Nothing Left to Say

Sinopse: No momento em que anúncio do casamento real do ano, ela soube que seu final feliz com o então segundo filho do Príncipe de Gales era uma mesa fantasia.
Mas como lidar com todo as emoções que havia em seu coração por ele?
Gênero: Drama e romance
Classificação: +14
Restrição: Apenas a pp é interativa. Palavras de baixo calão, e insinuações sexuais.
Beta: Bridget Jones

Capítulos:

 

Prólogo.
A notícia chegou através da TV.
“Príncipe Harry, da Inglaterra, irá se casar”.
Aquela notícia a abalou, ela apenas seu estômago embrulhar enquanto a lembrança vinha como um lembrete: “algum dia nós iremos ficar juntos” e ela pensou que seria em breve, porém, Harry iria se casar.
Ela apenas visualizou a foto dele ao lado da noiva – eles formam um lindo casal – e engoliu a seco ao pensar, naquele segundo, em todas as coisas que Harry havia dito, porém, ela sabia.
Era sua culpa, por não lutar.
Ela ouviu os cochichos de alguns nobres de Idris sobre como a Rainha Elizabeth II estava lidando com as perguntas que surgiam sobre o casal. ignorou aqueles pensamentos.
Os olhos verdes se fixaram em algum ponto para recuperar a compostura, enquanto todos os presentes falavam do futuro do Reino Unido e do futuro dever da jovem que seria desposada por Harry. A jovem apenas ensaiou um sorriso falso e polido, e pediu discretamente para sair da sala de reuniões onde os 28 lordes falavam sobre as possíveis datas para o casamento de Harry e Meghan. Andando sem rumo pelo local, se escondeu em um dos cômodos naquele corredor e notou seu coração acelerando.
Sentiu as lágrimas traiçoeiras descerem pelo rosto – “Harry iria se casar, Harry iria se casar” – e, por algum motivo, seu coração falhou no peito ao perceber que o homem pelo qual era apaixonada iria se casar.
“Uma princesa nunca deve demonstrar tais sentimentos”, a voz ecoou em forma de comando por sua mente. Desde muita nova, jamais deveria chorar ou agir impulsivamente em qualquer área de sua vida, era uma Rainha e, como tal, havia protocolos a serem seguidos.
Ajeitou os cabelos ruivos, observou o rastro de lágrimas, que apagou com as mãos, visualizando os olhos brilhantes pelas lágrimas se apagarem lentamente e colocou seu melhor sorriso para melhorar toda aquela situação em que estava, porém, sabia que seu coração estava machucado e ela não podia se abalar por causa do irmão de Willian.
Ela amava Harry, mas não podia continuar apaixonada por ele. sabia que jamais iriam ficar juntos.

 

Nota da autora: Oi, gente. Tudo bom?
Esse projeto nasceu quando vi o casamento do Príncipe Harry, e eu pensei: porque não?
E cá está meu bebê mais precioso do mundo
Eu espero que vocês gostem!
With love,
Lysse.

 

 

Capítulo I – Stubborn Love¹.
O som de Dreams, do Bastille, tocava pela suíte principal do Palácio Mercurius enquanto os olhos desceram pelas notícias. Ela tentou impedir sua ânsia de chorar e se encolher nos edredons de sua cama para afogar as mágoas, porém, não era mais uma menina de 15 anos apaixonada que estava desiludida.
já era adulta, todavia, ainda tivera esperanças de que um dia Harry seria dela e sentiu seu estômago remexer-se, inquieto. Porém, manteve a postura rígida e inflexível para não acabar chorando novamente como ocorreu na noite anterior.
– Você está bem?
A voz de mulher chegou até seus ouvidos e assustou-a com a aparição repentina de Harriet, sua melhor amiga de infância. Ela era duquesa de Lyn, casada com Elias Yale, Duque de Lyn, e tinha os olhos escuros fixos em si enquanto a garota observava as notícias referentes ao Príncipe Harry do Reino Unido chegarem aos canais de notícias internacionais. Entretanto, ela segurou as malditas lágrimas.
– Eu irei ficar bem – diz suavemente. – Ele seguiu em frente, Harriet.
A duquesa de Lyn suspirou e visualizou as notícias do casamento do ano, como diriam alguns repórteres.

