ME!

ME!

Sinopse: Noah estava bastante ansioso para a viagem de férias com sua família, mas Gail acabou fazendo outros planos e eles acabaram discutindo. Sendo tão opostos quanto verão e inverno, conseguirão eles entrar num acordo?
Gênero: Comédia romântica.
Classificação: Livre
Restrição: Os nomes Jared, Sophie e Taylor estão em uso.
Beta: Sharpay Evans

– Papai! – Taylor levantou correndo da mesa de jantar e correu para a porta, abraçando as pernas no homem que acabara de chegar de viagem.
– Oi, querida! – pegou a filha no colo e a abraçou. – Sabia que eu estava morrendo de saudade?
– Eu também estava! – Disse com um sorriso. – Eu fiz um desenho para você enquanto você estava viajando. – Ela disse correndo para a sala.
– Boa noite, Kaile. – Cumprimentou a babá que tinha o prato de comida da criança nas mãos.
– Eu não consigo achar. – Ela reclamou.
– Depois a gente procura juntos, filha. A Kaile está com seu jantar. – Ouviu ela reclamando, mas logo estava sentada novamente ao lado da babá. – A já chegou?
– Sim. Subiu a pouco tempo. – A expressão de tinha mudado completamente e Kaile percebeu. – Está tudo bem?
– Preciso resolver umas coisas com ela. Não deixe ela subir, por favor. – Sussurrou a última parte, apontando para a filha e recebeu um aceno discreto em concordância.
subiu os degraus de dois em dois. Estava com saudade da esposa, tinha ficado quase um mês fora e ansiava tanto pelas férias em família que teriam nas próximas semanas. Pelo menos até se deparar com uma notícia em seu celular sobre a mini turnê de divulgação do novo álbum de Heartford.
Ele havia lido a notícia mais de uma vez enquanto esperava a conexão no aeroporto. E agora estava totalmente confuso. Queria muito ter a certeza de que aquela era uma matéria falsa, mas conhecia bem demais para saber de sua impulsividade. tinha prometido a si mesmo que não deixaria passar se ela colocasse a carreira sobre a família mais uma vez, mas sentindo que era exatamente o que tinha acontecido, se sentia perdido e em dúvida do que fazer.
– Amor, você chegou! – Disse surpresa ao sair do banheiro e encontrá-lo sentado na cama de casal.
– Cheguei. – Respondeu, mas a falta de entusiasmo na fala dele a fez mudar de expressão no mesmo instante.
– O que foi que aconteceu? Que cara é essa, ? – Perguntou alarmada.
Com um teatro exagerado, que não era típico dele, pegou o celular, abrindo na matéria que o estava atormentando.
– O novo álbum da cantora britânica Heartford já tem data de lançamento e a gravadora confirmou hoje que nas próximas três semanas teremos uma mini turnê de divulgação desse trabalho. – Leu com a voz mecânica e soltou o aparelho na cama.
engoliu em seco, sabia que não seria uma notícia bem recepcionada pelo marido, mas achava que teriam, pelo menos, um jantar decente, que poderiam matar a saudade um do outro, antes disso vir à tona.
– Me fala que é mentira, . Me fala que você não marcou trabalho nas nossas férias em família, de novo. – Frisou a última parte.
– Não é mentira. – Disse sem se abalar.
se levantou e começou a andar de um lado para o outro do quarto. Coçando a cabeça, num gesto que ela conhecia bem demais como tentativa de controlar o nervosismo.
– Eu não sei nem o que dizer. – Soltou os ombros, o tom de incredulidade permanecia.
– Eu sei que tínhamos planejado essa viagem com a Taylor, mas algumas coisas você não pode simplesmente negar para a gravadora, e você sabe. – Ele riu irônico.
– Olha nos meus olhos, . Olha nos meus olhos e me diga se você não podia ter recusado se quisesse. – Ela o olhou. Demoradamente. Mas não conseguia mentir. – Imaginei.
estava saindo do quarto, quando a esposa o puxou de volta.
– Você está certo, . Eu não devia ter aceitado, mas quando eles vieram com a proposta toda pronta, tudo parecia tão lindo que quando dei por mim já tinha assinado contrato e tudo.
– Você não existe! – Se livrou das mãos dela que o seguravam. – Eu te avisei que se colocasse seu trabalho à frente de nós mais uma vez, não teria volta. Minhas palavras e nada valem do mesmo para você. – O tom de mágoa e raiva estavam ali.
– Eu preciso pensar na minha vida, ! Eu não posso deixar tudo por você. Se a gente se separar amanhã, o que eu terei é o meu trabalho. – Se defendeu.
– Que história é essa, ?
– Você acha que não percebo, não é mesmo? Mas eu percebo, eu vejo o olhar de todas elas para você no paddock. O chefe de equipe mais acessível e o mais bonito também.
– Não sei de onde isso saiu, mas você sabe que é um absurdo. Você está cercada de homens o tempo todo no seu trabalho e esse ciúme nunca existiu entre nós. – pegou o celular em cima da cama, a carteira no criado e saiu sem olhar para trás.
– Onde você vai? – Ela gritou do topo da escada, mas ele não respondeu. Ele tinha uma regra de nunca discutir ou brigar na frente da filha.
– Você vai sair? – Taylor perguntou confusa com seus brinquedos nas mãos e sentiu um aperto no coração, mas precisava sair de casa nem que fosse por algumas horas, para pensar melhor.
– O papai precisa resolver uma coisa, mas amanhã ele é todo seu para brincar o dia todo.
– Promete? – Perguntou estendendo o dedinho.
– Prometo. – Entrelaçou o dedo no dela.

