Arms Around Me

  • Por: Prius
  • Categoria: Larry | Shipp
  • Palavras: 4241
  • Visualizações: 87

Sinopse: Louis Tomlinson, Eagle 1, está mais uma vez viajando a trabalho, numa missão que pode custar sua vida e de outras pessoas. Antes de viajar, Louis resolve finalmente contar o que sente para seu melhor amigo, Harry Styles. Louis faz de tudo para voltar vivo para seu grande amor e sua filha, Alicia.
Gênero: Romance LGBT.
Classificação: 16 anos.
Restrição: Personagens são fixos.
Beta: Elena Alvarez.

Chapter 1: Don’t give up on me.

“I’m not givin’ up, givin’ up no, no yet
Even when nobody else believes
I’m not goin’ down that easily
So don’t give up on me
I will fight for you.”

June 17.

Louis desligou o despertador depois de ouvi-lo tocar pela segunda vez. Apesar de ser uma pessoa do exército, odiava acordar cedo, mas precisava levantar e acordar Alicia. Louis levantou e foi até o banheiro para fazer sua higiene matinal e, após isso, foi para a cozinha preparar o café da manhã deles, com direito a panquecas para sua filha, café e torradas com ovos para si. Louis foi até o quarto de Allie para acordá-la, chegou na cama da filha, sentou e fez carinho em seus cabelos com a intenção de acordá-la com calma. Allie não gostava de acordar cedo, então enrolava enquanto podia e o pai deixava. Louis não podia demorar muito, pois já estavam atrasados.

“Ei, sunshine, acorde. Você precisa tomar banho e comer para ir à escola, levante.” Louis disse baixinho para não assustar a garota.

“Só mais cinco minutos, papai Lou.” Alicia virou para o outro lado e continuou dormindo.

“Allie, não podemos enrolar ou Harry vai brigar com a gente de novo, vamos.” Louis falou mais alto e tirou a coberta de cima da criança.

“Papai Harry nem está em casa, ele não vai saber.” Alicia resmungou se sentando na cama.

“Não podemos mentir para o papai Harry, você sabe disso.” Louis decretou pegando Allie no colo e levando-a até o chuveiro. “Tome seu banheiro, escove os dentes e coloque a roupa que vou separar para você depois, ok? Estou na cozinha te esperando para comer.” Louis falou se retirando do banheiro para pegar as roupas da filha. Estava frio em Londres, então pegou uma calça de moletom, uma blusa branca simples, um casaco grosso que a protegeria do frio e, por fim, uma touca que a garota adorava usar.

Louis chegou na cozinha e se sentou com o celular em mãos para ver as notícias enquanto esperava sua filha para comer. Minutos depois, Alicia aparece na cozinha já vestida e com uma escova de cabelo na mão. “Papai Lou, faz uma trança no meu cabelo?” Alicia perguntou chegando perto de Louis. “Você não quer ir com ele solto, sunshine? Está frio, vai ajudar a proteger suas orelhas com a touca.” Louis disse, pegando a escova e começando a pentear o cabelo dela. Alicia negou com a cabeça, falando “Quero a trança, papai.” Louis assentiu enquanto começava a arrumar os fios em seus cabelos.

Alicia era linda, tinha os cabelos cacheados loiros e olhos castanhos, mas era pequena demais para sua idade e isso preocupava um pouco Louis. A pediatra da pequena disse que foi provavelmente devido à falta de nutrientes na gravidez. Alicia foi deixada na porta de Louis há alguns anos, ela não tinha mais de um ano, mas Louis se encantou assim que pôs os olhos nela e resolveu adotá-la o mais rápido possível. Muita gente disse a ele que era precipitado e que não daria conta pela vida que levava. Sendo capitão das forças especiais do exército, Louis viajava constantemente em missões pelo mundo. Não foi uma batalha fácil no tribunal, já que no começo o juiz ficou relutante em deixar Louis adotar Alicia e exigiu que outra pessoa compartilhasse a guarda com ele. No começo, Louis ficou desesperado e não sabia o que fazer, achava que tinha perdido e estava aceitando a derrota quando Harry, seu melhor amigo, deu a ideia de eles compartilharem a guarda. Harry sempre foi louco por crianças e com Alicia não foi diferente, ele estava tão encantado por ela quanto Louis. Harry tinha uma cafeteria e eles moravam juntos desde a faculdade, o que facilitou bastante perante o juiz.