“Príncipe Harry está namorando a atriz Meghan Markle”.
“Príncipe Harry é visto com Meghan Markle”
“Anunciado casamento entre o Príncipe Harry e Meghan Markle”.
“Casamento do ano”
manteve uma expressão neutra e inflexível no rosto após o anúncio, havia milhares de especulações sobre o casamento do príncipe Harry e de Meghan Markle. Ela suspirou com isso enquanto bebia o café com leite e comia seus biscoitos sob os olhos atentos de Harriet Yale, duquesa de Lyn, enquanto a mesma a acompanhava no café da manhã.
– Evan pediu para você vir aqui?
Harriet negou, bebendo um pouco do suco de laranja.
– Eu veria do outro lado do planeta se fosse necessário, afinal, você é a minha melhor amiga, . – Ela retrucou, observando quando a amiga arqueou as sobrancelhas. – E também, Elias estava preocupado e me pediu para verificar se você não estava chorando pelo Galês e como vossa majestade lidaria com isso, mas eu acalmei os ânimos dele e o impedi que invadisse seu descanso.
apenas deu de ombros. Já havia chorado na noite anterior, porém, tinha orgulho em dizer que não sentiria mais nada, afinal, suas esperanças de que Harry fosse atrás dela estavam se esvaindo lentamente e a realidade de que em breve ele seria um homem casado chegava à sua mentalidade.
– Eu irei sobreviver. – Soltou uma risada ao pensar no Duque de Lyn tendo um ataque de ansiedade por causa de sua vida amorosa. – Talvez Harry e eu já não estejamos mais na mesma sintonia e, além disso, eu não pretendo ficar remoendo esse assunto.
Harriet visualizou a expressão decidida da mais nova, porém, uma ruga de preocupação surgiu no rosto da Duquesa de Lyn, pois havia resquícios de lágrimas pelo rosto da mais jovem. Todavia, ela se calou e respeitou as decisões da Rainha de Idris. não queria conversar sobre seus sentimentos pelo príncipe Harry e principalmente sobre o casamento dele.
– Então, o que pretende fazer?
O par de íris esverdeadas se fixaram nela.
– Irei me dedicar as minhas obrigações reais, assistir séries, me esbaldar no doce e depois, malhar e provavelmente mudar o visual. Está na hora de cortar as madeixas e doar para crianças com câncer – ela citou sorridente e Harriet riu, mesmo que o brilho estivesse pouco. – Não posso ficar remoendo meus sentimentos por Harry, Harriet. Afinal, ele decidiu seguir em frente com a Markle que, aliás, é maravilhosa em Suits, porém, eu preciso curar meu coração antes de qualquer outra coisa. Talvez fique vendo Grey’s Anatomy.
– Uma boa desculpa para chorar. – Acusou a outra. – Porém, vossa majestade tem todo direito de morrer de amores pelo Alex Karev e ainda se esbaldar nos doces, mas sem exageros.
ligou novamente a TV 4K que havia em seu quarto. O noticiário local falava sobre o programa de refugiados criado pelo Príncipe Nathanael, seu irmão mais novo, e ela soltou um suspiro.
– Vossa alteza real está lindado bem com essa situação – comentou Harriet e a mulher visualizou a ruga de preocupação da outra. – Iremos lidar com essa crise, , todos nós iremos lidar da melhor maneira possível.
Ela concordou, pois havia problemas maiores do que seu coração partido por Harry.

X

10 anos antes, Palácio Mercurius –, Idris.

