How You Remind Me?

Sinopse: Após um acidente de carro, as memórias dela dos últimos seis anos se apagaram.
Ela tinha que lidar com seu passado, presente e futuro que estavam embaralhados.
Gênero: Drama, romance e tragédia
Classificação: +16
Restrição: Lnguagem de baixo calão, cenas de violência
Betas: Elizabeth Bennet

Capítulos:

How you remind me?

 

Prólogo.

 

“Você viu partes de mim, que faria qualquer fugir. E o que me assusta, é que você ainda ficou. Mesmo sabendo que meus sentimentos são prematuros, que eu não sei amar. Mesmo que corremos riscos do tudo ou nada. E isso está acontecendo de novo, digo, meu coração está começando a gostar da sua companhia. Isso não é bom, porque há cicatrizes incuráveis dentro de mim. E eu tenho medo, mas você é o que deixa meu mundo melhor. E eu consigo ser melhor quando estou com você”.

– Back at her, stupid.

A luminosidade a incomodou.

Remexe-se na cama, e pensou que não queria ir para aula, porém a falta de seu despertador ensurdecedor a lembrou que ela não estava mais no ensino médio.

Os olhos castanhos se abriram lentamente, enquanto observou os tons azuis misturados, e as paredes em tons de lilás e roxo a lembravam de onde estava –, ela observava o quarto que não lhe pertencia à primeira vista –, havia desenhos de protótipos espalhados pelo quarto, além de retratos pregados num mural, os cadernos de desenho estavam arrumados na estante por ordem alfabética, além de livros de ação e aventura, porém as Crônicas de Nárnia e o Guia do Mochileiro da Galáxia a lembrou de que aquele quarto era seu –, a garota apenas visualizou as fotos das quais ela não se lembrava de ter tirado em nenhum momento, porém os registros em suas paredes mostravam por onde ela havia ido nos últimos seis anos, enquanto visualizou o rosto das pessoas que estavam no mural de seu quarto, enquanto cruzou as pernas tentando imaginar aquela vida.

A sua vida.

Apenas se arrastou para fora da cama king size –, seus olhos desceram pelo espelho, ela usava uma blusa velha de alguma banda da qual não se lembrava do porque gosta, porém as fotos de Tony e ela juntos lhe lembrou de quem ela era – havia a cicatriz do acidente que a lembrava do porque ela não se lembra dos últimos seis anos.

não sabia quais eram seus anseios, seus desejos desde que acordará no hospital –, a amnésia segundo os médicos podia se curar sozinha, ou ela jamais lembraria do que fizera nos últimos anos, a garota queria que seus memorias voltassem, porém em algum lugar do seu íntimo ela preferia esquecer os últimos anos.

Ela se encarou no espelho novamente –, quem ela era? sabia do porquê daquelas sensações e pensamentos sobre nunca mais querer lembrar, afinal, ela gostaria de voltar a ser aquela garota de antes do acidente?

¹Não segue a linha MCU.

Capítulo I – Spotless Mind

 

“Muitos caras acham que eu sou um conceito, ou que eu os completo, ou vou fazê-los se sentirem vivos… Mas eu sou só uma garota ferrada, procurando pela minha própria paz de espírito.”

– Eternal Sunshine of the Spotless Mind.

Alguns meses antes.

A garota encarou o cereal infantil.

Havia desenhos de corações e estrelas em meio aos anéis em tons de amarelo, enquanto o cheiro de café preenchia as narinas, e seu estômago dava sinais de vida, mas como eu vir para aqui? Ela pensou, enquanto percebeu que usava o uniforme de corrida –, ela franziu o cenho com isso, enquanto remexeu o cereal em dúvida sobre seus gostos culinários e seus pratos favoritos naqueles, ou que Tony tenha escolhido novamente um cereal qualquer, ao mesmo tempo em que percebeu o banquete a sua frente, enquanto pensava, desde quando ela comia tudo isso? Vincou o cenho, porém ignorou o pensamento, enquanto ouvia o som The Queen ecoando pela cozinha, e a voz desafinada de Tony.

Ela gostava realmente daquilo? Esforçou-se para se lembrar desde quando ela comia panquecas e muffins no café da manhã, entretanto apenas o vazio preenchia os espaços em sua mente, mas o questionamento desapareceu tão rápido quanto surgiu, a garota apenas sentiu o gosto familiar em sua boca, enquanto o cheiro de panquecas chegava as suas narinas, e a ideia de comer cereal no café da manhã não pareceu tão absurda naquele momento quanto há segundos em sua cabeça.

