse que trará ele às 2 da tarde.
– Espera, então essa é a surpresa? Eu vou conhecer o Freddie? – deu um sorriso maior que o próprio rosto.
– Perdão, Louis. Não sabia que era surpresa.
– Imagina, Beth! Eu mal te conheço, mas com certeza eu já te amo. Diferente do Louis, esse babaca que me escondeu isso! – falou interrompendo o rapaz.
– Era uma surpresa! – Disse em sua defesa. – Mas obrigada, Beth! Não sei o que eu faria sem você, já que a Briana está com essa nova dieta para ele.
Louis voltou seu olhar para , que mantinha um sorriso e um brilho no olhar enquanto comia a lasanha. Céus, ele estava se apaixonando cada vez mais pela mulher, e a reação dela ao saber que conheceria seu filho, foi a melhor possível. Ao perceber o que tinha acabado de passar em seu pensamento, Louis se assustou. Ele estava mesmo se apaixonando por ?


Louis tinha acabado de receber uma mensagem da mãe de seu filho avisando que chegariam em cinco minutos. Avisou , mas talvez não tivesse sido sua melhor escolha, pois a mulher não conseguia ficar parada e ele nunca a tinha visto daquele jeito.
O rapaz foi correndo abrir a porta da casa ao ouvir a campainha. Mal teve tempo de abrir quando a sua mini cópia surgiu correndo e o abraçando.
– Papai! – Quase quatro anos que Louis tinha aquele pestinha em sua vida e mesmo assim sempre se emocionava ao ouvir sendo chamado de papai.
– E aí pirralho? Como você está? – Perguntou enquanto agachava na frente do filho.
– Eu tô bem. Com saudades!
– Eu também tô com saudades. – Pegou o filho no colo e encarou a mulher parada do lado de fora. – Oi, Bri, tudo bem?
– Oi Lou, tudo bem e você?
– Também. Entra, fique à vontade.
– Outra hora, preciso ir porque tenho uma reunião em 20 minutos. Te vejo em 2 dias?
– Claro.
Briana se despediu do filho e de Louis e foi correndo até o carro que estava estacionado em frente da casa. ainda estava em quieta sentada no sofá. Não sabia o que falar. E se Freddie não gostasse dela?
Louis colocou o filho no chão e este logo percebeu a presença da mulher na sala. Freddie andou até ela e perguntou:
– Quem é você? A nova namorada do papai? – se assustou com a pergunta e Louis não conseguiu segurar a risada, seu filho era mesmo uma preciosidade.
– Oi, você é o Freddie né? – Ela perguntou depois de se recuperar. – Eu sou a , mas pode me chamar de tia , na verdade sou uma amiga do seu pai.
– Amiga tipo a tia Els? – Freddie perguntou para o pai que já estava sentado na poltrona ao lado.
– Mais ou menos, filho.
– Tia Els veio me ver.
– Sério? E vocês brincaram bastante?
– Não, porque ela precisava encontrar o Tio Ashton.
Louis percebendo que estava um pouco retraída, decidiu fazer com que o filho a chamasse para brincar em seu quarto.
– Sabe o que eu fiquei sabendo, Freddie? Que a tia adorou o seu quarto e ela mesma me disse que não via a hora de poder brincar com você com todos aqueles carrinhos?
– Sério, tia? – ele olhou com os olhinhos brilhantes. Freddie adorava ter gente para brincar com ele.
– Aham! O que você acha de a gente montar aquela pista e depois de brincar muito, assistirmos um filme dentro da sua cabana?

Os três passaram a tarde e o começo da noite no quarto de Freddie, brincando de diversas coisas e ainda colocaram um desenho para assistirem. Eram 7 da noite quando Louis decidiu que era hora de dar banho no filho, enquanto isso se dirigiu para a cozinha a fim de esquentar a comida da criança e preparar algo para que ela e Louis pudessem comer. Tomou liberdade para explorar toda a cozinha antes de decidir que cozinharia um macarrão com molho de queijo.
Estava terminando de colocar a mesa quando Louis apareceu na cozinha carregando o filho. Ambos acabados de sair do banho.
– Adivinha quem também teve que tomar banho porque uma certa pessoinha ficou jogando água? – Louis falou para a mulher, que ao se virar para eles deu de cara com um sorriso sapeca da cópia do homem.
– Quer dizer que temos um menino atentado aqui?
– Você não faz ideia! – Disse sorrindo. – , não precisava se preocupar com o jantar, a gente podia ter pedido qualquer coisa.
– Imagina, Lou. Além disso, não podemos desperdiçar toda essa comida que tem aqui. Eu só espero que tenha ficado bom.
Jantaram com Freddie fazendo palhaçadas, o garotinho queria porque queria ser o centro das atenções dos dois adultos que estavam ao seu lado e não parava até que recebesse os olhares do casal.
Assim que terminaram de comer, foi até o seu quarto para tomar um banho quente e relaxante, enquanto Louis lavava a louça e Freddie brincava quietinho no canto da cozinha.
– Papai, a gente pode ver desenho no seu quarto antes de dormir? E a tia também, ela é legal.
– Claro filho, que filme você quer ver?
– Meu malvado favorito!
– Tudo bem, vamos lá então! Papai já terminou as coisas aqui. Vamos chamar a tia ?
– Vamos! – A criança saiu correndo pela casa até o quarto em que estava hospedada. A mulher estava sentada em sua cama de pijama, mexendo no celular, quando ouviu algumas batidas na porta.
– Ah, oi Freddie. – Disse assim que abriu a porta e se deparou com o pequeno.
– Tia, quer assistir filme comigo e com o papai?
– Claro. Que filme vamos assistir? – Disse enquanto seguia o menino.
– Meu malvado favorito! Eu amo esse desenho!
– Ah é? E eu posso fazer igual a Agnes e apertar você? – Ela disse quando pegou ele no colo e imitou a menina do desenho, deixando um monte de beijo e logo começando uma sessão de cócegas quando chegou ao quarto de Louis e o jogou na cama.
– AH PARA! PARA! – Freddie não sabia se gritava para parar ou se continuava rindo escandalosamente.
– Tô vendo que já começaram a se divertir antes de eu chegar! – Louis entrou no quarto e disse para os dois. Antes ele tinha se encostado no batente da porta e apreciou a visão de sua amiga brincando com seu filho.
– A tia ficou fazendo cócega, papai! E ela disse que vai me apertar igual a Agnes.
– Ah é? – A criança balançou a cabeça concordando. – E se a gente fazer um monte de cócegas na tia agora.
– Louis William, nem pense nisso! – disse se afastando.
– Agora, Freddie! – Os dois correram até a mulher e a atacaram com várias cócegas. se contorcia e ria alto, fazendo com que Louis e Freddie rissem também.
– AH, CHEGA!! – Ela gritou. – Vamos ver o filme antes que fique tarde pra esse rapazinho dormir.
Os três se ajeitaram na cama, ainda meio tímida por ter de deitar na cama de Louis, mas logo Freddie apoiou a cabeça em sua barriga, o que fez com que ela relaxasse.
Enquanto Louis colocava o filme para começar, pensava em como sua vida tinha mudado em alguns meses, e como ela gostava muito mais dessa sua nova vida, tendo Louis nela e, agora, Freddie. Ela não trocaria esse momento por nada, estava feliz.
Freddie estava deitado com a cabeça na barriga de , uma mãozinha segurando a mamadeira e a outra o pé que estava apoiado no joelho. Tanto Louis quanto olharam para ele com carinho.
– Ele é a sua cópia, Lou. – sussurrou.
– Às vezes eu fico assustado de como a gente se parece, tanto fisicamente quanto com a personalidade e as atitudes. Minha mãe falava que eu fazia essa mesma pose pra mamar.
Louis tinha combinado com o filho de que assim que ele terminasse a mamadeira, iriam escovar os dentes e depois voltariam para o filme. Por isso o filme foi pausado logo no começo, quando Agnes, Margo e Edith passam na casa do Gru para vender biscoitos. De dentes escovados, os três voltaram a se acomodar da cama e mais vinte minutos de filme foi o suficiente para que não só Freddie, mas também dormissem, o que fez com que Louis soltasse um tímido sorriso ao reparar na cena.
Ele logo desligou o filme e se ajeitou para também dormir. O dia havia sido longo e tudo o que ele precisava era de uma boa noite de sono pois o dia seguinte seria ainda mais longo, tendo Freddie ali com eles o dia inteiro.


