18. Obviously

18. Obviously

  • Por: M. Bueno
  • Categoria: Especiais | McFLY
  • Palavras: 2914
  • Visualizações: 281

Sinopse: Dougie ficou sabendo que a modelo terminou o namoro. Mas obviamente, ela está longe do seu alcance e ele nunca será suficiente. Ou será?

Capítulo Único

2 0 1 3:

– It’s showtime! – Elsa Hosk gritou, animada como sempre. As modelos já estavam todas posicionadas para entrar, nervosas e torcendo pra que tudo desse certo.
O desfile do Victoria’s Secret de 2013 contava com a modelo inglesa – filha de uma modelo francesa dos anos 80 – e de um empresário de sucesso inglês. Nascida em Londres, a menina cresceu com o incentivo para seguir tal profissão vindo da mãe – e foi muito mais fácil para ela, uma jovem de apenas 23 anos, chegar ao Victoria’s Secret Fashion Show.
estava radiante. Ela abriria o desfile usando o royal fantasy bra. Essa categoria era toda sobre a Inglaterra e ela não poderia estar mais feliz em representar seu país, ainda mais com aquele traje. Ela estaria mais feliz ainda se não tivesse terminado seu namoro de três anos com o ator Jamie Dornan há dois dias, e se ele estivesse lá por ela, como esteve desde 2010 – que foi quando ela pisou na passarela da marca pela primeira vez, ainda desfilando apenas na categoria que leva o nome de “PINK”.
olhou para cima encarando o teto. Ela não iria chorar. Estava nervosa e se sentia sozinha mas não iria chorar. Pensou em sua família, em seus amigos. Estava grata por tudo que passou. Respirou fundo.

Showtime! A loira abriu o desfile de maneira impecável. Fez uma catwalk de dar inveja. As modelos no backstage gritaram por ela, e algumas novatas ficaram de queixo caído. A menina fez seu trabalho e voltou para trás das cortinas nervosa. Tinha mais uma categoria pela frente, e também precisava ser impecável. Por mais incrível que era, sempre achava que nunca era o suficiente e que sempre teria que ser melhor. Ela e a brasileira Adriana Lima “lideraram” o fim do desfile. Todo mundo que ali estava, aplaudiu. Em pé.

No final do desfile, as modelos se reuniram no after party, que tinha todos os membros da equipe, os acompanhantes, pessoas importantes, e também alguns amigos – e amigos de amigos que conseguiam um ingresso pra ir.

estava sentada numa mesa, ao lado da africana Behati Prinsloo, da estado-unidense Lily Aldridge, e de frente para a portuguesa Sara Sampaio. As quatro estavam num papo animado sobre como Behati estava apaixonada por Adam Levine, até que Sara disse:

, acho que tem alguém te encarando ali atrás. – a loira se virou e viu seu amigo, Dougie. Ele era baixista da banda McFly, e ela só conhecia os meninos por causa de Danny. Esse sim ela podia chamar de amigo. Daniel e eram companheiros de pub. Os dois bebiam os mesmos drinks, pediam as mesmas comidas, usavam as mesmas cores de roupa – sem nem combinar – e a namorada de Danny jurava que eles foram irmãos em outras vidas, pois além disso tudo, eles eram bem próximos. acabou conhecendo Dougie, Harry e Tom por causa disso, e sempre deixou claro o quanto era fã de cada um deles. O que ela não sabia, era que Dougie tinha uma crush nela desde que eles se conheceram.