Era familiar aquele gosto –, Elizabeth apenas solveu o suco, enquanto seu estômago protestava de fome ao mesmo tempo que a garota mastigava devidamente as porções de cereais.

Seu olfato sentiu o cheiro trivial e familiar para si, e ela encarou as costas do homem mais velho que parecia familiarizado com os ingredientes de uma simples panquecas, e os óculos deixando de lado na bancada da cozinha –, a imagem era habitual, Elizabeth tinha essa sensação mesmo que aquela seria a primeira vez que seu irmão mais velho parecesse cozinha algo decente mesmo ela desconfiasse que ele tivesse comprado tudo aquilo, porém ela percebia que Anthony havia aprendido a cozinha e cuidar de uma criança mesmo não sendo sua responsabilidade, suspirou lentamente enquanto pensava no quanto seu irmão havia mudado por causa dela, e apertou os lábios em irritação ao pensar nisso, e sua cabeça doeu ao pensar em sua mãe e pai –, o que eles havia perdido do crescimento deles? Sua mãe riria do fato do irmão mais velho ter aprendido a cozinha.

Porém, ela tinha sensação de esquecer algo, ou que algo estava errado naquele cenário, ao mesmo tempo que tentava dizer a si mesma que ela estava apenas estressada com os trabalhos para Sra. Fanning.

Entretanto, aquela sensação não a abandonava –, ela estava esquecendo algo importante, Tony seguiu as panquecas, o mais velho do Stark olhava o jornal, ao mesmo tempo em que tomava o café, e a encarava avaliando cada passo dado pela mais nova.

—O que foi? Pare de me encarar, você está estranho – censurou a mais nova com irritação – Não se pode comer mais em paz.

—Que mau humor, coração, desculpe. – ele se rendeu, enquanto riu dela que o encarava com a expressão aborrecida de sempre – Qual o veredicto?

—Sua comida não está tão ruim, e um bom começo, não é? – percebeu o rosto do irmão contraído em uma máscara de falsa irritação pelo comentário, a mais nova sorriu mostrando os dentes em forma de provocação para Tony – Precisa melhorar no molho, apenas isso.

, eu sou o melhor chefe do mundo, coração, e você também cozinha, aliás, sua comida é divina, mas vamos evitar que você cozinhe, vai que perdeu o toque charmoso dos Stark na cozinha, porque você é bruta. – ele foi incisivo, enquanto sorriu mostrando os dentes, ao mesmo tempo que ela percebeu que Tony não mudará tanto quanto ela imaginara – O que?

Porque Tony mudaria? respirou fundo, enquanto apenas retrucou.

—Você ainda é o mesmo idiota, irmão, estava pensando se você tinha virado um velho ranzinza com o passar dos anos – ela murmurou sorridente, enquanto Tony revirou os olhos com atitude dela, ao mesmo tempo em que ela apenas bebeu o gole do suco de laranja a sua frente – O que houve?

—O que?

—Você precisa acordar – ela encarou com uma expressão confusa – Nos precisamos que você volte para casa, coração, eu preciso de você.

—Por favor, acorde.

Era a voz de Tony.

Aquele timbre sofrido que ela odiava.

Seu irmão mais velho estava chorando? A garota apenas tentou se mover, porém sua mente não pareceu obedecer inicialmente os seus comandos.

ouvia o som do bipe, sentiu as mãos quentes sobre as suas, enquanto suas pálpebras tremularam, apenas se esforçou enquanto abriu os olhos castanhos, e a luminosidade incomodou inicialmente fazendo solta um gemido baixo, ao mesmo tempo que apertou as mãos dele.

—Ei.

X

Tony encarou as janelas do quarto.

O som irritante das máquinas que mantinha viva soavam, enquanto as lembranças das últimas duas semanas surgiam em sua mente.

ensanguentada, sua irmã em sala de cirurgia, e com poucas chances de sobreviver, porém a mais nova dos Stark provou que ela estava lutando.

E Tony continuaria a lutar por ela.

—Ela vai ficar bem, Tony.

A voz de Pepper soava ao seu lado, enquanto a loira suspirou, o mais velho dos Stark não havia dormido nada nas últimas semanas enquanto aguardava que a irmã despertasse.

—Se eu tivesse…

Pepper o silenciou, enquanto Tony a encarou sério, a loira apenas suspirou enquanto mirou na mulher adormecida, em qualquer outro momento, ela teria dito que Stark parecia uma boneca de porcelana com o rosto tranquilo e sem qualquer alteração.

—Vou pegar café, e se acalme. Ela vai acordar.

