epiphany

epiphany

Sinopse: Quando você retorna da guerra sem seu amado, enquanto o tempo passa, você deseja saber quando vai pode ter ele de volta em seus braços…
Gênero: drama, romance
Classificação: +16
Restrição: palavras de baixo calão, romance entre duas pessoas do mesmo sexo.
Beta: Rosie Dunne

Prólogo
Querido ,
Hoje o tempo nasceu estranho aqui, e logo me veio à mente que você odeia dias assim. Me bateu saudades dos dias que podíamos estar juntos, e agora me encontro abraçado no moletom que deixou comigo assim que embarquei para a missão.
Fico pensando o que você está fazendo nesse momento? O que está pensando? Quais seus planos para o próximo domingo?
Eu perdi as contas do dia que estou aqui, e a cada dia que passa nesse inferno.
Eu queria estar deitado do seu lado nesse momento, tocando sua face enquanto penso: caralho, como sou sortudo em ter você do meu lado.
Será que você ainda é meu, igual eu sou seu? Porque por mais que tenha se passado 3 anos do nosso último encontro, meu coração ainda permanece com você.
Meu amor, eu não sou muito bom com palavras para cartas e ainda quando se trata de você, porque não há palavras que de para explicar o que você é para mim.
Então, feliz aniversário. Que você continue sendo essa pessoa maravilhosa. Você é tudo para mim, não se esqueça de nada que passamos juntos. Eu te amo demais.

De seu eterno amor, .

 

Capítulo I.
 

se encontrava com lágrimas nos olhos com a carta que havia recebido do exército.
Fazia um ano e pouco mais sete meses desse a última vez que vira o amado, e a cada palavra escrita, enquanto apertava os lábios, enquanto pensava, que desejava que estivesse ali, lhe dizendo essas coisas, e seguro em seus braços.
respirou fundo, apertando o anel em seus dedos, e dizendo a si mesmo que estaria de volta para ele.
Em seus braços, ao qual ele jamais deixaria partir, recuperou a compostura, enquanto encarava o apartamento abastardo no centro de Londres, ao mesmo tempo em que pensava, porque de ir para guerra?
respirou fundo, enquanto encarava a perna, ao mesmo tempo em que se movimentava devagar.
A dor irreal que sentia do acidente no exército, as palavras da de conforto no avião de volta para casa, a falta dele durante a fisioterapia, o fato de estar sozinho do outro lado do oceano.
E as lembranças dos gritos, da dor e saudade que sentia cresciam.
estava enlouquecendo, apenas juntou as mãos uma na outra e pedia a qualquer divindade que protegesse o único fio esperança, enquanto apenas passou as mãos pelos cabelos.
estava bem –, ele estava bem.
apenas ouviu o som da chuva, enquanto apenas se moveu devagar até a janela, será que o dia estava bom para ele naquele momento?
A lembrança da primeira vez que o viu.

Cinco anos antes.

Os recrutas daquele ano pareciam promissores pelas palavras dos homens que participaram da triagem.
encarava a lista de oficiais listados para a unidade dois, enquanto apenas ajeitava na cama.
Fazia dois dias que havia retornado as terras britânicas, apenas sentiu alívio por mais uma missão cumprida, ao passo em que ouviu as vozes soando altas demais.
— Acha que pode mesmo servir?
observou os novatos, um deles estava na roda sendo espancado pelo outro, suspirou com as atitudes infantis enquanto pegou a arma, e prestes a disparar para o alto, o segurou.
— Observe.
Apenas encarou o menor derruba o homem duas vezes maior que ele, enquanto segurou seu braço, o rosto suado com algumas gotas de sangue se misturando ao suor, ao mesmo tempo em que se afastou.
— Eu não estou interessado em você. Não se preocupe se vou ou não dar em cima de você, gorila.
encarou o rapaz com tatuagens nas mãos, enquanto o mesmo se afastou, riu.
— Ele foi recrutado da marinha. O capitão tem grandes esperanças nele, afinal ele é filho do então General .
?
— Ele é o .
? Enquanto o rapaz se afastava, apenas percebeu o corte militar e algumas de suas tatuagens.
— Carinha difícil, viu?
A voz de Steven soou, enquanto balançou a cabeça.
— Ele tem um mau gênio que Deus me ajude quando for para treinar.
— Ele já está dando nos nervos?
— Todos me dão, afinal, ele é o bebê . Já imaginou a tragédia caso o General saiba que seu filho está sendo maltratado?
não riu, enquanto pensava porque daquele tratamento diferenciado?