observou as roupas. O vestido verde dava um ar gracioso e havia um par de brincos de pedras preciosas em suas orelhas que pertenceu à Rainha Susan no séc. XIX. A adolescente se sentiu acuada enquanto a coroa em diamante pesava em sua cabeça e ouviu os cochichos das empregadas que ficaram encarregadas de sua preparação. Ela encarou o espelho.
Os olhos verdes estavam realçados, o brilho em suas maçãs era de um nervosismo desconhecido para si enquanto seu estômago estava se embrulhando.
– Você está linda, minha .
A voz soou da porta, assustando-a como um cordeiro. se virou e encarou o pai, a coroa para as festividades estavam em sua cabeça. August tinha os cabelos ruivos com alguns fios grisalhos, aos quase 60 anos era um homem robusto e de voz firme. Ele vinha em uma farda do exército, em tons azul marinho, segurando uma caixa com um colar.
– Você esta divina, minha querida. – Ele dispensou discretamente as empregadas e encarou o espelho em que projetava a imagem da então herdeira do trono de Idris. – Está igualzinha a sua mãe, .
Raramente seu pai a chamava de , o apelido que apenas familiares e amigos podiam chamá-la. Ela o encarou com uma expressão de nervosismo.
– Estou parecida com a vovó.
Sua avó, Amélia, tinha cabelos ruivos e olhos tão verdes quanto esmeraldas, fora uma rainha justa antes de seu filho, August, assumir o trono real e desposar sua mãe. A garota soltou uma risada nervosa, não tinha nada de sua mãe além de uma marca de nascença em sua coxa direita, os cabelos ruivos presos em coque com algumas mechas descendo por sua face e os olhos verdes da família Horklyns. Seu pai retirou o colar em pedras preciosas e colocou no pescoço dela.
– Você está igualzinha a sua mãe, pequena. – A voz soou suave e a saudade tingia suavemente a voz de seu pai. – Ela ficaria orgulhosa de você, assim como sua avó.
concordou e seu pai se retirou do quarto. Sua dama de companhia adentrou em um vestido cor de vinho, porém discreto, e uma maquiagem leve.
– Você não devia estar armada. – A garota observou a mulher mais velha – Papa disse que é seguro, mas você é a chefe da minha segurança, ele lhe deu comando para tomar as decisões necessárias, Sammy, mas não seja tão radical.
Samantha soltou uma risada de escárnio enquanto os olhos verdes se fixaram nos amendoados. A mulher mais velha respondia ao Rei, porém, quando se tratava da segurança da futura rainha de Idris a pedido do próprio Rei. Afinal, sua herdeira era seu mundo e nada iria machucá-la. A garota respirou fundo e seguiu pelos corredores até o salão principal do Castelo Mercurius.
Ela tentava manter a respiração calma, entretanto, o nervosismo estava em suas veias, os olhos verdes se fecharam e ela visualizou o salão cheio de pessoas. A realeza, chefes de estado e principalmente seu pai estaria ali, não podia decepcionar seu pai em nenhum momento. Era uma questão de honra que ela fosse perfeita.
Sua alteza real, Princesa .
O som da música clássica de Chopin ecoava pelo salão enquanto as mais belas flores davam um ar primaveril. Seus pés estavam dormentes, mas por alguma razão ela conseguiu se mexer sem tropeçar na barra do vestido. Conhecia cada degrau daquela escadaria assim como cada canto do salão. Sentiu-se insegura e pôs seus olhos em seu pai, o homem robusto sorriu amavelmente, mas seus olhos se fixaram no rosto do jovem rapaz e ela o reconheceu de imediato. Seus olhos azuis estavam fixos em si, enquanto os dela pareciam hipnotizados por sua beleza.
O homem sorriu para ela e fingiu beber de sua taça de champanhe, entretanto, os olhos verdes acinzentados estavam fixos nele, seu coração se derreteu. Ela sabia quem ele era e, por aquele motivo, ela não podia se apaixonar por ele.