Avisou, enquanto o homem apenas concordou, ao mesmo tempo em que encarou a mulher que parecia ressonar num sono tranquilo.

“Boa noite, senhor, você é parente de Stark?”.

As vozes soavam em loop em sua mente, enquanto a lembrança do sangue nas roupas dela era transparente como água.

“Sua irmã sofreu um acidente, Sr. Stark”.

Tony apertou as mãos dela, enquanto encarava o rosto da jovem de pouco mais de 23 anos. Ela sofreu um traumatismo craniano, saberemos a extensão dos danos, mas provavelmente, ela tenha dificuldade em lembrar alguns eventos do passado, ou ela jamais acorde, as próximas 48 horas serão decisivas após a cirurgia, a voz do médico soava em loop, Tony pouco se importava que ela não estivesse 100%, ele apenas as desejava que sua irmã estivesse viva, e sentiu as pontas dos dedos.

Ouviu o som da respiração dela, Tony lembrava da primeira vez que a segurou nos braços, e lembrava de dizer que tinha os seus olhos com orgulho, e os pais olhando para ele mesmo após ele ter dito que não queria uma irmã babona, mas Maria e Howard ignoraram totalmente o mais novo.

“Eu sempre irei protege-la, irmãzinha”, quantas vezes falhará com ela? Se existe algum tipo de Deus naquele mundo, e estivesse punido ele, Tony pedia para ele punir apenas e exclusivamente o Homem de Ferro, afinal, sua irmã mais nova não tinha nada haver com seus pecados, enquanto apenas respirou fundo.

—Ela não tem culpa – sua voz soou tão baixa, enquanto ele sentia aquele medo dominar o seu corpo ao pensar na possibilidade de não acorda – Ela não tem culpa, apenas deixe-a em paz.

Ele murmurou para qualquer ser divino no Universo, mesmo que ele mesmo não acreditasse nessas coisas, Tony pensou em todas as coisas que aconteceram com eles nos últimos seis anos, e aquilo fazia ele crê que em algum lugar deveria haver alguém tentando proteger sua irmã.

—Por favor, acorde.

Ouviu o som do bipe irritante, enquanto sentiu o aperto em sua mão, e os olhos castanhos escuros fixos nos dele, e um sorriso suave se formou, e a mulher percebeu o rosto contraído em uma careta se torna um alívio, ao mesmo tempo em que sua voz soou rouca.

—Ei.

—Ei, peste – Tony apenas sentiu o alívio invadir seu corpo, enquanto tocou na face dela e retirou o tubo do rosto dela que pareceu incomodar ela – Você sabe quem eu sou?

—Tony, meu irmão mais velho, porque você está perguntando algo tão idiota, Tony? – ela respondeu e indagou confusa, enquanto percebeu os fios ligados a si, e pareceu tomar ciência de que algo estava errado – O que houve? Minha cabeça dói, parece que um caminhão passou por cima de mim.

Tony a ajudou, enquanto a mulher parecia perceber as faixas ao redor do abdômen.

—Vou chamar o médico – ele disse apressado, enquanto sentiu a mão apertar a sua – Coração, eu volto já, apenas fique calma, tá bem?

estava em pânico, enquanto Tony apenas olhou o corredor quase vazio do hospital, entretanto, a enfermeira parou a sua frente.

—Algum problema, Sr. Stark?

—Ela acordou – a agitação estava presente em sua voz, enquanto continuou com urgência presente no seu pedido – Ela está sentindo dor de cabeça, por favor, chame o Dr. Yale.

—Irei chamá-lo agora.

percebeu o estado de sua perna, enquanto encarou o irmão mais velho, ao mesmo tempo que Tony percebeu que ela estava entrando em estado de pavor, e segurou suas mãos a trazendo a realidade.

—O que houve?

—Coração, você precisa se acalmar.

Os batimentos dela estavam acelerados, enquanto ela parecia mais agitada a cada segundo que passava, Tony temia que ela desmaiasse. Dr. Yale entrou rapidamente acompanhado de outros médicos, apertou as mãos de Tony.

—Oi, Srta. Stark, você se lembra do acidente?

Acidente? – ela murmurou e mirou os olhos em Tony em total confusão, e a incerteza estava clara em sua voz – O que houve, Tony?

—Você sofreu um acidente enquanto voltava para Nova York, e você estava numa reunião no Pentágono, coração… – ele murmurou, o encarou inquieta – , você se lembra? Banner estava com você no telefone.

o encarou, enquanto apenas respirou fundo.

