20. We Are Bulletproof: The Eternal

20. We Are Bulletproof: The Eternal

Sinopse: estar no topo do mundo não o impedia de ter dias ruins, mas ele não estava sozinho e eles não eram apenas sete. Não quando havia pessoas em todo o mundo lhes mandando amor e os segurando para que não caíssem. Eles eram eternamente à prova de balas.
Gênero: Drama.
Classificação: Livre.
Restrição: A fanfic não é interativa.
Beta: Regina George.

Capítulo Único

일곱의 겨울과 봄 뒤에
Depois de sete invernos e primaveras
이렇게 맞잡은 손끝에
Nas pontas dos nossos dedos entrelaçados

É quase impossível ouvir sua própria voz quando milhares de pessoas gritam o seu nome.
Às vezes eu me assustava quando estava no palco e conseguia me ouvir com clareza, porque mesmo com todos aqueles gritos e choro pudessem assustar no início, eu já tinha me acostumado e entendia que era apenas uma forma de expressar sentimentos. Eu gostaria de ter toda aquela bagunça ao meu redor quando os meus pensamentos ficavam altos demais e talvez assim eu não tivesse tantos dias ruins como estava tendo.
Mas o mundo não era uma fábrica de desejos e mesmo que muitos dos meus sonhos tivessem se realizado, o peso do mundo não ficava mais fraco sob os meus ombros. Na verdade, às vezes, ele se tornava ainda mais pesado do que eu sentia quando era apenas um trainee em busca do sucesso.
Chegar ao topo do mundo não tinha sido fácil. Eu tinha tropeçado, errado a trilha e caído muitas vezes e era grato por sempre ter alguém para me segurar e me incentivar a continuar. Eu era extremamente agradecido pela família que eu tinha, pelos meus amigos e praticamente irmãos e pelas pessoas de quem eu não conseguia gravar as feições mas que sempre estavam ali para me estender a mão e me puxar para cima. Se eu tinha chegado tão alto, era porque as pessoas tinham me ajudado a subir aquela montanha. E por mais que a vista do topo fosse gloriosa, ventava muito e muitas vezes a tempestade quase me arrastava pelo caminho de volta.
Aquele era um daqueles dias e eu sabia que era uma droga ainda maior porque tinha show naquela noite, para um estádio lotado, e eu deveria estar bem, mesmo que só quisesse voltar para baixo dos cobertores e ligar a TV para assistir qualquer programa que afastasse os pensamentos ruins.
Em dias como esse, eu sentia tudo demais. Cansaço demais, por conta dos treinos exaustivos. Sentia muita falta de casa, por estar há semanas na estrada com a turnê. Sentia a pressão da mídia, colocando defeitos em tudo o que eu fazia e ganhando dinheiro com manchetes sensacionalistas. Sentia a perseguição dos paparazzi e daquelas pessoas que se diziam “fãs”, mas que na verdade eram apenas obcecadas e me davam medo. Sentia culpa por me aproximar de algum dos meus amigos e ter de lidar com pessoas supondo um relacionamento onde não existia. Sentia a confusão por não me sentir eu mesmo, perdido dentro de uma confusão de expectativas que outros criavam sobre mim e sem conseguir me achar.
Eu não era eu. Era apenas mais um membro, dos sete do BTS. Uma figura, uma imagem que as pessoas achavam que conheciam e de quem supunham e esperavam muita coisa. Coisas que eu não me sentia capaz de alcançar e sabia que o sentimento de fracasso iria me atingir quando realmente não conseguisse suprir as expectativas dos outros. Era cansativo e triste precisar ser, vinte e quatro horas por dia e sete dias na semana, um idol. Não eu, o rapaz com um sonho. Às vezes eu realmente duvidava que aquele cara ainda existia dentro de mim.
