Mi Vida

Mi Vida

  • Por: Mandy Poynter
  • Categoria: Esportes | Futebol
  • Palavras: 2932
  • Visualizações: 738

Sinopse: Um casal oposto nem sempre dá certo, mas com eles foi diferente. Marco Asensio encontrou nela o que não tinha encontrado em nenhuma outra, assim como ela encontrou nele tudo o que precisava. Uma aposta é feita, mas nem sempre perder é algo ruim; às vezes as coisas acontecem melhor do que o esperado.
Classificação: Livre
Restrição: Marco Asensio fixo

SOLAMENTE

Eu andava pelos corredores do Grande estádio Santiago Bernabéu com um sorriso enorme estampado em meu rosto. Não que eu seja uma torcedora fiel do Real Madrid, na verdade eu estava muito longe disso, eu não negava minha antipatia pelo time, mas eu tinha que aturá-lo. Eu estava feliz simplesmente por ele. E ao entrar na sala onde ele me esperava e ver o sorriso enorme que se apossava de seu rosto, não tinha como odiar esse time, simplesmente por ele ser uma das pessoas mais importantes da minha vida. Marco Asensio Willemsen conhecido como Asensio para os íntimos e simplesmente meu Marco para mim. O destino faz suas ironias da melhor forma possível, quem diria eu, uma torcedora fiel do Barcelona, teria um relacionamento com um dos jogadores do time “inimigo”. Olhei para frente e rapidamente alcancei Marco, me aproximei e o sorriso dele engrandeceu mais ainda ao me ver, ele abriu os braços e eu pulei em seu colo abraçando-o fortemente.
— Eu estou tão orgulhosa. — Disse antes que ele abrisse a boca.
— Torcendo para o Madrid hoje? — Perguntou depois de me beijar calorosamente.
— Você sabe que eu nunca torço para o Real Madrid. — Sorri lhe dando um selinho. — Eu torço por você.
— Isso é a coisa mais linda que você já me disse. — Sorriu irônico me fazendo revirar os olhos.
— Como você é chato. — Ri o empurrando de leve pelos ombros fazendo nossos corpos se afastarem, mas não por muito tempo, já que ele me puxou de volta me abraçando.
— Sinto muito pelo seu Barcelona ter ficado para trás. — Eu sabia que ele queria rir, mas ele sabia que se atrevesse a soltar um risinho só, ele estaria ferrado.
— Acontece. — Eu disse ironicamente. — Agora fiquei sem time para torcer na Champions, mas quem sabe eu começo a torcer para o Atlético? — Sorri ao ver a careta que ele fez ao mencionar minha torcida para o Atlético de Madrid. — Me parece uma boa.
— O que eu tenho que fazer para você torcer para o Real Madrid, ein? — Perguntou me abraçando ainda mais forte.
— Nada que você faça fará com que isso aconteça Asensio. — Puxei seu rosto em direção ao meu e grudei nossos lábios antes que ele começasse uma discussão totalmente desnecessária.
— Desculpa atrapalhar o casal maravilha, mas estamos saindo. — Interrompi o beijo rolando os olhos e os direcionando para a pessoa que fez o comentário que tinha no rosto um sorriso cínico.
— O que você quer Morata? — Perguntei ironicamente, mas rapidamente abrindo um sorriso brincalhão para o mesmo.
— É assim que você recebe o seu amante nas horas vagas ? — Perguntou ele em um tom ofendido.
— Ei. — Protestou rapidamente meu namorado. — Olha o respeito com a minha mulher.
— Mas esse casinho de vocês pode existir não é mesmo Asensio. – Voltei meu olhar para Marco o desafiando a falar.
— Mas isso só dentro de campo. — Ele agarrou novamente minha cintura e me puxou para um abraço. — Fora eu sou todo seu. – Sussurrou baixinho no meu ouvido fazendo os cabelos de minha nuca arrepiarem-se.
— Ei. — Novamente Álvaro interrompeu nosso momento me fazendo rolar os olhos novamente. — Eu ainda estou aqui.
— E por que você ainda está aqui mesmo? — Perguntou Marco para o amigo já sem paciência.
— Eu só vim chamar vocês seus chatos. — Respondeu Morata em um tom ofendido. — Estamos indo comemorar a vitória. — Olhei pra Marco antes de vê-lo abrir a boca para responder Álvaro.
— Vou comemorar a vitória com a minha namorada. — Ele sorriu, voltando a olhar para mim. — Obrigado pelo convite, mas recusamos.
— Não seja chato Marco. — Disse Álvaro. — não se importa de comemorar conosco não é mesmo? — Olhou pra mim rapidamente.
— Na verdade eu… — Fui interrompida na metade da fala.
— Tá vendo, ela não se importa. – Disse Morata caminhando a nossa frente esperando que fizéssemos o mesmo.
— Eu vou matá-lo. – Sussurrei para meu namorado enquanto acompanhávamos os passos de Álvaro a nossa frente.
— Pode ser legal. — Disse ele segurando minha mão. — Podemos sair e quando voltarmos para casa passaremos a noite juntinhos. — Após a sua última fala, Marco me abraçou fortemente pela cintura e seguiu o caminho que nos foi indicado.