O dia amanheceu com Freddie pulando na cama para acordar o casal. No começo só se ouvia os resmungos de Louis pedindo para o filho parar, ainda estava confusa de onde estava e o que estava acontecendo.
– Tia ! Tia ! Vamos brincar!!! – Freddie disse chamando a mulher. Louis ao ver que ela ainda estava mais dormindo do que acordada, puxou o filho.
– Hey, pestinha! Vem aqui! Vamos escovar o dente.
se levantou e apareceu na porta do banheiro quando eles já estavam terminando a higienização da boca.
– Bom dia, crianças! – Ela disse sorrindo com a voz rouca e depois virou para Louis: – Por que não me acordou durante a noite para eu ir pra minha cama? Você e o Freddie poderiam ter dormido muito mais confortável.
– Imagina , você estava cansada. E a cama é grande o suficiente pra nós três.
Ela olhou pra baixo e deu um sorriso tímido, ação que foi notada por Louis, depois se recuperou e disse que iria tomar um banho para despertar e que já encontrava eles na cozinha.

A manhã passou tranquila, os três brincaram de tudo o que Freddie pedia e até de esconde-esconde e pega-pega eles brincaram. Estava próximo do almoço e os três se encontravam deitados no chão da sala descansando em silêncio, que foi interrompido por Louis:
, você pode ficar de olho no Freddie enquanto eu preparo nosso almoço?
– Claro, Lou! Mas você não precisa de ajuda?
– Não, está tranquilo. Vou fazer minha especialidade!
– Uh, quer dizer que vou conhecer os dotes culinários de Louis Tomlinson?
– Não diria dotes culinários, porém todo mundo fala do meu frango.
Louis seguiu para a cozinha e continuou deitada no chão junto de Freddie pensando em alguma maneira de entreter o pequeno até o horário do almoço, já que não poderia deixa-lo dormir antes de comer.
– Freddie, o que você acha de a gente desenhar um pouco?
– VAMOS! Mas meu estojo tá lá no meu quarto, tãaaao longe, tia. – Disse fazendo manha. – Você pode pegar pra gente?
– Que preguiça é essa, menino?
– Eu tô cansado. – Disse enquanto fechava os olhinhos.
– Não, não. Você vem comigo, mocinho! – balançou o menino, e colocou ele em suas costas. – Agora vamos pegar seus lápis de cor e algumas folhas.
Após subirem até o quarto e pegarem todos os matérias, os dois voltaram para a sala e se sentaram em volta da mesinha de centro, espalhando todas as cores. perguntou o que o menino queria que ela desenhasse, recebendo como resposta “um super carro voador”.
A mulher estava quase terminando seu desenho, quando Louis apareceu falando que o almoço estava pronto. perguntou se ele queria ajuda para por a mesa, no entanto recebeu como resposta que já estava tudo pronto.
– Ok, esse é realmente o único prato mais elaborado que eu sei fazer, então espero que esteja bom. – Louis disse ao servir um pedaço de seu frango recheado com queijo para e para ele, colocando, também, um pequeno pedaço para Freddie.
– Meu deus, Louis! Você é realente um desastre. – riu do amigo. Mas logo experimentou um pedaço. – Nossa, tá realmente muito bom!!
– De verdade? – Ele perguntou esperando uma resposta sincera.
– Sim, de verdade! É um dos melhores frangos que já comi na minha vida.
– Ufa! – Louis respirou aliviado. – Vou te contar uma história, mas não ria: esse foi o primeiro prato que eu cozinhei sozinho e, na época, Harry morava comigo. Ele ficou falando que estava uma delícia, e eu acreditei. Porém, a cada pedaço que ele comia, ele tomava um gole de água, porque estava muito seco. E ele só foi me contar isso anos depois!!
não conseguia parar de rir, não conhecia Harry, mas conseguia imaginar perfeitamente um Louis mais novo que ficou todo convencido com um frango, mesmo ele estando seco!
– Hey! Eu falei para você não rir.
– Não dá! Louis isso é muito a sua cara!
E com o clima leve entre os três, os dias se passaram num piscar de olhos. Dia 30 chegara e com ele, Briana logo estaria na casa de Louis para buscar Freddie. não podia imaginar como sentiria falta daquele pequeno que ela conhecia tão pouco ainda.

Quando se tratava de seus compromissos, Briana não atrasava um segundo se quer, era sempre pontual. Com isso, dia 30 de dezembro às 10:30 da manhã ela estava batendo na porta da casa de Louis em Los Angeles.
Louis tinha se esquecido da pontualidade da ex e nesse momento se encontrava todo atrapalhado enquanto ajudava Freddie a trocar de roupa. ofereceu ajuda, mas nem esperou o rapaz responder e já foi abrir a porta sabendo quem encontraria do outro lado.
– Oi Lou, Freddie está pron-Quem é você? – Briana começou a falar olhando para o celular, até levantar a cabeça e perceber que não era o rapaz que tinha aberto a porta.
– Oi, você deve ser a Briana, eu sou a , amiga do Louis. Entra, o Freddie está terminando de arrumar as coisinhas dele, nos atrapalhamos um pouco no horário.
falou e abriu mais a porta, dando espaço para que Briana entrasse e se acomodasse em um dos sofás. Fechou a porta e seguiu a mulher, sentando-se em uma das poltronas.
– Então, você conhece o Louis há muito tempo?
– Alguns meses, pra falar a verdade. Nos conhecemos de uma maneira meio inusitada e aí ele me convidou para passar o ano novo com ele, porque eu ia ficar sozinha na casa dos meus pais.
– Ah sim. – Briana ia continuar perguntando mais coisas, estava curiosa a respeito da mulher sentada à sua frente, porém foi interrompida por um mini furacão loiro de olhos azuis.
– Mamãe! – Freddie pulou no colo da mãe.
– Oi filho, dormiu bem? Brincou muito?
– Sim, mamãe! Papai e a tia brincaram muito comigo, a gente assistiu desenho e a tia desenhou várias coisas pra mim. Olha esse super carro voador, mamãe!
– Nossa, Freddie! Que legal! Você se divertiu bastante então. Oi Lou. – Briana cumprimentou o rapaz que havia acabado de entrar na sala.
– Oi, Bri, tudo bem?
– Muito mamãe. E olha esse desenho que eu fiz: você é essa, esse sou eu, o papai e a tia . Eu tive que desenhar ela porque ela é amiga do papai e agora é minha amiga também.
Freddie não imaginava as diversas reações que causaria com a frase. Briana ficou com ciúmes, como assim uma mulher aparecia do nada na vida de seu filho e ele ficava empolgado dessa forma, até desenhando-a? queria pegar o Freddie no colo e apertar num forte abraço, ele era a criança mais fofa que tinha conhecido e com certeza sentiria falta dele nos próximos dias. Louis, por sua vez, soltou um sorrisinho, para ele era muito importante que seu filho gostasse das pessoas que ele gostava, especialmente .
– Lou, não quero te atrapalhar mais. Por isso já vamos indo.
– Imagina, Bri. Você e o Freddie nunca atrapalham. Você sabe que o Freddie é e sempre será minha prioridade.
– Eu sei, Lou! Mas ainda tenho que pegar o Scully no pet shop, levei ele tomar banho porque já não estava aguentando mais ele fedido.
Briana se despediu do casal e Freddie fez o mesmo, mas pedindo para que desenhasse um dragão cuspidor de fogo para ela entregar pra ele quando eles se vissem de novo.
Assim que os dois foram embora, Louis e voltaram para a sala, se sentou encolhida no canto do sofá, enquanto Louis sentou-se e apoiou os pés na mesa de centro.
– Essa casa fica muito silenciosa sem o Freddie. – O rapaz foi o primeiro a acabar com o silencio entre eles.
– Eu acho que a Briana não gostou de mim. – soltou.
– Imagina, ! Por que você acha isso?
– Você não viu a cara que ela fez pra mim quando eu abri a porta! E quando o Freddie mostrou os desenhos que eu fiz.
– Isso é ciúmes de mãe. É humanamente impossível não gostar de você, . – Louis disse.
A mulher não soube como agradecer o elogio e a tentativa de tirar o sentimento de insegurança. Quer dizer, ela tinha amado conhecer Freddie e passar esse tempo com ele, não queria que Briana não gostasse dela, ainda mais que elas nem tiveram tempo para conversar. apenas sorriu e falou um obrigada baixinho para Louis.

