Fool for You

Sinopse: Durante 10 anos de seu relacionamento, Louis Tomlinson jamais imaginou que chegaria a ser tão tolo por Harry Styles.
Gênero: Drama, romance
Classificação: +16 anos.
Restrição: Linguagem sexual e sexo.
Beta: Elena Alvarez

 

CAPÍTULO ÚNICO.

Ele ainda pensava nele.

Pensava naqueles olhos sagazes, na boca que o chamava, no jeito dele, e havia dito a si mesmo que deveria esquecer, e que era inominável o seu dito amor como muitos diziam.

Ele enlouqueceu.

Lentamente perdeu o controle de suas emoções por aquele homem, e logo sucumbiu ao prazer da carne em outros corpos para saciar sua fome dele, porém, soube no momento em tocará outro corpo que jamais seria capaz de saciar sua fome dele.

Ele queria ser devorado e devorar aquela pessoa.

Ele o queria, enquanto encarava a própria ruína.

O que ele estava pensando? Que ele amaria da mesma que o amava? O gosto da bebida lhe entorpeceu.

Ele estava com medo.

Havia dito a si mesmo que poderia sobreviver aquela separação iminente, havia tido meses de preparação para dizer que não o amava mais, porém amava.

Amava aquele filho d puta.

encarou a bebida, enquanto o som escapava de seus lábios eram apenas lamúrias. O que estava pensando quando se envolveu com e aquela relação fadada ao fracasso? Já devia saber que aquele homem jamais se submeteria a ninguém, nem mesmo ao seu amor, nem desistiria de qualquer coisa por .

O que você estava?

O copo virou, enquanto a bebida lentamente o fazia esquecer seu juízo. Se apaixona por tinha sido um problema desde o início, afinal quem ele queria enganar com aquele joguinho sexual que ambos deram início? sempre soube que iria se dar mal no final, pois entregado demais ao homem.

Seu corpo, seu orgulho, e principalmente, seu coração.

Pegou a garrafa, porém, ela foi retirada de suas mãos, enquanto os olhos azuis encaravam em com uma sobrancelha arqueada para o indivíduo que o encarava de volta com os verdes irritados.

conhecia aquela expressão como ninguém.

—Oi, .

X

estava fedendo a sexo e álcool quando o encontrou.

Havia vasculhado metade da cidade atrás do então amante, e reconhecia aquele cheiro, enquanto o arrastou para o carro, encarou o corpo se sentar o mais longe possível dele, enquanto as mãos se fecharam ao redor do torso, como se estivesse com medo de ser tocado por ele.

Ele ainda estava bravo.

— Como soube onde eu estava?

— Andrews me disse.

Murmurou mencionando o então braço direito do herdeiro dos , enquanto o mesmo bufava alguma palavra imprópria em italiano, suspirou, e retirou seu celular do bolso digitando algo para o braço direito do amante.

—Você não devia ter bebido.

— Eu já sou adulto. Eu não sigo suas ordens.

— Até quando vai agir assim?

— Não sou que tenho um encontro às cegas, certo?

Cuspiu as palavras, enquanto batucou impaciente sob a maçaneta da porta, e suspirou. Novamente aquele assunto, encarou as ruas de Roma passa como um vulto, e o pensamento lhe trouxe o pedido de seu pai para ele se casar e se estabelecer para poder assumir os negócios da família.

A garota era de outra renomada família de negócios, apenas afrouxou a maldita gravata que usava, enquanto percebia o quão a ideia irritava o herdeiro da família .

—Onde estamos indo, Arthuro?

— Para a casa do jovem mestre.

— Eu quero ir para minha casa.

— Siga para casa do .

Murmurou , enquanto batucava ainda sobre a porta do carro. estava sendo infantil, afinal, ele também havia recebido propostas para ser casa com a filha dos Calder, e jamais havia mencionando seu então enlace e rompimento com a garota, suspirou enquanto desabotoou o colete, e arregaçou as mangas.

O tempo entre ele e era de quase 10 anos, entre travessuras sexuais e amigos de longa data, mas, sempre houve mais entre eles.

Uma conexão que não existia com mais ninguém, se sentia confortável com ele, enquanto tentou toca-lo, porém o jeito defensivo que o amante estava lhe dizia que não devia se atrever a aproximação dos corpos.

Havia sido no começo um jogo, apesar de que ambos estavam ali apenas por diversão, mas logo o envolvimento sexual se tornou algo mais profundo que ambos prezavam, apesar de suas posições.

— Chegamos.

— Adeus, .

encarou o amante sair sem nem olhar para trás.

— Senhor?

— Eu irei ficar, Arthuro. Pode ir para casa.