Depois de fazer a trança, Louis ajudou sua filha a comer e acabou comendo junto e rápido, já que estavam atrasados. Logo após terminarem o café da manhã, Louis levou Alicia novamente para o banheiro a fim de ajudá-la a escovar os dentes e calçar seus sapatos para sair.

“Todas as coisas que precisa estão na sua mochila, sunshine?” Louis perguntou logo quando chegaram até a porta de casa para sair.

“Sim, papai Lou, está tudo na minha mochila. Você vai me buscar hoje?” Alicia fez um biquinho nos lábios olhando para Louis.

“Eu não sei, amor. Papai Lou vai viajar em dois dias a trabalho, preciso arrumar as coisas, então provavelmente papai Harry vai te pegar, ok?” Louis sorriu para a garotinha, fechando a porta de casa e pegando sua mão para caminharem até a escola. Como era perto, não tinha necessidade de usar seu carro.

“De novo, papai? Você viajou mês passado.” Allie perguntou batendo o pé no chão e resmungando. Alicia ficava adorável assim, parecendo um gatinho bravo.

“Eu tenho que salvar as pessoas de outras pessoas ruins, lembra? Eu preciso ir.” Louis falou ao apertar o narizinho de botão da filha e riu quando Alicia fez uma careta.

“Tudo bem, mas o papai Harry fica triste e preocupado quando você vai, às vezes chora também, mas ele não sabe que eu sei.” Falou baixo como se fosse um segredo.

“Ele chora? Como você sabe disso, Alicia?” Louis perguntou surpreso para a filha, que parou de andar quando viu que a escola estava do outro lado da rua.

“Eu vi ele chorando uma vez e pedindo para você não morrer, porque ele não ia aguentar sozinho.” Alicia encarou Louis com os olhos cheios de água e perguntou “Você vai morrer, papai Lou? Salvando as pessoas?”

Louis congelou sem saber o que falar, ele não podia mentir, mas também não podia dizer qualquer coisa, Alicia era muito inteligente pra sua idade e muito observadora. Louis se agachou na frente da filha e falou “Sunshine, o meu trabalho é um pouco difícil, estou salvando as pessoas de coisas ruins, mas eu sempre faço tudo que posso para voltar, ok? Voltar para você e para o papai Harry.” Louis, sorrindo, abraçou sua garotinha afagando seus cabelos.

“Você promete que vai sempre voltar pra gente?” Alicia sussurrou em seu pescoço. “Eu prometo, sunshine.” Louis sabia que não podia prometer uma coisa dessas para Alicia, ainda mais sabendo que um dia ele poderia não voltar. Louis levantou com ela em seu colo e atravessou a rua para deixá-la na escola. Quando chegou em frente aos portões, a colocou no chão e deu um beijo na ponta do seu nariz como fazia todos os dias.

“Boa aula, se comporte, eu amo você.” Louis sorriu vendo Alicia indo até a professora que aguardava seus alunos na porta. “Amo você, papai Lou.” Alicia gritou de longe e deu um tchau com a mão para Louis.

Louis voltou para casa pensativo, principalmente com as coisas que Alicia contou. Nunca imaginou que Harry chorava enquanto ele estava fora, nunca imaginou que doesse em Harry também, porque nele mesmo doía como o inferno. Já pensou incontáveis vezes em dizer para Harry que estava apaixonado por ele. Mesmo que não fosse recíproco, ele queria contar, mas sempre desistia. Louis não achava justo com Harry contar e ir embora depois ou contar e nunca mais voltar, porque esse era seu trabalho. Ele nunca sabia se iria voltar para casa. Ele nunca sabia se voltaria para os braços de Harry.