Os amigos já tinham almoçado, estavam arrumando a louça e organizando a cozinha. não tinha ideia do que fariam naquela tarde, sabia que iriam para Las Vegas apenas no dia seguinte. Porém, Louis tinha algo preparado para aquela tarde. Iria mostrar seu álbum pronto para a mulher e ouvir as opiniões dela. Estava ansioso para isso.
Após terminarem na cozinha, Louis os guiou para a sala de música. tinha entrado ali apenas quando chegou e estava conhecendo os cômodos da casa. Ela se sentou em um dos puffs que tinham espalhados por lá e Louis fez o mesmo depois de pegar o notebook que estava repousado na mesa.
– Ok, já tá ligando. – Louis falou sozinho. – Eu queria fazer uma surpresa, não sei se você vai gostar. Mas eu queria muito te mostrar meu primeiro álbum solo.
– Queria? – percebeu que ele estava um pouco nervoso, por isso decidiu descontrair.
– Quero! Algumas músicas já foram lançadas, mas o álbum será lançado dia 31 do próximo mês. – Disse enquanto mexia no computador a procura dos arquivos musicais. – Pronto. Preparada?
– Muito! Vamos ver o que você tem produzido, senhor William.
Louis decidiu que iria seguir a ordem do disco, por isso começou colocando Kill My Mind para tocar.
se deixou levar pela voz de Louis logo no começo da música, fechou os olhos sentindo a batida. Adorou a explosão do refrão. Era uma música que trazia uma energia. Ela conseguia se imaginar num show pulando essa música, ou então em uma boate dançando enquanto estava completamente louca. Ao final da música, ela virou para Louis que estava sorrindo.
– Você prefere ouvir todas as músicas primeiro ou ir me contando o que você acha de cada uma? – Lou perguntou divertido.
– Posso falar uma por uma, mas você vai ter que me contar o que cada uma significa!
– Claro. Pode começar!
– Ok, eu achei essa música muito boa. Possui três ambientes que eu consigo me imaginar cantando ela: em um show, enquanto tá todo mundo pulando; em uma boate, enquanto eu estou muito bêbada; e no meu quarto em um daqueles dias que tudo o que eu mais quero é colocar umas músicas e ficar cantando. Você fez um bom trabalho porque eu claramente consigo me ver ouvindo essa música. – disse divertida.
– Adorei os apontamentos. Eu tenho muito orgulho dessa música e ela tá entre as minhas favoritas. Eu acho que quis passar uma coisa de se sentir jovem com um elemento nostálgico e de ser estúpido porque é a melhor época de ser estúpido, você sabe… Acho que eu quis trazer também um pouco do que eu gosto de ouvir, então tem várias inspirações musicais. Eu achei que seria a música perfeita para abrir um álbum com toda essa energia. – Louis disse realmente orgulhoso, enquanto só conseguia sorrir ao vê-lo falar. – Próxima música?
– Claro! Estou ansiosa!
Os primeiros acordes de Don’t Let It Break Your Heart começaram a tocar e começou a mexer o corpo levemente no ritmo da música. Logo a voz de Louis começa a soar e a mulher logo prestou atenção na letra.
– Então…?
– Ok, é uma música fofinha, não faz muito meu estilo de música, mas algo na sua voz deixa essa música gostosa de se ouvir, acho que é o tom suave, não sei explicar. Ah, e a letra é bonitinha.
– Eu tinha certeza que das músicas do álbum, essa seria uma das descartadas por você!
– Mas eu não descartei, só disse que não faz o meu tipo.
– Tô brincando, ! – Louis deu risada e depois continuou. – Na verdade essa música é mais para as fãs, as vezes que eu toquei em shows, eu tive uma reação incrível da plateia, acho que eu não tava esperando, sabe? E a letra do segundo verso: it comes and it goes, we driving down that one way road to something better – Louis cantou – sempre se destaca pra mim, eu acho ela interessante, meio provocante, sabe?
não sabia em que momento ela tinha se perdido no olhar de Louis, era tão lindo ver ele falando das próprias músicas com um orgulho que até ela mesma estava sentindo, e não o conhecia nem há um ano. Deus, esse homem estava mexendo tanto com a sua cabeça. Ao perceber que Louis tinha terminado de falar, ela se limitou a balançar a cabeça e sorrir.
– Certo, antes de começar a próxima música, eu acho meio importante dizer que essa música foi uma maneira de eu tentar me expressar sobre perder alguém que a gente ama. Eu lancei ela no começo do ano passado e por uma ironia do destino, ou sei lá, a Fizzy, uma de minhas irmãs, faleceu alguns dias depois.
não sabia o que falar, quer dizer, ela sabia o que era perder alguém que amava, sua vó materna morreu, há pouco mais de um ano, de um AVC e para ela ainda era difícil falar sobre o assunto. Por isso, pegou a mão de Louis e entrelaçou os dedos, uma tentativa de demonstrar que ela estaria ali caso ele precisasse.
Louis colocou Two of Us para tocar e fechou os olhos logo no começo, uma tentativa de sentir a música e bloquear seus sentimentos. Era uma música triste, mas também era uma música de esperança, de não desistir e tentar seguir em frente, pois aqueles que amamos estará sempre em nosso coração.
Quando a música terminou, , que tinha tentado bloquear todos os seus sentimentos e lembranças, estava chorando em silêncio. Louis entendia aquele choro, ele mesmo tinha se sentido daquele jeito quando ouviu a música finalizada pela primeira vez, era um choro de alguém que tinha perdido alguém importante. Sabendo disso, o rapaz passou um de seus braços pelos ombros da garota, a abraçando e tentando confortá-la.
– Lou, essa música… – ela tentou falar – WOW. Eu não sei o que dizer, mas ela é linda. – Respirou fundo numa tentativa de se acalmar. – Ela me lembrou muito da minha vó. Faz um ano que ela faleceu e ainda é tão estranho. Às vezes eu sinto que ela tá aqui comigo, mas ao mesmo tempo eu sinto uma culpa porque eu estive tão ausente.
Louis entendia o sentimento de ausência, ele mesmo se pegava pensando se não estivera sendo ausente com Fizzy ou até mesmo com sua mãe. Mas já estava acostumado com toda a situação, afinal Johannah falecera há 3 anos, mas ele ainda sentia todos os dias que chegaria em casa e encontraria ela lá, esperando por ele com um chocolate quente para as noites frias.
– Tá tudo bem, . É normal se sentir assim. Mas não é sua culpa, infelizmente a gente tem que seguir nossa vida e não dá pra não se tornar ausente de alguma forma. Eu aposto que sua vó brigaria com você se soubesse que você se culpa desta forma. E ela vai estar sempre com você! – Ele disse enquanto limpava as lagrimas dela. – Eu acho que quando escrevi essa música eu quis passar que mesmo com as perdas daqueles que amamos, ainda dá pra manter a esperança e seguir em frente, ainda somos fortes.
Os dois ficaram abraçados por um tempo até que estivesse mais calma e parado de chorar.
– O que mais você tem pra me mostrar, cantor? – Ela falou dando um sorriso.
Louis não precisou responder e logo colocou We Made It para tocar. Os primeiros acordes soaram e soltou um sorriso. Ela tinha gostado de como soava. Diferente da música anterior, esta música trouxe a ela lembranças da época da faculdade em que saia com suas amigas e se divertiam como se não houvesse o amanhã, além dos diversos encontros desastrosos que tivera.
– Eu amei, Lou! Ela me trouxe umas lembranças muito bizarras da época da faculdade. – A garota soltou uma risada. – E o ritmo dela é tão gostosinho.
– Bizarras quanto?
– Não sei se você vai querer saber sobre isso.
– Claro que eu quero! Quer dizer, eu não fui para a faculdade, mas eu e Harry dávamos um jeito de frequentarmos algumas festas, ainda mais porque na época eu já estava namorando a Els e ela frequentava a faculdade.
– Quem sabe outro dia, Tomlinson?
– Ah não!!!! Me conta pelo menos uma história e eu paro de te encher.
– Ah, droga! Tá bom. Deixa eu pensar. Eu estava no terceiro ano da faculdade, e sempre tinham algumas festas depois que as provas acabavam. Em uma dessas, eu, e mais uma amiga nossa decidimos usar MD porque a gente tava meio cansada e queríamos ficar pilhada na festa pra aproveitar muito. No começo estava tudo perfeito. A gente ficou na nossa rodinha de amigos dançando e zoando. Mas em algum momento nós começamos a brincar de verdade ou desafio.
“Acontece que eu estava muito doida pra pensar em qualquer coisa, então obviamente eu pedi desafio. Digamos que meus amigos não pegam muito leve nas brincadeiras. Eu fui desafiada a me declarar para um cara super esquisito e que se achava horrores do curso da . Obvio que eu aceitei, porém o tiro saiu pela culatra, já que depois que eu fiz a minha parte, o cara se apaixonou e eu tive que dar vários perdidos nele durante a festa.
E ao invés disso ter acabado na festa, ele achou que poderia ficar me perseguindo pela faculdade, dizendo que ele poderia gostar de mim também, que já que eu era apaixonada por ele, nós podíamos construir algo bonito. Felizmente, a interviu e deu um chega pra lá nele. Mas foram momentos difíceis.”
Ao terminar de contar, Louis estava rindo de toda a situação. Ele conseguia perfeitamente imaginar uma mais nova fugindo de um cara na universidade enquanto ele se declarava para ela. Além disso, gostaria de ver a garota se divertindo loucamente em uma festa. Esperava poder presenciar isso durante a festa de ano novo.
– Para de rir, seu idiota! – Ela disse também rindo. Era tão bom se sentir livre para contar qualquer coisa de seu passado. Uma das coisas que amava na companhia de Louis era poder ser exatamente como ela era, sabendo que ele não a julgaria por nada.
– Desculpa, mas é que é realmente engraçado. Histórias como essa me fazem ter vontade de ter frequentado a faculdade.
– Ah, para com isso! Eu aposto que você também tem diversas histórias engraçadas enquanto viajava pelo mundo, rockstar.
– Ah, isso definitivamente eu tenho. Quem sabe eu não te conto em uma próxima vez? Agora eu vou te mostrar a próxima música.
ouviu atentamente a letra de Too Young, os acordes no violão eram suaves, mas a música trazia uma sensação de arrependimento, de um relacionamento que não deu certo, mas que foi necessário para o amadurecimento, ela não sabia explicar direito.
– UAU, você realmente deve ter amado essa pessoa, hein?! – Ela disse assim que a música terminou.
– Como assim? – Louis perguntou confuso.
– A letra, Lou. Eu consigo ver alguém que você amou muito, mas que aparentemente não deu certo.
– Bom, essa música não é exatamente só sobre isso… Eu acho que eu quis passar uma ideia de o quanto de responsabilidade a gente pode ter com tão pouca idade, sabe? E acho que isso pode variar pra tudo. Talvez eu tenha focado um pouco na questão amorosa, de encontrar, talvez, o amor da sua vida e ser muito novo ainda para isso. Mas não sei, eu acho que Too Young pode ser adaptada para alguns outros momentos da vida, sabe?
– Entendi. Mas eu ainda acho que tem uma história mal resolvida aí. – Ela disse como quem não quer nada.
– Tudo bem, senhora eu desconfio de tudo. Eu quero te mostrar agora a minha música favorita desse álbum. Walls se chama Walls por causa dela. – Assim que terminou de falar, Louis colocou a música para tocar.
não precisou ouvir muito para saber que essa era sua música favorita. Com certeza ela estaria em uma de suas várias playlists. Alguma coisa na batida fazia com que nascesse um sentimento dentro de para que ela saísse por aí lutando para conseguir o que queria, ela não sabia explicar.
– Você me ganhou com essa música, Louis! Eu achei ela incrível, com certeza a minha favorita até o momento. Além do ritmo ser perfeito, a letra é super poética e eu nem sei o que dizer. Eu acho que estou apaixonada por uma música.
– Eu fico feliz que você tenha gostado. Eu acho que é a música que eu mais tenho orgulho e além disso tem toda uma ideia de não deixar a guarda cair até encontrar a pessoa certa e você criar confiança para essa pessoa entrar, sabe? Tudo nela me deixa orgulhoso!
Os dois ainda estavam sentados lado a lado, Louis ainda estava com o braço descansando nas costas de . A mulher se virou completamente para ele e começou a falar:
– Eu acho que mesmo a gente se conhecendo há tão pouco tempo, eu sinto um orgulho enorme de você. Eu nem ouvi o CD inteiro e você já me conquistou com as letras e batidas. Louis, você é um músico do caralho! – Ela disse rindo.
– Obrigado, , de verdade. Isso é importante pra mim!
Ficaram em silencio apenas um encarando o outro, demoraram a perceber que estavam com os rostos próximos demais. Louis queria beijá-la, mas não queria estragar nada com , então não sabia o que fazer. , por sua vez, não tinha certeza do que fazer, quer dizer, queria beijar Louis, mas ele em nenhum momento tinha demonstrado que também queria aquilo.
fechou os olhos numa tentativa de voltar em si mesma, porém Louis entendeu aquilo como um sinal de que deveria beijá-la, por isso aproximou ainda mais seu rosto. Os narizes roçando em um carinho gostoso e os lábios também teriam se tocado caso a porta da sala de música não tivesse sido aberta abruptamente fazendo com que os dois se separassem num sobressalto.
– NIALL HORAN IS IN THE HOUSE – O irlandês entrou no cômodo fazendo sua presença ser facilmente notada.
– Nialler? O que você está fazendo aqui? – Louis logo se levantou e andou em direção a Niall, dando um forte abraço nele.
– Fiquei sabendo que você estava por aqui, decidi vir te ver, já que se dependesse de você, passariam anos sem que nos falássemos. – Ele disse enquanto se acomodava em um dos puffs da sala. – Você deve ser a garota bonita que o Jake falou. Ele realmente estava certo.
, esse é o idiota do Niall, meu ex companheiro de banda. Horan, essa é minha amiga Watson. Não tente se achar por ser famoso, porque ela não conhece One Direction. – Louis disse enquanto voltava para o lugar que estava antes de ser interrompido pelo amigo (talvez não tão perto de , dessa vez).
– Como assim não conhece a maior boyband do século? Você tem quantos anos? – Ele olhou estranho para ela. , que até então não tinha tido a oportunidade de falar qualquer coisa, decidiu se manifestar.
– Oi, Niall. Prazer! Louis está sendo dramático. Eu conheço One Direction, minha melhor amiga é super fã de vocês. Mas o Louis tem um ressentimento porque eu não o reconheci quando nos conhecemos, na verdade eu não fazia ideia de quem ele era.
– Então, ela é a garota que você falou? Agora tudo faz sentido.
– Oi? – perguntou sem entender.
– Nada, . Nigel gosta de inventar coisas.
O irlandês não estava entendendo porque Louis estava se fingindo de desentendido, ele achava que os dois já fossem um casal pelo que Jake, o motorista e segurança, disse. Mas aparentemente estava errado, e agora estava com medo de ter atrapalhado algo. Porém já era tarde demais.