Saiu em seguida, enquanto apenas atravessou até o pequeno portão, onde os seguranças acenaram para ele, e acostumando com as frequentes vindas

— Vai embora.

— Nós sempre dormimos juntos.

— Não mais, afinal, vai se casar com ela?

— É só um encontro.

— Um encontro enquanto tem a mim?! Você é um idiota.

arqueou as sobrancelhas, e observou mais atentamente, os lábios tremiam, enquanto avançou sobre ele e beijou seus lábios, sentindo o gosto do álcool.

— Você é o único para mim.

— Eu não sou, . Eu sei que eu não…

Franziu o cenho. Sempre pensou que ações eram melhores que palavras, porém, com havia de ter tanto as palavras quanto ações, então segurou seu rosto e encarava o que estava banhando por lágrimas, e sentiu seu coração doer.

Eu ti quero, , I love you… Eu te amo, . E não nada no mundo e nem ninguém que possa mudar isso.

encarava com os olhos azuis repletos de lágrimas, enquanto os lábios se tomavam em fúria, as lágrimas salgadas se misturavam com o hálito e saliva trocada entre eles, sentiu seu lábio ser mordido, e pressionado contra a parede.

— Eu posso ficar?

— Sim.

X

Água descia pelos corpos.

— Nós não…

— Outra pessoa te tocou como eu toco, ?

O som escapava dos lábios dele, sentiu as mãos passarem por seu corpo, o cheiro de sabão e shampoo lavava qualquer resquícios de sua tentativa de esquecer o amante.

— Eu…

— Você conseguiu comer essa pessoa…?

O sussurro, o hálito próximo de seu pescoço, enquanto a arrepio chegou pela sua espinha com o toque atrevido do mais moço.

— Eu não consegui.

Confessou, enquanto a mordida foi dada em seu pescoço, os lábios de sugavam a pele sensível do lhe deixando uma marca roxa que demoraria dias para sumir.

— O que você deseja?

O sussurro no lóbulo, enquanto as mãos pararam sobre o membro rígido de , soltou um resmungo ao sentir as mãos do amante acariciar lentamente o fazendo solta lamúrias.

— O que você quer eu faça, ?

Sussurrou, seus olhos verdes cravados nos azuis, enquanto havia esquecido sobre qualquer coisa no mundo exterior.

Ele queria se enterrar no corpo do moreno, ele queria derramar o líquido sobre ele, apenas empurrou contra a parede da banheira em que estavam, enquanto apenas acariciou a entrada dele.

— Quer que eu te coma?

sentiu as mãos sobre seu corpo, enquanto a intimidade foi invadida, os lábios, o cheiro, enquanto seus corpos se apertavam um no outro.

.

—Mais forte, mi vida?

A resposta era um gemido, incontido de .

Per favore.

Pressionou, arfou enquanto os lábios se encontraram com os seus, o movimento de vai e vem, a tesão sexual, e logo, os gemidos incontidos.

parecia uma criança choramingando, enquanto mordeu seu lábio inferior com força, e arrancando um gemido da boca, enquanto o ápice chegou a sujando a água e os torsos de ambos os homens.

—Agora, vamos terminar o banho, mi vida.

Enquanto beijou a face do então mais jovem que sorriu para ele.

era um tolo por .

X

sentiu os primeiros raios de sol em seu rosto.

Havia esquecido de fechar as cortinas, porém, buscou o corpo que deveria estar ao seu lado para se aquecer.

Porém, vazio.

franziu o cenho, enquanto as roupas de haviam sumido. Novamente, ele era deixado de manhã como em qualquer outra ocasião em que eles faziam sexo e o iria embora, e antes que pudesse processar, percebeu a aliança que estava em sua mão direita quando baixou sua mão.

Franziu o cenho, enquanto o pequeno objeto era pequeno com vários diamantes, e simples.

Um símbolo de…

—Era supostamente para eu chegar antes, mi vida.

sorriu, enquanto trazia a bandeja de café da manhã, encarou o homem com quem passará os últimos 10 anos de sua vida.

—Um pedido de casamento. Meu pai disse que preciso me casar, e apesar disso, a única exigência dele era filhos, porém existem outros meios para…

, você…?

Willian , você aceita se casar comigo?

—Mas, você…

—Eu fui ao encontro a cegas apenas para dizer que já tinha alguém, meu pai entendeu.

franziu o cenho. Casamento? Ele se casaria com ? Ao passo em que as mãos tocaram dia face.

—Se for dizer não, por favor, diga agora.

—Eu… Aceito.

Os lábios pecaminosos tocaram sua face, enquanto as orbes verdes estavam cravadas nas suas.

Havia amor ali, enquanto de todos os tolos do mundo, era tolo por , porém, também era tolo por .

Fim¹.

¹Dedicado a Elena.