Para alguns aquilo poderia soar como ingratidão, porque veja bem, eu cheguei ao topo do mundo e estou reclamando. Eu tenho dinheiro, uma mansão, carros e roupas de grife. Tenho o mundo aos meus pés e estou aqui, reclamando de boca cheia, como a porra de um ingrato. Mas aquele não era o caso e eu era sim feliz com a vida que eu levava, na maior parte do tempo, e era extremamente grato pelo apoio que recebia para que os meus sonhos continuassem se realizando. Muitas pessoas passavam a vida tentando alcançar o sucesso no que almejavam e eu tinha conseguido e me sentia sortudo porque eu era. Mas eu não deixava de ser uma pessoa, de me afetar pelo que falavam de mim, de me frustrar por ter minha vida limitada por um contrato e às vezes querer fugir da pressão que os fãs colocavam sobre mim, mesmo que muitos não o fizessem por querer. Afinal, eu era humano como qualquer outra pessoa e também estava sujeito a enfrentar problemas na minha vida. E como eu escolhia lidar com aqueles problemas é que era o ponto, porque eu não podia me deixar afundar naquele caos. Eu precisava de mais um puxão para não tropeçar e cair e por isso não hesitei em entrar no Weverse em busca de qualquer coisa. Fui passando os olhos por diversas postagens, até uma em especial me chamar a atenção e me segurar no lugar, para que a tempestade não me jogasse para longe.
Ei! Não estou escrevendo isso para nenhum de vocês especificamente, na verdade, é para todos os sete. Eu queria agradecer por tudo, sabe? Eu tenho muitos dias ruins, onde não consigo nadar para a superfície e me deixo afundar no lago escuro sem lutar contra o afogamento. As coisas simplesmente se tornam demais e eu sei que os meus problemas não são tão graves como a fome e a miséria no mundo ou o desrespeito com os direitos humanos, mas esses são os meus problemas e para mim eles se tornam pesados demais. E por isso eu afundo, cada segundo para mais longe da luz, de olhos fechados e sem lutar contra.
Mas então eu escuto ou vejo você e sinto alguém me puxar para cima. E eu poderia passar horas e mais horas aqui falando de cada música que toca o meu coração e a forma como eu amo as vozes de vocês, de como são talentosos e incríveis, mas o meu propósito não é esse. Eu tive um dia ruim e vocês me salvaram mais uma vez, então se você estiver tendo um dia não tão legal – espero que não, porque vocês merecem apenas a felicidade – e se deixando afundar em pensamentos ruins, saiba que tem uma pessoa aqui, do outro lado do mundo, que ama e se importa muito com vocês. Estão fazendo um bom trabalho, incentivando a juventude a praticar o bem e não deixar que um dia ruim nos derrube e nos faça desistir de vez. Vocês são necessários e estão no caminho certo e quando precisarem que alguém os levante, eu vou estar aqui. Vocês não sabem o meu nome, nem sequer nos vimos pessoalmente, mas o amor de vocês me cura um pouquinho mais todos os dias e eu espero que o meu seja o suficiente para que os dias de vocês sejam mais felizes.
Com muito amor, alguém do outro lado do mundo que é Army do BTS.

– Obrigado Army do outro lado do mundo. Você salvou o meu dia hoje. – E com isso eu bloqueei o celular e corri para o banho. Iria dar o meu melhor na performance daquela noite em homenagem aquela pessoa que tinha sido o meu suporte quando o caso estava dominando meus pensamentos. E mesmo sem saber seu nome, esperava que sentisse, porque era isso que acontecia quando você amava alguém além do amor.
We are, we are forever bulletproof
Nós somos, somos eternamente, à prova de balas
(Yeah we got to heaven)
(Sim, chegamos no paraíso)


Nota da autora: E aqui temos a parte 2, que completa Louder Than Bombs e eu espero que tenham gostado, de coração. Essas duas one shots me deixaram bem triste e sentimental e foram escritas com muito amor e carinho pelas palavras e pelos meninos.
Vocês podem entrar no meu grupo de leitoras no WhatsApp e no Facebook e também me encontrar no Twitter com minha conta pessoal e no fc. @graziesescreve no Instagram também!