Niall passou o resto do dia na casa de Louis, indo embora tarde da noite. Os três se divertiram bastante, compraram pizzas e Louis e Niall contaram algumas histórias da época da banda, o inglês não perdeu a chance de contar para que Niall teve medo de usar a gravidade zero em um dos clipes que fizeram no ambiente da NASA, o irlandês não deixou barato e contou de quando Louis machucou o joelho e fez tanto drama que no show seguinte eles precisaram mudar a letra de uma das músicas pra tirarem coma cara dele. tinha gostado de Niall, a presença dele era marcante e ele arrancara boas gargalhadas facilmente.
No entanto, antes de ir embora para sua casa, que ficava a poucos metros dali, Niall disse para Louis não perca essa garota, dá pra ver nos seus olhos o quanto você tá de quatro por ela. E isso deixou o rapaz pensativo até cair no sono, já que no dia seguinte voariam até Las Vegas.

acordou no outro dia mais cedo do que esperava. Tinha combinado com Louis que viajariam somente pela tarde. Sozinha com seus pensamentos, decidiu ir até a cozinha preparar o café da manhã para eles. No entanto, não esperava que enquanto estivesse fazendo panquecas o quase beijo da tarde anterior a atingisse.
E se Niall não tivesse aberto a porta naquele exato momento? Ela e Louis realmente teriam se beijado? E por que ela ficara tão decepcionada com a interrupção? Quer dizer, não foi a primeira vez que eles quase se beijaram. Ela se lembrava muito bem do dia em que se conheceram e que só não se beijaram porque o telefone de Louis tocou. Ela precisava conversar com sobre isso, só esperava que a amiga não surtasse.

