Atualizações

[REVIEW] Backstreet Boys em Uberlândia

[REVIEW] Backstreet Boys em Uberlândia

Recente na rota de shows internacionais no país, Uberlândia recebeu os Backstreet Boys na quarta-feira, dia 11 de março, na Arena Sabiazinho. E mesmo sendo no meio da semana, às 13h a fila do lado de fora já contava com mais de 200 pessoas. Os portões abriram às 18, não teve banda de abertura e o show começou pontualmente às 21h30.

A boyband começou o show com uma projeção nos telões que foi suficiente para que o público começasse a gritar. Subiram ao palco com figurino combinado e a primeira música foi Everyone, seguida de I Wanna Be With You e The Call. 

Do álbum mais recente, cantaram Nobody Else, New Love e Chateau, engatando em seguida as famosas Show Me The Meaning Of Being Lonely, Incomplete e More Than That e retornando às novas The Way It Was e Chances.

A setlist contou com 33 músicas no total, e algumas delas foram cantadas só trechos, por um ou dois integrantes. Nesses momentos o restante da boyband realizava a troca de figurinos, parte essencial dos shows. Uma dessas trocas aconteceu no palco, com Kevin e A.J., que, entre gracinhas, jogaram, inclusive, cuecas para as fãs que estavam no PIT, uma área separada e vendida apenas para membros do fã clube.

Shape Of My Heart, Quit Playing Games (With My Heart) e As Long As You Love Me, fizeram do show um momento nostálgico para muitos. No Place veio em seguida e os fãs tinham preparado uma surpresa, encheram balões vermelhos em formato de coração e balançaram durante a canção.

Foi impossível não cantar All I Have To Give, assim como foi impossível não pular com a sequência, que foi Everybody (Backstreet’s Back). Durante todo o show os integrantes distribuíram autógrafos, interagiram com a platéia, pediram para ligar a lanterna dos celulares nas músicas mais lentas e, claro, fizeram seus passos coreografados que deixaram todos empolgados.

A última música antes de deixarem os palcos foi I Want It That Way, talvez a mais esperada da noite, com direito à arena toda cantando, aos passos de dança e foram extremamente aplaudidos. Retornaram com Don’t Go Breaking My Heart e encerraram a noite com Larger Than Life e muito confete azul e prata.

Foram extremamente carismáticos, elogiaram o público, a cidade (mesmo não tendo se hospedado lá) e o país. Um show que conta a história da banda com seus sucessos ao longo dos anos, que faz valer o valor do ingresso e o público sai satisfeito.

A título de curiosidade, o local do show não é grande (apenas arquibancada e pista) e de qualquer parte consegue-se enxergar bem. Os preços dos ingressos foram de R$ 190 (arquibancada meia) a R$ 620 (pista inteira) e o preço do consumo lá dentro foi relativamente mais barato do que a maioria dos shows internacionais, mas o do estacionamento foi acima do esperado. Existem hotéis mais caros, mas é possível conseguir uma boa estadia a um preço bom.

Por Lari Carrião