X

Crocas, capital de Idris, 2017

Ela sorriu para a câmera, seu rosto em um sorriso profissional treinado desde seus 12 anos. suspirou assim que entrou no carro e pôde finalmente respirar fundo sem estar cercada de câmeras e repórteres que a perguntavam sobre sua vida pessoal. Afinal, a Rainha ainda não tinha um noivo ou qualquer pretendente para subir ao trono com ela.
Porém, seus pensamentos não estavam naquela questão que provavelmente Jamie e Oliver iriam tocar mais tarde, para desagrado da mais nova. Suspirou enquanto tentava se manter calma até chegar em segurança ao Palácio Mercurius. As lembranças da primeira vez que vira Harry surgiram em sua mente, ela tinha quinze anos e ele seus 23, uma diferença enorme de idade que não impediu que a garota se apaixonasse pelo príncipe britânico.
Uma risada escapou de seus lábios quando o pensamento surgiu: “Talvez eu pudesse renunciar à tudo e ficar com ele”, um pensamento bobo vindo de uma mente adolescente que estava apaixonada, porém, a realidade se tornou mais dura com ela, que se lembrou de quem era.
Afinal, era uma futura rainha na época e, como tal, tinha deveres que não poderia deixar de lado. Ela era uma herdeira ao trono, uma aprendiz aprendendo seu ofício, como vira no filme da Cinderela. Estava aprendendo suas funções como Rainha naquela época e sendo preparada desde o berço para assumir as funções.
Aprendeu etiqueta, como se portar na frente de chefes de estado, presidentes, reis, rainhas, príncipes e da imprensa internacional, aprendeu sete línguas desde muita nova, dança, canto, pintura e também aprendeu a cozinhar com seu pai, além de ter aprendido que ela jamais deveria baixar sua cabeça para ninguém.
Ela achava que podia tudo, mas aprendeu que seus atos devem sempre ser calculados como herdeira e futura Rainha de Idris. O som de Beethoven ecoava baixo enquanto a mesma tentava se distrair de todos aqueles pensamentos que cercavam sua mente. Não era mais uma criança, porém, ainda aprendia o jogo da política internacional.
observava a paisagem do carro.
Desde muito jovem, ela sabia de suas responsabilidades como filha e mulher na monarquia de Idris, era filha mais velha do Rei August e da Rainha Clarissa e, por aquele motivo, era primogênita e herdeira do trono e de seus Principados, que respondiam à coroa com uma lealdade feroz por sua rainha. Entretanto, em seu íntimo, ela desejava nunca ter nascido em tal posição. Remexeu no anel que carregava em seu dedo com os pensamentos em Harry com Meghan. Cortou aqueles pensamentos e olhou o anel fino que um dia ele lhe dera. Ela devia jogar fora.
Ela tinha dois irmãos mais novos, os gêmeos Isabelle e Natanael, que tinham 15 anos quando ela se tornou soberana de Idris. Remexeu no anel de novo, em nervosismo. Ela nunca conseguiria jogar aquela peça fora, era sua única lembrança dos dias que Harry estivera ao seu lado.
Será que Harry havia tido afeto por ela? sempre se questionou sobre os sentimentos de Harry e também se algum dia eles ficariam juntos, entretanto, ela tinha deveres mais importantes que seu afeto por ele. Promessas que ele nunca iria cumprir: “Um dia, iremos trocar esse anel”.
Ela tinha responsabilidades com Idris e, acima de tudo, com o povo. A jovem aprendiz à monarca visualizou o jardim bem cuidado do Palácio Mercurius. Os empregados estavam posicionados na frente do palácio e alguns repórteres na frente dos portões, esperando para tirar fotos da Rainha de Idris após negociações com as embaixadas do Oriente Médio. Ela apenas respirou fundo.
“Um dia, , você não é mais uma criança", com aquele pensamento, ela seguiu pelos corredores.
– Vossa Majestade, os soberanos de seus Principados mandaram mensageiros sobre a questão da vinda de refugiados. – A voz de sua secretária real chegou aos seus ouvidos, Catharina Summers observava a monarca – Eles querem ter uma reunião emergencial. Sua alteza real, Isabelle, estará voltando em breve da Campanha em Trevor e vosso irmão estará viajando até a Alemanha para conversar com o Embaixador Alexander Walll.
– Veja a agenda, encaixe a reunião com vossas altezas e me avise quando meus irmãos estiverem novamente em Crocas. – Resumiu, rapidamente, enquanto ouvia os passos dos empregados pelo palácio Mercurius. – Irei descansar. Prepare as malas para a visita à Irlanda do Norte, Catharina, e também peça para os ministros e embaixadores os relatórios da reunião com o embaixador dos Estados Unidos e da Croácia.
A mulher se retirou enquanto tentou manter-se calma sobre todos os seus deveres como Rainha. Ela dispensou suas empregadas, apenas desejava um pouco de privacidade. Retirou o par de sapatos preto, jogando-o pelo chão – logo eles seriam recolhidos por suas empregadas particulares –, retirou os brincos e roupas, ficando apenas de roupa íntima, e visualizou o espelho no seu banheiro. Alguma música, de alguma playlist no Spotify, tocava e ela ouviu os acordes e a voz rouca que reconheceu de Panic! At Disco.
Ouviu os passos das empregadas e suas servas pelo quarto, bem como os cochichos. Os olhos verdes se fixaram na tela de seu iPhone e as mensagens e notícias de Harry e Megan chegavam rapidamente, assim como mensagens de seus príncipes.
Vossa graça, o banho está pronto.
Sinalizou para a deixarem sozinha com seus pensamentos e dilemas, adentrou no banheiro e visualizou seu corpo pálido e sem resquícios de marcas, exceto por alguns arranhões que foram causados pelas fugas de seus seguranças quando mais nova. Soltou uma risadinha com o pensamento e, em seguida, soltou um suspiro longo. queria gritar o quão idiota ele foi por ter ido embora e, ao mesmo tempo, lhe desejar felicidades ao lado de Meghan.
"Pare"
Entretanto, as lágrimas vieram por sua face e se misturaram com água de seu banho. Ela deixou todos os sentimentos confusos saírem por causa de Harry, porém, seus pensamentos foram interrompidos pela entrada da mulher com coque frouxo.
Vossa graça deseja alguma coisa?
Ela não se surpreendeu que Jamie White estivesse ali. Desde que subira ao Trono, Jamie sempre estava à disposição da Rainha de Idris como sua confidente. A mulher de cabelos loiros caramelo lhe sorriu em desculpa pela entrada silenciosa.
– Não, Jamie. Obrigada por sua assistência.
Sua voz soou rouca e a mulher observou atentamente as feições da rainha.
– Sinto muito por ele, vossa graça, – A voz dela tinha um tom solene. – Sei que a milady apreciava muito a companhia dele.
Ela apenas riu de maneira triste. Lágrimas escapavam dos seus olhos e então a risada morreu assim que ela deixou as emoções dominarem, naquele segundo.
– Eu sei, Jamie, mas nós não podemos ficar juntos. – A voz dela saiu suave, junto com um sorriso triste. – Ele decidiu seguir com a vida, Jamie, não existe mais um nós.
Jamie se curvou, e retirou-se do banheiro enquanto a Rainha de Idris observava as bolhas. Ela quis que um dia Harry dividisse sua vida com ela, porém, essa decisão nunca fora dela.

