05. Levitating

05. Levitating

Sinopse: Entre as galáxias que você deseja, até onde você iria pelo que você quer?
Gênero: Drama e Romance.
Classificação: +18
Restrição: Cenas de sexo, cenas leve de violência.
Beta: Bridget Jones.

Capítulo Único


Você deseja conhecer a galáxia comigo?
Não.
Ela tinha seus deveres.
Não.
O simples pensamento de trair seu povo não podia existir. respirou fundo, enquanto segurava as lágrimas que desciam por sua face.
Se fosse, o que diria a seu pai? O que diria a todos? O que a princesa Imperial diria sobre eles? Sobre seus atos? Apenas deixou a mão sobre o peito, enquanto aquela dor vinha em ondas.
Se ela deixasse seus pés tocarem o chão, logo a realidade a traria de volta para onde deveria estar. Os lábios dele estavam sobre sua pele e suas mãos, sem pudor, desciam até seus seios, ao mesmo tempo em que parecia não existir nada além deles.
— Eu preciso ir.
— Precisa mesmo?
A risada na curvatura de seu ombro a fez arrepiar enquanto os lábios brincavam em seu pescoço, ao passo em que lentamente perdia aquela batalha na qual não tinha forças nenhuma para continuar.
Ela amava ele?
Ela não sabia. Só entendia que o desejo era tudo que habitava em seu corpo, enquanto ela pensava que, entre as estrelas mais brilhantes no céu de Eclia, sempre seria a mais brilhante em seu céu. sabia, a todo momento, que seu coração, corpo e alma pertenceram a ele. Porém, depois de todos aqueles anos tentando ganhar seu afeto, ela entendia que ele não amava.
Ele não a amava.
Por isso, ela se jogara nos braços de .
Enquanto o desejo sucumbia as loucuras, essas trouxeram aquela relação à qual ela entregara seu corpo ao homem, saciando seus pensamentos mais pecaminosos com ele.
Afinal, os dois homens eram irmãos gêmeos. sentiu os dedos brincando em sua intimidade, ao passo que soprava em seu ouvido.
— Não pense nele.
era como fogo, se alastrando rapidamente e trazendo todos os seus desejos reprimidos por anos. soltou um gemido baixo, ao passo em que o mesmo riu.
— Ainda quer ir embora, ?
O som da voz do segundo príncipe soou e, deixando toda a educação de lado enquanto ele mantinha os olhos fixos em seus lábios, ela se sentou em cima do membro dele.
.
— Silêncio.
O som que escapou dos lábios dele foi de perder o fôlego. O movimento começou de forma suave, logo aumentando o ritmo enquanto as mãos dele estavam em suas nádegas.
. Você quer forte?
— Sim!
não podia permitir que ele dominasse tudo, muito menos ela. O ritmo mudou quando o mesmo a levantou de uma vez contra a parede, a tomando ali mesmo, com as mãos presas no alto por uma de suas mãos enquanto usava a outra para içar seu corpo para cima, com as pernas presas ao redor do corpo dele, que a posicionava sobre a mesa.
Não havia nenhum pudor. Enquanto seu gemido dominava o quarto e o gotejar do suor se misturava ao dele. Logo o ritmo estava acelerado e sentiu o frenesi em sua gruta enquanto mordeu o ombro dele, ao mesmo tempo em que os olhos cravados, idênticos ao de , estavam ali.
Seu corpo caiu em cima do dela e encarou o teto, enquanto o suor, sexo e aroma de estavam ali.
Você quer fugir comigo?

