A Gente Junto

A Gente Junto

  • Por: Camila Fieri
  • Categoria: Originais
  • Palavras: 2593
  • Visualizações: 410

Sinopse: Eles tinham algo casual já faziam dois anos, mas nenhum conseguia admitir que estavam se apaixonando, até encontrarem uma senhora no parque e dizerem que eram um casal. E agora, como eles lidariam com isso?
Gênero: Romance
Classificação: 16 anos
Beta: Sharpay Evans

Capítulo Único

nunca fora uma pessoa de se apaixonar facilmente. Nunca namorou em seus 22 anos e se orgulhava em ser uma pessoa desapegada.
Como todo mundo, sempre tinha seus rolos, mas um em especial tinha um lugar sempre guardado em sua cama: . Não importava o que acontecia na vida de cada um, eles tinham a certeza de que sempre voltariam para vida um do outro, ou melhor dizendo, para cama um do outro.
e estavam e não estavam juntos há mais de dois anos. As pessoas nunca os viam juntos, com exceções de algumas festas em que se encontravam por acaso.
Não eram amigos e nem tentavam ser. Eram companheiros de fodas e somente isso. Obviamente dividiam segredos quando estavam sozinhos, um apoiava o outro nas escolhas. Mas era apenas isso. tinha tido mais um dia cansativo em seu estágio, tudo o que mais queria era chegar em sua casa, tomar um banho e só sair de casa novamente na segunda de manhã, quando teria de ir para a faculdade. No entanto, quando estava quase chegando em casa, seu celular apitou indicando uma nova mensagem.

Oi
Como você tá?
Vai fazer algo esse fds?

Oi
Tô bem e você?
Provavelmente irei morrer na minha cama
Tem alguma proposta? 😏😈


Tô bem também
O que acha de eu te buscar daqui uma hora e passar o fim de semana aqui?
Meus pais viajaram…

sabia que a oferta era mais do que tentadora, talvez seus planos de sair de sua casa somente na segunda de manhã teriam de ser adiados. Além disso precisaria dar uma desculpa para seus pais para que eles não ligassem durante os próximos dias.

Não tem como eu falar não pra essa proposta
É claro que eu topo!
Vou tomar um banho e arrumar minhas coisas
Te vejo daqui a pouco!


Não se esqueça que você não precisará de muitas roupas
Aposto que minhas camisetas ficam melhor do que qualquer outra coisa 😊

Eu AMO usar suas camisetas

 

Ao enviar as mensagens, se animou e estava rindo. Só para fazer com que ela esquecesse todo o cansaço que estava sentindo. Tomou o banho que tanto queria desde que tinha saído do estágio. Enquanto ouvia algumas músicas, relaxou completamente, deixando todo e qualquer pensamento negativo de lado.
Estava se arrumando quando algumas lembranças a atingiram: o dia que ela e tinham se conhecido em uma das festas da faculdade. No começo, ela não deu muita bola, ele se aproximou e começaram a conversar, a garota estava crente que não sairia nada de lá, apenas alguns beijos e um bom papo. Porém, pediu seu número para que eles pudessem sair qualquer dia desses. Eles começaram a sair algumas vezes e sempre conversavam sobre as aspirações de vidas, alguns problemas que tinham e coisas do tipo.
Tinha acabado de arrumar sua mala com seus pertences que usaria durante o fim de semana, quando recebeu uma mensagem de avisando que já estava a esperando.
Entrou no carro o cumprimentando com um beijo na bochecha e logo começaram a conversar sobre o dia que eles tiveram, aproveitaram para colocar o papo em dia, já que faziam algumas semanas que não se viam.

Assim que chegaram na casa do rapaz, se dirigiu logo para o quarto para deixar seus pertences, já estava familiarizada com a casa, enquanto seguiu para a cozinha.
– E como está o plano para virar diplomata? – perguntou depois que os dois já estavam acomodados na sala.
– Ah, tá indo. O espanhol já está bem encaminhado, estoy hablando y escribiendo muy bien. Tengo una prueba miércoles. Mas o francês está um pouco mais complicado, porém é só o começo.
– Eu tenho certeza que você vai conseguir dominar já, já.
– Eu espero. Ano que vem eu começo a prestar a prova para ver como eu me saio. Tô bem nervosa.
– Você vai se sair bem! Você é inteligente e esforçada, não tem porque não conseguir.
Continuaram conversando sobre coisas básicas da vida de cada um, mas já tinham se aproximado um do outro, agora estava com as pernas em cima das de , enquanto este fazia um carinho em suas pernas.
Sempre ficavam assim na presença um do outro, relaxados e sem preocupações, não importava o caos do mundo lá fora e não tinham pressa de viver.
Estavam tão envolvidos pelo momento que não saberiam dizer quando o som da voz foi trocado pelos sons de beijos, gemidos e respirações ofegantes, ou quando se mudaram da sala para o quarto.