– Dougie! Oi! – ela disse se levantando e caminhando em direção ao loiro.
– Oi . Parabéns pelo desfile, você estava linda! Jamie é um cara de sorte.
– Muito obrigada Dougie. Bom, Jamie está sendo um cara de sorte com outra pessoa, provavelmente. – a modelo respondeu, com o semblante claramente abalado com o rumo que a conversa tomou.
– Como assim? – Dougie perguntou, tentando parecer com pena por fora, mas estava bem feliz por dentro.
– Ah, descobri que ele estava me traindo com outra pessoa. Mas espero que sejam felizes, afinal, sou muito mais que isso. – respondeu ela, dando um sorriso um tanto convencido.
– Realmente. Também não estou nos melhores dias, e acho que deveria pensar mais como você. Frankie terminou comigo faz um ano, e fui parar até em uma rehab. Faz tempo que não te vejo e nem tenho seu número, se não teria te falado. Danny te contou?
– Danny deve ter mencionado alguma coisa, mas como eu vivo nessa loucura com um desfile chegando, umas fotos aqui e ali, nem devo ter prestado muita atenção. Me desculpa! Mas espero que você fique bem, de verdade.
– Estou superando aos poucos. Acredita que Frankie uma vez falou que eu gostava muito mais de você do que dela?
– Ah, pronto. Céus, essa menina é doida. Até parece que eu me interessaria por homens que têm menos de um metro e oitenta. – a loira disse brincando.
– Me respeita . Você diz isso porque ainda não provou do meu mel. – ele respondeu rindo, e recebeu uma gargalhada vindo da modelo. E ele simplesmente amou aquele som.
– Certo. Bom, o que te trouxe aqui, afinal?
– Ah, uns conhecidos cantaram no desfile, e me chamaram. Era para os meninos estarem aqui também, mas eles resolveram fazer uma viagem de casal. E eu acabei sobrando por motivos óbvios. Me passa seu telefone?
– Empresta aí – e então ela pegou o celular dele e digitou rapidamente seu contato. – Mas ah, entendo. Fique bem. Vamos marcar de sair qualquer dia desses, acho que… – antes de poder terminar a frase, alguns fotógrafos chamaram para tirar umas fotos no pink carpet, e ela teve que ir.
– Vai lá menina, precisam mais de você ali. Qualquer coisa eu te ligo!
– Liga sim! – e então a modelo sumiu da vista do rapaz, andando como se fosse a dona do mundo. E para Dougie, ela poderia ser.

O problema foi que algumas coisas tem um tempo certo – e aquele não era o tempo deles. Dougie ligou para , os dois saiam como amigos e depois surgiram rumores de que estariam juntos. Na verdade, eles tentavam fazer isso acontecer – o que simplesmente nunca dava certo. sempre priorizou sua carreira, e Dougie sempre fez o mesmo com a dele – e não demorou muito para as agendas começarem a prejudicar a tentativa de relacionamento. Dougie sempre dizia a quem fosse, que a modelo estava obviamente fora do seu alcance, e que ela jamais seria dele, já que ao seu ver, ele era insuficiente. O baixista decidiu morar em Los Angeles por um tempo, logo após o “término” deles. Ele ficou dois anos por lá, mas acabou voltando para Londres depois.

2 0 1 7:

Harry Styles já entrava no palco do desfile para cantar Kiwi. seria a primeira a entrar. E só para variar, a moça fez um desfile maravilhoso naquele ano.
Chegou no seu apartamento depois da viagem de volta de Xangai exausta, e se jogou no sofá preto que tinha na sala. Resolveu pegar uma taça de um bom vinho, e dar uma checada no celular. Viu que tinha algumas mensagens de amigos mandando parabéns pelo desfile, sua mãe com vídeos que ela mesmo filmou com o celular da filha desfilando, Danny cobrando visitas, Harry e a família gravaram um vídeo dizendo que ela estava linda como sempre e que estavam com saudades e Tom fez o mesmo. Todos eles diziam que ela vivia ocupada, ainda mais agora que ela tinha uma marca de biquínis para gerenciar.
A única pessoa que não mandou uma mensagem sequer foi Dougie. Ela tinha visto que ele terminou seu relacionamento com Ellie Goulding já fazia um certo tempo, mas até aquele dia ele não havia mandado uma mensagem, ligado em seu aniversário ou qualquer coisa do tipo. O loiro fez questão de excluir a modelo de sua vida pessoal, mas ela não entendia o motivo dele ter tomado medidas drásticas.
A verdade é que ainda sentia falta de Dougie e achava que eles tinham sim um futuro pela frente. Só restava ele tomar coragem e voltar a falar com ela. Para que isso acontecesse, ela resolveu mandar um direct no instagram dele dizendo:
“Oi Dougie, quanto tempo! Espero que você esteja bem. Sinto saudades. Vamos combinar alguma coisa com os meninos, ok? Xx.”
A resposta do baixista veio alguns dias depois, pedindo perdão pela demora, mas que ele só teria espaço na agenda a partir do próximo ano. E isso teria de servir, caso eles quisessem manter o mínimo contato que fosse.