X
observou .
A menina que habitava o coração de seu amado a observava, enquanto ambos dançavam próximos um do outro.
estava noiva de , o mesmo que a conduzia pelo salão. A garota de vestido azul ria de alguma bobagem que seu então noivo dizia, os cabelos escuros em tranças longas, ao passo que ela sorria alegremente para seu noivo.
Se soubesse que esse mesmo dormia com su prima, será que ficaria feliz? sentiu a tensão do corpo de seu noivo, enquanto ele parecia irritado com algo, conduzindo-a pelo salão.
— O que houve?
Nada.
sorriu enquanto os olhos dele permaneciam fixos na garota que que foi deixada no meio da pista de dança. se afastava de sua noiva, que apenas encarava o homem partir, ao mesmo tempo que todos os convidados começavam a comentar.
Não era segredo que o casamento dos dois era político.
— Você deve ir falar com ela.
Murmurou gentilmente enquanto apenas franziu o cenho. Para consolar o seu amor, querido? Com aquele pensamento, encarava , que tinha uma expressão séria no rosto enquanto ouvia os cochichos de todos ao redor de si.
— Certo. Vá atrás do seu irmão.
concordou enquanto ela se aproximava da prima, que se assustou com a aproximação. Seus olhos amendoados se fixaram nos dourados da filha de seu tio.
— O que houve?
… – sussurrou baixo – Ele não deseja se casar comigo. Não sou boa o bastante para ele?
Pela primeira vez na vida, percebeu a voz da prima tremer. Entre as filhas dos McQueen, era destemida, amável e, acima de tudo, adorável. Mesmo que sentisse inveja da prima, admitia saber que tinha mérito por suas conquistas e fora por esse motivo que se apaixonara por ela.
— Você é perfeita. Ninguém deve diminuir você.
— Obrigada, .
Gritos soaram do lado de fora e percebeu um grupo de pessoas indo até os jardins, observando dois homens trocarem socos entre si.
— VOCÊS DOIS, PAREM!
As vozes se sobressaiam enquanto os guardas continham um ao outro. foi segurada por enquanto a confusão se instalava no baile de gala, com os olhos de cravados em nela.
Você quer fugir comigo?