Já estava anoitecendo quando Louis e chegaram no hotel em que ocorreria a festa de ano novo e onde ficariam hospedados. O cantor tinha tomado o cuidado de pegar um quarto para cada, pedido, na reserva, que fossem próximos de Eleanor Calder, sua ex e também uma de suas melhores amigas. Aliás, estava temoroso por esse encontro, quer dizer, tinha certeza que as duas se dariam bem, o problema era o quão bem elas poderiam se dar, e já bastava Eleanor sendo amiga de Charlotte, não daria conta se elas formassem um trio com .
estava terminando de ajeitar suas coisas, separando a roupa que usaria aquela noite, quando alguém bateu em sua porta. Achando que era Louis, falou para entrar.
– Você deve ser a ! Louis me falou que você viria junto para comemorarmos o ano novo. – virou ao perceber que era a voz de uma mulher, se deparando com uma mulher da mesma idade que a sua, aparentemente, e muito bonita.
– Oii! E você deve ser a famosa Eleanor. Louis fala muito de você! – caminhou até Eleanor que estava parada próxima a porta.
– Pode me chamar de Els.
As duas se acomodaram na suíte da designer e ficaram conversando um pouco para se conhecerem melhor. sabia que Eleanor já tinha namorado Louis no início da carreira dele, mas era interessante ver como eles continuavam amigos depois de tudo.
Estavam rindo de uma história que tinha contado, quando Louis bateu na porta, abrindo-a em seguida.
– Vejo que já se conheceram. – Disse sorrindo e entrando no quarto.
– Sim, decidi dar uma passada por aqui, já que se dependesse de você, só nos conheceríamos amanhã depois da festa. – Eleanor deu um sorriso cínico para o amigo.
– Adorável como sempre, Calder!
– Sabe, , eu tava aqui pensando e acho que o único motivo pra eu ter aguentado o Louis o tanto que eu aguentei, foi o cachorro dele! Clifford é o neném mais lindo que existe!
– Bruce ficará com ciúmes se saber dessa preferência pelo Clifford.
– Bruce sabe o quanto eu amo ele! Agora vem me cumprimentar direito, baixinho.
Louis caminhou até Eleanor e os dois deram um longo abraço. Fazia algum tempo que não se viam já que a carreira do cantor estava tomando todo o seu tempo novamente e mesmo morando próximos um do outro, Louis vinha utilizando seu tempo livre para encontrar com ou para pensar na setlist perfeita.
– Bom, vim aqui só pra avisar que a festa começa às 10, mas pensei em descermos umas 8:30 para jantar, o que acham?
– Eu top… – Eleanor começou a falar até olhar seu relógio – AH! Já são 7:00, beijos, gente, vou me arrumar. – E saiu correndo.
– Ela é louca! – Louis disse dando de ombros.
– Eu gostei dela. E ela tem razão, você pode voltando pro seu quarto porque eu preciso me arrumar.
terminou de falar e seu celular tocou. Ela olhou e viu que era , atendendo-a prontamente e deixando no viva-voz.
– Oi, . Você está no viva voz com o Lou. – Avisou antes que a amiga falasse alguma merda. – Feliz ano novo, de novo.
-AH! Oi, , oi Louis! Feliz ano novo pra vocês também!
– Oi, , feliz ano novo! Você não deveria estar muito louca agora ou dormindo?
– Na verdade eu to indo pra casa, mas aí eu abri o twitter e aparentemente algumas de suas fãs desconfiam muito da sua conta pessoal. Não me pergunte como, mas uma delas viu um comentário desse seu perfil na foto da e o fandom está uma loucura agora.
– Mas a minha conta é fechada, como descobriram isso? – interrompeu antes que ela continuasse.
– Amiga, eu não sei…, mas nunca subestime o poder das directioners. Aliás todo mundo já está te chamando de namorada do Louis.
– É O QUE? – se exaltou e Louis fez uma careta. Essa era a pior parte da fama e de suas fãs.
– Calma, . Vamos aproveitar hoje, e amanhã eu prometo que a gente se preocupa com isso. Se preciso for, a gente lança uma nota. – Louis disse tentando acalmar a mulher.
– Isso, . Não deixa isso estragar sua noite e amanhã vocês decidem o que fazer sobre.
assentiu e logo desligou a chamada com . Louis se certificou que ela estava bem antes de anunciar que iria para o quarto dele para deixa-la se arrumar.
– Só uma dúvida, antes de sair: é tão ruim ser minha namorada? – Ele sondou em um tom de brincadeira.
– Claro que não, Louis. Agora sai daqui. – Disse expulsando o rapaz, enquanto sua cabeça estava bagunçada de tantos pensamentos, só o que faltava o cantor ficar questionando se seria bom ou ruim ser seu namorado.

Às 8:20 em ponto, Eleanor bateu na porta de , adentrando, em seguida, no quarto da designe que se encontrava no banheiro terminando de passar rímel. Els se sentou na cama de e esperou que ela saísse do banheiro para conversar.
, não sei se você quer conversar sobre isso, mas Louis me contou o que aconteceu. Eu já estive no seu lugar, então qualquer coisa que você precisar, pode contar comigo. Eu sou amiga do Louis, mas ele não entende o que é ser namorada de um popstar, então se precisar desabafar, estou aqui. – Disse segurando a mão de e olhando no fundo do olho dela.
– Obrigada, Els! De verdade, eu agradeço muito. Mas hoje não quero falar sobre isso! Eu quero aproveitar muito essa noite, beber com vocês, jogar qualquer coisa que estiver disponível, dançar até morrer.
– É assim que se fala, mulher!
As duas se abraçaram e logo Louis estava batendo na porta de para que os três pudessem descer até o restaurante antes de irem para a festa de ano novo que os aguardava.

Não era nem meia-noite, mas Louis e já estavam longe da sobriedade. Uma disputa de quem bebia mais rápido fizera com que os dois ficassem bêbados em menos de duas horas de festa. Eleanor tinha decidido que não beberia tanto, alguém precisava estar de olho nos dois.
Estavam contando os últimos 15 segundos de 2019, quando gritou:
– Droga, eu não tenho ninguém para beijar esse ano. Inferno de que foi passar o ano novo com os amigos do trabalho.
– Você pode me beijar se quiser. – Louis disse, o que fez Eleanor rir alto pois sabia que se o cantor estivesse sóbrio, ele nunca falaria algo do tipo.
– Tudo bem! – disse quando faltavam 5 segundos.
Quatro…
abraçou Louis pelo pescoço e ficou alternando seu olhar entre os olhos e a boca do cantor. Ela realmente ia beijar Louis? Com a quantidade de bebida que tinha em seu sangue, ela definitivamente não hesitaria um segundo.
Três…
Louis colocou um de seus braços ao redor da cintura de , enquanto a outra mão ficou fazendo um carinho na bochecha da mulher. Ele finalmente beijaria a mulher pela qual estava se apaixonando, e dessa vez ninguém o interromperia.
Dois…
Finalmente se deixaram aproximar um do outro. A ansiedade tomando conta de cada um, mesmo tão embriagados de bebida.
Um…
Feliz ano novo!
Louis encostou seus lábios no de , em um selinho carinhoso, mas que não demorou muito, pois logo a mulher entreabriu os lábios deixando que aprofundasse o beijo. Ficaram na própria bolha por alguns minutos, até serem atrapalhados por um dos amigos de Louis, que pulou em sua costa.
– 2020 é seu ano, Tomlinson! – foi o suficiente para todos começarem a gritar e comemorar.
Realmente, 2020 prometia para Louis, começando com o seu álbum que seria lançado no fim do mês, sua turnê mundial e, quem sabe, ficar com a garota que ele gostava. Com esse pensamento, seu olhar se direcionou a que estava conversando animada com Eleanor e o sorriso que surgiu em seus lábios foi automático.