Já estava no carro quando mandou uma mensagem para Jared. E quando a confirmação de que ele ainda estava no trabalho veio, dirigiu diretamente para o bar.
Jared e eram amigos desde a adolescência e, embora a vida de cada um tenha caminhado para um lado diferente, se encontravam sempre que voltava para a cidade. O amigo era dono de um bar em um bairro nobre, e tudo que precisava naquele momento era uma bebida e uma boa conversa.

– O que aconteceu? – Sophie abriu a porta logo depois de atender ao interfone.
– Ai meu Deus, você ia sair e eu acabei de estragar sua noite. – constatou pelo vestido que a melhor amiga usava.
– Relaxa. – Elas se abraçaram. – Jared me ligou há alguns minutos cancelando nossa noite. Disse que precisava dele e como você está aqui, algo realmente aconteceu.
– Ah, então é pra lá que ele foi.
se sentou no sofá e Sophie veio com duas taças de vinho logo atrás.
– Você acha que sou complicada? – foi direta. – Seja sincera.
– Você não é a pessoa mais fácil do mundo, mas não é a mais complicada também.
– Eu sei que eu sou. – Respirou fundo e bebeu um pouco. – Complicada e impulsiva.
– Me conta o que aconteceu. – Sophie pediu.
– Eu estraguei tudo porque eu não penso antes de pular. – Sophie bebeu um pouco, esperando que a amiga fosse mais literal. – e eu tínhamos planejado uma viagem de duas semanas em família, e com as nossas agendas, só tinha essa data para dar certo e a gravadora me ofereceu uma turnê e eu aceitei mesmo sabendo que acabaria com a viagem.
– E por que você fez isso, ? – A psicóloga perguntou da mesma forma que fazia em suas sessões.
– Porque se decidir se divorciar, o trabalho é tudo o que eu tenho. – Repetiu a mesma desculpa que tinha dado para o marido.
– Ah tá! Conta outra, ! pode até ter caído no seu papinho, mas eu não acredito nisso.
– É, ele também não caiu. – Falou mais baixo.
– E não faz o menor sentido, mesmo que você tivesse com medo da separação, aceitar essa turnê é mais fácil de causá-la do que de te proteger. – Ponderou. – Espera aí, você não está querendo se separar do , está?
– Não, Sophie! Claro que não! – Apressou-se a dizer. – É que eu fico com bastante ciúme dele às vezes e acabo falando umas coisas loucas no telefone. E acaba que fico com medo de ele se cansar disso tudo e eu acabar sozinha.
– Que coisas loucas, Sophie? O que é que você andou falando para ele?
– Que as mulheres que trabalham no paddock ou até que assistem as corridas e vão às festas dão em cima dele. – colocou as mãos no rosto, escondendo-o.
– Sabe o que eu acho? – Sophie fez a pergunta retórica que responderia de qualquer forma.
– Que os problemas me seguem? – sugeriu com um riso fraco e a amiga negou.
– Que você não aceita um relacionamento em paz como tem com o . – A expressão de surpresa tomou conta do rosto da cantora. – Você se acostumou tanto a estar cercada de homens babacas, inclusive os seus ex-namorados, que você dá um jeito de atrapalhar a sua vida com o quando as coisas estão bem e tranquilas.
– Em resumo, eu sou louca. – Se soltou no sofá.
– Não é questão de loucura. É como se fosse uma forma de defesa da sua mente, tentando te levar para um padrão que já é conhecido por você, porque, no fundo, você tem medo quando as coisas saem do controle, saem do que você já viveu. E é exatamente assim a sua vida com o .
A reação inicial de seria negar, mas as palavras da amiga faziam sentido demais para que ela tentasse discordar.
– Vocês são diferentes, não vou negar isso. É como se vocês fossem verão e inverno, mas não é nada disso que te leva a fazer o que você fazer toda vez que brigam. – Percebendo o silêncio de , ela continuou. – Qual foi a coisa que mais te assustou em todos esses anos com o ?
– A briga na chuva. – Ambas se recordavam bastante daquele dia.
– E o que exatamente te assustou nisso?
– Ele correr atrás de mim naquele temporal dizendo que me amava e que odiava quando eu fazia coisas impulsivas como aquela.
– Percebe? – assentiu.