X
.
Se irritara ao ver nos braços do irmão enquanto ele conduzia pelo salão.
, você está bem?
O som soou baixo e as mãos dela apertaram sua cintura. Encarou os olhos dourados que estavam fixos em si enquanto ela franzia o cenho em sua direção.
— Eu estou ótimo. Você gostou das flores?
— São maravilhosas. Obrigada pelo presente.
Não fora ele que escolhera. Havia pedido a um servo para providenciar isso, pois seu pai exigiu que cuidasse de sua relação com a princesa.
.
— Hm?
— Você deseja se casar comigo?
Não.
A resposta para aquela pergunta soou automática e ele percebeu o choque em suas orbes douradas. apertou seu ombro e riu com nervosismo.
— Eu sinto muito.
Se afastou. O que estava fazendo? Todos os seus pensamentos estavam em , fazendo-o se sentir sufocado. Ele saiu apressado ao pensar na expressão no rosto de que foi o bastante para fazê-lo se sentir mal.
Como queria rasgar seu peito e arrancar de seus pensamentos. Queria remover cada pensamento imoral que tinha com ela.
— O que você fez?
A voz de seu irmão soou. Ele o encarava sério enquanto suas mãos pararam no bolso do smoking que usava.
— Sobre?
— Você deve ser respeitoso com sua noiva.
— E quando a desrespeitei?
apenas suspirou.
— Ela…
— E porque não se casa com ela, irmão? Está louco para levá-la para cama? Fazer ela gemer seu nome?
o segurou, acertando um soco ao mesmo tempo em que o empurrava.
— Você a tem. Não é o suficiente?
— E você? Não tem sua noiva?
Cuspiu enquanto o soco foi desferido. O ruído atraiu atenção de todos enquanto os guardas seguravam os dois príncipes. visualizava a mulher parada, encarando-o com o cenho franzido.
segurava , mas a mesma se soltou, colocou-se à frente dele.
Você fugiria comigo?
Ele foi arrastado para uma sala, enquanto seus pais estavam lado a lado. Sua mãe acalmava seus nervos e, ao seu lado, parecia sério. Sua boca estava machucada, assim como seus olhos.
— O que diabos vocês estão fazendo? Querem manchar a reputação da casa Blackwood, seus malditos?
O pai estava sendo segurado e sentiu o olhar de queimando-o enquanto bufava.
— Ele rejeita a sua noiva, pai. Não acha que é injusto?
— Os dois rejeitam! Você também abandonou sua noiva no baile, . Acham o que? Que não têm que me temer? Deveriam trazer orgulho à casa dos Blackwood!
percebeu o rosto de seu irmão rígido enquanto saiam da sala.
— Faça ela feliz, . Deixe de lado sua loucura e a faça feliz. – me disse.
Porque ele deveria fazê-la feliz quando na verdade era quem queria fazer feliz?
A garota estava parada na porta ao leste, com uma pequena maleta. percebeu correndo até si, os olhos dourados repletos de preocupação genuína ao mesmo tempo em que apenas se curvou a .
— Eu posso cuidar...
— Eu ajudo. , por favor, seus machucados podem infeccionar...
Ele sentiu as mãos pequenas e geladas puxando-o e novamente foi atingido pelo pensamento Faça com , . Ele gosta de você. A pequena sala estava vazia e ela colocou a maleta na cadeira.
— Pode doer. Fique quieto.
Alertou, enquanto suas mãos hábeis estavam sobre a face dele.
observava a noiva que, mesmo após tê-la desprezado e abandonando no meio do baile, estava ali cuidando de seus ferimentos com genuína preocupação. Aquilo o irritou. Por que ela não fingia que ele não existia? Que ele não estava ali? Que o noivado deles deveria terminar? Não era a primeira vez que aquilo ocorria e não seria a última.
A mulher tinha os fios caindo por sua face, enquanto o suor se juntava às rugas de preocupação. encarou a amada de , que desde muito jovem sempre soube que o irmão mais velho gostava dela. Porém, sua mão estava entregue à ele para desposar e, enquanto todos esperavam o casamento deles, que mal se conheciam quando ocorreu o acordo.
Ele era o noivo dela, aquele para quem seus pais a entregariam no final do outono, com quem viveria o resto de sua vida.
Porém, ele possuía sentimentos por .
Em qualquer outro momento teria se apaixonado, amado cada pedaço de e feito tudo por ela, mas a amava? O fato é que ele e não sabiam o que eram um para o outro. Tudo que sabia era que estava sendo usado pela princesa para matar sua fome de .
? ?
Ele percebeu os olhos dourados fixos nos seus. Ela segurava a gaze sobre sua boca enquanto ele mantinha os lábios franzidos. observava sua face machucada.
— Sim?
— Porque brigou com seu irmão?
A pergunta soava destemida. A gaze foi parar na vasilha repleta de sangue e ele franziu o cenho.
— E por causa da ?
— Por que seria?
— Porque você está dormindo com ela, . descobriu?
parou, em choque. A voz de soava em sofrimento enquanto ela limpava as mãos. As palavras ditas com tamanha simplicidade chocaram-no e, enquanto engolia a seco, a mesma o observou com os olhos dourados, fixos.
— Quer saber como descobri?
Sugeriu, enquanto ele apenas se afastou dela. Porém, o mesmo sentiu suas mãos sobre dele, limpando o sangue e passando pomada nas feridas.
— Acho que não fui discreto.
— Você foi bastante cauteloso. Ninguém perceberia além de mim, afinal, eu sou sua noiva.
O tom era suave. Enquanto as mãos desciam para cima do vestido, me observava com os lábios franzidos, enquanto eu percebia que ela havia descoberto tudo.
— Quando?
Hm, desde o início? Um ano atrás... – murmurou pensativa, enquanto riu. Seus lábios pequenos se curvaram em uma linha rígida – Eu pensei: será que ele me odeia tanto ao ponto de não me amar? Mas... Não acho que seja o caso. Você quer terminar nosso noivado? Por ela? Se for, você precisa conversar com seus pais. Eu posso arranjar uma desculpa.
. Por quê?
Ela encarou-o com os olhos dourados fixos nele e os lábios franzidos enquanto tocava sua face.
— Se você for descoberto, irão matá-lo. Não posso permitir isso. Não posso. Eu... Não quero que se machuque.
Afirmou enquanto tocou sua face com as pontas geladas dos dedos, deitando a mão sobre seu peito.
—Você a ama? Vai ser feliz se eu libertá-lo de mim? É isso que o impede além de seu irmão, não é?
Os olhos dourados estavam fixos aos dele, ao mesmo tempo em que ela se ajeitou no banco e limpou o restante dos ferimentos. a encarava com os lábios franzidos.
— Não foi por ela.
— O que?
— Nada. Obrigada.
Ele entendia agora. Enquanto encarava sorrindo para si, a conversa de mais cedo com surgira em sua cabeça.
O que ele estava pensando?
Entretanto, a garota apenas beijou seus dedos.
— Me diga sua resposta.
— Eu a amo. Amo a .
— Eu posso ajudar – se afastou enquanto sorriu para ele, os olhos marejados, porém ela suspirou – Eu já imaginava, . Então, o que posso fazer com você?
sentiu as mãos de sobre as suas enquanto ela apenas sorriu e se retirou, ao mesmo tempo em que suspirou.
— Eu espero que seja feliz com ela.
Você fugiria comigo?