acordou no outro dia com uma dor de cabeça terrível, também não se lembrava muito da noite anterior e quanto mais forçava a se lembrar, mais sua cabeça doía. Logo ao despertar, percebeu estar deitada em um confortável travesseiro, mas sentiu um peso em sua cintura, o que fez com que ela abrisse os olhos assustada.
Sua respiração voltou ao normal ao perceber que era Louis quem estava ao seu lado, mas logo se exaltou novamente ao pensar que poderiam ter feito algo e que ela não tinha ideia do que tinha se passado. Com a sua movimentação na cama, acabou por despertar Louis, que também a olhou assustado.
– Será que fizemos alguma coisa? – a mulher perguntou preocupada.
Louis nunca teve a chance de responder, pois logo Eleanor entrou no quarto para falar com os amigos.
– Bom dia, sunshines. Dormiram bem?
– Sem animação, Els. Eu to com uma puta dor de cabeça! – Louis reclamou.
– Eu também. E ainda não lembro nada de ontem, além de chegar na festa e apostar com você quem bebia mais rápido. Nunca mais irei fazer isso. – olhou na direção de Louis.
– Ainda bem que eu sou uma amiga responsável e trouxe remédio para os dois bêbados.
– Eleanor, eu te amo! – disse enquanto pegava um dos comprimidos oferecidos e uma garrafinha de água. – Me diz que você se lembra da noite anterior e tem uma explicação pra ele estar aqui.
– Essa é uma história engraçada! – Eleanor disse se lembrando na noite passada. Mas antes de começar a contar, precisou fazer um lembrete mental para contar a Louis que ele e a amiga tinham se beijado na virada. – Eu decidi que vocês já estavam se passando muito naquela festa e não era nem 3 da manhã. Então puxei vocês pra virem dormir, só que era difícil falar qual dos dois tava dando mais trabalho, porque nenhum queria vir.
– Ah meu deus! Que vergonha! Desculpa, Els. Você nem me conhece direito e já teve que cuidar de mim. – interrompeu.
– Não se preocupa, está tudo bem. E eu entendo. Até porque você virou uma hora pra mim e disse: Eleanor, já te peço desculpas, mas vou dar trabalho hoje, preciso aproveitar meu último dia de desconhecida. Eu dei risada na hora, mas entendi o que você queria dizer, então nem liguei. – Disse dando de ombros. Louis ainda escutava tudo em silencio enquanto bebia sua água. – Enfim. Aí eu decidi colocar vocês na cama, só que vocês estavam fazendo uma algazarra no corredor, como o quarto da era o mais perto do elevador, fiz Louis entrar e me esperar, enquanto eu ajeitava a na cama, porém no minuto seguinte que eu olhei pra ele, ele já estava dormindo bem confortável. E essa é a história.
Um silencio se instalou no quarto. estava se sentindo meio envergonhada por ter agido da forma que agiu na noite anterior, parecia que tinha voltado para universidade em uma das festas que ela e costumavam a frequentar. Louis queria entender o que tinha acontecido, além disso, sua cabeça não parava ao pensar em maneiras para que a mulher que ele estava apaixonado não se prejudicasse com a exposição que poderia ter. Eleanor, por sua vez, estava leve, mas pensando em como e quando contaria ao amigo que ele e tinham se beijado.
– Então, quem quer descer para tomar café? – Eleanor perguntou animada.

Nota da autora: Oii gente, primeira vez que escrevo aqui haha
Primeiro queria pedir desculpas pela demora dessa atualização, mas no começo ela estava demorando porque precisava ouvir o Track by Track do Walls, e vocês sabem como o sotaque do Louis é a coisa mais difícil do mundo de entender, mas aí a Amanda me salvou e transcreveu tudinho pra mim!!! Então esse capítulo é todinho pra ela que tá sempre me ajudando com essa fanfic, principalmente quando eu preciso de alguma informação da One Direction!
Quero saber o que vocês acharam desse capítulo, muitos acontecimentos!! Tivemos a presença de Niall, e vocês podem conhecer este Niall melhor lendo a Fanfic Queda e Ascensão, da Amanda R., aliás ao longo dessa história teremos mais alguns crossovers e a presença de outros membros da OneD.
Por fim, queria deixar o link do grupo do Facebook e também do instagram dos personagens @faywat.mbs e @twill_mbs
Nos vemos na próxima att!

A volta para Londres tinha sido tranquila, de certa forma. Algumas fãs esperavam por Louis no aeroporto, o que fez com que ele, Eleanor e se separassem. Eleanor, acostumada com a situação, puxou até o estacionamento do aeroporto, esperando que o cantor aparecesse para entrarem no carro.
– É sempre assim? – perguntou curiosa.
– Nem sempre, mas na maioria das vezes sim. Louis ama suas fãs, então sempre que ele pode, ele tira um momento pra conversar e tirar fotos com elas.
– Isso é incrível!
– Realmente. Sabe , eu estava pensando aqui, a gente bem que podia fazer algo nesses próximos dias. Sei que a Lottie chega na cidade amanhã mesmo, e como o Louis disse, ele vai pra Marrocos gravar o clipe de Walls.
– Eu adoraria, Els! Posso chamar a ? Ela vai amar conhecer vocês, e tenho certeza que vocês vão se dar super bem.
– Claro!!! A é aquela doidinha que te ligou pra contar dos babados do twitter, né?
– Isso! – Riu da explicação de Eleanor.
Elas nem tiveram tempo de continuar com os planos, porque Louis apareceu, fazendo com que os três se enfiassem no carro e fossem embora do aeroporto.

– Quando você viaja? – perguntou logo depois de deixarem Eleanor em sua casa.
dois dias. Cuidado pra não morrer de saudades de mim, .
– Oh, meu Deus! Como poderei sobreviver sem ver esse homem pelos próximos dias? Ah, me poupe, Tomlinson. Eu vou aproveitar muito os meus próximos dias com a , Els e adivinhe?
– Ah não! – Louis bateu em sua testa. – A Lottie chega amanhã. Minha vida será um inferno com vocês se conhecendo.
– Medo do que a Charlotte pode me contar, cantorzinho?
– Definitivamente.
Conversaram sobre aleatoriedades até chegarem na casa da designer, que até convidou o cantor para entrar, mas ambos precisavam descansar após um longo voo de Las Vegas até Londres.
– Me avisa quando chegar, ok? E se cuida, tenho certeza que vai arrasar na gravação do clipe.
– Sim, senhora! Te mando algumas fotos quando chegar no set.
Despediram-se e foi direto ao seu quarto para deixar suas malas e tomar um longo banho. Até pensou em ligar para para conversarem sobre a viagem de cada uma e as festas de ano novo, mas sua cama estava muito mais convidativa. Chamaria a amiga para ir até sua casa na tarde seguinte, assim poderiam conversar melhor sobre o que estava se passando em sua cabeça.