Chegando em casa, Louis ficou surpreso ao entrar e deparar-se com Harry sentado no grande sofá preto da sala, e parecendo esperar por ele. “Oi, Haz. O que você está fazendo aqui a essa hora? Achei que fosse ficar na cafeteria até buscar Alicia na escola.” Louis sorriu indo em direção ao sofá para sentar ao seu lado e ligar a tv.

“Eu vim para casa, porque o Niall passou por lá agora a pouco. A gente precisa conversar, já que você tem algo para me contar, não?” Harry perguntou baixo, sorrindo amarelo.

“Na verdade, sim, eu tenho. Mas não sei como te contar, é complicado.” Louis falou sem jeito, ajeitando-se no sofá.

“Louis, não enrola. Eu já sei que você vai viajar de novo, só quero saber por que você não me contou assim que soube. Você sempre me conta.” Harry perguntou magoado.

“Harry…” Louis engoliu em seco, e acrescentou “É mais complicado dessa vez, eu…”

Harry o interrompeu “Oh, então é complicado você me contar que vai para uma missão nova e que não sabe se volta até o aniversário da Alicia? Foi por isso que não me contou, não é? Porque sabe que eu vou ficar puto com você. É a segunda vez que você falta uma data comemorativa por causa de trabalho, Louis.” Harry falou elevando a voz.

“Harry, é o meu trabalho. Você acha que eu estou gostando de talvez não estar aqui no aniversário da minha filha? E eu ainda não sei se vou faltar, por enquanto é só uma hipótese. ” Louis falou, virando-se e sentando de frente para Harry.

Nossa filha, Louis. Porra, você é o capitão, pode escolher se vai ou não em alguma missão. Você já me disse sobre isso. E outra, quando você acha, é porque já sabe.” Harry comentou com os olhos semicerrados.

“Harry, eu posso, mas não é assim que funciona. Você não entenderia. E eu não quero brigar com você, por favor.” Louis falou cabisbaixo, encolhendo-se no sofá.

“Então me explica, me faça entender. Por que ir para um lugar que você pode morrer, ao invés de ficar aqui e comemorar o aniversário da nossa filha?” Harry perguntou gesticulando com as mãos, os olhos cheios de água.

“Harry… Você acha que é fácil? Eu não posso deixar minha equipe sem mim, da última vez que escolhi ficar, coisas ruins aconteceram. Lembra da morte do Henry? Ele foi no meu lugar e…” Louis falou relembrando momentos de anos atrás.

“Para, Louis. Para! A morte do Henry não foi sua culpa, poderia ter acontecido com você lá ou não, então não se culpe.” Harry o interrompeu, chegando perto de Louis, confortando- o.

“Haz, se eu tivesse ido naquela missão, o Henry ainda estaria aqui com a família dele.” Louis falou tentando conter os soluços.

“Louis, pare de se culpar por algo que você não teve controle. E não se esqueça que você também tem uma família aqui. Alicia vai fazer 7 anos e eu não tenho condições para cuidar dela sozinho, caso aconteça alguma coisa com você. Eu não estou pronto para isso, Louis. Pense nisso.” Harry argumentou.

“Você acha que eu estou pronto para caso venha acontecer algo comigo, Harry? Você acha que estou preparado para deixar uma filha e o cara por quem estou apaixonado sozinh…” Louis se interrompeu, arregalando os olhos ao se dar conta do que disse.

“O quê? Louis?” Harry se afastou tenso ao escutar a declaração.

“Porra. H., me desculpe, eu não queria falar dessa forma. Mas é a verdade, eu estou apaixonado por você, desde a fac….” Louis começou, mas parou assim que Harry o interrompeu exasperado.

“Louis, para. Eu não quero ouvir isso agora, não depois dessa conversa. Você basicamente falou que não vai deixar de ir nas missões independente do que você tenha aqui, eu não quero ouvir essa merda agora.” Harry comentou, levantando-se e olhando para o nada, sem se dar conta do que tinha dito no final.

“Eu acabei de falar que estou apaixonado e você teve a coragem de chamar de merda?” Louis elevou a voz, levantando-se com os olhos cheios de água, olhando para Harry desacreditado.