¹Stubborn Love – The Lumineers

 

Nota da autora: Oi, oi, oi, gente.
Tudo bem? O que acharam? Nossa Rainha tem sentimentos conflitantes quanto ao Príncipe. Eu espero que tenham gostado.
With love,
Lysse.

 

 

Capítulo II – Perfect Symphony¹
Harry

Londres – Palácio de Kensington, Novembro de 2017

A sinfonia era baixa. Estava sozinho no quarto do Palácio de Kensington. Seu irmão e cunhada estavam em um evento beneficente, seus olhos desciam pelas paredes enquanto passou as mãos pelos cabelos loiros. Afrouxou a gravata e tentou pensar em todas as coisas que estavam afetando seu bom humor.
“Rainha de Idris¹ comparece a evento beneficente juntamente com os irmãos: a princesa Isabelle e o príncipe Nathanael”.
“Idris, o país das flores exuberantes, celebra seus mais de 600 anos de história com uma grande festa para o povo”.
“Rainha de Idris corta as madeixas para doação de crianças com câncer em Sybl”.
“Marcada a data do casamento da princesa Isabelle de Idris, irmã mais nova da Rainha e terceira na linha de sucessão do país das flores exuberantes, para junho de 2018”.
“Família Real de Idris entra nas redes sociais: Primeira foto seria do evento beneficente para crianças com câncer”.
“Rainha de Idris visita crianças com câncer no Rivers-Bucker Hospital, na cidade de Lyn, juntamente com Duque e a Duquesa de Lyn”.
“Príncipe Nathanael de Idris acompanha a irmã, Rainha de Idris, em um evento sobre a diversidade cultural”.
“Rainha de Idris tem pretendentes para reinar ao seu lado”
.
Ele não pensava mais nela, ou ao menos foi o que Harry pensou depois de todos aqueles meses longe. Todavia, ainda sabia de sua vida pública. Sua mente ainda se lembrava dos olhos verdes fixos nos seus, assim como o toque suave sobre seu rosto ou a voz delicada em sussurros. As notícias de Idris ainda estavam sendo as primeiras a chegar a seu celular, havia lembrete do aniversário dela também e, todos os anos, ele lhe mandava anonimamente flores. Harry observou a foto escondida no cartão de memória, além de outras que tirou sem que ela percebesse.
Era o dia da coroação dela como Rainha de Idris. Ele tirara com o celular quando a mesma estava na sala de preparação para sair até a Catedral de San Lourenço. Harry pensou em apagar a foto, porém, o sorriso dela estava magnífico para si e a lembrança era a única coisa que queria manter daquela distante relação. vestia um vestido perolado, o nervosismo pela coroação estava correndo por suas veias, e estava impecável naquele dia, porém, não podia pensar mais nela.
Ele observou o convite com atenção. Todos os anos, naquela mesma data, recebiam uma carta escrita à punho pela Rainha de Idris em um convite para o Baile das Estações que aconteceria no início de Janeiro, e também o Festival das Flores Exuberantes. Sua avó, Elizabeth II, autorizou o Duque e Duquesa de Cambridge a comparecerem ao evento assim como ele, junto com Meghan Markle. Entretanto, um suspiro longo escapou dos seus lábios ao pensar nas duas mulheres no mesmo recinto.
Seria extremamente desconfortável.

