Atualizações

Indicação: This Is Not An Illusion, por Renata Silva.

Só quem passou pelo advento One Direction nos anos 2010 à 2016 sabe o quão impactante o grupo foi para qualquer adolescente envolvido com a cultura pop da época. One Direction ditou os rumos que a indústria musical tomou durante os anos de banda, rapidamente tornaram-se o maior grupo do momento e, aposto que, oito em cada dez pessoas entre 11 e 18 anos, eram Directioners. Era impossível não ser levado direto ao tsunami OneD, logo que bastava dar um passo fora de casa para ter “What’s Makes You Beautiful”, “Best Song Ever”, “Little Things”, “Night Changes”, “Steal My Girl” ou “Drag Me Down” tocando em alguma parte.

Afirmo isso com tanta certeza pois fui uma dessas adolescentes. Lá com meus quatorze anos, eu que até então o mais próximo que havia chegado dos garotos ingleses (ah, e um irlandes, claro) foi através do 5 seconds of summer, de quem sou fã até hoje. Conquistada pelo carisma e talento do grupo, logo me vi envolvida no universo criado para as directioners. Por isso, This Is Not An Illusion fora impactante.

Preparada e escrita para fazer parte do especial de 10 anos de One Direction, de autoria de Renata Silva, somos inseridos em um dia na vida de Diana Johnson (sim, Diana, a personagem que todas nós já nos imaginando sendo ou escrevemos sobre), uma jornalista que acaba ficando encarregada de cobrir uma coletiva de imprensa misteriosa. Tudo o que ela sabe é que acontecerá em um hotel luxuoso de Londres e que provavelmente os seis carros pretos que viu chegarem ao local tem relação com o que irá ocorrer na coletiva. Pouco depois também descobrimos que Diana não só é uma jornalista, como uma directioner de carteirinha que, assim como todos nós, aguarda por uma reunião da banda e o fim do hiatus – que na história já alcança doze anos, visto que se passa em 2022.

Então, qual não é sua surpresa ao ter os nomes dos integrantes – todos os cinco integrantes – da One Direction sendo anunciados naquela coletiva para qual fora enviada sem querer?

A emoção que a personagem sente é correspondente a que nós, leitores, sentimos ao imaginar a cena acontecendo, imaginando, sem aviso algum, sua banda favorita se reunindo depois de longos anos. Principalmente porque aquele que queria apenas ”ser um cara normal de 22 anos” está ali também, concluindo a formação original.

Enquanto Diana tem um leve surto ao ver tudo mudando em apenas três horas desde que chegara ao hotel, nós somos inundados pela saudade e até a expectativa de que aquilo poderia acontecer algum dia, o History Tour prestes a acontecer. Tudo o que você sentiu durante sua adolescência e juventude se reunindo novamente e transbordando do peito, quase incontinente. 

A Renata consegue fazer fluir todas essas sensações da forma mais discreta possível, onde só nos damos conta do quentinho no coração após o encerramento da história, pois em seu decorrer estamos concentradas demais no que os garotos estão dizendo sobre o que houve há dois anos no aniversário de dez do grupo, o que pretendem fazer com a banda a partir daquele momento, conseguimos nos sentir na pele da jornalista vendo tudo aquilo acontecer bem diante de nossos olhos.

Por fim, após a coletiva e quando a nossa personagem principal está prestes a ir embora, nós novamente, pela milésima, ah! Como queríamos ser Diana!

This Is Not An Illusion é a doce ilusão que aceitamos de bom grado, onde o vislumbre do que poderia ter sido, o que pode acontecer, nos acalenta mesmo que mal possamos imaginar como algo como o que é escrito na história aconteceria na vida real, sendo cada um de nós, não Diana, mas nós mesmos lidando com o fato de que algo para qual nós doamos tantos dias de nossas vidas, tantas horas de stream, tantos álbuns comprados, posters colecionados, ingressos de shows, quinquilharias que fazemos questão de guardar com carinho, de repente é retirado do fundo do armário e então estamos dispostos, mais uma vez, a fazer o One Direction acontecer como se voltássemos anos no passado e os víssemos pela primeira vez novamente, os cinco adolescentes reunidos por um show de talentos, que, tanto eles quanto nós, sequer sonhávamos com que estava prestes a acontecer a todas essas pessoas.

Por Thalia Grace.