X
O anúncio do fim do noivado foi um choque.
sentiu o tapa na cara, enquanto seu pai o encarava, furioso. estava encostado na parede, ao mesmo tempo em que a mãe chorava copiosamente.
— O que você fez à ?
Nada.
— Então, porque ela implorou de joelhos ao pai dela que cancelasse o noivado de vocês? Hein? Arthuro não entendeu, afinal, ela sempre gostou de você. O que você fez?
— Eu não fiz nada, ela quem quis cancelar. Talvez não gostasse de mim...
O tapa veio e ele sentiu seu corpo dando um passo para trás, enquanto o homem mais velho estava furioso, suspirando.
— Acha que pode fazer o que quiser? Ela é a futura Imperatriz! É herdeira de tudo! Eu lhe dei o melhor casamento e é assim que você me paga, seu maldito?
— Eu não a amo! é magnífica, mas não a amo. Ela deve ser amada por alguém, por .
— Ingrato! Seu irmão já tem o noivado com a princesa . Eu dei tudo para vocês, e o que estão pensando? SAIA DAQUI! Você não é mais meu filho, .
apenas o encarou, em choque, enquanto percebia que seu irmão estava tão branco quanto ele. Saiu do escritório, ouvindo o choro da mãe.
— O que você estava pensando?
— Ela está livre, . pode gostar de você...
— Eu não posso...
— É tão importante você não ficar com ela? Você a ama e não deseja mais ninguém, então porque não vai atrás dela?
— Eu...
— Você a ama. É tudo que importa.