2 0 1 8:

Todd tinha chamado os parceiros de banda para jogar alguma coisa – FIFA, talvez – em sua casa. Mas desde certa mensagem, o moreno tinha reparado que seu baixista vinha fuçando certo perfil com bem mais frequência que o normal. Corey fez uma pipoca, se sentou no chão ao lado de Todd e encostou a cabeça no sofá que Dougie estava largado.

– Dude, você tem que parar de ser otário. Chama ela pra sair logo. – Todd cutucou o amigo, que estava há horas stalkeando . Os rapazes da INK sabiam um pouco dos dois, mas não entendiam o porque de Dougie se sentir tão inferior.
– Não é questão de ser otário, é ser realista. Olha pra essa mulher, tá vendo? – Dougie virou o celular com uma foto da modelo de biquíni na tela. – Você acha mesmo que eu teria alguma chance?
– Você nunca vai saber se não tentar. – comentou Corey ao pegar um pouco de pipoca.
– Mas a gente já tentou. Não deu certo mesmo.
– E não deu certo exatamente por quê? – Todd retrucou.
– Porque nós dois temos agendas incompatíveis. Ela viaja o ano todo, desfila o ano todo, tem um novo projeto com uma ONG, tem uma marca de biquínis… E eu aqui.
– Você é um otário. Chama ela logo.
– Merda. – o celular começou a tocar – ela tá me ligando.
– Vai que é sua. – disse Corey.

– Alô
– Oi Dougie, é a . .
– Eu sei. Como você tá?
– Eu to bem. E com saudades. A gente ficou de marcar algo com os meninos, mas pelo visto não vai dar, né?
– É. Quer dizer, vamos marcar algo só nós dois.
– Tipo um encontro?
– Tipo um encontro. Pra lembrar dos velhos tempos.
– Ok, eu chego de Dublin hoje à noite, mas amanhã à tarde não tenho nada agendado.
– Pode ser. Você me encontra naquela confeitaria que a gente costumava comprar bolo, pode ser?
– Pode ser sim. Até mais!
– Até.

Dougie desligou o celular ainda em choque. Do nada, a mulher dos seus sonhos telefonou. Bem quando ele achava que já tinha ficado na zona de esquecimento, a moça surgiu novamente. Ele se despediu rapidamente dos seus companheiros de banda pra evitar perguntas, e foi o mais rápido possível embora para sua casa. Mandou uma mensagem pra Danny perguntando se o amigo tinha algum dedo nisso e a única resposta que obteve foi “me agradeça depois”. Resolveu não questionar.

Ao chegar na confeitaria, viu Dougie sentado em uma mesinha mais afastada, tomando uma água. Ela se aproximou, cumprimentou o rapaz e notou que ele tinha um perfume extremamente bom – do tipo que ela poderia passar o dia sentindo o cheiro – e não reclamaria.
Os dois pediram um pedaço de bolo arco íris, e quando o pedido chegou, riu baixinho.
– O que foi? – disse Dougie sorrindo de leve.
– A gente costumava pedir esse bolo e levar pra sua casa. Era o único dia que eu saía da dieta, lembra?
– É claro. E logo no dia seguinte você já voltava com o café da manhã super regrado.
– Sacrifícios da vida de uma modelo. Acontece. – a loira deu de ombros. Eles ficaram um tempinho com um silêncio desconfortável instalado ali, até que ele decidiu quebrar:
– Vi seus vídeos no desfile do ano passado.
– Ah é? O que achou?
– Você é sempre impecável. Estava linda, .
– Obrigada Dougie. – ela agradeceu sorrindo.
– Eu pensei em te chamar pra sair. Várias vezes.
– E por que não chamou?
– Porque você é demais pra mim.
– Para de besteira, Dougie. Não tem essa!
– É sério! É tão óbvio que você tá em outro patamar.
– Nada a ver. Quero sair com você, e aí? Te conhecer outra vez. Começar de novo.
– Começar de novo? Tipo, um namoro?
– Sim. Vamos tentar outra vez, Dougie. E eu falo sério.
– Vou pensar no seu caso. – respondeu o loiro tentando jogar um charme.