—Quem é Banner? – ela remexeu no cabelo em nervosismo ao ouvir o nome pela primeira vez, enquanto Tony visualizou a irmã agir como se tivesse sete anos de novo – Tony.

, o que você se lembra?

A voz do médico soou, enquanto a mesma o encarou em desconforto, e torceu os dedos da mão livre enquanto apertava as mãos de Tony.

Jericho – ela murmurou, enquanto engoliu a seco, e encarou Tony com a voz por um fio enquanto as lembranças surgiam em sua mente dos meses que passará – Lembro de você desaparece durante meses, dos problemas com o núcleo, e entre outras coisas, o que houve? Tony? O que está acontecendo? Me responde!

Agitação presente em seus gestos, enquanto Tony passou as mãos sobre os cabelos, enquanto a cabeça loira surgiu na porta trazendo dois copos, e percebeu o olhar de mirou na aliança no dedo da mais velha, enquanto um sorriso surgiu nos lábios dela, e pareceu acalmar um pouco ela.

—Ei, quando foi que você pediu ela em casamento?

Tony suspirou, enquanto o médico observava a reação de Elizabeth cautelosamente.

—Nós precisamos conversar, coração.

X

—Tony, brinque com a sua irmã também.

de 5 anos desmontava um motor de brinquedo, ao menos, foi o que Howard disse para ele enquanto encarava a mais nova dos Stark que usava um macacão rosa e os cabelos castanhos presos num rabo de cavalo no alto, e se virou para ele ao ouvir ele.

—Desde quando papai te dar um motor de verdade?

—Tony! – ela ignorou o motor, e correu para os braços do irmão mais velho que a ergueu do chão e sentiu os beijos estalados na bochecha dela que o encarava com um sorriso enorme, porém logo murchou – Mamãe disse que não posso ir ao MIT, porque não? Eu queria ir te ver! Você prometeu me ensinar a desenha o reator!

—Prometo te levar na próxima vez – garantiu mesmo que a Maria Stark disse que a universidade não era lugar de crianças – O que você está fazendo? Porque acho que a mamãe não sabe disso.

Ela apenas riu, uma risada genuinamente calma.

—Papai disse para a mamãe que é um motor de brinquedo, mas é do carro que ele comprou no mês passado e ele deixou eu mexer desde que ele esteja do meu lado – ela respondeu, enquanto Tony riu – Ele disse para não dizer para a mamãe, mas para você, eu posso não é?

Tony retornou a realidade ao encarar a irmã mais nova, tinha os cabelos castanhos caindo por sua face enquanto encarava as fotos, e uma a uma enquanto soltava uma lufada de ar e uma irritação em suas feições, ao mesmo tempo em que o mais velho tentava conter a vontade de rir.

—Porque estamos fazendo isso? E chato, eu quero ir para casa, Tony – questionou a mulher, ao mesmo tempo em que Tony suspirou – Tony. Por favor, eu não aguento mais ficar aqui.

Sua voz soava em súplica, enquanto encarava o irmão.

—Você esqueceu do Banner – replicou, enquanto a mesma apontava para as pessoas do passado dos Stark – O que foi?

—Porque estamos vendo as suas ex-namoradas? E quando vou poder falar do casamento com a Srta. Potts? Sério, você me disse que jamais ia envolvê-la nesse mundo, e que você sendo o homem de ferro era perigoso, e vários blá blá blá, então, como foi o pedido? Qual é, Tony? Você é um péssimo irmão, e eu te odeio – ela retrucou em mau humor, enquanto encarou o mais velho com uma expressão de raiva incontida, e Tony encarava a mais nova com um suspiro seco, e como falar para ela que perdeu a memória dos últimos anos? E que muita coisa mudou, pense, Tony, você é um gênio, se lembra? O Stark mais velho percebi a falta de paciência na voz dela – E porque eu não posso ir para casa?

—Já falei, não moramos em Malibu.

—Eu entendi isso, e o Sirius? – indagou do cachorro que ela adotará, enquanto o mesmo bufou ao citar o cachorro – Tony.

—Em casa – resmungou, enquanto percebeu o rosto sério dela – Ele está bem, ainda é um pulguento cheio de energia, e que aliás, você devia doar ele.

—Nem pensar! – ela replicou, enquanto mirou com os olhos irritados – Tony, quem são eles?

Tony encarou a foto, o local estava parcialmente destruído, porém era a recordação deles enquanto estava ao lado de Tony com um sorriso enorme e o rosto pálido, e a lembrança do desespero dela surgiu em sua mente enquanto encarava o rosto dela que parecia tentar se lembrar deles, ela apenas suspirou novamente frustrada, Tony apenas segurou suas mãos e tentou agir mais gentilmente com a mulher que parecia prestes a jogar a caixa de fotografias no chão.