***
sorriu ao pensar na cabeça dura do então namorado.
era esquentado, mal humorado e, principalmente, jovem demais, era como ele quando entrou no exército.
Queria mudar o mundo através de suas próprias mãos.
se ergueu, enquanto seguiu até a geladeira, teria que arrumar mantimentos para as próximas semanas, ao mesmo tempo em que apenas pegou a bengala que usava agora.
Como um senhor idade, mesmo tendo apenas quase 32 anos –, respirou fundo enquanto começou a andar, a vida sem a teimosia de ao seu lado era sem graça.
Ambos estariam brigando sobre o bendito condimento que iria sobre a comida, ou na escolha das colchas de cama, porém, estaria sobre o menor lhe amando devidamente.

***
 

Cinco anos antes.

era de fato um gênio, assim como boatos que seguiam sobre ele, sabia que o garoto tinha potencial.
Fora criado para ser o soldado que todos amam, porém a rebeldia e imprudência estavam em seus olhos, as reclamações de Steven vieram assim como seus elogios.
Ele era bom no que fazia, nascido para isso. Porém, quem nascer para guerra? Quem nesse mundo está preparado para tirar a vida do outro? parecia ser esse tipo de pessoa, até aquele momento.
O garoto durão estava chorando, enquanto apertava as mãos em punhos e prestes a socar a parede, nunca havia visto nenhuma emoção de dor no rosto de .
— Você está bem?
O som de sua voz soou baixo, os lábios cerrados, ao mesmo tempo em que encarava os olhos repletos de lágrimas, tentou se afastar enquanto suspirou.
— Eu não estou aqui para julgar. Mas, você está bem?
— E o que significa essa palavra? – sua voz soou rouca, arqueou as sobrancelhas – Eu estou bem. E o fato de que não aceitou pelo que eu sou que me incomoda, afinal, meu pai me odeia.
— Você é o melhor da turma. Tenho certeza que ele está orgulhoso de você.
A risada fraca de chamou sua atenção, o mesmo limpou as lágrimas, enquanto encarou pela primeira vez, era um pouco menor, mas ainda intimidado, os olhos castanhos claros suspiraram.
— Ele é, não se gaba por aí que o filho é gay. Então, acho que ele não é tão orgulhoso assim de mim. Então, não diga algo que não sabe, Major .
apenas sorriu, enquanto suspirou.
— Meu pai também não aceitou a sexualidade. Mas, você não precisa dele. Você é capaz de ficar sem ele. Entendeu, ?
encarou o mesmo, enquanto o braço sobre seu ombro de conforto, ao qual ele não teve de sua família desde que se assumira.
Nenhum tipo de afago como aquele.

***
respirou fundo.
Estava saudoso demais, enquanto encarava as prateleiras do mercado, encarava os preços enquanto pegou alguns mantimentos.
A lembrava da comida horrorosa do exército não lhe trazia boas lembranças, enquanto apenas avaliou o que gostaria de ter na mesa de casa, afinal o tinha um gosto estranho por preferências exóticas, apenas observou os preços quando a voz o chamou.
?
A mulher de cabelos loiros tinha uma expressão indecifrável, o olhar avaliou o rosto dele, enquanto se ajeitou arrastando a perna deteriorada pela guerra, enquanto a mesma parecia desconfortável com olhar para o homem de poucos mais de 32 anos, apenas suspirou.
.
— Você parece bem – a voz dela soou baixa, a mesma torcia os dedos – Como você está?
A mulher era então ex-noiva de , a mesma encarava a bengala enquanto o mesmo olhar de pena estava estampado nos olhos da então médica, a mesma parecia ler sua expressão.
— Ele está bem, .
A mulher engoliu a seco, enquanto o mesmo suspirou.
— Ele vai ser dispensado em três meses. Então, ele vai estar de volta para casa. Se quiser ver ele…
sorriu, enquanto pensava, que quando soube do casamento arranjando com então mulher, ele praticamente voou em cima da pessoa que lhe dava os parabéns, e ao mesmo tempo em que disse que jamais se casaria com alguém que não ama.
— Será que ele vai querer me ver?
— Eu não posso responder por ele. Mas, você é bem-vinda por mim, .
— Eu posso te ajudar…?
Encarou desconfortável, enquanto o homem deu de ombros enquanto jogava algumas coisas no carrinho, o fato era que será a tarefa de quando retorna enquanto o mesmo sentia uma falta imensa do amante, e suspirou novamente.
Estava saudoso demais, enquanto pensava que talvez a agitação por finalmente rever seu amado estivesse agitando seus nervos.
— Ele odeia ervilhas.
— Mas, ele ainda não voltou – murmurou , enquanto riu – Obrigada, .
— É o mínimo.

***
 

Três anos e meio antes.