X

5 anos antes, França – Hotel Plaza Athénée Paris

O som da música clássica ecoava pelo salão. Era suave, um clássico. Enquanto as vozes se misturavam à sinfonia, a banda escolhida estava deleitando alguns casais de políticos e alguns nobres que dançavam com suas respectivas esposas. O Príncipe Harry observou os políticos, nobres de outras monarquias, e seu irmão com sua cunhada Kate. Ele apenas bebeu mais um gole do champanhe que estavam servindo e engajou numa conversa com o presidente dos Estados Unidos.
Porém, sua atenção estava nela. Ele sentia que um ímã atraía a sua atenção até ela e sorriu, fingindo entender o que o presidente estava lhe dizendo enquanto novamente postou os olhos em de Idris.
estava belíssima enquanto dialogava com a Duquesa de Lyn e alguns outros políticos, porém, sem a companhia dos irmãos, seus 20 anos eram um deleite para os homens. Ela usava um vestido azul escuro e Harry bebeu de sua taça de champanhe enquanto pensava em como os anos foram generosos com a esmirrada menina de 15 anos que conheceu naquele dia, no baile em Idris. Ela parecia um anjo na roupa de apresentação para o mundo e, desde aquele dia, Harry quis beijar seus lábios.
Irmão. – A voz de Willian soou ao seu lado, chamando a atenção dele. – Por que não a chama para dançar?
– Até queria.
– Então?
Sugeriu o irmão enquanto Harry balançou a cabeça, em negativo.
– O motivo para eu não chamá-la acabou de aparecer.
Fez uma leve careta ao perceber Evan Roux ali, assim como o Duque de Lyn, Elias. O príncipe Evan estava ali e ele claramente odiava a aproximação de e Harry nos últimos anos. Willian apenas observou o motivo para Harry não tirar a jovem para dançar.
– Esse é o seu problema? – Inquiriu Kate, ao lado do marido, enquanto Harry apenas revirou os olhos pelo modo que Catherine os observava. – Ele é apenas um príncipe, como você.
– Ele não gosta muito de mim – comentou a contragosto. – Ele me atura nesses bailes por causa da etiqueta.
– O que você aprontou para ele? Vocês, homens, só complicam as coisas.
Kate Middleton não queria uma resposta, apenas comentou baixo, mas suficiente para ele e Willian ouvirem e rir do comentário. A atitude de sua cunhada o surpreendeu, a Duquesa de Cambridge andou até a Rainha de Idris e Willian praticamente arrastou o irmão mais novo para perto de Kate e dos nobres de Idris enquanto pescou as palavras de Kate.
– Vossa alteza real. Como está, príncipe Roux?
Evan Roux sorriu, seus olhos acinzentados fixos na esposa de Willian. O smoking que ele usava estava perfeitamente alinhado enquanto os cabelos castanhos escuros, arrumados. Harry e Evan não se davam bem e, por alguns motivos, o príncipe Roux mantinha um sorriso ensaiado para ele.
– Estou bem, Duquesa. – Sua voz soou com um sotaque carregado enquanto observava a mulher de Willian, atenciosamente. – Vossa alteza está esplêndida nesse vestido. Não acha, Vossa Alteza?
Ele se dirigiu a Elias. O homem tinha cabelos loiros e olhos castanhos escuros voltados para sua esposa, Harriet. Ele observou a mulher, com um sorriso solícito e educado.
– Sim, tão esplêndida quanto a minha Harriet.
Ele respondeu, simpático, e Harriet se encolheu em vergonha pelo comentário inocente. Catherine riu enquanto postou seus olhos na jovem Rainha de Idris. abriu um sorriso suave enquanto a Duquesa de Lyn curvou-se para a Duquesa de Cambridge.
– Vossas altezas reais! – curvou-se levemente enquanto sorriu. – É um prazer recebê-la, Duquesa de Cambridge, assim como o Duque e seu irmão, o príncipe Harry.
– O mesmo, Vossa Majestade! E como vai, Duquesa de Lyn? – Kate soou suave, segurando a taça de suco. – Como andam as flores de Idris?
– Deveria ir vê-las durante a Primavera do próximo ano. – Convidou Harriet, Duquesa de Lyn. – Não é, Vossa Majestade? Tenho certeza que Vossa Alteza iria se deslumbrar com nossas flores.
– Obviamente – sussurrou a mais nova, desviando os olhos pelo salão. – Devemos cumprimentar o Presidente…
– Desculpe, Vossa Majestade. – Interrompeu Kate, com um sorriso. – Uma dança com o Príncipe Roux e Vossa Majestade dançaria com o meu cunhado enquanto a Duquesa de Lyn, com Willian. Se, é claro, Duque Elias permitir.
O Duque riu e a mulher apenas aceitou, indo valsar. Evan repuxou os lábios num falso sorriso enquanto Harry desajeitadamente segurou a mulher. observou.
– Sua cunhada sabe como fazer você tomar coragem, Vossa Alteza.
Ela sussurrou enquanto Harry sentiu uma imensa vontade de beijá-la. Entretanto, se conteve enquanto fotos foram tiradas dele, que a afastou dos outros casais.
– Provavelmente, Roux³ iria pedir para eu me afastar se me aproximasse. – Ele replicou baixo enquanto os sons do teclado os guiavam numa dança calma. – Vossa Majestade parecia em dúvida entre aceitar ou negar a dança.
soltou uma risada e os flashes das câmeras estavam atrás de si. Harry protegeu-a da chuva de fotos que estavam tirando enquanto ele segurava firme em sua cintura.
– Vossa alteza sabe do motivo. – Seus olhos verdes estavam fixos nele. – Eu sou uma rainha e vossa alteza é neto de uma. Existe uma linha que não devemos ultrapassar, Harry.
Harry a girou enquanto pensou em responder, porém, sentiu uma batidinha em seu ombro. Príncipe Evan Roux estava parado ali com uma expressão inflexível enquanto pegou a mão de sua soberana.
– Obrigada pela dança, Vossa Alteza. – Ela observou, com um sorriso vago, e seus olhos fixos nele. – E que Deus o abençoe.
Ela se afastou e Harry pensou seriamente que deveria tê-la beijado, porém, apenas voltou para o lado de seu irmão, vendo a Rainha de Idris se retirar.
“Harry”, a voz dela ecoou por sua mente. Fora a primeira vez em anos que ele não a ouvia dizer tão intimamente seu nome. Observou de longe enquanto ela era acompanhada para fora dos salões e se limitava a dar um aceno discreto a ele. E ela se foi.