acordou no dia seguinte bem cedo, não tinha dormido direito por conta do jet lag. Após levantar e escovar seus dentes, enviou uma mensagem para sua amiga, falando que aparecesse em sua casa a qualquer hora daquele dia. O que não esperava era que aparecesse meia hora depois com um saco de pão e outras coisas para que tomassem café da manhã juntas enquanto contava sobre sua viagem.
– O Freddie é a coisa mais linda desse mundo, eu me diverti tanto com ele.
– Eu não acredito que você conheceu essa preciosidade! – disse e depois completou nostálgica: – Parece que foi ontem que o fandom ficou endoidecido com o nascimento dele.
As amigas conversavam sobre a festa em que tinha participado durante a virada de ano novo, enquanto lavavam a louça suja. Também tinham deixado uma playlist qualquer de tocando de fundo. Estavam quase terminando quando a campainha tocou, fazendo com que deixasse sozinha na cozinha para atender a porta.
– Meu deus, garoto? Já sentiu falta? – A mulher disse assim que abriu a porta e deu de cara com Louis.
– Estava entediado lá em casa e a Lottie só chega à noite. – Disse enquanto entrava na casa.
– Ah, e aí você achou que o melhor a se fazer seria me atazanar? – Disse enquanto acompanhava Louis até a cozinha, até que parou de repente, fazendo com que o cantor olhasse pra ela de forma estranha. – Preparado para conhecer a ? – Questionou com a voz baixa.
– A tá aí?
– Ali na cozinha. Aposto que ela irá surtar quando te ver.
Let’s do the Tommo way!
Os dois se aproximaram sorrateiramente da cozinha e pararam ao ver dançando de uma maneira descoordenada enquanto Goldendo Harry Styles tocava em seu celular.
– Sabe, , eu tenho um amigo que dança exatamente desse jeito e canta essa música. Qualquer dia apresento vocês. – Ao ouvir a voz de Louis, petrificou. Ela ainda não tinha se virado pra comprovar que era realmente Louis William Tomlinson que estava ali, mas sabia que era ele. E, Deus, ele comparou a dança dela à dança de Harry Styles!!!!!!!!
– Nossa, Lou, achei que minha amiga estivesse aqui na cozinha, mas aparentemente ela deixou uma estátua no lugar. – Disse alto e depois continuou baixinho: – 5… 4… 3… 2… 1.
– SOCORRO! EU NÃO ACREDITO NISSO! POR QUE VOCÊ NÃO ME AVISOU, ? – Gritou ao se virar e dar de cara com Louis e rindo.
– Eu não sabia. Ele não se aguentou de saudades de mim. – Disse balançando os ombros.
, você pode ter o seu momento fangirl quando quiser. – Louis disse brincando.
– Louis Tomlinson, você está tirando uma com a minha cara?
– E se eu estiver?
nem pensou em responder, logo se aproximando. Ainda estava desacreditada que um de seus ídolos estava parado logo ali na frente dela. Quer dizer, ela já deveria ter se acostumado, fazia meses que sua melhor amiga tinha virado amiga dele. Mas ainda parecia um universo paralelo e, em sua cabeça, o Louis que era amiga não era o seu Louis.
Louis, percebendo um certo choque de , abriu seus braços num claro sinal para que a garota se aproximasse e o abraçasse. A arquiteta se aproximou e o abraçou fortemente, não conseguindo conter as lágrimas. olhou a cena e deu um sorriso abobado, ela sabia por quanto tempo sua amiga tinha esperado para que algo do tipo acontecesse.
Ao se soltarem do abraço, Louis sorriu. Para ele, esses momentos de encontro com seus fãs eram muito especiais, e naquela hora, não era amiga de , ela era uma de suas fãs, que o acompanhou desde sua época de One Direction.
– Tá tudo bem, luv. Você já pode parar de chorar. – O cantor disse enquanto limpava as lágrimas de .
– É que foram tantos anos imaginando esse momento, e agora você tá aqui, na minha frente, pra ser mais específica. Eu não consigo acreditar.
– Quem não vai acreditar é o Louis quando eu mostrar as fotos de como era seu quarto anos atrás. – disse fazendo os dois rirem, odiava ver sua amiga chorando… mesmo que naquele momento fosse por felicidade.
– Cala a boca, . Tommo já deve estar acostumado a ver fotos de quartos cheios de posters.
– Eu estou, porém ainda sim quero ver essas fotos, .
Oh shit! Por que eu fui virar fã logo de Louis Tomlinson, o cantor que não perde uma oportunidade de tirar com as caras das fãs. Pobre de mim. – fez drama. – Mas mostra, … eu mostro a declaração em vídeo que você fez pro Alex Turner.
– E você acha que eu me importo, mulher? Tudo o que eu disse naquele vídeo é verdade, quando ele quiser aceitar a minha proposta, estarei disponível!!!!!
– Calma aí, vocês duas. , me conta essa história de vídeo para o Alex Turner. – Louis pediu rindo.
– Pode deixar que eu mesma conto! – falou. – Alguns anos atrás, nós fomos em um show do Arctic Monkeys e eu sempre fui muito apaixonada por eles. Depois do show, nós fomos pra um bar e eu passei dos limites. A , como uma boa amiga, começou a gravar um vídeo no momento que eu comecei a declarar meu amor por Turner…. basicamente no vídeo eu estou falando que quando ele quiser alguma coisa comigo, eu estarei esperando.
, eu preciso ver isso! – Louis gargalhava.
– Pode tirar o cavalinho da chuva, cowboy! – interrompeu antes que mostrasse o vídeo. – Você não me mostrou o vídeo da sua audição no X-Factor, então você só irá assistir esse vídeo quando merecer, porque ele é muito bom.
– Ei! Eu disse pra você procurar no youtube…
– Não, você disse: abre aspas: Não quero passar essa vergonha, se você quiser ver, procura no YouTube, eu não vou te mostrar fecha aspas. – disse debochada. – Você só me dá trabalho, Tomlinson.
olhava aquilo de forma divertida. Ela ainda não tinha se recuperado do choque que tinha sido conhecer Louis, mas era engraçado ver como ele e sua amiga se davam bem, também estava na cara que sua amiga estava se apaixonando por Louis, assim que o cantor fosse embora, iria questioná-la sobre o assunto.
Os três ficaram conversando na casa da designer até o meio da tarde, tendo almoçado uma lasanha feita por e que gerou algumas piadas quando contou para amiga que tinha comido o famoso frango do cantor.

Louis já tinha ido embora quando se convidou para dormir na casa de , que aceitou a companhia da sua amiga, pois apesar de amar a companhia do cantor, precisava de um momento só das duas.
– E então, como foi de Los Angeles e Las Vegas?
– Foi incrível, eu acho que estava precisando desses dias longe de tudo. E eu realmente pude extravasar durante a festa de ano novo depois da bomba que você jogou no meu colo.
– Como assim? O que você fez, ?
– Não sei, porque eu não me lembro. – Ela riu. – Mas, segundo Eleanor, eu fiquei bem louca e dei um certo trabalho. Imagina a minha surpresa quando eu acordei com o Louis na minha cama.
– É o que? – pulou.
– Pois é!!!! Mas aí a Els apareceu e explicou pra gente o que tinha acontecido. Aparentemente, nós dois estávamos muito bêbados, e aí ela levou a gente pros quartos, só que enquanto ela me ajeitava na cama, ele deitou ali mesmo e dormiu.
conseguia imaginar a cena, Eleanor tendo que puxar dois bêbados por um corredor de hotel… bom, se ela conseguia dar conta de Clifford e Bruce ao mesmo tempo, Louis e não deviam ter sido muito diferentes. Ao associar a ideia, deu uma gargalhada.
– E você tem certeza que não aconteceu nada aí não? – Perguntou depois de parar de rir.
– Bom, certeza, certeza eu não tenho… até porque eu não lembro de muita coisa, mas nós dois acordamos vestidos e Els não disse nada sobre. Onde você quer chegar com essa pergunta, ? Eu te conheço.
nenhum lugar, , é só que eu te conheço e hoje deu pra perceber que vocês se dão muito bem, e você se abriu para o Louis de uma forma que você nunca se abriu pra ninguém antes.
– Eu sei, e acho isso estranho. Mas a gente se entende de uma maneira tão nossa… – ia continuar a falar, quando o celular de começou a apitar de maneira furiosa. – O que aconteceu?
– Não sei como dizer isso…
, fala logo, o que aconteceu?
– Sabe a foto que você postou do Lou? – fez sinal para que a amiga continuasse. – Então, ela já vazou pro twitter e aquela teoria de que você é a nova namorada dele está ainda mais forte.
ficou sem reação. Não pensou na possibilidade de que a foto do Louis vazasse, por Deus, eles eram amigos e nada mais. Por que as pessoas precisavam fazer aquele reboliço todo por causa de uma foto? Foi pegar seu celular pra ver se tinha alguma mensagem de Louis e para que pedisse desculpas e saber se tinha causado algum problema. No entanto, para sua surpresa, seu celular estava cheio de notificações do instagram, sendo todas, sem exceções, solicitações para que pudessem segui-la.
– Você tá bem? – pegou o celular da amiga, após ver a sua reação, e o colocou do outro lado da cama. seguida, a abraçou tentando confortá-la. Conhecia as fãs do Louis e sabia que logo a vida da amiga viraria de cabeça pra baixo.
Foi deitada nos braços da amiga que caiu no sono, tentando ignorar tudo o que acontecia fora daquele quarto. Como seu celular estava longe, não viu as ligações e mensagens de Louis, nem de Eleanor ou Charlotte, estava evitando qualquer coisa que pudesse deixar sua amiga mal.
Ao acordar no dia seguinte, respirou fundo antes de pegar seu celular. Se Louis já estivesse sabendo do que aconteceu, ele provavelmente estava preocupado e querendo saber dela. Assustou-se ao ver o número de chamadas perdidas e a quantidade de mensagens. Por bem, ligou para Louis, precisava acalmá-lo já que ele pegaria um avião em algumas horas.
– Lou, antes que você se preocupe, eu estou bem! A passou a noite aqui em casa. – Disse assim que ele atendeu.
Você tem certeza, ? Porque eu posso ir até sua casa, Lottie e Els também se disponibilizaram a ir.
– Eu agradeço muito a preocupação, mas eu estou bem. De verdade. – foi até a sacada de seu quarto e sentou na cadeira que ali tinha. – Pra ser bem sincera, eu não vi muita coisa além das notificações do meu instagram.
Você sabe que se precisar de qualquer coisa, pode contar comigo, né?
– Sim, eu sei, Lou! Mas não se preocupa, por favor! Você tem uma viagem mais tarde, fique tranquilo.
Tudo bem! Charlotte pediu pra te avisar que ela vai até sua casa amanhã pra vocês saírem juntas.
– Ok, mande um beijo para ela. – Desligou seu telefone e foi até sua mesinha de cabeceira para pegar seu maço de cigarro para emergências, voltando logo para a sacada.
Ao dar a primeira tragada, sentiu seu corpo relaxando. Pensou se deveria abrir as redes sociais e ver o que falavam sobre ela, mas ficou com medo do que poderia encontrar; ao mesmo tempo, se questionou se aquilo iria ocorrer sempre, já que ela não abriria mão da sua amizade com o cantor, ele lhe fazia muito bem.
Estava mergulhada em pensamentos quando entrou na varanda, roubando o cigarro da amiga para dar uma tragada. As duas ficaram em silencio por alguns minutos, até perguntar:
– Como você tá?
– Sinceramente? – perguntou sem encarar a amiga, continuando em seguida. – Eu estou bem! Estive pensando, eu preciso me acostumar com essa exposição se eu quiser manter minha amizade com Louis e eu não quero abrir mão dele.
Ao ouvir as palavras de , sorriu. Ela sabia que Louis estava fazendo muito bem para a amiga e ver que ela estava disposta a enfrentar qualquer coisa pra manter ele por perto fez com que tivesse a certeza de que algo a mais estava rolando por ali.
– Que bom ouvir isso! – Disse sincera. – Acho que você vai gostar de alguns tweets que eu vi, por exemplo esse: eu não sei quem é essa garota, mas pela foto dá pra perceber que o Louis está feliz, então obrigada garota misteriosa.
– Garota misteriosa? – riu.
– Sim! Quem vazou sua foto tinha esquecido de apagar seu nome, mas depois ela apagou o print e postou de novo. Por isso algumas pessoas te pediram pra seguir no instagram. Mas isso não é tudo, olha esse: achei algumas fotos da amiga do Louis e socorro ela é linda! Já quero contratar o trabalho dela pra minha casa.
– Ai meu Deus, me deixa ver isso! – levantou animada, indo em direção a amiga para ler o tweet. – , você precisa responder essa menina. Manda uma DM, sei lá! Falando que eu agradeço pelas palavras doces dela, não sei.
– Depois eu respondo, prometo! Agora eu quero te mostrar uma coisa, você me contou que já ouviu algumas músicas do Louis.
– Sim, ele me mostrou algumas que estarão no álbum novo dele, por quê?
– Eu quero te mostrar outra música dele, acho que vai te ajudar a perceber que ele está contigo nessa e que ele é só um cara normal com uma profissão extraordinária.
As duas voltaram para o quarto de e a arquiteta ligou a tv, logo colocando no YouTube.
– Ok, essa música se chama Just Like You e acredito que foi uma das mais sinceras que o Louis já lançou.
ouviu a música atentamente, era engraçado pensar que a voz de Louis lhe acalmava e que essa música em específico a fazia pensar que ela estava mais do que certa em mantê-lo em sua vida. A música que dizia sobre ficar triste e estressado, que nada poderia ser resumido a carros, champanhes e quartos de hotéis, a fez sentir que poderia contar com Louis para qualquer coisa, porque ele a entenderia.
Foi com o clima mais leve que as duas passaram aquela manhã, conversando sobre besteiras e cozinhando.