Os dois voltaram a sair. Primeiro, ele foi jantar na casa dela. Ele não acreditava até provar, mas ela cozinhava muito bem. Depois os dois foram indo para bares, cinemas, restaurantes… enfim, todo lugar que conseguiram ir durante as férias da modelo, deixando o relacionamento de anos atrás ir se reconstruindo aos poucos.
Quando o tempo livre dela acabou, eles decidiram fazer diferente. Dougie acompanharia ela no próximo desfile da Versace e então eles iriam juntos para alguns dias da turnê da INK. Essa convivência diária que eles tiveram – mesmo que em hotéis – os aproximou muito e fez com que o namoro tomasse outros níveis. Em cerca de oito meses – e após certo enche-saco de Danny – os dois compraram uma casa em Londres, onde começaram a morar juntos. deu uma desacelerada com seu trabalho pra poder se adaptar a tantas mudanças.
Dougie sempre exaltava a namorada. Ele não cansava de dizer todos os dias o quanto ela é maravilhosa. A moça dizia que era exagero, mas ela adorava se sentir amada – e amar de volta.
Dois anos depois, pediu Dougie em casamento. Ela decidiu tomar a iniciativa porque queria que ele se sentisse o suficiente pra ela. E foi num jantar especial que ela resolveu abrir o jogo.
– Dougie, preciso falar uma coisa.
– Pode falar, amor. – ele respondeu, olhando na direção dela.
– Você sempre disse pros meninos que não era o suficiente – e sim, isso eu perguntei pro Danny! – ela disse, fazendo com que o rapaz ficasse com o rosto vermelho de vergonha. – Mas calma! Eu descobri que você foi pra Los Angeles pra me evitar, e descobri que você sempre quis ficar comigo – e que pensava que seria perca de tempo ficar correndo atrás de alguém que você achava inalcançável. Eu sei que você disse inúmeras vezes que era tão óbvio o porquê de você não vir atrás de mim. – ela fez uma pausa pra checar se ele ainda estava prestando atenção, e continuou – Mas você é suficiente. Você sempre será o suficiente pra mim e é por isso que eu continuei te arrastando por todo esse tempo. Eu nunca parei de te amar, Dougie. Você desperta em mim algo sem comparação. – ela olhou nos olhos do namorado, que estava emocionado. – E eu quero que você saiba que eu nunca vou te machucar. Eu te amo demais e é por isso que eu to te pedindo em casamento. – ela soltou o final de uma vez, nervosa.
, eu nem sei o que dizer. Você é incrível, e é claro que eu aceito. – ele disse sorrindo, fazendo a moça se levantar do seu lugar na mesa e ir sentar no colo dele, o abraçando. – Mas eu tenho uma coisa pra te pedir.
– Pode falar. – ela disse, tentando beijar o noivo, que tentava fugir do carinho fazendo graça.
– Quando a gente for casar, não usa salto, tá? – ele disse soltando uma risadinha e a loira gargalhou.
– Céus, eu te amo Dougie.
– Eu te amo também, . Mas é sério! Você é muito alta! – ele disse rindo.
– Como você quiser, amor. – e então eles se beijaram. Dougie tinha certeza que havia finalmente encontrado a mulher com quem desejaria passar o resto de seus dias – e o melhor disso tudo é que o sentimento era recíproco.

 

Fim.