“Eu já mandei parar de falar, porra. Você só prestou atenção nisso?” Harry gritou caminhando para o corredor.

“Você é mesmo um filho da puta arrogante, eu deveria ter escutado quando me falaram.” Louis falou com raiva, enquanto as lágrimas escorriam pelo seu rosto.

Harry abriu a porta do seu quarto, virando-se para Louis, que estava parado no meio da sala e falou “Sim, Louis, você deveria ter ouvido.” e bateu a porta do mesmo após entrar.

Louis respirou fundo, jogou-se no sofá ainda chorando e olhou para a tv ainda ligada, trocando de canal para um filme qualquer. Precisava distrair a mente. Essa pequena discussão dos dois o fez pensar no quão estúpido era ao achar que seria correspondido por Harry. Idiota é isso que é, como se ele fosse viver a porra de um clichê com seu melhor amigo. Louis queria viajar em paz e calmo, sem ter maiores problemas para pensar na missão, mas pelo jeito vai com essa conversa dos dois na cabeça. Até porque duvidava que eles se acertariam antes de viajar, não depois de tudo que eles falaram um para o outro. E ainda precisava contar para sua garotinha que talvez não estaria ali para seu aniversário. Ótimo. Louis ficou tão perdido em pensamentos, que acabou dormindo.

xxx

Louis acordou todo dolorido por ter dormindo no sofá, olhou ao redor e viu Alicia sentada no tapete, brincando, alheia ao que passava na tv. Era algum programa de culinária que Harry gostava. Sentou-se no sofá se espreguiçando e levantou para ir ao banheiro, passando por Alicia e beijando o topo de sua cabeça, que virou o rosto para ele e sorriu minimamente, voltando sua atenção para as bonecas. Louis voltou para a sala falando com sua filha. “Oi, sunshine. Como foi na escola? Tá tudo bem?”

“Oi, papai Lou. Foi tudo bem na escola, eu dividi meu lanche com Ceci e aprendi a fazer contas na aula de matemática hoje.” Alicia comentou cabisbaixa.

“Alicia… sunshine, o que aconteceu?” Louis perguntou preocupado, sentando ao lado da filha no tapete.

“Papai Harry comentou que você vai demorar um pouco nessa viagem de ajudar pessoas, vou sentir saudades. Você volta para o meu aniversário?” Alicia fez bico e se aconchegou em Louis.

Louis respirou fundo, sentou Alicia em seu colo e começou a fazer carinho em seus cabelos. “Eu não sei, sun, espero que sim. Não quero passar seu aniversário longe, mas eu não sei.” respondeu com um nó na garganta olhando para a porta da cozinha, onde Harry estava encostado os observando.

Alicia olhou triste para Louis, desceu de seu colo e voltou a brincar com as bonecas, cabisbaixa. Louis suspirou, sabia que não adiantaria tentar falar alguma coisa para Alicia agora. Aproveitou o momento de distração da filha e resolveu ir até a cozinha comer alguma coisa antes de sair para o trabalho. Chegando na cozinha, abriu a geladeira de inox e olhou rapidamente o que tinha, resolveu então pegar o creamcheese e o queijo para fazer um sanduíche. Enquanto fazia seu lanche sentiu o olhar de Harry em si e perguntou baixo “O que foi, Harry?”

“Louis, a gente precisa conversar.” Harry comentou, engolindo em seco.

“Agora você quer conversar?” Louis falou rindo amargurado.

“Lou, por favor.” Harry choramingou.

“Eu vou trabalhar, Harry. E não me espere para jantar.” Louis respondeu pegando seu sanduíche, caminhando para fora da cozinha sem olhá-lo.

Louis sentou no sofá, olhando Alicia ainda brincando com suas bonecas, enquanto mordia seu sanduíche. Após acabar, resolveu ir logo ao banheiro para tomar um banho, já que se ele enrolasse demais, acabaria se atrasando para o trabalho. Depois de voltar para a sala, Louis agachou-se perto de Alicia e falou “Até mais tarde, sunshine. Comporte-se e faça seu dever de casa, peça ajuda ao Harry se precisar. Amo você.” Deu um beijo na testa e no nariz da garotinha, recebendo um resmungo de volta e “Amo você, papai Lou.” baixinho. Logo Alicia esquivou-se do mesmo para conseguir voltar a enxergar seus brinquedos e Louis riu, afastando-se e indo até a porta para sair.