– Ok, já falamos bastante dos nossos trabalhos, já estou sabendo mais da sua equipe do que imaginei que fosse possível. – Os dois riram. – Mas que tal me contar porque dirigiu da sua casa aqui em tempo recorde e bebeu dois copos de uísque de uma vez só.
– Para que estragar a noite, Jared? – Reclamou um pouco alterado.
– Estou tentando salvá-la, meu amigo. – Jared deu dois tapinhas no ombro de enquanto voltava com duas long necks. – O que foi que aconteceu na sua casa?
criando uma nova discussão para evitar uma antiga. – Coçou a cabeça. – Fui falar sobre ela estragar nossos planos de viagem e ela tentou se fazer de ciumenta dizendo que as mulheres da equipe dão em cima de mim.
– Mas elas dão?
– Eu sei lá, Jared. Não é como se isso fosse minha preocupação enquanto estou trabalhando. Você sabe que amo e a Taylor. – Deu um longo gole na cerveja. – Segundo ela, eu sou o tipo de cara que as garotas querem. – Rolou os olhos.
– Realmente, você não está nada mal para… o quê? Trinta e cinco anos? – Implicou e mostrou o dedo do meio para ele. – E deixa eu adivinhar. Foi por causa daquele anúncio de nova turnê.
– Até você sabia e eu não? – Sentiu-se ainda pior.
– Eu leio jornal, . E é notícia em primeira página para os jornais daqui, você sabe disso.
– É, o fato é que não vamos mais viajar. – Deu outro longo gole.
– Se me permite. – assentiu para que o amigo continuasse. – Eu acho que o problema nisso tudo nem é a turnê ser em cima da viagem. É ego ferido.
– Como é que é? – A incredulidade era clara.
– Você está mordido porque ela não te consultou antes de tomar a decisão. Sabe por que, meu amigo? Porque você tende a tomar a atenção sempre pra você. – A expressão no rosto de era de choque, mas Jared não se deixou intimidar. – Você quer passar essa imagem de que tudo que está fazendo é tentar colocar a família em primeiro lugar enquanto está colocando a carreira dela, mas você deixa passar o óbvio.
– O que eu estou deixando passar, Jared? – cruzou os braços na defensiva.
– Vocês podem desfrutar desse momento em família acompanhando esses shows com a sua esposa. Quando foi a última vez que você foi a algum show dela? – não saberia dizer com certeza. – Faz tanto tempo que você nem se lembra, cara. E a Taylor nunca teve a chance de ver o processo de turnê, o trabalho da mãe. Ela foi em um ou dois shows só aqui.
não falou nada, era difícil para ele admitir que estava errado e mais ainda que os outros estavam certos a seu respeito. Jared continuava o encarando, mostrando que ele tinha razão, mas o amigo apenas finalizou a bebida.
– Não estou dizendo que agiu corretamente e nem que você não tem o direito de achar ruim, só que você acabou de chegar de viagem depois de tanto tempo fora e ao invés de estar com sua família matando a saudade você está aqui bebendo comigo.
– Taylor não faz ideia do que aconteceu. Prometi a ela que vamos brincar o dia todo amanhã.
– Pois faça isso, . Todo mundo sabe que você e foram feitos um para o outro e que essas besteiras entre vocês não são nada perto do quanto vocês se amam.

Quando chegou em casa, Taylor já estava dormindo e já estava deitada. Tirou os sapatos e deitou ao lado dela na cama, respirou fundo juntando a força que precisava para admitir que estava errado.
, me desculpe.
, me desculpe. – Os dois disseram ao mesmo tempo e sorriram, os olhos estavam conectados. – Me desculpe, eu não deveria ter tomado a decisão da turnê sem falar com você e nem tentado ter uma crise de ciúmes para mudar o foco de tudo. – entrelaçou os dedos nos dela.
– Me desculpe por sempre me colocar como o centro de tudo e nem mesmo ouvir o que você tinha a dizer. Eu amo você e não é viagem nenhuma que vai mudar isso.
– Eu também te amo. – Trocaram um beijo leve e ficaram apenas se encarando por algum tempo. – Sabe, nós somos mesmo muito diferentes.
– Mas somos únicos também e isso é o divertido em nós.
– E ninguém vai te amar mais do que eu. Nem mesmo as mulheres do paddock. – Ela sorriu.
– E ninguém vai te amar mais do que eu.

Fim
Nota da autora: E como eu poderia não escolher a música com o Brendinho, né?
Confesso que estava com dificuldade nesse plot e quando uma amiga sugeriu pessoas com empregos diferentes imediatamente Christian Horner e Geri apareceram na minha mente (obrigada Drive to Survive!) e aqui estamos!
Espero que tenham gostado, mesmo sendo curtinha!
Beijinhos!

Grupo do FB
Grupo do WPP
Twitter