—Você não lembra deles?

—Esse cara lembra o Capitão América, papai me contava histórias dele quando eu ia dormir, e um herói para ele, aliás, lembro que você odiava ele, e você ainda o odeia? – Tony suspirou, enquanto a mesma percebeu a tensão nos ombros dele, e percebeu que havia falado algo errado – Ei, você ainda me disse quanto tempo eu fiquei apagada? E de quando é essa foto?

—Duas semanas – ele retrucou, enquanto apenas percebeu o rosto dela se modificar, e indicou para a foto – Essa foto tem seis anos. Você vai se lembra, coração.

—Seis anos? E se nunca mais lembra, Tony?

—Eu vou estar aqui do seu lado, ok? Para lembra que você é bem chata – a mulher não riu, enquanto apenas encarava as fotos das quais ela não recordava em nenhum momento de ter tirado – Ei, coração. Você vai lembra, tá bem?

desviou os olhos, enquanto a Stark mais nova tomou ciência de que os poucos minutos que havia dormindo foram 2 semanas, porém ela havia perdido seis anos da sua vida, enquanto apenas cruzou as pernas, enquanto Tony Stark percebeu que ela não se lembrava dos últimos seis anos, e consequente dos Vingadores, e principalmente, deles.

—E onde moramos? – sua voz soava indiferente, enquanto a mesma colocou a foto no álbum de volta no local, e o olhava com um sorriso falso, Tony suspirou enquanto a mesma fingia estar se irritando – Não me diga que mudamos para um local sem quintal para o Sirius.

—New York – ele percebeu que ela até aceitou bem a ideia, enquanto apenas percebeu o rosto pálido confuso – O que foi?

—Esse cara é neto, ou algo do tipo, do Capitão América? – ela mostrou a foto com Steve, em que o mesmo usava o uniforme da SHIELD ao lado de Tony, a lembrança era remota, enquanto o Stark apenas passou as mãos pelos cabelos ao perceber o olhar sério dela – Tony?

—Ele pode te explicar – ele redarguiu, e a mesma revirou os olhos com o ato de teimosia do irmão mais velho, Tony sabia que ela queria saber de tudo, porém os médicos disseram um passo de cada vez com a mais nova dos Stark, afinal informações demais não seria bom para ela – , eu preciso te contar algo.

—Sou tia?

Os olhos castanhos se fixaram nos dela, enquanto tossiu. Tia? Tony mirou na expressão de expectativa da mais nova, afinal, Anthony era sua única família, e respirou fundo antes de responder adequadamente.

—Não, eu ainda não vou me reproduzir.

—Deveria – cantarolou, enquanto apenas riu da expressão dele – Você seria um ótimo pai. Mamãe e papai iriam ficar orgulhosos de você, sabia?

—De você também, eu também sinto falta deles.

A mulher percebeu a lágrima solitária escorrendo por sua face, ao mesmo tempo em que Tony suspirou, enquanto encarou a mulher. Ela estava igual, antes de tudo, como diria a ela? O Stark suspirou, enquanto a encarou.

—Você não ia dizer algo?

—Depois, coração. Vamos continuar olhar as fotos.

deu de ombros enquanto pegava uma foto em que ela estava com Pepper e Happy, ambos sorrindo enquanto a mesma exibia orgulhosamente o diploma pela MIT, enquanto Tony mirou na foto em que os Vingadores estavam bebendo e comendo Shawarma.

—Ei. Eu me formei?

—Com honras. Até mesmo tem doutorado que você viver esfregando na minha cara.

A garota riu, enquanto apenas olhava mais algumas das fotos de suas formaturas, enquanto Tony Stark sabia que uma hora ou outra ela ia descobrir que aquele pessoas eram também sua família, enquanto ele suspirou.

—Eu vou dar uma volta. Irá precisar de mim?

Ela o encarou, enquanto apenas negou entretida em saber quem era quem antes de voltar para casa. Tony apenas encarou a caixa que manteve longe dela, enquanto a levava de volta para o carro.

Ela, ao lado dele, numa guerra.

Como contaria isso para ela?

 

Notas da autora: trazendo mais uma fanfic da Marvel em que a gente morre de amores pelo Homem de Ferro e pelo capitão América.

Aproveitem!

Comentem, vocês podem me achar no twitter: @c_queenlis

 

With love,

 

Lysse.