Já no carro, Louis ligou para todos os membros da equipe para encontrarem-se na base e resolverem os últimos ajustes para a viagem de quinta-feira. Após a ligação, finalmente ligou o automóvel e dirigiu foi até o trabalho, encontrando seus colegas o esperando e juntos seguiram até a ala deles.

“E ai, caras, tudo bem?” Louis perguntou assim que sentou em sua cadeira. “Todos prontos para a missão?” acrescentou cabisbaixo.

“Ei, Tomlinson. Tá tudo bem, cara?” Niall foi o primeiro a se pronunciar, perguntando ao notar a cara fechada de Louis.

“Sim, Niall. Está tudo ótimo, por que não estaria?” Louis respondeu com a voz amargurada.

“Nossa, que bicho te mordeu?” Zayn perguntou assustado o olhando.

“Desculpa, eu só estou estressado.” Louis falou passando a mão no rosto e acrescentou “Mas eu não quero falar disso, por favor.”

“Ok! Você já sabe quanto tempo vamos ficar fora?” Niall questionou dando de ombros.

“Aparentemente de um mês a um mês e meio.” Louis suspirou.

“Porra, cara. Um mês e meio? E o aniversário da Alicia?” Liam perguntou alto.

“Eu sei, Liam, talvez a gente não volte a tempo para o aniversário dela. Louis falou cabisbaixo. “Eu quero voltar antes, mas pela missão que teremos, eu acho difícil.” acrescentou.

“Louis, cara, é a segunda data comemorativa que você vai faltar. Tem certeza que quer ir?” Zayn acrescentou desta vez.

“Belo pai que você é.” Calvin falou baixo achando que ninguém fosse ouvir.

“O que você disse, Rodgers?” Louis perguntou alterado, levantando-se.

“Isso mesmo que você ouviu, Tomlinson. Belo pai que você é, faltando aniversário da filha para salvar algumas pessoas que nem merecem.” Rodgers falou calmo.

“Você acha que eu fico feliz não sendo tão presente na vida da Alicia, Calvin? Mas é a porra do meu trabalho. Meu trabalho é salvar pessoas, elas merecendo ou não, e Alicia entende isso e sabe o quanto eu a amo.” Louis falou baixo se aproximando de Rodgers com uma cara nada boa. “Se você não gosta do seu trabalho, eu peço que você se retire, não preciso de ninguém que faça de má vontade. E se você ousar falar mais alguma coisa sobre mim ou minha filha, Calvin, eu não respondo por mim.” Louis acrescentou com raiva.

“Louis, deixa isso pra lá, não vale a pena, cara.” Zayn se aproximou tirando Louis de perto de Rodgers.

“Como se ele fosse fazer alguma coisa comigo, Zayn. Ele nem altura para isso tem.” Calvin falou rindo.

“Calvin, eu sou a porra do capitão da equipe, você acha que eu não consigo te quebrar em dois? Você realmente não me conhece, então é melhor tomar cuidado.” Louis falou sentando novamente em sua cadeira. “E se você não está satisfeito, sugiro que saia das forças especiais ou procure outra equipe.” Louis acrescentou.

“Calvin, cara, você parece ter 5 anos. Por favor, sem infantilidade aqui.” Liam falou com raiva. “Não é a primeira vez que você fica falando merda, está todo mundo de saco cheio de você.” Niall acrescentou antes que Liam falasse alguma coisa errada.

“Não está mais aqui quem falou.” Calvin acrescentou levantando os braços, rendendo-se.

“Vamos resolver logo as coisas da viagem, quero sair hoje ainda” Louis falou pensando no pub que iria depois, já que não queria chegar em casa tão cedo.