X

Dezembro de 2017, Palácio de Kensington

A revista estampava a jovem Monarca. Seus cabelos em um coque enquanto usava um chapéu com uma renda que ocultava seus belos olhos. Ela estava em reunião com um embaixador de um país do Oriente Médio. Porém, Harry não se importou em olhar o homem mais velho, apenas visualizou o sorriso dela para as câmeras. Ele jogou a revista na mesa. Os olhos eram verdes, se ele não havia esquecido, porém, ele nunca havia esquecido qualquer detalhe dela. Mexeu nos cabelos enquanto soltava um longo suspiro por seus lábios.
, mesmo depois de dois anos após o último encontro íntimo deles, ainda mantinha aquela postura em prol de crianças na África, apaixonada por causas humanitárias e louca por animais. Harry tinha afeto e queria manter uma amizade com ela. Amizade? Franziu o cenho com aquele pensamento, tentando esquecer todos os momentos compartilhados por eles e, principalmente, as palavras ditas em voz alta para ela.
Havia se tornado uma completa estranha após o estranho afastamento deles, porém, aquela menininha de olhos verdes se tornou Rainha e, por aquele motivo, não podia se dar um luxo como ele em sua vida Tinha uma imagem, um povo e um reino para zelar. sempre colocaria seus súditos acima de qualquer coisa, até mesmo dele. Harry suspirou, observando a foto com mais atenção. O vestido em tons de pastel, ou seja lá qual for a cor que ela estivesse usando, o lembrou de quando ela pedira opinião sobre roupa e ele não soube o que dizer para ela. Dava-lhe aquele ar romântico e ingênuo, porém, como todos os monarcas, de Idris não tinha nada de ingênua quando se tratava da segurança de seu povo.
Ela tinha os cabelos arruivados num coque enquanto permanecia ao lado do irmão, o primeiro Príncipe de Idris, Nathanael, e o Segundo Príncipe de Idris² e terceiro na linha de sucessão ao trono, Evan Roux. O mesmo que o ameaçou caso se aproximasse dela novamente. Era um amigo íntimo de vossa majestade, além de um dos Lordes do Conselho de Idris. O príncipe Harry percebeu que um sorriso havia surgido quando olhou o rosto dela na revista sensacionalista, porém, a manchete no topo lhe chamou atenção: “Quem irá ser o próximo Rei de Idris?”.
Harry sabia que sempre houve pressão sobre a jovem mulher para arrumar um marido e constituir família, porém, ela tinha apenas 18 anos quando assumiu o comando de um dos lugares mais belos do mundo. Depois sete anos, teria de acontecer um casamento e Harry secretamente criou uma conta para visualizar as fotos postadas por ela. Todos se perguntavam: quem irá ser seu marido e governar Idris ao lado dela?
“Gostaria de ser o meu, Harry?”, a voz em sua mente lhe pregou uma peça enquanto ele lembrava claramente da piada dela. Entretanto, Harry não estava pronto para ser marido dela e muito menos o Rei de Idris.