X
.
fora expulso.
O segundo filho da família Blackwood abandonara sua noiva e seu nome. ?
— Porque eu iria?
Questionou enquanto a garota se virou, com os olhos dourados fixos, e riu.
— Você não percebe que ama ele?
— Eu amo...
— Você realmente ama o ? Tem certeza? Não vejo esse brilho nos seus olhos quando fala dele, mas quando diz o nome de , parece ser diferente.
, ele é o seu...
— Ex-noivo. Eu gosto dele, mas não quero vê-lo triste ao meu lado – ela comentou, enquanto encarou as orbes de cor avelã da prima – Porque não admite que ama ele?
. Isso...
— Por causa de ? Não, não é por ele. Você está com medo.
— Você está falante hoje.
— Acabei de entregar meu noivo para você! – acusou a menina, enquanto limpou as lágrimas e manteve os olhos dourados fixos nos dela – Não desperdice meu choro. Agora, vai! Foge com ele!
!
— Este reino não precisa de você. Apenas uma de nós precisa se sacrificar pelo trono...
— Meus pais...
— Eu cuido disso. Agora, vai! Fuja, antes que você se arrependa...
A prima se irritou e afastou-se, suspirando. Ela então pegou um símbolo que estava guardado dentro de sua gaveta, além das folhas de papel e entregou à prima.
— Dentro de um ano, você pode voltar.
— O que?
— Eu estarei no trono e você deve voltar para casa. Ninguém irá machucá-la! Ash!
O guarda-costas pessoal da princesa apareceu, enquanto a mesma pegou a pequena mala repleta de roupas e alguns sacos de prata, ajeitando as roupas de .
— Você? , isso é traição.
— Eu preparei de antemão e, além disso, você deve ir com . Ele deve estar saindo agora do Condado, então você precisa se apressar. Vai! ... Seja feliz.
A princesa encarou a prima enquanto lágrimas vinham por sua face ao abraçá-la. havia mentido sobre todos os seus sentimentos até ali.
Ela amava . A face de sua prima estava repleta de lágrimas logo que ela saiu pela porta.
—Se cuide, .

X
.
Seu pai estava irritado ao ponto de deserdá-lo e o seguia. Ele havia se preparado para uma viagem longa enquanto sua mãe e irmão tentavam acalmar os ânimos do seu pai.
— O que está fazendo?
— Apesar do seu erro, você ainda é minha família.
— Papai discorda.
— Ele queria o trono.
— E você pode dá-o a ele. E só largar a .
— Eu acho que causaria um infarto nele.
— Provável.
Faziam anos desde a última vez que conversaram daquele jeito. encarou o irmão e o mesmo suspirou, pensando nas vezes em que havia odiado .
— Se cuide. Eu vou resolver as coisas com o pai. Mande notícias, se não mamãe ficará aflita.
Antes que pudesse sair, um carruagem surgiu em alta velocidade. havia ido se despedir dele? Havia desistido de convencer a partir com ele? A garota tinha suas obrigações enquanto ele era apenas um qualquer naquele momento.
— Finalmente te achei!
A voz do demônio encarnado soou assim que parou, encarando os dois. franziu o cenho, encarando-os.
. Tome.
— O que é isso...?
encarou o cancelamento do seu noivado com a princesa, enquanto a mesma o encarava de volta.
— Aceita?
.
— Ela deve estar chorando. Se for agora, poderá consolar .
apenas virou seu cavalo, ao mesmo tempo em que e ela se olhavam com determinação e um sentimento que até aquele momento era desconhecido para ambos, mas que tomou forma no brilho dos seus olhos.
— O que houve?
fez um documento cancelando meu casamento com e preparou minha fuga. Nossos pais irão brigar, mas... Ela é a futura Imperatriz e autorizou meu casamento com um certo deserdado para daqui um ano, após sua coroação. Alguém perguntou se eu podia fugir com essa pessoa. Ainda está de pé? Essa pessoa ainda quer?
— E a princesa estaria disposta?
Sim.
apenas a puxou para si. sentia seus pés levitando e, naquele momento, a princesa sentiu todo o amor que fingiu ser de borbulhar em seu peito, por .
Porque ele mostrava galáxias, planetas e mundos até então desconhecidos para ela.
Era tudo que ela mais desejava.

Fim.
Nota da autora: Oi oi oi, amores. Tudo bem? O que acharam?
Eu juro que achei que fosse surtar com essa música porque ela me deu muitas vertentes, eu tava querendo colocar mil coisas e aí sairia do tema shortfic que planejei, e então, veio esse neném que saiu como eu queria.
Eu espero que vocês gostem tanto quanto eu gostei de escrever.

With love,
Lysse.