XXXX

Passamos uma noite bastante agradável, um jantar animado com o time, depois voltamos para casa assistimos alguns filmes juntos na sala e, logo após, acabamos indo para o quarto comemorar a vitória.
Eu estava abraçada a Marco e sentia a sua respiração bater tranquilamente em meus cabelos enquanto ele me abraçava fortemente pela cintura debaixo dos lençóis da grande cama de casal, eu estava deitada em seu peito e podia ouvir seus batimentos tranquilos. Percebi que Marco, assim como eu, não estava dormindo.
— Preparado para o grande clássico no domingo? — Perguntei tentando iniciar um assunto.
— Se eu estou preparado para ver Barcelona perder? — Senti o tom de ironia em sua voz. — Com toda certeza.
— Está muito confiante. — Levantei meu rosto para olhá-lo. — Gosto disso.
— Gosta de eu estar confiante que iremos ganhar o seu time? — Ele perguntou um pouco confuso virando para o lado a acendendo a luz do abajur para que pudéssemos nos olhar melhor.
— Claro. — Um sorriso discreto abriu em meu rosto. — Assim seu tombo será maior. – Gargalhei com a careta que ele fez ao ouvir minha última frase.
— Acha mesmo que Barcelona tem alguma chance contra nós? — Perguntou ele incrédulo.
— Tenho certeza que o meu Barcelona irá calar o Bernabéu. — Eu disse sorrindo mais ainda.
— Eu te amo. — Vi um sorriso irônico em seus lábios. — Mas acho que o tombo maior será o seu.
— Quer apostar? — Perguntei de uma vez fazendo com que até se surpreendesse.
— Acha mesmo uma boa ideia, mi vida? — Disse ele tentando tirar a ideia que já estava fixada na minha cabeça. — Não quero ser cruel com você, e acredite, eu serei.
— Não mais do que eu, Asensio. — Dei o meu melhor sorriso sarcástico e sentei na cama o olhando. — Vai amarelar?
— O que você quer? — Perguntou ele, finalmente cedendo.
— Deixa eu pensar um pouco. — Eu já sabia exatamente o que eu ia querer, só estava fazendo charme para deixá-lo ainda mais apreensivo. — No final do jogo, quero a camisa do Messi.
— Você tá louca? — Perguntou ele incrédulo.
— Qual o problema? — Eu não conseguia tirar o sorriso do meu rosto. — Vocês já trocam a camisa entre si mesmo. Só se apressar antes que seus companheiros fã boys do Messi peguem antes. — Abri um enorme sorriso ao ver a careta que ele fez a minha última frase.
— Não tenho amigos fã boys do Messi. — Disse ele convicto.
— Claro que tem. — Brinquei ainda rindo da cara dele. — Mas de qualquer forma ainda não terminei o pedido.
— Você ainda quer mais? — Perguntou ele incrédulo.
— Claro que sim. Acha que isso é o suficiente? — Perguntei simplesmente. — Se eu quisesse somente uma camisa do Messi eu comprava, ou melhor, eu já tenho inúmeras.
— O que mais você quer? — Asensio perguntou ignorando minha última fala.
— Quero que você peça para ele autografar a camisa. — Seu olhar rapidamente voltou-se para meu rosto e minha expressão continuava risonha e o grande sorriso não abandonava meu rosto.
— Você tá querendo que eu peça no meio de um estádio, onde a torcida é na maioria fã do Real Madrid, para o Messi autografar a camisa dele? — A incredulidade não saia de seu rosto o que me fez soltar a maior gargalhada que eu já ouvira.
— Não precisa ser no meio do estádio. — Disse ainda rindo. — Pode ser no vestiário, longe das câmeras. — Ele me olhava fixamente, como se o meu pedido fosse uma mera brincadeira, o que fez aumentar, mas ainda, minha vontade de rir.
— Olha, isso é uma completa falta de respeito comigo. — O vi falar. — Mas tudo bem eu aceito. — Respondeu ele finalmente. — Sei que eu vou ganhar mesmo.
— Claro que sim querido. — Disse irônica. — E você? O que vai querer? — Perguntei curiosa.
— Relaxa. — Disse ele já abrindo seu riso confiante. — Quando o jogo acabar, você irá saber. — Dizendo isso ele apagou o abajur ao seu lado e me abraçou para que, finalmente, pudéssemos dormir.