X

Três anos antes, Itália

“Príncipe Harry e Cressida Bonas terminam namoro”.
Harry observou os seguranças andando discretamente atrás de si. Após dois anos em uma companhia amigável com Cressida, eles terminaram. Harry pensou que podia ter saído um casamento, afinal, já estava com 29 anos e todos especulavam essa atitude dele. Porém, não ocorreu como planejado. Fechou a janela assim que entrou na suíte.
Harry retirou o boné e coçou a barba por fazer. O voo para a Itália fora rápido e sem grandes novidades, afinal, ele estava ali escondido de toda a mídia internacional. Bebeu apenas um gole da água servida enquanto observava melhor o local. Pegou a chave no cartão e franziu o cenho com aqueles pensamentos. Talvez devesse ter ficado em casa, ao lado de Willian, Kate e de seus sobrinhos. Entretanto, ele abriu a porta e encontrou a jovem de cabelos arruivados olhando pela janela na própria suíte, ainda usando a roupa do evento beneficente que viera promover em prol de crianças da África.
arregalou os olhos com a entrada dele. As cortinas foram fechadas enquanto a garota engasgou com sua ida até ali. Harry pensou que ela estava mais linda do que na Dinamarca, há três semanas.
Harry, o que está fazendo aqui? – Ela ofegou e observou, em choque – Vi nos telejornais que terminou com a Cressida e eu sinto…
– Não sinta. Eu e Cressida terminamos numa boa – ele comenta enquanto observava o vestido em tons azul bebê e a expressão de surpresa dela – Pedi para o Steven me deixar ficar aqui, afinal, ninguém iria me procurar com a Rainha de Idris. E ele me devia uma.
– Imagino o que ele lhe devia. – Resmungou ela enquanto fechou as cortinas e ligou a TV, onde aparecia uma dúzia de notícias. – Aparentemente você está entre as notícias mais comentadas do Reino Unido e se tornou um fugitivo.
– Da mídia, na verdade. Eu iria ficar em casa, porém, Willian e Kate ficariam perguntando sobre as motivações. – Ele sentou-se na cama da soberana de Idris, que arqueou as sobrancelhas. – Você disse que podia vir te ver a qualquer momento e cá estou eu, precisando de colo amigo.
observou atentamente e balançou a cabeça para ele. Desde que eles se conheciam, havia aquela amizade estranha entre os dois. Todas as vezes que terminavam com uma namorada, brigavam, ou qualquer coisa do gênero, ele vinha atrás dela e se escondia do mundo atrás de . Fosse em Idris ou qualquer outro lugar do mundo, aquele se tornou um hábito para ele, afinal, a soberana de Idris sempre lhe dava conselhos de vida amorosa e, várias vezes no passado, eles se deixaram levar pelo álcool quando a Rainha de Idris se permitia beber.
– Você é um caso perdido e ainda não acredito que terminou com a Davy – citou a advogada de quem Harry se separou. De longe seu relacionamento mais longo, tirando o com manteve uma expressão inflexível e indecifrável. – Olha, estou com jet-lag e não durmo desde ontem, então boa noite. Eu vou dormir aqui, pois sua cama parece ser melhor que a minha.
Avisou e, antes que ela se pronunciasse, ele retirou os sapatos e se ajeitou na cama dela. A sua era tão boa quanta aquela, mas não havia o cheiro característico da Rainha de Idris, que era fragrância única e exclusivamente dela, um cheiro amadeirado com ar selvagem que ele nunca soube explicar. "Harry, vai para o seu quarto. Se Nathanael pega você na minha cama, vai te caçar até os confins do mundo". Porém, ignorou a ameaça vinda da mulher, que o xingou na língua materna de Idris, uma mistura de francês com italiano, e ele ouviu os passos do salto alto. Porém, os dedos estavam sobre seus cabelos e a coberta fora colocada sobre ele.
– Vai ficar tudo bem, Henry – sussurrou, usando seu nome de batismo. – Sweet Dreams, Prince.
Ele a segurou, seus olhos fixos nos dela enquanto o encarava com as íris esverdeadas.
– Deita comigo.
– Harry...
– Por favor!
Pediu em um sussurro e revirou os olhos, mas levantou-se e foi até o banheiro com uma muda de roupa. Na volta, usava uma camisa do 30 Seconds to Mars e calça moletom. A Rainha de Idris deitou sobre o peito dele enquanto ele a observava.
– Davy não consegue lidar com a mídia e provavelmente iria enlouquecer caso eu tentasse alguma coisa como um pedido de casamento – sussurrou ele enquanto ela riu. – Ela não gostava deles e hoje em dia é bem mais discreta.
– Eu sei disso – ela sussurrou. – Durma, Harry! Antes que eu volte na minha palavra e você seja expulso daqui aos pontapés.
Ele riu. Harry não estava cansado e muito menos com vontade de dormir, só queria ficar deitado sentindo o cheiro de perfume amadeirado da mais nova. Ele sabia o motivo do término com Cressida, além da carreira dela, porém, manteve em seu íntimo. Mas o motivo estava adormecido nos seus braços.

¹Perfect Symphony - Ed Sheeran.
¹Idris foi retirado da série Instrumentos Mortais.
²Idris é dividida em 28 Principados. Como herdeiro presumido ao trono, o irmão da rainha recebe o título de Primeiro Príncipe de Idris.
³Nobres de Idris têm um sobrenome que representa a sua casa, como exemplo: Roux e Yale
.

 

Nota da autora: Em 2020, nós estamos rendidas ainda pelo Príncipe Harry, a Fanfic é dividida entre a perspectiva dele e da pp, então vem muita água por aí.
With love,
Lysse.