Talvez o fato de que estivessem bêbados demais.
Enquanto sentia a mão do moreno sobre sua coxa, apertando cada centímetro do seu corpo, enquanto os lábios tomavam os seus, com timidez que não combinava com a cabeça de .
Mas lá estava eles, beijando eufóricos pelo toque um do outro, enquanto arfou com as mãos sobre sua coxa apertando, apenas sentiu um pouco da sobriedade vir, enquanto ignorava o fato de que talvez fosse um erro, ao qual, com toda a certeza ele não estava se arrependendo nenhum um pouco.
— Eu gosto de você.
A voz de soou simples, era um homem simples enquanto se afastava dele, o uniforme desalinhado, ao mesmo tempo em que respirava fundo.
— Eu também gosto de você.
—Mas, eu não vou ser seu amante.
A voz era decidida, arqueou as sobrancelhas, e riu.
— E jamais seria, você é muito esquentando para me dividir.
— O quê?
— Eu te adoro – Murmurou em espanhol sabendo que o rapaz não saberia o significado – Então, você quer ser meu namorado?
— Você já tem…
— Steven não é meu namorado? Ele está afim do cadete Brown, e vive bebendo na minha tenda, mas não temos nada. E o único ao qual eu tenho interesse está na minha frente…
pela primeira vez em dois anos estava mudo, enquanto apenas percebeu o olhar do Major sobre o seu, ao mesmo tempo em que ele riu beijando a face do menor, e sussurrando.
— Eu posso continuar?
Enquanto o arfar de lhe deu consentimento, ao mesmo tempo em que beijou os lábios dele, tomando por aquele desejo no último ano.
Merda, ele estava rendido por .

***
Se render para era fácil.
sempre soube que era apaixonado pelo homem, não restavam dúvidas sobre seus sentimentos, enquanto pensava que aqueles cinco anos havia sido os melhores, e também, os piores.
A dor inexistente voltou.
Enquanto pensava que estava em perigo em terras estrangeiras, respirou fundo enquanto subia as escadas devagar, ao mesmo tempo em que pensava que aquele aniversário estava sendo deprimente demais, ele queria estar nos braços de naquele momento, ao mesmo tempo em que pensava o quão bonito deveria estar ele, se estava comendo devidamente, se não estava encrencando com os superiores.
Antes que pudesse pensar em qualquer outra coisa, o grito o assustou.
— SURPRESA!
O pequeno apartamento estava abarrotado de pessoas, reconheceu , enquanto o amigo abraçou ele.
— Feliz aniversário, mate.
O abraço lhe rendeu algum tipo de sentimento estranho, enquanto pensava que queria ali, ao mesmo tempo em que percebeu a figura parada ali.
O tempo havia sido bom com , enquanto o homem ainda usava a farda do exército, encarava a pessoa que sentiu mais falta no mundo, ao mesmo tempo em que sentiu aquela sensação estranha na boca do estômago, enquanto apenas se mexeu com dificuldade e as lágrimas embaçando a sua visão.
Como havia sentido falta dele, ao mesmo tempo em apenas beijou os lábios que sentia falta.

***
odiava festividades.
Mesmo assim, estava ansioso, enquanto ajustou o uniforme do exército, claramente irritado pelo fato do noivo está atrasado.
Enquanto pensava que havia acontecido alguma coisa com , talvez caído por causa da bengala, enquanto estava prestes a deixar o local onde estava quando o viu.
— Pelo amor de Deus, fique quieto.
Murmurou para ele, ao mesmo tempo em que o outro lhe mandou um olhar atravessado, havia passado o inferno para está ali, e ele não poderia estar quieto naquele momento. Ele estava casando com o homem que amava, e finalmente em casa após meses longe um do outro, enquanto apenas batia o pé impaciente.
— Eu juro que vou te bater se você não se aquietar.
Lado a lado, lentamente, vinha vestido o seu melhor uniforme, ao mesmo tempo em que pensava que era o homem mais sortudo do mundo por estar ao lado do homem que amava, ao mesmo tempo em que pensava que momentos epifania vinha ao pensar em .
Ele é o homem de sua vida, o amor, o amante mais amável e ciumento que tiveram em sua vida, e ao qual iria devotar a vida, enquanto seus olhos estavam grudados um no outro, enquanto o juiz de paz falava sobre o amor, ao mesmo tempo em que lhe sorria irritado por ter que segurar sua vontade de gruda dos lábios no amado.
— Eu vos declaro casados. Pode beijar o noivo.
apenas segurou o rosto do amado, enquanto sentiu a euforia do mais jovem, ao mesmo tempo em que sorriram um para outro.
Eu te amo.
O sussurro dos lábios de , enquanto também lhe disse com amor incondicional em suas palavras.
— Eu também te amo.

Fim.