– Eu estava com saudades disso aqui. – disse depois de ter voltado do banheiro e se ajeitado na cama.
– Eu também. Fazia tempo que a gente não se via né. – disse enquanto apoiava a cabeça no peito do rapaz.
Os dois ficaram abraçados e fazendo carinho um no outro por incontáveis minutos, nenhum deles se arriscava a quebrar o silêncio que havia se instalado, estavam confortáveis demais aproveitando a presença um do outro.
A janela do quarto estava aberta, deixando que a lua e as estrelas testemunhassem o que o casal estava sentindo. Era visível o amor entre eles para qualquer um que os visse de fora, mas nenhum admitia para si mesmo o sentimento que existia já alguns meses.
– Eu gosto da gente assim, a gente junto é muito bom, você não acha? – Ela perguntou para ele citando Anavitória.
– Eu acho. Junto é melhor que sozinho – Ele disse entrando na brincadeira de citar a música que eles diziam representar toda a relação deles.
Eles adormeceram em meio ao silencio e carinho trocado, um enroscado no outro.

– Acorda, . – disse enquanto distribuía beijinhos pelo pescoço da mulher.
– Não quero. – Ela resmungou sonolenta e escondendo o rosto em seguida. – Quero continuar dormindo.
– Anda garota, vamos viver o agora, eu fiz o nosso café da manhã e até sair pra comprar o seu chá favorito, eu já sai. – Disse enquanto abraçava a garota pelas costas. – Por favor! Amanhã eu deixo você dormir até a hora que você quiser.
– Você só tá falando isso porque sabe que eu tenho que acordar cedo amanhã pra ir almoçar com meus pais né. – Ela disse enquanto virava em direção a ele. – Bom dia, seu chato.
– Bom dia, dorminhoca. – Ele deu um selinho nela e logo saiu do quarto para que ela pudesse se trocar à vontade.
seguiu em direção a cozinha para terminar de organizar a mesa que tinha aprontado. Ele planejou um dia divertido para passar na companhia de sua hóspede. Gostava de estar na presença de , a garota lhe fazia muito bem e sabia que poderia contar com ela se precisasse de algo, porque ela era assim: empática, solidária, fiel aos amigos e sempre disposta a ajudar quem precisava.
Estava perdido em pensamentos, quando a mulher apareceu na cozinha vestindo uma de suas camisetas que ele sabia que ela adorava.
– Roubei essa daqui, espero que não se importe – Ela disse já sabendo que ele não se importaria. – Nossa, ! Você realmente caprichou hoje.
– Claro, a gente precisa repor as energias de ontem – ele disse com um sorriso malicioso.
– Cala a boca! – disse enquanto ria e atirava um guardanapo nele. – Então, qual os planos para hoje?
– Pensei em irmos ao parque agora de manhã, almoçar por lá e mais tarde voltarmos para vermos um metflix, ops, Netflix. – Disse o final como quem não quer nada.
– Idiota! – Ela resmungou – Mas eu topo, gosto muito da ideia de ir ao parque.
– Eu sei, por isso escolhi isso. Aliás, tô com um livro novo que eu tenho certeza que você vai gostar.
Comeram tranquilamente enquanto conversavam sobre os livros que estavam lendo e faziam recomendações do que já tinham lido. Logo em seguida que terminaram de comer, foi até o quarto para se trocar e colocar uma roupa apropriada para que pudesse aproveitar o dia no parque.