 

XXXX
O Bernabéu estava completamente lotado. Parece que nenhum habitante de Madrid iria perder esse jogo. Enquanto as ruas da cidade estavam vazias o estádio estava cheio, em sua maior parte, de torcedores do Real Madrid. Apesar de ter um namorado que jogava no time local, eu não deixaria de vir torcer para o meu time do coração. Eu estava na arquibancada com minha, sempre amada, camisa do Barcelona com o número 10 estampado nas costas e nome do melhor jogador escrito.
O jogo estava quente, parecia final de campeonato, mas era só dois dos maiores times espanhóis, jogando em um dos maiores clássicos europeus. Aos 28 minutos Casemiro abriu o placar para o time da casa, mas a felicidade do Real Madrid não se estendeu muito, porque aos 33 minutos Messi, em uma belíssima jogada individual, deixou o placar igual novamente fazendo-me rapidamente comemorar juntos com os poucos torcedores do Barcelona que estavam perto de mim. Asensio estava no banco, mas não demorou muito para que ele entrasse. Aos 35 minutos do primeiro tempo, ainda, Bale sentiu dores na perna esquerda e teve que ser substituído e foi nesse momento que Marco entrou e meu coração rapidamente disparou. Eu não nunca seria torcedora do Real Madrid, mas eu era uma grande torcedora de Marco Asensio, pois ver ele tendo o espaço que merecia era tão gratificante e ver seu maravilhoso sorriso, após um jogo que ele jogava, era a coisa mais linda de se ver e aquecia completamente o meu coração.
O primeiro tempo acabou e o placar continuava empatado, eu já não tinha mais unhas para roer, isso acontecia em todos os jogos do Barcelona contra o Real Madrid, não era só um nervosismo por torcer contra meu namorado e sim uma incrível ansiedade de ver um dos jogos mais sensacionais da La Liga. Quando O juiz apitou o início do segundo tempo a ansiedade aumentou ainda mais. Eu queria tanto ganhar a aposta, uma camisa autografada pelo Messi seria um sonho virando realidade. Uma parte de mim estava bastante confiante, mas outra com um pouco de receio, porém bastante curiosa para saber o que Marco iria querer. Meus pensamentos foram interrompidos por gritos ao meu lado e ao olhar para o gramado eu via os jogadores do Barcelona abraçando o Rakitic e comemorando o gol que ele tinha feito, fazendo o Barcelona virar o jogo. Para mim o jogo podia finalizar ali, mas aos 86 minutos James veio com sede de gol e acertou a rede, empatando novamente o jogo. Já estava nos acréscimos e eu achava que o jogo já estaria acabado, com o empate, não faríamos mais nossa aposta valer, mas eu não poderia me surpreender quando já nos acréscimos Messi recebeu a bola fazendo o gol da vitória do Barcelona e tirando a camisa, mostrando-a para o público inteiro do estádio ver, e apreciar um dos maiores jogadores do futebol atualmente.