“Ué, eu achei que você fosse conversar com o Harry hoje, finalmente contar que é apaixonado por ele” Zayn comentou rindo enquanto os outros gargalhavam.

“Então, eu fiz isso hoje e a gente brigou, lindo, né?” Louis disse rindo nasalado, mandando o dedo do meio para os meninos.

“Pera ai, você contou?” Liam gritou desacreditado.

“Contei, Liam. E como você pode ver na minha cara, não foi como imaginei. Mas eu realmente não quero falar sobre isso, pode ser?” Louis comentou dando de ombros. “Vamos para a sala do tenente, ele vai passar todas as instruções.” acrescentou levantando-se e se dirigindo para a porta da ala deles.

Louis caminhou para a sala do tenente e os outros o acompanharam até chegarem no amplo espaço que continha uma grande mesa com várias cadeiras em volta e alguns computadores num canto. Algumas pessoas já estavam lá, incluindo o tenente Brian Churchill, a capitã Taylor Twist e uma outra mulher que ninguém sabia quem era. Todos se sentaram ao redor da mesa e aguardaram as apresentações.

“Boa noite, pessoal. Essa é a Martha Fletcher, agente da MI6. Acredito que todos vocês já saibam sobre a agência britânica de inteligência. Martha foi quem designou nossa equipe para essa missão.” Churchill nos apresentou. “Esses são Louis Tomlinson, capitão da equipe. Niall Horan, Zayn Malik, Liam Payne e Calvin Rodgers, membros da equipe de Tomlinson.” acrescentou o tenente.

“Boa noite, rapazes. Estou aqui para ajudar e passar todas as informações necessárias para o serviço de vocês. É de extrema importância que a missão seja um sucesso, dada a circunstância da situação.” falou Martha sorrindo.

“Como vai ser essa missão? Para onde vamos e com o que estamos lidando?” Louis perguntou.

“Vocês vão para o México resgatar Samantha Jones, agente que foi sequestrada por Joaquim Alvarez, mais conhecido como Joca, maior traficante de drogas de lá e chefe do cartel El Diablo.” contou Martha. “E eu vou acompanhá-los nessa missão. Na verdade, até mesmo Brian e Taylor vão nos acompanhar.” acrescentou.

“Nós só vamos lá para resgatá-la?” perguntou Niall.

“Não. Também iremos caçar e prender Joca. Teremos ajuda de uma pequena equipe do México.” falou Martha.

“Ok, mas eles não podem fazer isso sozinhos? Caçar e prender Joca, eu digo.” Louis perguntou confuso. “Por que precisam de nós?” acrescentou.

“Joaquim além de ser o maior traficante de drogas, também manda em todo o México, inclusive em policiais e políticos. Ameaça quem não obedece e mata traidores.” explicou Martha “Eu tive que escolher a dedo toda nossa equipe de reforço mexicana para não termos problemas com informantes.” acrescentou.

“Ok, teremos uma base por lá, então? E é seguro? Me desculpe, mas eu não quero levar minha equipe para uma missão suicida, Martha, espero que me entenda.” contou Tomlinson.

“Vocês estarão seguros na base, mas eu não posso falar o mesmo sobre as missões e acredito eu que você saiba disso, Tomlinson. Vamos correr risco todos os dias e todos nós, não só a sua equipe. Espero que esteja ciente disso.” Martha comentou com arrogância e acrescentou “Se você e sua equipe não estão seguros quanto a isso, peço que se retirem e eu coloco outras pessoas no lugar de vocês.”

“Todos estamos cientes, Jones, ninguém estaria aqui se não estivesse.” Zayn comentou.

“Ótimo, Malik. Mais alguma pergunta?” Martha perguntou.

“Não, estamos entendidos.” comentou Louis e todos os outros assentiram. “Podemos ir ou tem mais alguma coisa a acrescentar?” perguntou.

“Estão todos dispensados.” Churchill concluiu.

Louis foi o primeiro a sair da sala, checou o celular e viu que estava cedo demais para ir embora, não queria chegar em casa agora. “Merda” falou baixinho e decidiu que realmente iria para o pub enquanto caminhava devagar até o carro.