estava encostada em uma árvore lendo um dos livros que tinha emprestado de , enquanto que ele tinha acabado de se levantar para pegar um sorvete para eles.
– Vocês fazem um belo casal, seu namorado parece gostar muito de você. – Uma senhora que estava sentada em um dos bancos ali próximo falou.
– Na verdade, nós não somos namorados. – A mulher disse sem graça. – Mas obrigada.
– Pois deveriam ser, não é fácil achar alguém que te olha como ele olha para você. E eu percebi que você também olha para ele de uma maneira apaixonada. – Disse aconselhando e jogando algumas verdades na cara de .
– Mamãe, vamos? Lizzie já está ficando irritada e reclamando que quer ir embora. – Uma mulher disse interrompendo a conversa.
– Vamos, minha filha. – disse já se levantando e em seguida virou para a garota. – Pense no que eu te falei, hein menina? – falou carinhosa.
não teve nem tempo de pensar pois já estava de volta, pegando exatamente o final da fala da senhora e logo questionando no que era para pensar.
– Não é nada demais, ela só disse que nós fazemos um belo casal. – Disse rindo meio constrangida.
– E o que você respondeu? – Perguntou interessado.
– Agradeci e falei que não somos namorados, aí ela começou falando que a gente deveria ser, mas a filha dela interrompeu e a levou embora.
Os dois riram da situação, mas ficaram pensando como seria se eles realmente fossem namorados, principalmente , todo aquele papo de olhares apaixonados a deixou refletindo. Não estava apaixonada, estava?

Passaram toda a manhã e o começo da tarde no parque, aproveitaram a companhia um do outro e até inventaram de sair pra uma corrida, o que com toda a certeza não tinha dado certo. Agora os dois estavam deitados no sofá e no chão cansados da brincadeira que tinham inventado.
tinha percebido a mudança no semblante da mulher desde a manhã quando aquela senhora disse que eles eram um casal. Ele não podia negar que a pergunta o tinha deixado pensando, ele gostava de , mas será que daria certo se namorassem? Não sabia se estava pronto para um relacionamento sério.
ficou pensando a manhã toda no que a senhora falou, não tinha sido a primeira pessoa a falar que ela estava apaixonada, suas amigas sempre falavam isso quando ela citava o nome de , mesmo nos momentos em que ela estava brava com ele (apesar de ele nunca saber desses momentos). Ela não achava que estava apaixonada, somente sentia um carinho pelo rapaz, afinal dois anos era muito tempo para se relacionar com alguém, ainda que não fosse nada sério.

Os dois tinham se acomodado no sofá para assistir um filme, tinha insistido várias vezes para que assistissem 10 Coisas que Eu Odeio em Você, seu filme preferido, e era isso o que estavam fazendo.
A mulher estava abraçada ao rapaz e com sua cabeça encostada no ombro dele e durante a cena em que Patrick canta Can’t Take My Eyes Of You para Kat disse sem nem pensar:
– Acho que um dia eu só vou namorar se a pessoa fizer a mesma coisa comigo.
– Eu não vou cantar em público pra você, . Mas posso fazer uma apresentação só pra você. – disse rapidamente, deixando a mulher atônita.
– O quê?
– Eu fiquei pensando no que aconteceu com você hoje de manhã, na frase que a senhora do parque disse. E, sei lá, talvez a gente pudesse tentar algo. Eu não sei, talvez você me ache um louco, mas eu não me importaria de passar mais tempo com você.
, você tá falando sério? Porque eu tava só brincando e eu não quero forçar nada.
– Você não ouviu o que eu disse né? , eu gosto de você, não sei se eu estou pronto para namorar, mas a gente poderia tentar algo. Experimentar passar um tempo mais sério sem ficar com outras pessoas, se a gente perceber que não vai dar certo a gente pode terminar tudo ou então abrir o relacionamento. Eu só queria tentar, mas eu vou entender se você quiser manter as coisas do jeito que estão.
não sabia o que responder, por isso avançou sobre o rapaz se permitindo a dar o beijo mais apaixonado de sua vida. As inseguranças e paranoias dentro de sua cabeça tinham desaparecidos.
– Isso quer dizer que…?
– Que a gente pode tentar qualquer coisa, eu fiquei pensando muito no que a senhora disse, mas você sabe como eu sou um pouco cabeça dura e não percebo as coisas que estão a minha volta e nem os meus próprios sentimentos. Mas se você quer tentar algo, eu estou junto de ti. Porque é como eu disse ontem, a gente junto é muito bom.
E com aquele acordo de tentarem passar mais tempo juntos e até se conhecerem melhor, percebeu que estava sim apaixonada por há mais tempo do que poderia imaginar e percebeu que poderia não estar pronto para namorar, mas por , ele tentaria.

 

Fim