XXXX
Eu sabia que haveria uma pequena chance do segurança me barrar ali. Não era uma cena comum, uma torcedora com a camisa do Barcelona andar em direção ao vestiário do clube adversário, ainda mais depois de uma derrota sofrida. Eu demorei um pouco a pedido de Marco, ele queria que todos tivessem saído para poder falar comigo e ser menos constrangimento para ele. Ao chegar, abri a porta e o encontrei sentado em um dos bancos, ele tinha a cabeça abaixada e pelo cheiro do seu perfume já tinha tomado banho.
— Querido? — O chamei, fazendo com que ele levantasse a cabeça e olhasse para mim.
— Hey mi vida. — Respondeu me dando um sorriso fraco.
— Não foi tão ruim não é mesmo? — Perguntei minimamente.
— Talvez. — Um sorriso um pouco maior cresceu em seu rosto. — Aqui o seu prémio. — Dizendo isso ele me entregou a camisa que segurava em suas mãos e quando a segurei senti meus olhos marejarem e minhas mãos tremerem ao ver a caligrafia, de um dos melhores jogadores que eu já vi, assinada na mesma.
— Isso é incrível. — Segurei a camisa com força e abracei Marco fortemente. Aquele era o melhor presente que ele poderia me dar eu estava tão feliz.
— Ele pediu para te entregar isso. — Marco me estendeu um papel dobrado. — Pense com carinho. — Fiquei confusa à última fala dele, mas abaixei minha cabeça abri o papel rapidamente e lá estava a caligrafia de Messi, li silenciosamente e a confusão se fez presente na minha cabeça.
Olá , eu agradeço muito o carinho que você sente pelo Barcelona e por mim, fico muito feliz e que bom que ganhou a aposta não é mesmo? Haha Eu sei que você ganhou, mas eu gostaria muito que você aceitasse a parte da aposta do Marco. Pode aposta que você não irá se arrepender. Beijos, Messi. — Li em voz alta tentando mais uma vez entender. — O que ele quer dizer com isso Marco? — Levantei meus olhos para Marco novamente, esperando que ele me explicasse, porém não o encontrei em pé na posição que se encontrava antes, ele estava ajoelhado, com uma caixinha de veludo na mão e o anel mais lindo que eu já tinha visto dentro da mesma. — Marco? — Minha voz saiu abafada e meus olhos novamente marejaram.
— Eu disse que meu pedido viria depois do jogo, não aconteceu como o planejado, mas ainda vale a pena tentar. — Disse ele suspirando profundamente. — Eu não sei direito como fazer isso, eu te dei o apelido que você ama ouvir por um motivo. — Vi que seus olhos já estavam vermelhos e tentava segurar as lágrimas. Eu já despejava as minhas pelo rosto e pus as mãos na boca para tampar os soluços que saiam incansavelmente. — Você se tornou minha vida, e nada mais importa quando você está comigo. Eu amo você com todas as minhas forças. — Ele segurou uma das minhas mãos e as apertou fortemente. — Mi vida.— O apelido agora soava como a mais bela canção que eu já ouvira. — , aceita se casar comigo? — Minha vista estava embaçada e o choro aumentava a cada palavra dita por ele. — Lembra que foi um pedido especial do Messi. — O sorriso que ele me deu fez um sorriso enorme abrir em meu rosto. Eu o puxei pela mão que segurava a minha e grudei nossos lábios em um beijo, o mais sincero e único que eu já havia dado em toda a minha vida.
— Se eu disse qualquer coisa que não fosse sim. — Eu disse parando o beijo e encostando nossas testas. — Considere como um sim. — Seu sorriso iluminou toda a sala em que estávamos.
— Ei galera ela aceitou. — Marco gritou depois de colocar o anel em meu dedo.
Então em percebi um monte de jogadores do Real Madrid brotar do nada dentro daquela sala, mas eu não me importava. Eu não ouvi quando um champanhe foi aberto e nem os comentários de parabéns que recebíamos porque minha atenção estava restritamente direcionada a ele. Marco Asensio, o meu futuro marido, em breve meu sonho de casar e construir uma vida com a pessoa que eu amava seria realizado e nada mais importava. Eu só conseguia ouvir aos seus sussurros que, naquele momento, só conseguiam pronunciar quatro palavras — “Te amo mi vida” .

EL FIM…
Nota da Autora: Primeiramente eu queria mais uma vez pedir desculpas as migas Real Madrid fãs, mas é a vida né, eu sou torcedora do Barcelona e não deixaria isso nem na fanfic haha. Então queria dizer que essa história foi uma aposta que eu perdi. Nas quartas da Champions teve o jogo Real Madrid x Bayern de Munique, eu não gosto de nenhum dos dois, mas fui apostar no Bayern porque o amor da minha vida, vulgo Robert Lewandowski, joga no Bayern e era menos pior. Mas como já sabem Bayern perdeu e como aposta eu tinha que escrever sobre algum jogador do Real Madrid, então eu escolhi o menos ruim para mim haha ~Brincadeira~. Eu tentei com muitos do elenco, mas Marco foi o único que eu consegui fluir direito. A ideia veio desde antes do jogo contra o Barcelona, mas eu pensava em um empate aí Barcelona ganhou e eu tive que mudar, mas espero que tenham gostado, apesar dos pesares, e deixem seu comentáriozinho. E desculpa Nay, mas tive que meter meu Barcelona no meio haha XOXO <3