Passava das duas da tarde quando Charlotte Tomlinson apareceu na casa de a convidando para um passeio, deixando claro que Eleanor as encontraria no shopping. e ficaram animadas para a saída, precisavam mesmo sair um pouco de casa.
– Espero que você não tenha se importado em eu ter vindo até aqui. Louis me passou seu endereço. – Lottie disse enquanto esperava as outras duas ficarem prontas para saírem.
– Imagina! Sem problemas, ele me avisou ontem que você viria.
As três saíram da casa da designer e não demoraram para chegar ao shopping, logo encontrando Eleanor em uma das entradas. Após as apresentações serem feitas, já que não conhecia Eleanor, as quatro entraram no edifício e ficaram passeando pelos corredores, olhando algumas vitrines para ver se algo chamava a atenção.
– E como você tá, ? – Els perguntou.
– Por incrível que pareça, eu estou bem! Quer dizer, ainda é estranho abrir meu instagram e ver todas aquelas solicitações. Mas me ajudou lendo alguns tweets carinhosos. – Disse sorrindo pra amiga
– As fãs do meu irmão podem ser péssimas às vezes, mas eu juro que dessa vez eu fui surpreendida quando dei uma olhada no twitter e elas estavam te agradecendo.
– Sim! Tive a mesma reação que a Lottie, a maioria foi muito carinhosa contigo, .
– Foi o que eu disse pra ela, e depois disso ela me fez responder algumas fãs para agradecer o carinho. E foi assim que a minha timeline foi à loucura. – disse fazendo graça.
– É só que é tudo muito estranho isso, tipo do nada as pessoas acham que sabem quem eu sou. Mas eu tô bem agora, de verdade.
A conversa foi interrompida com o soar de algumas mensagens do celular de que decidiu abrir logo ao ver o nome nas notificações.
Louis/Will
📸
E começamos as gravações
Ao abrir a foto, se deparou com um Louis vestido com um terno todo preto. Puta merda, como ele estava lindo! Preto realmente lhe caía bem, não que ela já não soubesse disso.
não percebeu, mas, ao abrir a mensagem e a foto, um sorriso se formou em seu rosto, o que não passou batido para as outras três mulheres que ali estavam, mas que decidiram ficar quietas e deixar que a designer assumisse o quanto o cantor mexia com ela.

Estou ansiosa para ver o resultado!

Me mande mais fotos depois, por favor

Mandarei!
O que você está fazendo?
achou que uma foto responderia muito facilmente aquela pergunta, por isso falou para as meninas se juntarem a fim de tirar uma selfie e mandar para ele.
– Pra quem você vai mandar isso? – Lottie perguntou se fazendo de desentendida.
– Louis perguntou o que eu tava fazendo, vou mandar a foto pra ele. – Disse de forma simplória.
– Ah sim. – A modelo trocou olhares com as outras e soltaram uma risadinha sem som, mas deforma irônica.
– O que foi? – perguntou ao perceber a movimentação entre as três depois de enviar a foto para Louis, guardando o celular no bolso em seguida.
– Nada não, , nada não. – disse abraçando de lado a amiga.
Continuaram andando pelo shopping até entrarem em uma loja de lingeries, pois a designer tinha gostado de um conjunto da vitrine. As quatro aproveitaram para experimentar alguns pares. , no entanto, ficou em dúvida se deveria ou não levar o conjunto que tinha gostado.
– Olha se você não sabe se gostou, eu tenho certeza que meu irmão adoraria. – Lottie disse fazendo graça.
– Socorro, qual parte do somos apenas amigos, vocês não conseguem entender? – perguntou para as três que estavam paradas na sua frente.
– A parte em que vocês estão sempre trocando mensagens ou se ligando, e eu sei que o Louis não é disso. – Eleanor entrou na brincadeira.
– E nem você, . Você, às vezes, demora uma semana pra me responder. – continuou.
– Por Deus, o que eu fiz pra merecer isso? – fez a pergunta retórica e retornou pra dentro da cabine.
– Só coisas incríveis, cunhadinha, só coisas incríveis. – Lottie finalizou.

Nota da autora: oii gente, eu sei que faz muito tempo desde a última atualização, e queria muito pedir desculpas por isso, mas passei por um bloqueio e não conseguia escrever. Aliás, queria agradecer a Lari e a Mandy por me incentivarem a continuar e me ajudarem a passar por esse bloqueio!
Mas enfim, me digam o que estão achando, agora não é mais uma pessoa invisível, Charlotte não deixa nenhuma piadinha passar e logo, logo teremos também o lançamento de Walls! Estou tão ansiosa pra trazer isso logo pra vocês.
Prometo não demorar tanto no próximo capítulo. Um beijo grande
Grupo do FB
Instagram da PP
Instagram do Louis