Atualizações

[REVIEW] Fine Line, o novo álbum do Harry Styles

[REVIEW] Fine Line, o novo álbum do Harry Styles

Não é segredo para ninguém que um dos álbuns mais aguardados de 2019 foi o Fine Line, sendo esta uma obra que conta com 12 faixas co-escritas por Harry Styles.

Fine Line – conhecido também como HS2 – marca o início de uma nova era na carreira de Harry, onde ele mesmo já afirmou para a revista Rolling Stone que “está sendo ele mesmo, pois era o que os fãs gostariam que ele fosse”, além de ter destacado que este é um álbum de término, onde tudo se resume em “estar triste e transar”.

Deixo claro que, aos meus olhos, esse álbum conta uma história… Então vamos acompanhar a obra faixa por faixa!

Começamos por Golden, uma música que traz muito vibe dos anos 80 e já traz consigo uma ideia do que vamos escutar e sentir ao decorrer do álbum. A canção diz a respeito de uma pessoa “dourada” que o faz bem, mas a pessoa sente medo, porque sabe que os corações acabam partidos, como Harry mesmo canta no verso “I know that you’re scared because hearts get broken”.

Seguimos para Watermelon Sugar.  Styles canta sobre o sentimento de estar com a pessoa que o inspirou a escrever a primeira faixa. Mas, o que a letra em si traz a tona é a sensação de ter um orgasmo.

Chegamos então em Adore You. E é difícil não mencionar nossa querida ilha de Eroda ao falar sobre esta música. Explorando todos os versos de Adore You, podemos ver que Harry está apaixonado, contudo não é correspondido. Isso fica explícito nas frases “You don’t have to say you love me, you don’t have to say nothing, you don’t have to say you’re mine”.

Em Lights Up as coisas começam a desandar um pouco. O relacionamento que vinha sendo bom, de repente, se torna turbulento. Talvez a pessoa para quem Harry canta, se torna um outro alguém, e eles tem um desentendimento. Com isso, fica destacada a frase “Você sabe quem você é?”. Outra coisa que chama a atenção é a forma como Styles menciona seus sentimentos… Tudo estava fluindo tão bem, e agora “todas as luzes não seriam capazes de iluminar a tristeza em seu coração”.

Cherry vem dando início ao fundo do poço em que Harry se meteu. Ele percebe que a pessoa que ele – possivelmente – ama está com outra pessoa, e que ele não vai tê-la de volta. Ele pede para que ela não chame seu novo namorado como costumava o chamar (Gusttavo Lima vibes). Embora ela tenha pedido desculpas, ele admite ter sido egoísta, e talvez tenha sido esse um dos motivos do término. Essa é uma faixa polêmica, pois ao seu final traz uma nota de sua ex-namorada Camille Rowe conversando com alguém em francês. “Eu estava tocando o violão, e ela simplesmente estava falando ao telefone no tom da música”, ele disse à revista Rolling Stone.

Não existe a mínima possibilidade de ouvir Falling e não sentir a dor que Harry estava sentindo. Em uma entrevista para Zane Lowe, Harry disse que essa musica traz sua agonia, afirmando que ele começou a sentir que estava se tornando alguem que ele não queria ser e que isso era muito difícil – “What if I’m someone I don’t want around?” – Além disso, para mim, Harry continua dizendo que machucou muito a pessoa e que ele tem a sensação de que ela nunca mais irá precisar dele, mas ele continua escrevendo músicas para ela. 

Em To Be So Lonely ele aceita finalmente o fim do relacionamento, e mais uma vez pontua outro defeito em si, dizendo ser um “filho da puta arrogante, que não admite quando sente muito”. Ele afirma que sente falta dela, mas não espera que ela volte para ele, que entende os motivos pelo qual ela o deixou, e mais uma vez pede desculpas. Harry também diz que é difícil para ele ir pra casa e ficar tão solitário.

She é a segunda faixa mais longa do álbum todo, graças a um solo fantástico de guitarra de Mitch. Nesta canção, Styles retrata o que ele idealiza sobre uma relação. Diz que sonha sobre uma garota, mas não sabe quem ela é. A impressão que passa com essa música é que ele está desistindo de lutar por amor, e que imagina que não vá conseguir achar alguém para estar com ele dessa forma, porque, embora ele sonhe com essa garota, ele não sabe onde ela está. Essa música também traz um pouco de polêmica, já que na entrevista a Rolling Stone, Harry disse que estavam todos (os envolvidos nela) sob efeito de cogumelos, e quando a onda passou, eles não lembravam da existência dela, tanto que Mitch precisou reaprender o riff do solo de guitarra.

Sunflower, Vol. 6 é a nona música do álbum, e ela vem para mudar um pouco o ritmo “triste” que estava até agora. A ideia que eu tive com ela, é que Harry achou a garota que ele procurava em She, e tentou a ignorar, mas ela o atraiu demais, e que ele tenta não parecer um bobo quando está próximo a ela. Diz que ele a quer muito, e quer viver com ela um romance daqueles de filme, onde as pessoas dançam no meio da cozinha – e não, nunca entenderemos esse fascínio dos gringos com a cozinha –.

Número 10: Canyon Moon. Está é uma música que mostra que, embora ele esteja com a garota – que ele talvez tenha nomeado Jenny – ele continua trabalhando com sua música, e fica muito tempo longe de casa. É uma canção sobre saudades, onde Styles diz que ficou tempo demais longe dela, e está finalmente voltando para casa.

A décima primeira faixa do álbum é Treat People With Kindness, o bordão de Harry. Aos meus olhos essa é uma canção que pode ser considerada como um filler, já que ela foge – mas nem tanto – da história que o álbum conta. Harry disse que ele havia comentado com um de seus amigos que, um dia, gostaria de escrever uma música que levasse o nome de TPWK, e seu amigo o influenciou a escrevê-la, então cá está a música que eu tenho tatuada no meu ombro há quase um ano.

Chegamos então na última faixa, a que nomeia o álbum: Fine Line. Essa música traz a realidade de um relacionamento. Harry canta sobre estar devoto à garota que ele se apaixonou, mas diz que as vezes ela pode fazê-lo perder a paciência. Porém, é explícito que ele está disposto a tentar fazer dar certo quando diz que serão “uma linha tênue”, e essa seria uma linha entre os momentos bons e ruins, uma linha trazendo equilíbrio para o relacionamento, e que assim eles ficariam bem. Com exatos 6 minutos e 17 segundos, essa é a faixa mais longa de todo o álbum.

O que >>eu<< achei de mais legal nesse álbum, é que Harry explorou cada canto de si e conseguiu colocar muita emoção em cada letra, afinal é impossível não sentir a dor que ele sente em Cherry, ou em Falling. Outra coisa interessante é: se você começar agora a ouvir o álbum, em loop, e sem estar no modo aleatório, você vai perceber que conta os estágios da vida amorosa de alguém, onde se vai do ápice da felicidade ao fundo do poço, até achar alguém que te complete no fim do dia e, acredito que assim como eu, você se identificará com todas os versos cantados do início ao fim.

Por Amanda Ritis